Monty Python em Busca do Cálice Sagrado

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
(Redirecionado de Em Busca do Cálice Sagrado)
Ir para: navegação, pesquisa


God-python.jpg


ENCONTREM O CÁLICE DO MEU FILHO, JÁ!


GuardasInglaterra.jpg GOD SAVE THE DESCIC£OPEDIA!!

The Merlim's Order First Class garante que este artigo é 100% inglês. Ele é industrializado, casto, vitoriano e tem a aprovação de Câmara dos £ordes.

Certamente, paraguaios, franceses e alemães odiarão este artigo!
Rainhavitoriapre.jpg
Spoiler5.JPG
Atenção! O texto abaixo pode conter (ou não) um ou mais spoilers.
Ou seja, além de deixar o artigo com mais pressão aerodinâmica nas retas e mais estável nas curvas de alta, ele pode revelar, por exemplo, que o Capitão América se rende ao final de Guerra Civil, ou que a Espanha dá dez pontos pra Israel e Israel ganha.
Spoiler3.jpg


Capinha do filme, pra você imprimir e colocar na sua cópia pirata.

Cquote1.png Você quis dizer: Indiana Jones e a Última Cruzada? Cquote2.png
Google sobre Monty Python em Busca do Cálice Sagrado.
Cquote1.png Experimente também: A Espada era a Lei. Cquote2.png
Sugestão do Google para Monty Python em Busca do Cálice Sagrado.
Cquote1.png ni ni ni ni ni ni ni ni ni ni ni ni ni ni ni ni ninininiinininininininininininininininininininiinini, nunuunununununununnunuunnuunun, wepoa Niiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii Niiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii! Cquote2.png
Cavaleiros que dizem Ni sobre Monty Python and the Holy Grail.
Cquote1.png Sua mãe era um hamster. Cquote2.png
Francês do castelo sobre mãe do Rei Arthur.
Cquote1.png O que? Acabou? Como assim? Cquote2.png
Você sobre fim do Monty Python em Busca do Cálice Sagrado.
Cquote1.png Que ultraje! Cquote2.png
Inglês certinho sobre Monty Python em Busca do Cálice Sagrado.
Cquote1.png Qual a velocidade de vôo de uma andorinha sem carga? Cquote2.png
Velho da ponte sobre questões para atravessar a ponte.
Cquote1.png Mulheres estranhas em lagos, distribuindo espadas, não são alicerce para um sistema de governo. Cquote2.png
Velha Camponês sobre modo como Arthur se tornou rei.
Cquote1.png Três deverá ser o número que será contado. E o número a ser contado deve ser até três. Nem quatro, nem dois, a não ser que depois deste proceda o três. Cinco está fora. Cquote2.png
Livro de armamentos dos Monges sobre como utilizar a Santa Granada de Mão.

Sobre[editar]

Monty Python em Busca do Cálice Sagrado, trata-se de um filme que depois de umas seis horas de introdução e créditos cheios de piadinhas sobre a demissão das pessoas que trabalham fazendo os créditos, se inicia com a jornada de Rei Arthur dos Bretões, juntamente com seu fiel escudeiro Patsy, indo em busca de alguns babacas bravos cavaleiros que desejam se juntar a panelinha da corte de Camelot, para preencher as cadeiras vazias na Távola Redonda. Após a dupla convocar os tais cavaleiros, Arthur recebe uma notificação divina que pedia para que ele recuperasse o Cálice Sagrado, e então, parte com seus parceiros nessa missão.




A PARTIR DE AGORA, VOCÊ VAI ACOMPANHAR A INCRÍVEL HISTÓRIA DA


BUSCA DE REI ARTHUR!
(Para você evitar de assistir a esse filme idiota.)
Santo-graal.jpg





O ínicio[editar]

H á muito tempo atrás, na época em que a Hebe era jovem, em 1900 e guaraná de rolha, ou mais precisamente em 932 d.C, onde hoje é a Inglaterra, o Rei que lá reinava resolveu procurar uns amiguinhos pra fazer parte do seu clubinho, que era chamado de "Os Cavaleiros da Távola Redonda", e não ficar sozinho apenas com o seu escudeiro. Então, partiu em seu cavalo imaginário, sonorizado por cocos provavelmente trazidos por uma andorinha africana até Mércia, juntamente com seu fiel escudeiro, Patsy.

