Edmund Husserl

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Sheldon foto.jpg

Edmund Husserl é mais inteligente que você! (Ou não)

Se você quer aprender mais sobre esse ser incrivelmente inteligente, siga o exemplo desse cidadão, mas nem pense em vandalizar, senão será obrigado a estudar 24 horas por dia todo conteúdo de Física Quântica

Phineas e Ferb.jpg

Cquote1.png A fenomenologia é algo incrível... Cquote2.png
Edmund Husserl sobre fenomenologia
Cquote1.png Ele é de mundo ? Cquote2.png
Troll fail sobre Edmund Husserl
Cquote1.png O jogador de futebol? Eu conheço ele!onzeonze!11! Cquote2.png
Clichê Carla Perez sobre Edmund Husserl
Cquote1.png Issaê manolo, nóis é foda XD.png Cquote2.png
Albert Einstein filosofando com Edmund Husserl
Cquote1.png E Edmundo vai vai e prepara o chute e vai e vai... ops Cquote2.png
Galvão Bueno sobre Edmund Husserl
Cquote1.png Ora pois, o que este rapaz estás a dizer ? Cquote2.png
Edmund Husserl sobre comentário acima
Cquote1.png Olhem, mais um artigo sobre mim! Cquote2.png
Edmundo Alves de Souza Neto sobre Edmund Husserl

Edmundo Alves de Souza Neto Edmund Gustav Albrecht Husserl é um filósofo que ganhou fama após morrer, igual os outros filósofos. Foi também o criador da fenomenologia, que não é muito importante para nós (ou sim).

Tabela de conteúdo

[editar] Sua história

Edmund posando para a foto.

Nasceu em 8 de abril de mil oitocentos e cinquenta e nove (1859), foi um matemático e filósofo alemão de gargajo. Parido numa família judaica, Husserl influenciou entre outros os alemães Edite Edith Stein ( a freira que conseguiria enganar o capeta), Eugenio Fink e Martin Lutter King Heidegger, e os franceses Jean-Paul Sartre, Maurice Merleau-Ponty, Michel Henry e Jacques Querida Derrida. Para muitos que o conhecem, e até os que não conhecem, e até os que fingem que o conhecem, e os que conhecem mas fingem que não o conhecem, enfim, todos o consideram um matemático, filósofo e teórico fanático por seus trabalhos pela lógica intuicionista e pela noção de impredicatividade teria resultado de contatos. Em 87, Edmundo converte-se ao satanismo cristianismo e vira luterano. Começa ensinando filosofia tentando fazer uma lavagem cerebral em seus alunos para que eles sejam inteligentes assim como ele mesmo se considerava, ele começou seu plano maligno em Halle, como tutor desde 1887, continua em Göttingen como professor em 1901 e mais tarde em Nova Friburgo a partir de 1916, até que se liga que está ficando velho, e decide se aposentar no ano de 1928. Como veio aposentado, Husserl continua suas pesquisas e atividades nas instituições de Friburgo, até que seja definitivamente demitido por causa de seus abusos sexuais, sob o reitorado de seu antigo aluno, Heidegger.

[editar] Vagabundagem

Edmund posando para outra foto

Husserl matou aula estudou primeiro matemática nas universidades de Leipzig em 1876 e Berlin em 1878, seguindo as lições de Karl Weierstrass e Leopold Kronecker. Em 1881, foi a Viena para matar aula estudar sob a direção de Leo Königsberger (antigo aluno de Weierstrass, outro abusador), obtendo seu doutorado em 1883, apresentando a tese: Beiträge zur Variationsrechnung (se quiser o significado vai procurar no Google Translate seu vagabundo!). Em 1884, começa a atender as lições de Franz Brentano (seu professor de como abusar de criancinhas) em filosofia na Universidade de Viena. Bem tanço Brentano tanto impressionou Husserl que ele decidiu então dedicar sua vida à filosofia. Em 1886, Husserl foi até a Universidade de Halle, recomendado por Brentano para Carl Stumpf para sua habilitação de motorista. Em suas primeiras pesquisas sexuais, Husserl tenta combinar matemática com a filosofia empírica pela qual tinha sido iniciado em Viena. Seu objetivo central era contribuir no fornecimento de fundações sólidas para a ciência matemática. O tema de seu estudo será a análise dos processos mentais necessários para a formação do conceito de número; baseado em suas próprias análises, como nos métodos atípicos de seus professores, tentou projetar a possibilidade de uma teoria sistemática.

