Emerson Fittipaldi

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar

Cquote1.svg Você quis dizer: Alice Cooper Cquote2.svg
Google sobre Emerson Fittipaldi

Emerson Fittipaldi foi o primeiro brasileiro metido a Nelson Piquet e Ayrton Senna. Dotado de Tufas maravilhosas e um rostinho nada liso, foi uma das figuraças do seu mundo automobalístico. Ele Foi TRI-Legal, BI-na-formula-1, Bi-na-Indy500 mas continua sendo MONO.

Carreira[editar]

Emerson e suas costelestas que dão nervoso em qualquer pessoa normal
Emerson na McLaren Penske

No Brasil

Nelson Piquet inspirou-se em Emerson Fittipaldi, que em seu início de carreira era tão briguento quanto. Isto quando Emerson foi proibido pelo diretor de prova a pilotar a ambulãncia em que, seu irmão Wilson, acidentado e enfermo em uma corrida, estava para ser levado ao hospital. Porém, ao fugir com a ambulância enquanto ninguém estava vendo, Emmo, como era conhecido, descobriu sua paixão latente pelo esporte a motor. Então ele pegou o que sobrou do Porsche que ele bateu do seu irmão, reformou mais ou menos e saiu ganhando corridas pelo brasil.


No Exterior

Cansado de corridas amadoras no Brasil, Fittipaldi decidiu correr com carros alugados no exterior, os quais não poderiam expulsá-los porque o seguro cobriria tudo.

Sagrou-se campeão da Fórmula 3 inglesa e corridas da terceira divisão, isso aos 22 anos de idade numa época em que isso ainda era ser novato. Tal fato tocou o coração do poderoso projetista do lado negro da força da Fórmula 1, Colin Chapman, que lhe contratou para correr na Fórmula 1 pela equipe Lótus.

Fórmula 1[editar]

Cquote1.svg Andem logo! Cquote2.svg
Cquote1.svg EMOÇÃO NAS PISTAS – EU GOSTO É DISSO! Cquote2.svg

Estreou no Grande Premio da Inglaterra terminando em oitavo, tendo se isolado por duas semanas por não ter marcado pontos, aparecendo no evento seguinte em Hockenheim onde colocou-se na posição 4. Com a chegada do final do ano, num evento em Monza, seu companheiro de equipe veio a perecer em um acidente. Assim, Emmo Fittipaldi obteve sua primeira vitória.

Mesmo vindo à falecer,Jochen Rindt sagrou-se campeão mundial póstumo, devido a Fittipaldi vencer a corrida em que ele faleceu para que ninguém ultrapassasse sua pontuação. Graças a isso, até hoje Rindt é o único campeão póstumo da categoria.

Em 1971 Fittipaldi estava sofrendo, angustiado, choroso, isolado, magoado, com 24 anos mais a perda do companheiro de equipe não conseguiu mais do que 3 pódios e alguns pontos em outras posições. Além disso, Colin Chapman (dono da Lotus), havia feito um carro que era uma merda. E por incrível que pareça, era um Fórmula 1 4x4.

Em 1972 deixou a crise de lado. Arrebentou a boca do balão, fez todo mundo comer poeira, arregaçou 5 pódios, encheu os bolsos de pontos, xingou todo mundo falando que as pistas não eram seguras, arrumou um arqui-inimigo Jackie Stewart e foi o campeão mais jovem da Fórmula 1, com 25 anos (recorde que ficou até o ano de 2005). Quando Chapman mandou ele deixar seu companheiro passar pra ganhar uma prova, bateu o pé e quis ir pra equipe do McLaren que era a melhor da época. Daí, Ayrton Senna tirou sua inspiração.

Em 1973 Fittipaldi, ainda numa Lotus já defasada e sendo assediado constantemente pela equipe do Mc-Laren, Fittipaldi perdeu o campeonato, que foi encontrado pelo seu arqui-inimigo Jackie Stewart. Mesmo assim conseguiu ganhar o Grande prêmio do Brasil, coisa que já era dura na época.