Durante sua busca, passou por diversos lugares peculiares e por situações esquisitas. Aconteceu de entrar em uma discussão política com um casal de camponeses, e explicou para um dos camponeses que cismou em discutir com ele, que era um rei pois havia recebido uma espada de uma mulher que vivia em um lago. O que todos nós concordamos que não faz o menor sentido e que provavelmente esse tal de Rei Arthur deve cheirar uns gatinhos de vez em quando, lá em Camelot. Bom, ele ignorou a discussão que não fazia o menor sentido, e resolveu partir para adentro de uma floresta próxima para continuar sua busca, mas é claro, antes, deu umas chapuletadas naquele camponês metido a besta.

O Cavaleiro Negro[editar]

Uuuuh, mas que título mais assustador, né? Pois é. O Cavaleiro Negro, também conhecido pela alcunha de "Joseph Climber", era um bravo guerreiro que adorava travar batalhas com qualquer idiota que passasse ali por perto de onde era sua estadia. Bom, diferente do que o nome diz, ele não era afro-descendente (Podemos afirmar isso com certeza, pois pessoas negras, morrem muito facilmente nos filmes, e o Cavaleiro Negro, não.) , mas sim, usava uma roupa preta. Ele também usava um capacete de metal, com formato cilíndrico, e uma espada bem afiada, que filósofos acreditam ser uma versão medieval das famosas facas Ginsu.

Enfim, o que eu queria dizer, é que quando o Rei Arthur resolveu visitar aquela floresta, ele deu de cara com esse assustador Cavaleiro. Diferente do esperado, que era o Rei se borrar todo, ele ficou todo felizinho.

Cquote1.png Mas narrador, por que diabos o Rei ficou felizinho? Cquote2.png
Você interessado na histórinha.

É muito simples, caro leitor. Se lembra do que o Rei Arthur tanto queria? Pois é, ele queria amiguinhos novos para fazer parte do seu clubinho. E ao ver aquele bravo cavaleiro que tinha uma tara em estraçalhar pessoas, os olhos de Arthur brilharam e suas ceroulas ficaram úmidas. Ele então, foi correndo para falar com o Cavaleiro Negro. E para sua tristeza, o cavaleiro ignorou ele. Mas, quando decidiu ir embora, o Cavaleiro o desafiou, e ainda irritado pelo camponês metidinho, sacou a Excalibur e começou a fazer seus movimentos de esgrima que treinava todos os dias em casa, sem motivo aparente. Por fim, Arthur deu uma sova no Cavaleiro Negro. O arrancou todos os membros. Maaas não pense que ficou por aí, caro leitor.
E foi assim que ele ficou.

O Cavaleiro era um homem valente e gostava mesmo de uma luta. Mesmo sem os membros, o cavaleiro ainda queria dar uma sova no Arthurzinho. Só que bem, ele não tinha os membros não é mesmo? Então ele ficou lá, se remexendo e dizendo coisas como "Vem pra cá, vacilão. Cê num é macho? Então mostra.". Só que como estava impossibilitado de lutar, o Rei deixou ele quieto. Futuramente, o Cavaleiro Negro, acabou se tornando um peso de papel.

A bruxa[editar]

Longe dali, em um vilarejo qualquer, um grupo de ignorantes desocupados com pensamentos medievais (Afinal, eles eram da Idade Média, não é?), estavam fazendo uma barulheira por causa de uma mulher que eles encontraram que segundo eles, era uma bruxa. Ou seja, eles acreditavam que ela havia se perdido quando ia comprar seu material para ir as aulas em Hogwarts. E então, a entregaram para ser queimada, assim como todas as bruxas deveriam ser. Menos a gostosa da Hermione E então, o cavaleiro que ali estava questionou a multidão sobre o motivo de eles acreditarem que aquela pobre mulher com chapéu de bruxa era uma bruxa. Eles afirmaram que ela havia transformado um homem em salamandra (Mas por tempo limitado, é claro).

