Duna

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
O Verme é a especiaria e a especiaria é o Verme! Aquele que controla a Especiaria contra o Universo!

Cquote1.png Eu conheço, as praias de Natal são lindas! Cquote2.png
Carla Perez sobre Duna
Cquote1.png Eu tenho medo Cquote2.png
Regina Duarte sobre Duna
Cquote1.png O medo é o assassino da mente Cquote2.png
Paloma Duarte sobre Regina Duarte
Cquote1.png A areia está em todo lugar, até dentro das minhas botas e calças também! Merda! Cquote2.png
Morpheus sobre Duna
Cquote1.png Que o Shai-Hulud o tenha. Cquote2.png
Jacques Wagner sobre ACM
Cquote1.png Quero beber o sangue de Heineken Cquote2.png
Lula sobre Duna
Cquote1.png Foi o verme que butô pra nóis bebê Cquote2.png
Jeremias José sobre Melange
Cquote1.png Odeio esses finlandeses! Cquote2.png
Lewis Hamilton sobre os Harkonen
Cquote1.png Eu queria ser um fremen e poder cavalgar na minhoca também! Cquote2.png
Clodovil sobre os fremen de Duna
Cquote1.png Você quer dizer Druuna? Cquote2.png
Tarado sobre Duna


Duna é um romance de ficção científica recheado de tramas políticas, escrito por Frank Herbert, com a colaboração de Michael Moore e José Dirceu, entre outros intelectuais da esquerda mundial. O romance inspirou duas séries de filmes, uma delas produzida por David Lixo, que de tão ruim, não teve nem sequência, e outra produzida por uma dupla de cineastas desconhecidos, que lhe deram uma roupagem mais POP e passaram a chamá-lo de Matrix, sendo sucesso mundial entre o público nerd. O livro hoje é considerado sagrado por muitos, pois a série original foi terminada na década de 80, mas nele há, segundo os fãs, previsões mais surpreendentes que as de Nostradamus, sobre personalidades muito relevantes da história mundial nos anos seguintes. Já os céticos, como Marcelo Gleiser, Olavo de Carvalho e outros malas sem alça experts em literatura contemporânea enxergam em Duna na verdade um panfleto comunista escrito sob a orientação ideológica do Foro de São Paulo.

Também há teses de Literatura que apontam ligações com textos da literatura árabe clássica, como Ali Barbalho e os 40 ladrões, Alladin Henrique Cardoso e a Lâmpada econômica mágica e A Lenda do topete voador.


Tabela de conteúdo

[editar] O enredo

Spoiler5.JPG
Atenção! O texto abaixo pode conter (ou não) um ou mais spoilers.
Ou seja, além de deixar o artigo com mais pressão aerodinâmica nas retas e mais estável nas curvas de alta, ele pode revelar, por exemplo, que o presidente Logan mandou matar David Palmer, ou que Nicholas Cage sobrevive no filme Torres Gêmeas.
Spoiler3.jpg

[editar] O Muad'Dib

Num universo onde a religião proibiu computadores e as pessoas tiveram que voltar a usar máquinas de escrever, a humanidade voltou à Idade Média. Porém ao invés de dragões, havia os terríveis vermes de areia para atormentar a população no primitivo planeta Nordestis. Este planeta era habitado pelos fremen, um povo tecnologicamente primitivo e muito guerreiro, descendente de vendedores da Saara com porteiros de prédios de Copacabana, que foram banidos para aquele lugar, onde tiveram que se adaptar ao terrível deserto.

Guerreiro Guerreira fremen totalmente adaptada ao deserto

Neste universo, comandado por casas feudais, como os Magalhãnens, os Sarneykar, os Heineken e os Suplicious, também havia uma ordem religiosa chamada Bene PeTerit. Essa ordem combinava técnicas religiosas e nazistas eugenistas para criar o Kwizats Haderach, uma espécie de superman vermelho ultra fodão que as levaria ao poder.

Porém Jéssica Martin apaixonou-se por Edward Suplicious, um nobre do Planeta Caladan, dando à luz um menino barbudo {uma mutação genética criada pela Bene Peterit para proteger do sol de Nordestis} que chamou de Louis Paul, e decidiu que seria este seu filho o Kwizats Haderach. Na verdade, Jéssica estava adiantando o plano das Bene Peterit uma geração, pois ela deveria ter uma filha mulher, que se casaria com o filho dos Heineken. As reverendas madres protestaram, afinal, depois de tantos anos de programa de procriação selecionada... Abandonar tudo assim ? Mas Lady Jéssica argumentou que bastaria apenas um bom marqueteiro, e os sofridos fremen aceitariam seu filho como o novo messias.

Nessa época, os Suplicious foram indicados para tomar conta de Nordestis, e se mudaram de sua chuvosa e alagada terra natal para lá. Mas esta indicação na verdade representava uma grande armadilha...

[editar] A conspiração

Um vidente da CHOAM, uma espécie de companhia aérea monopolista, previu que a casa dos Suplicious estava prestes a desarmonizar as forças naquele universo, e uma conspiração foi montada para evitar que isso acontecesse. Soldados do Império Global Universal, a serviço do Imperador Padishah Roberto Saddam IV, se vestiram com os uniformes colloridos dos Heineken, inimigos dos Suplicous, e saquearam Nordestis, começando por Alagoas, o único lugar que possuía água naquele planeta.

