Egito

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Hieroglifos.gif
●País das Múmias
●Egito

Bandeira do Egito.png Brasao do Egito.png
Bandeira Brasão
Lema: Eu voltarei
Hino: The Mummy Returns - Thriller
EgyptLocation.png
Capital Gizé
Maior cidade Cairo
Língua Hieroglifos, Árabe, Turco e Inglê$
Tipo de Governo Comunismo
Faraó Hosni Mubarak
Heróis nacionais Mumm-Rá, Imhotep e Maomé
Independência Em 653 a. C. do Djibouti
Moeda Ouro
Religião Mumificação , Adoração de Gatos, Islamismo
População 81.713.517 hab: 50% múmias, 50% fantasmas e gatos
Área Desértica. areia, muita areia. (0 (Rio Nilo não conta)% de água)
Analfabetismo Todos sabem ler há mais de doze mil anos; 0%
PIB per Capita 100 reais USD/hab.
IDH 0.0015
Fuso Horário AZT + 10 (Acre's Zone Time)
Clima 200ºc pela noite
Site do Governo www.dercygoncalves.com.eg
Cquote1.png Voltarei daqui a 3.000 mil anos! Cquote2.png
Imothep sobre este artigo

Cquote1.png Asterix não conte a Paronamix Cquote2.png
Obelix depois de quebrar o nariz do michael jackson da Esfinge
Cquote1.png Eu sei tudo sobre o Egito Cquote2.png
Otaku achando que aprendeu alguma coisa lendo os mangás de yu gi oh
Cquote1.png Se existe tanta areia porque o vidro é tão caro assim? Cquote2.png
Julius
Cquote1.png Egito! Terra do cavalo de troia! Cquote2.png
Carla Perez
Cquote1.png Foi aqui que os alienígenas construíram suas primeiras bases secretas Cquote2.png
Idiota que acha que tudo é conspiração
Cquote1.png Foi aqui que eu perdi a porra da minha virgindade Cquote2.png
Dercy Mulmificata, ex-esposa de Tutankhamon

Egito foi criado antes do príncipio, quando ainda nem era o verbo, por Dercy Gonçalves, Cid Moreira e Renato Aragão. Acreditavam os egípcios que após o deus Osíris dar uns pegas em sua irmã, a deusa Ísis, o seu irmão, o deus Seth, ficou puto e no meio desse incesto todo o deus Osiris perdeu seu "cetro" e os egípicios aprenderam a agricultura, onde praticavam a princípio o cultivo de gatos. Egito! A terra dos filósofos, dos bissexuais e dos gatos e múmias!

Consta que Moisés, junto com Dercy Gonçalves foram uns dos primeiros sindicalistas que reuniu os trabalhadores do local para a primeira grande greve que foi logo denominada pelo PFL como o Grande Exôdo. Ele ajudou a construir as pirâmides juntamente com os hebreus. Até hoje, 40 séculos depois, o parque sobrevive às custas desse trabalho.

Nos anos 90 um grupo de especialistas em história antiga, conhecido como É o Tchan, descobriram que quando houve a união do Brasil com o Egito, a dupla sertaneja Califa & Latifa estavam de olho no decote da Cleópatra e Ali Baba dançou a dança do ventre. Este fato fez com que o povo egípcio abandonasse sua cultura e a escrita hieroglífica, passando a utilizar a escrita árabe. Tornando-se um país árabe.

História[editar]

Egito Antigo[editar]

Crystal Clear app xmag.pngVer artigo principal: Antigo Egito

Período pré-dinástico[editar]

Aliens construindo as pirâmides.

Acredita-se que as primeiras civilizações do Egito eram um desunido povo agricultor que viveu ali a partir do 5500 a.C. fabricando cerâmica, pentes, pulseiras, colares,pênis de borracha, esfinges, aquedutos de irrigação movidos por roldanas e todas essas coisas que todos os outros povos atrasados do mundo ainda não faziam.

Na Núbia floresciam os n00bs e no delta do Nilo dominava a cultura amratiana, caracterizada pelo artesanato de vasos com pinturas indecentes.