Na dúvida, para decidir se a moça era ou não uma bruxa, o cavaleiro que ali estava resolveu aplicar o teste, que hoje é conhecido como O teste para ver se alguém é ou não um bruxo.", que em síntese, funciona da seguinte maneira:

Cquote1.png Bruxas devem ser queimadas porque queimam, logo, bruxas são feitas de madeira. Madeira não afunda na água, logo, bruxas boiam na água. Patos boiam na água, logo, se alguém pesar o mesmo que um pato, essa pessoa é, logicamente, um bruxo legítimo. Cquote2.png

Eles então, aplicaram o teste na mulher e ela SIM, ERA UMA BRUXAAAA AHAHAHAHAAAAA QUEIMEEEM ELAAAA!!!!!

Ok, eu me exaltei. Me perdoe. Mas, como eu dizia, ali, onde essa bruxa foi revelada uma bruxa, passava o Rei Arthur, que ficou impressionado com o gênio das ciências e filosofia que era aquele cavaleiro e resolveu chama-lo para ser seu amiguinho. E assim, começa a ser formada aaaa...

Távola Redonda[editar]

A Távola Redonda era formada pelos cavaleiros que o Rei Arthur encontrava no meio do caminho e por ele também. Entre eles, estavam:

Arthur, rei dos Bretões, filho de Uther Pendragon, que derrotou os saxões e soberano de toda a Inglaterra[editar]

"Eu é quem manda nessa bosta."

Arthur, rei dos Bretões, filho de Uther Pendragon, que derrotou os saxões e soberano de toda a Inglaterra ou até Rei Arthur ou Art para os íntimos, é o Rei da Bretania devido a uma cerimônia aquática duvidosa e é um grande entendedor de Andorinhas. Ele gosta muito de andar em seu cavalo imaginário que é sonorizado por cocos e visitar os vários cantos de seu reinado em busca de amigos. Ele possui uma espadinha de prástico, que ele gosta de chamar de "Excalibur", só pra parecer mais legal. Ele usa uma coroa cintilante, uma cota de malha e uma camiseta com o Solzinho do Teletubbies estampado. Ele é o fundador do clube "Os cavaleiros da Távola Redonda". Já namorou o famoso mago "Merlin".

Sir Bedevere[editar]

Sir Bedevere após cheirar gatinhos.

Sir Bedevere também conhecido como O cara da teoria de que a bruxa deve ser mais leve ou ter o mesmo peso que um pato, é um cavaleiro muito inteligente que foi o primeiro a se juntar ao clubinho do Rei Arthur. Ele sempre é muito atencioso e gosta de ensinar coisas novas ao seu colega de clubinho, Rei Arthur. Ele tem um jeito diferente e anasalado de falar. Sir Bedevere também, fica impressionado com pessoas que entendem muito sobre andorinhas. Ele sempre se questiona e faz testes sobre como elas podem carregar um coco de regiões tropicais, até Mércia.

Ele costuma usar uma cota de malha, uma camiseta azul e branca do Grêmio com uma árvere estampada, e um capacete cilíndrico, com um espanador no topo e uma grade/portinha que é possível abrir para ver seu rosto angelical.

Sir Lancelot, o Bravo[editar]

Sir Lancelot lendo a bosta desse artigo.

Sir Lancelot, o Bravo ou Herbert para os íntimos (Também chamado de Alice depois das 19hrs), é um homem de coragem e braveza inconfundível. Ele sempre tá putinho por qualquer bosta. Por isso ele é chamado de "o bravo". Ele gosta de salvar os outros, mesmo que os outros não precisem de sua ajuda. Ele quer provar pra todo mundo que ele é o cara mais corajoso do universo. Mas não tem coragem nem de matar um coelhinho felpudo. Ele na verdade é uma galinha, um frango medroso, e deveria usar o brasão do Sir Robin. Seu brasão é composto pelas cores preto e branco, e com uma figura de um dragão, que faz ele lembrar de sua mulher. O brasão é estampado em sua roupa e em seu escudo. Ele também usa uma touquinha muito máscula. Sua cor favorita é o azul.

Sir Galahad, o Puro[editar]

Sir Galahad, realizando o quão cabaço ele é.

