Dragão-de-komodo

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
(Redirecionado de Dragão de Komodo)
Ir para: navegação, pesquisa
Asogaaaaaa.jpg Este artigo contém VENENO!!

Este artigo... precisa de antídoto... Ele pode se tratar de... algum animal, pessoa, lugar... ou composto... Ele pode... conter materiais tóxicos... como lactose ou glúten... Chupe a picada ou morra... argh! (morri)


Dragão-inkomodado
"Jacaré é o caralho, meu irmão..."
"Jacaré é o caralho, meu irmão..."
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Acordados
Superclasse: Quadrúpedes
Classe: Dinossauros
Ordem: Acamados
Subordem: Lagartos
Família: Varanídeos
Gênero: Varadus
Espécie: Dragão-inkomodado
Varadus kommodities

O Dragão de Komodo, apesar do nome, é uma mera lagartixa hipertrofiada que habita regiões escrotas da Indonésia e do Acre, e é um dos três lagartos venenosos conhecidos atualmente. A origem de seu nome (e de sua espécie) remonta a um episódio infeliz do século passado, quando sua ta-ta-ravó, uma simples lagartixa-ibérica, foi estuprada por um dragão comum, ficando grávida dessa aberração da natureza conhecida como Dragão de Komodo.

Muito embora não solte fogo pelas ventas, o Dragão de Komodo herdou de seu antepassado mitológico o peculiar bafo-de-onça. Em parte como decorrência dessa infelicidade genética, em parte por causa de sua dieta alimentar baseada em carniça, o hálito desse animal sempre foi putrefato. E se agravou muito nos últimos anos. Cientistas atribuem isso a uma mudança significativa na gastronomia dos Dragões de Komodo, que passaram a incrementar suas receitas insossas com pimenta e azeite de dendê. Embora se tenha conhecimento desses fatos hoje, no passado lendas urbanas afirmavam que o bafo venenoso da criatura fosse proveniente de bactérias mutantes alienígenas que supostamente habitariam sua boca, as mesmas que habitariam as bocas dos bêbados.

Ameaçados de Extinção[editar]

Em virtude dessa baianização de seus costumes, cada vez menos os Dragões de Komodo se preocupam em caçar sua própria comida. Preferem que alguém a traga para eles. Uma das consequências nefastas dessa vagabundagem indolência tem se refletido na baixa taxa de natalidade, já que o ritual de acasalamento, desacompanhado de uma micareta, parece muito custoso para esses animais aculturados.

É por essas e por outras que os cientistas cogitam a possibilidade de trocar seus nomes de Dragões de Komodo para Dragões Kômodos.

Habitat[editar]

Os Dragões de Komodo moram atualmente na Indonésia, mas planejam viajar para o Brasil no Carnaval. A finalidade seria a de perpetuar a espécie, uma vez que essa festa popular aumenta em muitas vezes a chance de um dragão qualquer conseguir um parceiro sexual.

Dragões de Komodo, como qualquer folgado que se preze, preferem lugares secos e ensolarados. Uma péssima opção se o lugar em questão é escasso em água. É por essa razão que eles ficam estrebuchando com a língua de fora, balançando a cabeça enquanto sofrem com a ensolação.