No século III a.C. o sacerdote Mohammed Abl-Elk Minopauduro Faraó & Faraó, popular Magneton, visionário que descobriu o glamour da tinta para os olhos e assim, todo pintado e chiquérrimo unificou o Egito, fundando o Império Egípcio.

Império Antigo[editar]

Quéops governando o Egito Antigo.

Se o MySpace existisse os faraós das primeiras dinastias do Império Antigo utilizariam o site apenas para publicar os seus auto-retratos e ganhar um monte de tempo. Em vez disso, durante a III dinastia egípcia havia apenas um Badoo primitivo, considerado insignificante.

Quéops (as vezes chamado de "Khufu") foi um dos faraós mais importantes dessa época, unificou o Baixo Egito, o Alto Egito, a Baixa Eritréia, a Alta Eritreia, o Omã, Pérsia e Fenícia. Então, para combater a completa falta do que se fazer num deserto, Quéops se interessou a unificar o Sudão e a Estônia. Os escribas que não estivessem fazendo esses mapas legais deveriam estar suspendendo pedras enormes e construindo as primeiras pirâmides.

Quéops para o povo egípcio de sua época trouxe paz e prosperidade, ele resolveu o problema da fome e da falta de trabalho ao ordenar que cozinhassem os desempregados, e logo foi todo mundo ir trabalhar na construção de pirâmides.

Khufu proclamou-se Deus na terra, e este foi o seu último erro. Os antigos egípcios que eram furries ao extremo, decidiram por plebiscito que Quéops deveria ter uma cabeça de jacaré. O animal foi trago da Etiópia mas o implante artificial não foi bem sucedido e Quéops sangrou até a morte.

Primeiro Período Intermediário[editar]

Hieroglifos do Egito antigo. Considerados pai do Wingdings, contam a história do Primeiro Período Intermediário.


Império Médio[editar]

Os deuses tinham grande influencia na crença da população.

Quando o vizir Amenemhat I transferiu a capital do Egito para a cidade de Itjtawy, fundando a XII dinastia, ficou claro porque ele era vizir e não um faraó, ninguém sabia onde ficava "Itjtawy", ninguém sabia como pronunciar esse nome.

De acordo com teorias arqueológicas, os egípcios do Império Médio avançaram a exploração do Rio Nilo, estabeleceram ao longo das margens do rio suas casas perto da costa. O único inconveniente era que, quando o rio subia as roupas penduradas no varal eram molhadas. As demais interpéries, como as mortes, deslizamentos de terra, e os peixes podres nas calças... foram um mal necessário.

Segundo Período Intermediário[editar]

O Império Médio começou a entrar decadência, o faraó começou a dever hipotecas, aluguéis e crediários para os aváris e hicsos. Nessa época desmoralizante conhecida como Segundo Período Intermediário tudo indicava uma falência daquele glorioso império egípcio.

Império Novo[editar]

Tutankhamon quando foi violado com o "cetro" de Osíris.

O Império Novo é marcado pela modernização do império, o marcante faraó Akhenaton foi quem expulsou da classe clerical os devotos de Amon e outros tipos de jogadores de Yu Gi Oh!, a religião politeísta foi abolida.

Com morte de Akhenaton assume o trono Tancredo Neves Semenkhkare que é assassinado por uma conspiração e mumificado vivo, assumindo assim o trono Tutankhamon, um faraó carismático e muito jovem, que por ter apenas 9 anos de idade em seu primeiro ano de reinado não conseguiu evitar que os vizires, sacerdotes e conselheiros transformassem a corte real num imenso cabaré onde Nefertiti era a estrela principal.

Tutancâmon morreu sem deixar herdeiros biológicos pois tinha problema erétil, e por isso assumiu o poder a família Ramsés. Ramsés I é considerado o culpado de ter perdido a conta das dinastias egípcias.