Sir Galahad, o Puro tem esse nome devido a sua pureza. Ou seja, ele é virgem. Nunca comeu ninguém. Nunca fez um nheco-nheco. Nunca molhou o biscoito bolacha. Nunca meteu. Nunca guardou um frango. Nunca viu uma aranha. Nunca tocou o sino. Nunca fez papel de cadeira. Nunca deu uma bimbadinha. Nunca fez o tchaca-tchaca na butchaca. Nunca copulou. Nunca deu uma lapada na rachada. Nunca fez o lepo-lepo. Nunca transou. Nunca. E essa pureza toda, pode ser vista, quando ele fica todo felizinho ao ver algumas garotas. Ele usa uma camiseta com a cruz do hospital e um escudo com o mesmo brasão. Sua cor favorita é o amarelo.

Sir Robin, o não-tão-bravo como Sir Lancelot que quase lutou com o Dragão de Angnor, que quase enfrentou a cruel Galinha de Bristol e que se molhou todo na Batalha de Badon Hill[editar]

Sir Robin todo pomposo.

Sir Robin, o não-tão-bravo como Sir Lancelot que quase lutou com o Dragão de Angnor, que quase enfrentou a cruel Galinha de Bristol e que se molhou todo na Batalha de Badon Hill ou Sir Robin ou ainda Robinho sangue-bom, é um completo inútil. Ele tem dois companheiros que ficam cantarolando qualquer besteira que ele faça. Ele é o protagonista da canção "Bravo Sir Robin picou a mula". Sir Robin, que tem esse nome em homenagem ao companheiro de Batman, não é tão bravo como Sir Lancelot e nem tão puro como Sir Galahad. Seu brasão é uma galinha, assim como ele, que é medroso e sempre corre do perigo, e é barulhento e irritante. Ele quase enfrentou a Galinha de Bristol, uma vez. Sir Robin, o não-tão-bravo como Sir Lancelot que quase lutou com o Dragão de Angnor, que quase enfrentou a cruel Galinha de Bristol e que se molhou todo na Batalha de Badon Hill, também é um burro de galochas. Ele não sabe que a capital da Assíria é a...a...a, bem, ele não sabe.

Sir-que-não-aparece-neste-filme[editar]

O Sir-que-não-aparece-neste-filme também conhecido como Sir-que-também-não-aparece-neste-artigo, é um cavaleiro que é totalmente irrelevante. Ele tem três anos de idade e gosta de mamadeira.

Camelot e a mensagem Divina[editar]

Agora em grupo, os cavaleiros da Távola Redonda saem em grupo, para passear no bosque, fazer uns piqueniques, fazer algumas fofocas e é claro, tomar chá. Porque se eles não tomassem chá, eles não seriam ingleses. Eles então, avistaram ao longe, Camelot, uma maquete cidade bem chata e entediante onde o Rei vivia. Eles até pensaram em passar por lá, mas desistiram.

Enquanto isso, em Camelot...


Os cavaleiros então, saíram andando em busca de outra coisa pra fazer, além de ir até aquele lugar entediante. E aí fez-se um barulho de chuva, e um dos cavaleiros (Sir Bedevere) tinha visto a previsão do tempo mais cedo e achou que ia chover. Mas não, não ia chover. Aquele barulho era algo extraordinário que iria acontecer. E FOI QUANDO DE REPENTEEEE...

Cquote1.png Hey, seus imbecis! Cquote2.png
Disse Deus.

Sim, é isso mesmo. Deus, God, o Todo-Poderoso, Papai do Céu, Senhor, O cara lá de cima, falou com eles. E então, todos ficaram boquiabertos. Foi quando Deus fez um pedido:

Cquote1.png Eu quero que cês busquem a taça que meu filho usava pra tomar suco no aniversário dele. Cquote2.png
Disse Deus, em um tom de voz ácido.

"Tá bão" disseram todos em uníssono. E então, aceitando o pedido divino, partiram para uma nova aventura, agora em grupo. Encontrar o Cálice Sagrado. "Mas, mas...onde está o tal cálice?" era o que eles se perguntavam. E agora, o que nossos heróis vão ter que fazer para encontrar o tão escondido e sagrado CÁLICE SAGRADO?

A busca pelo Cálice Sagrado[editar]

Thequest.png


Iniciava-se agora, a Busca pelo Cálice Sagrado. Partindo então em seus cavalos imaginários sonorizados por cocos, passam por várias partes do reinado em busca daquele cálice. Até o momento em que chegam em um castelo, pois estavam afim de dar uma relaxada e cheirar uns gatinhos. Este castelo era o castelo de um francês chamado "Gay Guy de Loimbard". Segundo seus servos, o castelo não podia ser habitado por ingleses vira-latas fedorentos, nojentos, cheios de sotaque inglês como eles.

