Dores de Campos

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Um dia movimentado no centro de Dores de Campos.

Dores de Campos é uma famosa roça localizada em Minas Gerais. Possui uma população de 3 pessoas, mas ninguém se importa.

História[editar]

Jogador do time da cidade (sim, por mais difícil que seja de acreditar, ecsiste um time em Dores de Campos) comemorando um gol feito sobre o Íbis Futebol Clube.

Na verdade, é difícil falar alguma coisa sobre a história de Dores de Campos, até porque ela é repleta de fracassos e merdas que ocorreram em seus territórios. Porém, como precisamos encher linguiça para o artigo sobre essa cidade insignificante não ser eliminado por algum moderador malvado que não tem nada melhor para fazer, contemos como que surgiu essa desgraça de cidade.

Como todos sabem (até mesmo você que nunca frequentou uma escola), durante o século XVIII, os bandeirantes estavam revirando todo o território de Minas Gerais, à procura de ouro, diamantes e pedras preciosas. E isso para eles era tarefa era bastante fácil e tranquila, afinal, naquela época, o governo brasileiro era uma anarquia maior do que é hoje.

Depois de muito andar, um grupo de bandeirantes chegou no território em que hoje fica localizada Dores de Campos. No princípio, eles acharam que aquelas terras eram apenas um latifúndio inútil que serviria no máximo para botar as vacas para pastar. Porém, depois de um tempo eles viram que... Estavam certos, pois aquelas terras não possuiam sequer uma amostra de ouro dos tolos. Percebendo que tinham perdido muito tempo naquele fim do mundo, os bandeirantes simplesmente abandonaram aquele território, deixando construído apenas um barraquinho de palha, que eles tinham usado como moradia.

Alguns anos depois, alguns bandidos que estavam fugindo da polícia chegaram em Dores de Campos. Logo que chegaram, eles não queriam ficar naquele território, afinal, eles estavam simplesmente no fim do mundo, e a pessoa mais próxima para assaltar morava há mais de 666 quilômetros de distância. Mas como Dores de Campos era um excelente lugar para se esconder, eles resolveram ficar por lá mesmo, pelo menos até a poeira baixar. O que eles não sabiam é que eles continuariam sendo procurados pelos próximos 42 anos, e que necessitariam desenvolver um vilarejo naquele território se quisessem sobreviver.

Muitos anos depois, os bandidos finalmente terminaram de construir Dores de Campos, sendo que a nova cidade possuia até mesmo uma bela boca de fumo no centro. Essa boca de fumo foi o que atraiu diversos turistas para a região, que estavam interessados em dar um tapa na pantera sem a intervenção da polícia (que era inexistente em Dores de Campos - E que até hoje é). Com esse grande turismo, em pouco tempo, Dores de Campos já tinha conseguido se tornar uma cidadezinha interiorana comum, com todo mundo fofocando sobre a vida dos outros na porta de casa.

Cidade[editar]

Moradores de Dores de Campos na fila do banco.

Atualmente, ninguém sabe como está a cidade, até porque ninguém tem coragem (e vontade) de ir até lá. Mas acredita-se que Dores de Campos tenha se desenvolvido bastante desde a última pesquisa do IBGE, que aconteceu em 1789.

População[editar]

A população de Dores de Campos se divide em dois grupos distintos: O primeiro, gosta de assistir o Faustão aos domingos, enquanto que o segundo gosta de assistir o Programa Silvio Santos. Obviamente, por causa desses gostos bastante distintos, sempre acaba saindo briga na cidade - Que sempre acabam sendo resolvidas com um belo bacanal.

Em dias de semana, os moradores ficam apenas deitados na rede ou sentados em frente de casa, fofocando sobre assuntos interessantíssimos, como por exemplo, sobre como era curta a saia da filha do dono da verduraria. Os moradores que não gostam de fofocas (0,00001% do total) ficam ouvindo Inezita Barroso em seus radinhos de pilha.