[editar] A fenomenologia

Crystal Clear app xmag.pngVer artigo principal: Fenomenologia.

A Fenomenologia busca identificar os aspectos invariáveis da percepção dos objetos e empurra os atributos da realidade para o papel de atributo do que é percebido (ou um pressuposto que perpassa o modo como percebemos os objetos).

[editar] A crise das ciências

Entre as "obras" (que é o que muitos chamam) de Edmund Husserl, a chamada “A crise das ciências européias e a fenomenologia transcendental” foi sua última "obra", que é dividido em três partes:

[editar] Frases filosóficas

  • “Ciência da realidade e idealização. A matematização da natureza.”
  • “A atitude das ciências naturais e a atitude das ciências do espírito. Naturalismo, dualismo e psicologia psicofísica.”
  • “A crise da humanidade européia e a filosofia.”

[editar] Suas "obras"

  • Über den Begriff der Zahl. Psychologische Analysen (1887).
  • Philosophie der Arithmetik. Psychologische und logische Untersuchungen (1891).
  • Logische Untersuchungen. Zweite Teil: Untersuchungen zur Phänomenologie und Theorie der Erkenntnis (1901).
  • Philosophie als strenge Wissenschaft (1911).
  • Ideen zu einer reinen Phänomenologie und phänomenologischen Philosophie. Erstes Buch: Allgemeine * Einführung in die reine Phänomenologie (1913).
  • Vorlesungen zur Phänomenologie des inneren Zeitbewusstseins (1928).
  • Formale und transzendentale Logik. Versuch einer Kritik der logischen Vernunft (1929).
  • Méditations cartèsiennes (1931) (tradução francesa da obra póstuma Cartesianische Meditationen - 1950).
  • Die Krisis der europäischen Wissenschaften und die transzentale Phänomenologie: Eine Einleitung in die phänomenologische Philosophie (1936).
  • Quer a tradução ? FODA-SE Use o Google Translate (e isso é alemão seu burro).

[editar] Ver também

v d e h
Os maiores nerds gênios de todos os tempos!


Wefmnkwekfn.jpg
Filósofos, autistas e outros maconheiros pensadores
v d e h

Adam Smith | Albert Camus | Anaxágoras | Aristóteles | Arquimedes | Arthur Schopenhauer | Ayn Rand | Blaise Pascal | Confúcio | Demócrito | Descartes | Diógenes | Émile Durkheim | Empédocles | Engels | Epicuro | Francis Bacon | Nietzsche | Giordano Bruno | Gordo Nerd | Galeno | Goethe | Hegel | Heráclito | Horácio | John Locke | Jürgen Habermas | Kant | Karl Jaspers | Karl Popper | Lao Zi | Leonardo Boff | Louis Althusser | Ludwig Feuerbach | Maquiavel | Marco Aurélio | Marilena Chauí | Martin Heidegger | Marx | Michel Foucault | Montesquieu | Olavo de Carvalho | Pitágoras | Platão | Roger Bacon | Rosseau | Santo Agostinho | Sartre | São Tomás de Aquino | Sêneca | Seu Madruga | Sócrates | Sólon | Søren Kierkegaard | Sun Tzu | Tales de Mileto | Thomas Hobbes | Voltaire | Walter Benjamin | Wilhelm Dilthey | Zenão de Eleia | Anthony Giddens

Ferramentas pessoais
Ver e modificar namespaces

Variantes
Visualizações
Ações
Navegação
Colaboração
Votações
(F)Utilidades
Novidades
Redes sociais
Correlatos
Ferramentas