Cquote1.png Ué, mas eles estavam na Inglaterra. Qual o motivo dos franceses terem nojo deles? Não entendi isso aí. Cquote2.png
Você interrompendo a história novamente.

"Sua mãe era um hamster e seu pai cheirava a sabugueiro!"

Cala a boca. Me deixa contar a história. Bom, como eu dizia, os franceses não deixaram os cavaleiros entrarem no castelo pra dar uma relaxada. E então, o servo do Guy, começou a xingar os cavaleiros de tudo quanto é nome. Um verdadeiro babacão. Assim como todos os franceses, não é mesmo? Esse aí também não devia tomar banho e devia usar perfume pros machos dele apreciarem.

Bom, aí o francês insultador atacou umas vacas neles. Uma porrada, na verdade. Eles fugiram. Mais tarde, eles tentaram entrar no castelo usando um coelho de tróia, mas não deu muito certo, pois eles se esqueceram de entrar no coelho.

Cquote1.png O que caralhos é um "coelho de Troia"? Cquote2.png
Você interrompendo outra vez.

Ah, é tipo um cavalo de tróia, só que um coelho. Daí, percebendo o quão estúpido era o Sir Bedevere, o Rei Arthur resolveu pagar de Fred do Scooby-Doo e dividir os cavaleiros para cada um ir por um caminho, atrás daquela taça lá.

Nota: Um historiador que ali passava, para fazer um documentário sobre a busca do Cálice Sagrado, foi assassinado por Rei Arthur.


A Divisão[editar]

Bom, os meninos do clubinho foram cada um pra um canto. E cada um passou por uma experiência diferente.

A história de Sir Robin[editar]

Sir Robin, foi pros canto da floresta de Ewing, e foi sem medo. Sem medo de se ferir, sem medo de ser trucidado ou de ficar igual o Batman. Ele foi com uns caras chatos que adoravam cantarolar tudo o que ele fazia e cantarolavam grandes sucessos da Idade Média, como "Bravo Sir Robin picou a mula". Mas então, ele se deparou com um cara com três cabeças. Tipo o Cérbero.

Cquote1.png Cérebro de quem? Cquote2.png
Você sendo chato outra vez.

Esquece. Era um cara com três cabeças. E cada cabeça pensava diferente. (Super criativo, não?) Bom, esse cara não deixava o Sir Robin continuar sua jornada. Mas eles ficaram discutindo entre sí e Sir Robin saiu correndo enquanto eles não viam.

A história de Sir Galahad[editar]

No meio de uma floresta tempestuosa, se esquivando da mosquitaiada, Sir Galahad acaba por encontrar um castelo, e consegue encontrar FINALMENTE o Cálice, brilhando no topo do mesmo. Ele corre até o portão e é recebido por umas gostosas belas moçoilas. Ele as pergunta "Vocês tão com o copo que Deus pediu pra eu achar?", mas elas não entendem do que ele está falando. Elas a levam para ser tratado com outras gostosas belas jovens moças, como a mãe do Anônimo, e Sir Galahad fica, bem, fica....digamos, alegre. Ele então, tenta fugir para não acabar sendo um Michael Jackson da vida. Enquanto fugia, ele acaba por descobrir que aquele Cálice que ele viu brilhar no topo do castelo, era só um farol com formato de Cálice Sagrado. Ele iria ser condenado a dar palmadas nas garotas e finalizar com um Sexo Oral. Pobre Galahad. Mas fique tranquilo, ele foi salvo pelos seu colega de clubinho, Sir Lancelot.

A descoberta de Arthur e Bedevere[editar]

Longe dali, Rei Arthur e seu amigo foram falar com um velho qualquer e acabaram descobrindo que existe uma ponte que leva a uma caverna e que provavelmente o Cálice está lá!!! Ou não.

Os cavaleiros que dizem Ni[editar]

Bom, já fizeram um artigo sobre esses caras. Então eu não vou ficar falando muito deles. É só clicar na imagem aí em baixo.

