Editora Martin Claret

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
60px-Bouncywikilogo.gif
A nossa sátira autorizada, a Wikipédia, tem um artigo sobre: Editora Martin Claret.

Martin Claret é uma armadilha contemporânea que quase todos os que dizem ser estudantes da área de humanidades já caíram, em quase todas as estantes destes maconheiros há um Martin Claret de R$10,50 perdido. Ler mesmo ninguém nunca leu, por se tratar de textos clássicos, e portanto na hora da prova o que vira mesmo é ler um comentador ao invés de um texto insuportável (e no caso da Martin Claret ainda mal digitado). A editora é conhecida por possuir uma única coleção "a obra prima de cada autor", que possui treze milhões, oitocentos e doze mil, novecentos e trinta e sete livros publicados, de quatorze mil, duzentos e dez autores.

Tabela de conteúdo

[editar] Caracteristicas dos produtos

[editar] Páginas

Além da mal digitado, o infeliz que cuida do layout resolveu que o mais importante em um livro seria o número da página e não o próprio texto, e portanto o número da página ocupa 50% de cada folha, proporcionando uma ótima leitura. Mas o designer foi muito ousado, e quebrou uma lei de Newton que diz que dois corpos não ocupam o mesmo lugar ao mesmo tempo, e meteu o número da página no mesmo lugar que o texto do livro. Para isso deixou a numeração com uma cor um pouco clara, e os míopes são incapazes de descobrir o número da página.

[editar] Capas

Exemplo tipico de capa da Martin Claret.

O individuo que criou os livros Martin Claret despreza por completo a arte e a estética. Por conta disso, as capas são deixadas em segundo plano. Antes de editar o livro, um estagiário vagabundo coloca o título do livro no “google imagens” e salva a primera que aparecer. Pra disfarçar, o infeliz muda algumas cores. Tonalidades como Grená, salmão e o popular Azul-Calcinha são frequentes nas capas. Por fim, o título do livro é colocado em letras garrafais, combinando com as cores da capa. O resultado disso são as capas Martin Claret, que justificam o preço de 10 reais. Os próximos títulos virão com o ROSA CHICLETE predominando.

[editar] Tradução

O sr. Martin Claret, que se intitula orgulhosamente um "picareta ético", é o mais constante e prolífico plagiador de traduções do Brasil e, quiçá, do mundo. Mais de 50 obras (e a contagem não para de crescer) já foram comprovadas como plágios deslavados, ridículos e mal executados, com uma palavrinha ou outra alterada aqui e acolá. Sua falta de criatividade pode ser mensurada pelos nomes absolutamente inverossímeis que inventa para assinar as fraudes que ele publica: Alexandre Boris Popov, Jean Melville etc. Questionado, o cara-de-pau-mor joga a culpa no amigo falecido e em funcionários da sua editora, dos quais não revela o nome, e que, segundo ele, são os verdadeiros responsáveis por essa "lambança". Seu senso de humor é um tanto negro: em todos os livros da sua cancerosa coleção de bolso há um aviso de que "cópia é crime"! É um monstro travestido de capiau, capaz de hipnotizar e fazer lavagem cerebral nos funcionários da sua fábrica de salsichas editoriais. Seu objetivo, ainda que inconsciente, é entrar para o Guiness Book como o maior plagiador da história editorial do Sistema Solar. Pode descansar, sr. Claret, nessa categoria o sr. é imbatível.

[editar] O tradutor

Merece também ser laureado o grande colaborador de Martin, o misterioso Pietro Nassetti. Assinando aproximadamente dois milhões dos mais de treze milhões de títulos publicados, com autores que vão de Platão a Dr. Roberto, passando por Descartes, Nietzsche, Baudelaire, Machado de Assis(!!!) e Bruna Surfistinha, esse homem é uma máquina imbatível de tradução. Seu trabalho é tão bom e tão rápido, que chegou-se mesmo a dizer que ele poderia traduzir qualquer texto de qualquer língua para qualquer outra mais rápido que o Google! Embora a qualidade da tradução seja equiparável ou mesmo inferior à do onisciente Google, em velocidade NINGUÉM é páreo para Pietro Nassetti.

[editar] Futuro

Como diz o velho ditado, o mal nunca vem acompanhado sozinho, e por isso a Martin Claret tem nada mais do que 203948 livros publicados, e ainda 239058 prontos para publicar

Ferramentas pessoais
Ver e modificar namespaces

Variantes
Visualizações
Ações
Navegação
Colaboração
Votações
(F)Utilidades
Novidades
Redes sociais
Correlatos
Ferramentas