Emisu

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Images2332.jpg

Este artigo é sobre mais um daqueles trecos que viraram modinhas na internet.
E as pessoas nem sabem porque usam isso.

Troféu Bicha do solsticio
Emisu merece um troféu,
por conseguir ser o amazonense
mais cachaceiro do mundo.

Cquote1.png Você quis dizer: Mendigo Cquote2.png
Google sobre Emisu
Cquote1.png Cachaceiro do Caralho! Cquote2.png
Todo Mundo sobre Emisu
Cquote1.png Bandido! Cquote2.png
Felino sobre Emisu
Cquote1.png Me deve dinheiro! Cquote2.png
Vic sobre Emisu
Cquote1.png Meu pau na sua mão Cquote2.png
Emisu sobre as afirmações acima

Emisu Atual.

Emisu é um cachaceiro e otaku que é um youtuber e editor exilado, onde trabalhava na Casa da Edição e que também participava dos vídeos do Ataque da Casa. Devido a tretas recentes, virou um fracassado total que mora num barraco no meio do mato e que trabalha vendendo brigadeiro.

História[editar]

Manaus[editar]

Bairro em que Emisu cresceu.

A história do nosso herói começa em Manaus, onde ele costumava participar do clubinho da punheta de Manaus. Emisu sempre foi um jovem peculiar; gostava de bater em bandido, editar vídeos ruins e bater punheta. Sua proficiência na arte da bronha chegou a tais níveis que ele pôde competir nos campeonatos nacionais de punhetagem. Logo na sua infância Emisu havia conseguido sair de uma pequena cidade no interior da Amazônia para a grande São Paulo, para competir em punheta.

Durante toda a sua infância, Emisu era abusado por seu pai, que ameaçava enfiar um sanduíche natural em seu ânus caso não o obedecesse. Cansado de ter o oco deixado em si por meio de sanduíches, de sua irmã fumante e de morar literalmente no inferno no meio do nada, Emisu decidiu fugir de casa contra a vontade de sua família e virar um peregrino.

Era Cellbit[editar]

Emisu com o seu ex-namorado.

Com apenas 13 anos de idade o jovem Emisu caminhou um grande caminho até São Paulo, onde ocasionalmente vendeu o seu corpo para caminhoneiros para poder pegar carona. Em uma das noites congeladas em que Emisu passou na rua mendingando, ele achou uma touca verde com uma triforce; um artefato gamer. Congelando de frio, Emisu pôs e ficou com ressentimentos de tirá-la novamente; Emisu usaria essa icônica touca por anos por vir.

Após a sua longa peregrinação, Emisu chegou em São Paulo, onde foi rapidamente adotado por um menino branco, loiro e de olhos azuis, conhecido como Cellbit. Cellbit fazia vídeos ruins para o YouTube, onde ele ficava gritando como um autista e fazendo piadas homossexuais. Emisu rapidamente virou namorado e editor do Cellbit. Finalmente a vida de Emisu estava em trilhos novamente, ele tinha dinheiro, namorado e teto, porém... após diversos momentos abusivos em sua relação, Emisu novamente vai às ruas e recomeça a sua peregrinação.

Ataque da Casa[editar]

Emisu no começo da casa da edição (nota-se que ele ainda não se parecia com um mendigo).

Durante a sua segunda peregrinação, Emisu foi novamente adotado. Desta vez por um homossexual nudista chamado Ricardão. Ricardo, também conhecido como Rik, era um desempregado que fazia vídeos para o YouTube sobre jogos. Juntos, os dois viveram à margem da miséria até começarem o seu mais famoso e icônico quadro: o Ataque da Casa. Com as recém-chegadas vizualizações e dinheiro, o casal pôde finalmente parar de se sustentar apenas de miojo cru e água de chuva. Eventualmente, os dois encontraram um gato antropomórfico morador de rua que tentava ganhar a sua vida vendando pornô gay e furry. Por pena, eles o adotaram e o batizaram de Felino.

Por ser a porra de um cachaceiro sem igual, Emisu começou a gastar todo o dinheiro da Casa com pinga; Felino também não era de muita ajuda, já que a sua renda era constituída inteiramente doações de virjões furries gays (um grupo muito pequeno). Rik era o único que conseguia manter a situação monetária.

Em uma tentativa de não serem despejados do imóvel, Rik fez um contrato com o famoso YouTuber Damiani. Nesse contrato, Rik vendia a sua alma, assim como a de seus dois amigos para o YouTuber. A partir de então, os três passavam o dia inteiro editando os seus vídeos que eram apenas tentativas de ser engraçados, mas se provavam completamente autistas. Além disso, Rik teve a brilhante ideia de integrar o seu canal com o Cartuchito, já que o Ronaldo (YouTuber mais famoso do que ele) havia pegado AIDS após cheirar gatinhos em casa de gente boa. Com a integração, um novo público pôde apreciar a arte daquela bosta.