Lady Jéssica e Louis Paul, seu filho, tiveram que se refugiar no deserto, onde Paul enfrentou terríveis cangaceiros fremen, inclusive perdendo um dedo durante um combate, e se aliou a um grupo de guerrieiros arretados, com os quais passou a viver. Lá, ele também se apaixonou por Luriani, uma fremen dos olhos azuis (aliás, todos os fremen têm ohos azuis), se tornou adepto do vício da especiaria, e passou a, durante seus porres transes, ter visões megalomaníacas sobre o futuro. Após ganhar seu primeiro traje-destilador e aprender que os legítimos fremen só bebem água destilada, Paul resolveu tornar-se um fremen de verdade, aprendendo a economizar o precioso líquido ao máximo, passando a inger somente aquela que passarinho não bebe.

Paul se tornou então um líder carismático, levando seu povo a uma guerra sangrenta, que terminou com a vitória dos fremen e a morte de seu maior inimigo, o Barão Heineken, a quem ele chamava de "ramster do deserto".

Após dominar completamente o planeta e o Império, Paul investiu na transposição das águas do Planeta natal do Suplicious para Nordestis, criou sua milícia pessoal - os Feidaykin -, ensinou a população a se proteger dos vermes de areia e começou a expandir seu poder para todo o Universo.

Com a morte de Luriani e de seu primeiro filho, Paul se casa novamente, desta vez com a filha do Imperador, com a intenção de que assim seus descendentes herdassem por direito o império, podendo assim evitar uma guerra.

[editar] Depois da vitória

Porém a turba ensandecida dos seguidores de Paul saiu do seu controle, cometendo inúmeras atrocidades às quais ele não pôde evitar. Se bem que até hoje há uma enorme discussão entre fãs e críticos da obras, acerca de uma pergunta, que nem mesmo os autores sabem responder:"Afinal, Paul sabia ou não sabia?"

Ele é matador, ele é matador, o verme vai embora quando vê esse licor - Arma poderosa de Paul Muad'dib para proteger seu povo dos vermes de areia

De qualquer modo, a despeito dos abusos do Governo, Paul, mesmo após tornar-se cego, conseguia ver uma luz no fim do buraco negro, conseguia ver uma chance para tirar Nordestis e outros planetas da miséria, sem acabar totalmente com o deserto, porém salvando o meio ambiente, como queria o planetologista Lyet Kynes. Ele descobriu a fórmula para o caminho dourado, um novo combustível que poria fim aos grandes monopolistas. Restaria saber se teria coragem e tempo de colocar em prática o seu caminho dourado.

[editar] Referências

Eis a lista das personalidades, corporações e lugares a que Duna faria referência, segundo críticos e fãs:

  • Planeta Ix - uma referência ao Japão

"Tudo gira em trono da tecnologia"

"Já foi bom na tecnologia, mas Ix colocou no bolso"

  • Bene Gesserit - IURD

"A engenharia da Religião"

  • Corporação Espacial - Futuro Joint-venture TAM e Gol

"Grande, arrogante, cara e mortalmente eficiente. Só se importa com sua sobrevivência. Mas, leva as pessoas de lá para cá"

Esta invenção do Marquês de Pombal certamente foi a inspiração da CHOAM

"Oceanos fartos, com grandes costas, grande volume de água disponível para consmo humano, pesca, clima tropical. Possui um governador carismático que enfia sua propaganda de realizações políticas goela abaixo da população, tornando-a fanática pelo seu líder"

" É o maior produtor da especiaria mais cobiçada, governado por um conselho de "sábios" religiosos; possuem experimentos com atômicos (queima-pedra?); e acreditam ainda, que o seu Mahdi chegará..."

"Muito luxo, muita cultura, boas condições de vida e... estagnação. Um povo esperando que outra força cresça o suficiente para dominá-los. "

"Servem a um imperador tão insano quanto eles; O tempo de treinamento de um Marine ou de um Ranger é digno de uma semana em Salusa Secundus; Abu Ghraib e Guantanamo, assim como Salusa Secundus, são locais perfeitos para "confissões"; Terror psicológico, sua maior arma; Truculência."

"A consulta de um Suk custa um planeta. Os melhores médicos para os melhores bolsos. Até o Imperador, só atendem mediante pagamento a vista"

"Parece imortal. É feio, gordo, grande, mas tem um exército de mulheres que se for preciso baixam a porrada por causa dele."

"Velho, gordo, dotado de grande inteligência, astúcia. Cercado de rumores sobre sua sexualidade. É cruel e sádico com seus desafetos."

"São fanáticos religiosos, não confiam em ninguém fora do grupo, se acham o único povo divino e tem umas nóias com pureza e comida. Isso faz que sejam desprezados por todos os outros."

"Servem apenas para reproduzir, não possui consciência ou inteligência. São usados para parir incessantemente criaturas geneticamente modificadas, clones, transformistas e criar substâncias narcóticas artificiais. Possuem uma aparência grotesca e repulsiva."

  • Jihad Butleriano - MST

"Movimento ludita, com tendências atávicas, de cunho social religioso, exerce influência junto ao governo"

[editar] Ver também

Um navegador da Corporação. Eles possuem o monopólio do transporte espacial e vivem em tanques especiais.
Ferramentas pessoais
Ver e modificar namespaces

Variantes
Visualizações
Ações
Navegação
Colaboração
Votações
(F)Utilidades
Novidades
Redes sociais
Correlatos
Ferramentas
Outras línguas