Seu filho, Ramsés II foi o mais famoso dos Ramsés, pois construiu inúmeros templos, ergueu obeliscos, era o verdadeiro Maluf do Império Novo. Ficou com os méritos de ter batido o império hitita na primeira batalha da história "oficial" (verdadeira). Como ambos os exércitos eram inexperientes, a guerra foi travada com olhares ameaçadores e lançamento de tomates no campo de batalha para intimidar os adversários. Ficou famoso por ter atraído as Sete Maldições do Egito e abandonado o coitado do Moisés no fudido deserto do Sinai.

Ramsés III ficou conhecido também, durante sua gestão enfrentou uma nova e grave crise: os ladrões que saqueiam os túmulos reais. Por isso foi ele quem armou todas as pirâmides do Egito com armadilhas.

Terceiro Período Intermediário[editar]

Período em que o poder dos faraós se enfrequeciam, cada faraó mais tosco que outro que não conseguiam nem desenhar uma galinha. Alguns até assumiram o nome de "Ramsés" (como Ramsés XI) na vã tentativa de se imporem.

Época Baixa[editar]

Um dos períodos menos estudados da história do Egito, por ser o mais chato. Nada de pirâmides, nada de maldições, nada de múmias, nem conquistas e nem tragédias no Rio Nilo, só um bando de faraós que ninguém conhece dos quais metade tem nomes impronunciáveis.

Dinastia Macedônica[editar]

Cleópatra, a grande biscate.

Já no século I a.C., os macedônios invadiram o Egito com um exército de mil soldados, elefantes de guerra e aviões de papel, que derrubam facilmente as defesas egípcias compostas por muros de areia, alguns gatos e múmias selvagens.

Conquista o Egito Alexandre, o Grande que deixa governando lá seu sobrinho Ptolemeu I Sóter que instituiu a Dinastia Ptolomaica, uma versão latina das dinastias egípcias.

Os macedônios aos poucos foram deixando a região, mas não antes de saborear um delicioso prato local, trazendo algumas lembrancinhas piramidais para a família.

No final da dinastia ptolomaica Cleópatra VII torna-se a rainha do Egito e putinha particular do general romano Marco António, para quem vendeu as pirâmides e a esfinge.

Domínio romano[editar]

Romanos reformando as pirâmides. Eles conheciam o seu potencial turístico.

O Império romano, de olho no território egípcio, decide conquistar as pirâmides e aumentar seu império. O povo egípcio não estava nem um pouco preparado para enfrentar outra guerra. A conquista romana foi, portanto, sem derramamento de sangue. Logo que Otávio atravessou os portões da cidade de Alexandria, os moradores em pânico, começaram a falar latim e a comer vorazmente Spaghetti alla puttanesca e fingirem ser uma província romano.

Foi para o Egito dessa época que José e Maria fugiram com o menino Jesus, a fim de escapar do decreto pedófilo de Herodes, só voltando depois da morte de Herodes.

Egito islâmico[editar]

Depois que Maomé(Mohammed) morreu, os árabes decididos a seguir os ensinamentos de paz, serenidade e bondade de seu mestre, decidiram cortar as cabeças dos infiéis e nessa sua missão anexaram o Egito como território muçulmano.

Egito otomano[editar]

O Colosso da Barbie, erguida durante o domínio francês no Egito.

Em 1516 o Egito é conquistado pelo Império otomano que não tinha interesse especial nenhum naquelas terras, turcos nunca foram amantes de pirâmide, eles apenas não querem que os árabes sejam felizes.

Cquote1.png Hehe! Eu tenho o nariz! Cquote2.png
Napoleão Bonaparte sobre esfinge

Foi durante o decadente período de domínio otomano que o Egito foi invadido por Napoleão Bonaparte em 1798, com o único propósito de acrescentar a coroa da Quinta Dinastia em sua coleção pessoal de chapéus.

O Egito permaneceu por dois anos sob o controle da França, até quando Napoleão Bonaparte perdeu o poder e o Egito caiu nas mãos dos estrangeiros interessados em pilhar as relíquias das pirâmides dos faraós.