Ni.gif


Tim, o Mago[editar]

Depois de uns tempos, eles acabaram por se encontrar. E foi uma felicidade. E continuaram, agora juntos, sua jornada em busca do Cálice. No inverno, eles passaram fome e tiveram que comer os caras que cantarolavam e acompanhavam o Sir Robin. E foi uma felicidade ainda maior.

O Mago Tim, que deve ter uma mulher bem malvada.

Passou se muuuuito tempo, até que um dia eles viram um cara esquisito fazendo umas explosões em uns montes. E de repente, o cara apareceu na frente deles. Esse cara, era um mago. Sim, um mago. Tipo o Paulo Coelho. Esse Mago, era conhecido pela alcunha de "Tim", igual a operadora de celular, pois se tratava de um homem que ficou por anos, tentando pegar o sinal da Tim, em cima de uns montes, mas não conseguiu. Mas sua raiva por não conseguir o sinal, fez com que ele adquirisse poderes. Tim, o Mago, tinha poderes sobrenaturais, e podia adivinhar seu nome e qual sua missão e também fazer umas explosões legais. Impressionados com o incrível poder de estourar umas bombinhas, do mago, os cavaleiros decidiram perguntar se ele sabia alguma coisa sobre o tal Santo Graal. Ele disse que sim.

Cquote1.png Pô, finalmente. Não aguentava mais essa história chata. Cquote2.png
Você sobre este artigo estar acabando.

Ele disse que o Cálice se encontrava em uma caverna chamada "Caverna de Caerbannog". É, mas a alegria deles parou por aí, pois o destemido mago, disse que na entrada dessa caverna havia uma criatura, tão vil, cruel, perigosa, assustadora, terrível, amedrontadora, e outros adjetivos ruins, que nenhum homem jamais teve a audácia de derrota-la. Os que tentaram, não sobreviveram e deixaram suas ossadas aos montes, naquela caverna. Sir Robin, nesse momento, deu um gritinho agudo.

Ao encontro da terrível, amendontradora, vil, cruel besta-fera CAERBANNOG[editar]

Eles foram até a caverna. Todos os cavaleiros chegaram lá se borrando. Todos eles estavam muito assustados com a possibilidade de ser trucidado, estraçalhado e mastigado pela terrível criatura que os aguardava. Eles esperaram atrás de umas pedras, junto com o Mago Tim. E foi quando, de repente, ao longe, pode se ver a horrorosa silhueta daquela criatura felpuda, branquinha, dentuça, orelhuda, que gosta de cenoura e te dá um chute no joelho. Espera aí, mas era um COELHO???? Exatamente. Os cavaleiros ficaram putos com o Mago zueiro. Mas o Mago insistiu, "Essa criatura é perigosa, escutem o que eu to falando, tem cara de coelho, mas é tão perigosa quanto comer no Habib's, é tão horrorosa como a Regina Casé e pode te matar tão facilmente como as músicas do Belo". Eles riram da cara de Tim, e mandaram um cara que não tava fazendo nada no filme, e só servia como figuração para ir dar um pau no coelhinho. E foi quando eles ficar boquiabertos...


CUIDADO, A PARTIR DE AGORA, CENAS FORTES!




Cenasfortes-mp.gif




PELAS BARBAS DO PROFETA!!! Mas que coelhinho mais barra pesada. Consegue ser mais filho da puta que o Pernalonga. Pois é, assim como eu e você, os cavaleiros também ficaram muito assustados com o coelho de pelúcia assassino. Mas, e agora? Como eles iriam passar por ele? Se tentassem, iriam ter o mesmo fim do figurante lá. Então, Arthur decidiu que a União faz açúcar faz a força e que todos deveriam partir pra cima do felpudo. Bom, após várias espadadas, eles saíram de lá feridos, e com cinco três figurantes a menos. E o coelho ainda estava tranquilo para a batalha, tipo o Cavaleiro Negro.