A Treta[editar]

Tudo que é bom tem fim. Emisu morava em completa isolação social em seu quarto, se escondendo completamente de seus outros membros, possivelmente pelo medo de ver Rik andando pelado pela casa (o que era um acontecimento recorrente). Emisu odiava imigrantes, o que era horrível, vendo que Rik tinha opiniões petistas a respeito de imigrações; Rik gostava de adotar qualquer mendigo que achava na rua, como Locket, um ladrão conhecido por suas fraudes em cartões de crédito; Miki, uma garota lésbica que queria ter nascido com pau e afirmava ser oprimida pelo patriarcado; o Lucas, o alterego da Miki; a Becky, uma e-girl que o Emisu pagava para namorá-lo e fazê-lo esquecer que era um gamer solitário e punheteiro; a Vic, uma feminista com os cabelos pintados de branco, seus hobbies favoritos era rezar para o seu todopoderoso Deus Luíz Inácio Lula da Silva e fazer oposição ao governo do Presidente Biroliro; e, provavelmente o mais respeitável e responsável membro da casa, o Robson, um gato preto rançoso.

Após as controversas medidas imigratórias implantadas na casa pelo Rik, ela se tornou um caos. Os imigrantes roubavam comida, brigavam entre si e eram retardados em geral. Emisu, xenofóbico raiz e hardcore, odiava todos os membros da casa, exceto o seu namorado Rik. Os nervos de Emisu começaram a esquentar quando ele começou a ser perseguido por um dos membros; em seu vídeo Emisu não deixa claro quem era (era o Felino), então podemos apenas supor quem poderia ter sido (foi o Felino, porra!) que ficou atormentando o nosso herói (o furry!). Durante uma de suas visitas ao puteiro local da rua Augusta, Rik percebeu que o dinheiro que ele havia separado para comer o cu de quem está lendo havia sumido. Pistolasso com o caso, Rik ameaçou se trancar no seu quarto e chorar até devolverem o dinheiro. Felino, com o seu altíssimo QI, decidiu acusar todo mundo de furto e expulsar todos da casa. Emisu ficou especialmente puto com isso, pois era um seguidor leal do Bolsonaro e um de seus hobbies era bater em bandido; ser acusado de ser um o deixou completamente pistola. Após ser expulso pelo furry, Emisu o encarou nos olhos e disse para ele nunca mais o contatar de novo.

Agressão Contra à Mulher[editar]

Emisu xingando geral no seu barraco pixado.

Felino, talvez se sentindo mal por ter acusado o Emisu sem provas, decidiu pedir desculpas para ele. Emisu prosseguiu em mandá-lo ir tomar bem no meio do cu. Felino, porém, insistiu; então Emisu o perguntou: "Você me odeia?" A qual Felino respondeu que não; Emisu então disse: "Agora você vai me odiar". O que aconteceu a seguir foi uma das cenas de traição mais tristes e violentas do anime. Emisu deu-lhe um socão na costela e uma cabeçada no beiço, fazendo o furry gay cair ao chão. Emisu, então, continuou batendo nele. Isso continuou por algumas horas, até Rik decidir virar homem e parar de chorar pelado no quarto dele e ir parar a briga. Até hoje Emisu não se arrepende de ter agredido o seu gato antropomórfico.

A Outra Treta[editar]

Bairro em que Emisu mora hoje em dia.

Emisu, exilado da Casa, foi obrigado e se mudar com Becky, Vic e Locket; pessoas o qual ele odiava, mas por algum motivo completamente fora do entendimento do intelecto humano decidiu que seria uma boa ideia ir morar junto; talvez ele simplesmente tivesse vergonha de ir pedir para morar na casa da mamãe novamente. A genialidade do trio não parou aí, pois os três decidiram alugar um apartamento de classe alta enquanto eram praticamente mendigos. A única pessoa com calças na casa era a Vic, que trazia dinheiro de alguma forma, provavelmente ilícita. Locket era um desempregado e Emisu era um cacheceiro. Após alguns meses de completa falha para pagar os alugueis, eles decidiram devolver o apartamento, nesse momento Vic estava na casa da mamãe. Enquanto a Vic estava fora, Emisu e Locket alugaram incontáveis prostitutas e gogoboys e passaram a noite inteira fumando narguilhe, bebendo caninha de roça e mamando o capiroto. Os dois deixaram o apartamento destruído e pegaram o ônibus mais próximo para Manaus. Vic foi deixada com R$10.000 em dívida.

Emisu atualmente mora em um barraco no meio da selva cheio de pichações que por algum motivo tem acesso à internet. Toda vez que chove, a sua humilde casa de madeira podre inunda. A Polícia Federal atualmente está em uma missão para prendê-lo e forçá-lo a pagar o aluguel da Vic, mas não consegue achar o barraco que ele invadiu; todas as expedições que fizeram procurando-o resultaram em dezenas de mortos para a malária.

Canal no Youtube[editar]

Foto de perfil do emisu no Youtube.

Emisu tem um canal no youtube que atualmente tem uns 110 mil inscritos. Ele normalmente faz vídeos sobre qualquer merda que venha à sua cabeça, não mantendo conteúdos consistentes no seu canal. Seus vídeos possuem títulos e thumbs confusas e aleatórias, o que atrapalha categorizar seus vídeos. Podemos categorizar seus vídeos em:

  • Gameplays: Vídeo em que ele joga qualquer bosta, contendo vários comentários pornográficos, a duração pode variar de uns 4 minutos até 30 minutos.
  • Vlogs: Um vlog em que ele fala sobre qualquer coisa que venha a sua mente, normalmente ele só fala besteira e coisa sem sentido.
  • Review de anime: Vídeo em que ele faz uma análise dinâmica sore um anime, falando sobre seus aspectos positivos e negativos. São definitivamente seus vídeos mais decentes.