Em 1974 foi para a equipe da McLaren e ganhou o caneco com 3 vitórias, uma no GRANDE Premio do Brasil.

Copersucar Fittipaldi[editar]

Cquote1.svg Coé, sou fashion, baby! Cquote2.svg
Emerson e seu amigo Ronnie Von

Em 1975 lançou a Fittipaldi-Coopersucar, equipe nacional feita com a alta qualidade da usina Coopersucar que acabou emprestando o nome pra equipe. o carro era feito de bagaço de cana, açucar, álcool e outros insumos da cana, tendo ido mais ou menos. Em 1976 os mecânicos boias-frias e as chuvas prejudicaram o carro que também era composto de açucar e por isso quebrava com certa facilidade. Descobriram que álcool era melhor de beber do que combustível, com todos bebados e os carros derretendo na chuva os resultados foram dignos de Rubens Barrichello. Em 1977 com a crise do álcool, os mecânicos conseguiram trabalhar sóbrios e tiveram alguns resultados expressivos; como nao choveu no GRANDE Premio do Brasil Fittipaldi conseguiu o segundo lugar, isto em 1978.

Como a festa durou o ano de 1979 inteiro todos e tomando álcool para comemorar, não há nada a se dizer deste ano, já em 1980, cansado de tanto beber e festejar, Fittipaldi se aposentou da formula 1 e Chico Serra, um piloto arroz de festa, participou até 1982 onde marcou 1 ponto no GP da Belgica onde, falidos de tanto festejar desde 1978, fecharam a equipe, venderam os carros como doce, já que também eram feitos de açucar e de brinde levaram o álcool.

Emerson Fittipaldi teve 149 Grandes Prêmios, 14 vitórias, 6 pole positions, 5 melhores voltas e 276 pontos.

Formula Indy[editar]

O carro de Emerson pegando fogo
Emerson e seu amigo, Senna

Esta é uma fórmula que até pouco tempo atrás, era passatempo de pilotos aposentados ou, de quem nunca consegue chegar na Fórmula 1.

Em 1984 disputou alguns eventos, só para não ficar sofrendo os efeitos da Emisse do movimento por ele fundado, Fittipaldi conseguiu ganhar os ovos de Michigan sendo o vencedor deste Grande Premio.

Já com 38 anos de idade, conversou com Patrick a estrela-do-mar, sendo contratado para sua equipe Patrick Racing, obteve 6 vitórias em 5 anos de corridas sub-aquáticas nos GP'S ovais da Fórmula Indy, tendo como maior conquista a lendária, notável e mítica 500 Milhas de Indianápolis liderando 158 das 200 voltas tendo um duelo quase mortal com Al Unser Jr.. Na última curva, Al Jr. tentou passar de qualquer jeito por Fittipaldi, que deu um chega pra lá amigável um no outro ou vice-e-versa. Por fim Fittipaldi ganhou a corrida por muito pouco e Unser ficou a ver navios.

Em 1990, o imitador Roger Penske clonou a McLaren e contratou Fittipaldi, que faturou as 500 Milhas de Indianápolis no ano de 1993 tomando suco de laranja, para fazer desfeita ao leite de vaca louca que sempre foi servido ao campeão deste evento.

Em 1996 mais uma vez devido a uma crise, Fittipaldi, desgostoso com a vida, num ato de rebeldia, (e também por culpa de um novato FDP que achava que era o dono da corrida), resolveu se arregaçar no muro de Michigan, após essa crise e recuperado resolveu aposentar-se de vez.

Falência[editar]

Em 2016 apareceu deprimentemente devendo até as cuecas, rpovando que ser multi-campeão de automobilismo não significa nada.

v d e h
Pilotos da Fórmula 1
v d e h
Pilotos da IndyCar Series