Agora, eles precisavam achar um jeito que funcionasse para acabar com a criatura. Mas o que eles tinham além das espadinhas e dos escudos personalizados? Aaaaah, sim. Eles tinha a Santa Granada de Mão de Antioquia! Eles então, receberam em suas mãos, a tal granada, mas não sabiam usa-la. Então consultaram o livro dos Armamentos dos monges e leram que "O Senhor disse: Primeiro, devem tirar o pino sagrado, depois devem contar até três, nem mais, nem menos. Três deverá ser o número que será contado. E o número a ser contado deve ser até três. Nem quatro, nem dois, a não ser que depois deste proceda o três. Cinco está fora". Ah, agora eles manjavam de como usar a Santa Granada de Mão. Então, miraram no coelho maldito e BOOOM!!! O coelho foi pro saco. E eles puderam entrar na caverna.

A terrível fera de Aaaaaarrgh...[editar]

Após entrarem na caverna, encontraram umas inscrições em Miguxês, que ninguém conseguiu ler. Mas o monge que estava com eles, decifrou a mensagem, que diziam "Aqui se encontram as últimas palavras de José de Arimatéia":

"Aquele que for valente e puro de espírito, pode encontrar a taça que Papai do céu pediu, no castelo de Aaaaaarrgh..." 

"Castelo de que?" pensaram os cavaleiros. Mas o monge disse que provavelmente, ele morreu enquanto deixava essa inscrição. "Mas se morreu, não iria ter escrito isso. Porque ele tava morrendo, porra." disse Arthur. Então o monge disse: "Então, a pessoa que estava ditando para ele que deve ter morrido".

Enquanto eles estavam nessa discussão imbecil, Sir Bedevere percebeu uma coisa atrás deles. E quando todos olharam pra trás, se depararam com essa coisa aqui:

AAAAAARRRGH!!!




MINHA NOSSA, É A TAL TERRÍVEL FERA NEGRA DE AAAARRRGH!!! disse o Monge. E eles saíram correndo de medo. Assim como mostra o gif que eu coloquei aí em baixo, por pura preguiça de descrever.


Corre Forrest!



A ponte[editar]

Velho da Ponte, após sair da manicure e ficar impressionado com o resultado.

Depois de correr igual uns condenados, os bravos cavaleiros (Não tão bravos assim), correram mais um pouco, pois a TERRÍVEL FERA NEGRA DE AAAARGH!!! ainda estava atrás deles, e correram mais ainda, pro quinto dos infernos. Quanto estavam lá perto de Itaquera, depois de correr muito da TERRÍVEL FERA NEGRA DE AAAARGH!!!, o ilustrador que fazia ela, teve um ataque do coração e MÓRREU. Então a A TERRÍVEL FERA NEGRA DE AAAARGH!!! consequentemente morreu e se tornou a TERRÍVEL FERA NEGRA DE AAAARGH!!! morta. Depois da morte da TERRÍVEL FERA NEGRA DE AAAARGH!!!, eles puderam continuar a busca pelo Cálice Sagrado.

Eles seguiram em direção a uma ponte suspeita, que tinha mais fumaça ao redor, do que a casa do Keith Richards. Nessa ponte, se encontrava um velho, que é o mesmo que Arthur e Bedevere já tinham visto antes, pois eles não tinham mais grana pra pagar um novo ator pra fazer esse papel de velho que fica na frente da ponte fazendo perguntinhas. Bom, quando chegaram lá, o velho disse que "para passar na ponte, tem que responder a três perguntas...", e então eles aceitaram a proposta. O velho começou perguntando para Sir Lancelot:

Cquote1.png Qual a sua graça? Cquote2.png
Velho da ponte sobre três perguntas para atravessar a ponte.


Cquote1.png Alice Sir Lancelot de Camelot! Cquote2.png
Sir Lancelot sobre três perguntas para atravessar a ponte.


Cquote1.png Qual sua missão? Cquote2.png
Velho da ponte sobre três perguntas para atravessar a ponte.


Cquote1.png Achar o Santo Graal Cquote2.png
Sir Lancelot sobre três perguntas para atravessar a ponte.


Cquote1.png Qual...sua cor favorita? Cquote2.png
Velho da ponte sobre três perguntas para atravessar a ponte.


Cquote1.png Azul Cquote2.png
Sir Lancelot sobre três perguntas para atravessar a ponte.