Domínio britânico[editar]

Depois que o Egito ficou sem governo, virou território fácil para os britânicos impuserem seu domínio. Nessa época o povo egípcio é marcado pela intensa exploração imposta pelos colonizadores, os britânicos taxaram e inventaram impostos para tudo. Os impostos cobrados eram numerosos e intransigentes:

  • Taxas de travessia do Canal de Suez.
  • Imposto sobre o narguilé.
  • Imposto de não escrever em inglês.
  • Taxa de transação no Canal de Suez.
  • Imposto sobre a visão do Canal de Suez.
  • Imposto sobre o uso dos advérbios árabes.
  • Imposto sobre o comércio da areia.
  • Imposto sobre as pirâmides.

O pico foi atingido com a instituição do "imposto sobre o pagamento de impostos." O Egito, após o pagamento deste tributo, foi obrigado a fazer outra contribuição para o pagamento anterior, e depois repetir o processo indefinidamente, falindo o país inteiro.

Independência[editar]

Em 1922, o Egito finalmente conseguiu sua independência dos persas, apesar que este povo tinha sido erradicada há séculos atrás, é que ninguém tinha atualizado os documentos da Biblioteca de Alexandria.

O governo improvisado instituiu a XXXII dinastia egípcia com um compromisso patriótico do Egito conseguir tornar-se uma potência econômica que causasse inveja da Somália ao Moçambique.

Fatos recentes[editar]

Povo revoltado nas ruas em protesto. Conquistaram a renúncia de Hosni Mubarak em 2011.

Após décadas de domínio do faraó Hosni Mubarak, um grupo de escravos decide usar o Facebook para causar um alvoroço no centro de Cairo e forçar a renúncia do último faraó em 2011. Fato alcançado, eles só não esperavam que os militares fossem começar uma nova ditaduta dinastia: A XXXVIII Dinastia Militar.

Geografia[editar]

Cquote1.png Um deserto aqui, e muitos ali Cquote2.png
Geográfo Egípcio

Após 1999, o Egito ganhou 300.000 km², depois que as tempestades de areia de Imhotep invadiram o Mar Vermelho. 97% do Egito é ocupado pelo Deserto do Saara. 2% é ocupado pelo Rio Nilo e os outros 1% são as pirâmides. Além da capital, Cairalho, as outras cidades importantes do Egipto são Alexandre ía e Juzé.

Subdivisões[editar]


Demografia[editar]

A população do Egito ronda os 79 milhões de habitantes, sendo que apenas 1% são literalmente vivos, não contando com os gatos, o que faz do país o segundo mais populoso da África.

Esta população encontra-se concentrada na capital Cairo, e em Alexandre ía. 70% das pessoas que estão vivas são caracterizadas pela prática milenar de cheiramento de gatinhos.

A esperança média de vida e de morte é, para os homens de 5.000 anos e para as mulheres de 6.000 anos. Os Egípcios são os descendentes da população mumificada do Antigo Egito que se misturou com os árabes da Arábia a partir do século VIIII.

Na região da Asa Delta do Rio Nilo encontram-se populações que são descendentes de gregos, e inúmeros gatos.

Os Núbios NOOBios são um grupo minoritário do país, oriundo de uma região corresponde ao sul do Egito e ao norte do Surdão. O restante da população é formado por múmias, fantasmas, cactus e para variar, mais gatos.

Política[editar]

Cquote1.png Só o meu ex marido Tutâncamom governou bem esta caralha Cquote2.png
Dercy Mulmificatta

O Egito é um pedaço do deserto governado pela constituição de 11 de Setembro de 11.765 a.C.N (antes de Chuck Norris). Esta constituição estabelece no Egito um estado feminista cuja religião oficial é a mumificação e a adoração de gatos. O chefe de estado, aliás, a chefe de estado, é a presidente suprema da República, cargo ocupado por Cleópatra desde 14 de Outubro de 5.981 a.C.

Cultura[editar]

A cultura egípcia é meio... furry...

Os egípcios são muitos conhecidos por suas artes geniais. Eles criavam pinturas, esculturas e construções que, atualmente, são consideradas obras-primas dignas da ajuda de extraterrestres.

