Economia da China

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Economia da China é atualmente a maior do mundo em PIB nominal, tudo graças a uma atuação ostensiva do governo em controlar a política monetária do país seguindo conselhos retirados do leninlismo e maoísmo que defendem acima de tudo a preocupação com a igualdade, característica herdada do comunismo, que atualmente é usado na China apenas para evitar eleições multipartidárias maçantes, uso massivo de facebook e youtube, fora os massacre ocasionais de alguma minoria étnica para não perder o hábito, nada mais, de maneira que o modelo soviético de atuar na economia foi abolido, surgindo assim segundo os especialistas algo chamado comunismo de mercado.

Depois do desastre econômico da Revolução Cultural Chinesa, o país começou uma tentativa de aceitar o capitalismo como um jovem rapaz que tem sua primeira namoradinha (romântico, não?). A ideia funcionou, a China abriu suas portas, janelas, portões, muralhas, pernas, bolsos e carteiras e o investimento estrangeiro invadiu o país igual já havia acontecido em Hong Kong e Macau 200 anos antes, mas como lá só existia puteiro, bordel e cassino os chineses tinham o temor que o país inteiro virasse uma palhaçada sem costumes. O reformista e líder supremo Deng Xiaoping foi mal citado como dizendo: "Não importa se um gato é preto ou branco, desde que cace ratos" quando na realidade ele tinha dito "Fazei tudo o que diabos vocês quiserem para sermos ricos o bastante para mandar na ONU, basta tentar não matar mais 50 milhões de pessoas no espaço de algumas décadas!".

O conselho de Deng funcionou e o país entrou em crescimento vertiginoso, exatamente como países livres como o Brasil jamais conseguirão executar se não tiverem um bom chefe como Xiaoping, tanto que graças a esses alicerces criados pelos generosos líderes comunistas chineses, a economia do país criou uma enorme disparidade entre miseráveis que não tem nem onde cair morto para pobres-sujos. De acordo com fontes não fiáveis da Wikipédia hoje 80% dos chineses são apenas pobres sujos e apenas 20% são miseráveis que não tem nem onde cair morto, muito diferente de 1995 quando 110% dos chineses eram tão pobres que nem tinham capacidade de fazer estatísticas direito, mesmo que fraudulentas.

Agricultura[editar]

O sistema agropecuário chinês é 2340% dominado por vastas plantações de arroz e muito precário, só é o maior do mundo porque o chinês camponês pode ficar 24 horas por dia na lavoura fazendo seu arrozal mal irrigado, mal adubado e num solo horrível crescer mesmo assim.

No Tibete por ser uma região onde só tem pedre e é impossível plantar destaca-se o setor de floricultura enquanto no deserto de Gobi estão 70% de toda produção de cactos ornamentais do mundo.

Indústria[editar]

Arsolut Boska, a melhor vodka da China, copiada sem escrúpulos.

A indústria chinesa se baseia na fabricação de produtos de ótima qualidade de qualidade duvidosa que sempre quebram no primeiro uso. A China vende esses produtos por R$1000 para um comerciante e este revende por R$1,99. Se você se perguntava porque a China ficou tão rica de uma hora para outra agora você tem uma resposta. É considerada pela OCDE como o segundo país mais industrializado do mundo, perdendo apenas para o Paraguai.

Devido ao seu setor industrial marcante a China é também o responsável por poluir o ar de 65% da atmosfera de todo o mundo, mas depois de anos respirando aquela merda em formato de fumaça, todos eles já estão acostumados mesmo, e se o aquecimento global realmente acontecer os chineses vão ficar felizes em ver o Japão submergir.

Sabe-se que o mercado mundial de brinquedos sexuais já é composto apenas por produtos made in china, bem como eletroeletrônicos, componentes de carros, componentes de eletroeletrônicos, entradas USB, óculos de grau nada recomendados por oftalmologistas, bolsas de couro de cachorro e camisas de seleções de futebol cretinas de tão falsificadas como Brasil ainda com três estrelas apenas e aquele amarelo desbotado ou os escudos bordados que soltam da camisa após as primeira lavagem.

Serviços[editar]

A filosofia chinesa confucionista é tão forte que influencia diretamente no setor de serviços do país e faz com que as pessoas trabalhem como escravas sem se preocupar com nada material ou espiritual, no entanto, aqueles que se rebelam são generosamente premiados sumindo da China a qual reclamam tanto (mas ninguém sabe onde vão parar). Em 2004, o Partido Chinês premiou 500 mil cidadãos com balas de chumbo na Praça Celestial da Paz.

Importações[editar]

A China não precisa importar nada, porque seu plano de política econômica que a tornou o país mais rico do mundo é baseado nas diretrizes de "importar nada, usar escravos para fabricar produtos de baixíssima qualidade mas que serão tão baratos que se tornarão irresistíveis de serem comprados e importar tudo o que produzir (inclusive chineses)".

Ao contrário do que se poderia pensar, apenas 490% do consumo mundial de arroz é comido pelos chineses, portanto eles não precisam importar arroz por já serem auto-suficiente nele.

Exportações[editar]

A economia chinesa é muito mais do que a exportação de produtos de baixo custo graças a condições miseráveis de trabalho braçal semi-escrava de toda sua população, de toda forma, todo material de escritório do mundo como canetas, grampeadores, lápis, clips, taxinhas, liguinhas e a calcinha das secretárias são tudo exportações chinesas.

Flag-map of the Greater People's Republic of China.png China
HistóriaPolíticaSubdivisõesGeografia
EconomiaCulturaTurismo