E então, Sir Lancelot pode cruzar a ponte. Mas agora era a vez dos outros. E eles viram que era mamão com açúcar as perguntas feitas para atravessar aquela ponte. Agora, era a vez de Sir Robin. O velho perguntou seu nome, e ele respondeu de prontidão. O velho perguntou qual era sua missão, e ele logo respondeu que queria achar a taça do papai do céu. E terminou perguntando mais uma das suas fáceis questões:

Cquote1.png Qual...a capital da Assíria? Cquote2.png
Velho da ponte sobre três perguntas para atravessar a ponte.


Mas o burro do Sir Robin não sabia a resposta dessa questão. Então ele foi pro saco, jogado longe, falecendo instantaneamente. O próximo, foi Sir Galahad. Que errou a sua cor favorita e também faleceu do mesmo modo trágico, sendo lançado para longe. Quando finalmente, chegou a vez do grande Rei Arthur, que respondeu as duas primeiras com prontidão. Mas na terceira pergunta...

Cquote1.png Qual...a velocidade de voo de uma andorinha sem carga? Cquote2.png
Velho da ponte sobre três perguntas para atravessar a ponte.


Cquote1.png Mas como assim? Andorinha africana ou européia? Cquote2.png
Rei Arthur sobre três perguntas para atravessar a ponte.


Cquote1.png Hm, sei lá. Cquote2.png
Velho da ponte sobre três perguntas para atravessar a ponte.


E então, o velho foi lançado para longe por não saber a pergunta, assim como boa parte da Távola Redonda. Arthur e Bedevere, puderam então, continuar a aventura quando a ponte pode ser atravessada, e assim, prosseguir em direção do castelo onde se encontrava o Cálice que eles tanto queriam.

O final[editar]

Cquote1.png Aeee, finalmente! Cquote2.png
Você sobre título dessa parte.

Agora, prosseguindo para o fim de suas aventuras, Rei Arthur e Sir Bedevere, seguem em um pedalinho para a ilha onde se encontrava o "Castelo de Aaargh". Chegando na ilha, encontram um castelo. Eles batem palmas e gritam "Ô de casa!" para que alguém venha atende-los e ajudar eles a completarem a missão de encontrar o Cálice. Nesse momento, aparece alguém para recebe-los, alguém que tinha um rosto muito familiar. Era o francês boca-suja, sem vergonham, do outro castelo. Ele já saiu xingando eles de tudo quanto era nome. Chamaram eles de leite com pêra, de ingleses nojentos, de baba-ovo da rainha e de várias outras coisas que não são permitidas dizer nesse horário.

"Tire esse dedo imundo de cima de mim, seu leitorzinho mequetrefe!

O Rei ficou putinho da vida, pois o francês tinha chegado no castelo antes dele. Ele começou a bater nas portas, chutar, se espernear, ameaçar de chamar o irmão mais velho, e por fim, começou a chorar. Então, os franceses tacaram bosta neles e começaram a xinga-los ainda mais, dizendo coisas como "vamos fazer castanholas com os seus testículos" e "vocês são mais gordos que a mãe do Anônimo" ou até "vocês dão ré no kibe, seus inglesinhos fãs de One Direction".

Rei Arthur que se sentiu muito triste, a ponto de ficar com vontade de fazer um chapinha na franja e cortar os pulsos com gilete, resolveu sair dali junto com Sir Bedevere, para não precisar mais ouvir os insultos franceses. Enquanto saiam de lá, eles ouviram um barulho de sirene. Era uma viatura policial que passava ali perto do castelo. Mas eles ignoraram e chamaram mais de 8000 figurantes para formar um exército e acabar com os franceses.

"Franceses fiadaputas, cês vão morrer na nossa mão, seus viados, bichas. E eu vou pegar esse cálice, e vou me embora daqui desse lugar que fede como a França." disse Arthur, comandando o exército.
Cquote1.png ATACAAAARRR!!!1!!um!!!! Cquote2.png

Mas eles foram interrompidos pelas viaturas policiais que pararam eles, e os prenderam por participar do assassinato daquele historiador que eu disse lá em cima.


INTERRUPÇÃO. CLIQUE NO VÍDEO ABAIXO.





Fim. Cabô. É isso mesmo.



Cquote1.png QUE???? É SÉRIO ISSO??? ACHO QUE VOU ASSISTIR O FILME. NÃO PODE SER QUE TERMINE ASSIM. Cquote2.png
Você sobre o fim.


Ver também[editar]