Até hoje, os historiadores investigam o motivo pelo qual os egípcios se dedicavam tanto à arte. Muitos dizem que se tratava de uma questão política e religiosa, outros dizem que era para garantir a valorização do Egito, ou até mesmo porque o faraó queria ocupar os escravos com algum trabalho inútil para evitar rebeliões.

Enfim, eles eram providos de uma mente privilegiada, pois conseguiam fazer construções enormes utilizando seus conhecimentos matemáticos primitivos.

A lei da frontalidade tem como objetivo demonstrar o corpo humano nos melhores ângulos e visões possíveis para aperfeiçoar e esconder todos os defeitos dele. (isso explica o fato do traseiro do faraó ter sido omitido e os seios de cleópatra incluídos).

Eles acreditavam que era possível criar, através de pinturas, representações perfeitas de uma figura humana se desenhassem cada parte do corpo humano em ângulos distintos, o que causou muitas câimbras aos egípcios em fazer aquelas poses malucas.

Religião[editar]

A religião egípcia é o politeísmo pagão, cujos principais deuses são:

  • Haha - O deus da risada.
  • Ânusbis - O Deus do *.
  • Ozzy - O Deus das trevas.
  • Zy - A deusa egípcia satânica, parceira de Ozzy.
  • Amor - O Deus do sexo.
  • Gato - O Deus supremo egípcio.
  • Ránúbisis - O Deus dos Mortos
  • Apocalipse - O Deus do Fim
  • Xuxa - a deusa Master - principal motivo dos egípcios importarem Monange para suas terras desérticas.
Flag map Egito.png Egito
HistóriaPolíticaSubdivisõesGeografia
EconomiaCulturaTurismo
Salve mãe África, mano!
África
v d e h

Países: África do Sul | Angola | Argélia | Benim | Botswana | Burkina Faso | Burundi | Cabo Verde | Camarões | Chade | Comores | Congo | Costa do Marfim | Djibouti | Egito | Eritreia | Etiópia | Gabão | Gâmbia | Gana | Guiné | Guiné-Bissau | Guiné Equatorial | Lesoto | Libéria | Líbia | Madagascar | Malawi | Mali | Marrocos | Maurício | Mauritânia | Moçambique | Namíbia | Níger | Nigéria | Quênia | República Centro-Africana | República Democrática do Congo | Ruanda | São Tomé e Príncipe | Senegal | Serra Leoa | Seychelles | Somália | Suazilândia | Sudão | Sudão do Sul | Tanzânia | Togo | Tunísia | Uganda | Zâmbia | Zimbabwe

Territórios: Canárias | Ceuta | Mayotte | Melilla | Reunião | Saara Ocidental | Santa Helena, Ascensão e Tristão da Cunha | Somalilândia

Jackiechan.jpg
Ásia
v d e h

Países: Afeganistão | Arábia Saudita | Armênia | Azerbaijão | Bahrein | Bangladesh | Brunei | Butão | Camboja | Cazaquistão | China | Chipre | Coreia do Norte | Coreia do Sul | Egito | Emirados Árabes | Filipinas | Geórgia | Iêmen | Índia | Indonésia | Irã | Iraque | Israel | Japão | Jordânia | Kuwait | Laos | Líbano | Malásia | Maldivas | Mongólia | Myanmar | Nepal | Omã | Paquistão | Qatar | Quirguistão | Rússia | Singapura | Síria | Sri Lanka | Tadjiquistão | Tailândia | Timor-Leste | Turcomenistão | Turquia | Uzbequistão | Vietnã

Territórios: Abecásia | Caracalpaquistão | Caxemira | Chipre do Norte | Coreia | Curdistão | Estado Islâmico do Iraque e do Levante | Goa | Hong Kong | Macau | Manchúria | Nagorno-Karabakh | Ossétia do Sul | Palestina (Cisjordânia e Faixa de Gaza) | Taiwan | Território Britânico do Oceano Índico | Tibete