Emme White

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
JessicaRabbit-9fc5d.jpg

Este artigo trata de uma ruiva.
E provavelmente é lésbica (ou não)

Gauchodanc.jpg Mas bah, tchê!

Este artigo buenaço e tri-legal é do mais puro humor gaudério dos pampas, vivente, então veste tua bombacha, recolhe teu pelego no galpão e toma um mate amargo com a gente, macanudo!

Chima.jpg
Ema Branca
Emmewhite f emme1.jpg
Emme com sua cara de psicopata
Nascimento 8 de janeiro de 1981
Bandeira do Brasil Brasil
Ocupação Puta paga
Altura 1,57
Signo Capricórnio
Cabelo Ruivo

Emme White é uma vagaba ruiva que já tem praticamente idade para ser considerada MILF e nunca trabalhou na vida. Para sobreviver, ela arranca dinheiro dos punheteiros burros que se prestam a pagar para vê-la tirando a roupa virtualmente, ou seja, é uma camwhore profissional.

Com a decadência cada vez maior da pornografia nacional, foi recentemente descoberta e convidada pelos cafetões falidos da Brasileirinhas para integrar o não tão seleto time de atrizes da produtora.

História[editar]

Nasceu em Porto Alegre, capital do Rio Grande do Sul. Com a falta abundante de homens heterossexuais em seu estado, começou a se relacionar sexualmente com outras mulheres por falta de opção.

A felicidade de Emme White com seus prêmios, que ela derreterá para transformar em vibradores de ouro.

Teve uma infância normal, com uma alimentação balanceada à base de muita linguiça toscana e bombadas quentes de chimarrão. Nunca foi muito chegada nos estudos, motivo pelo qual foi reprovada diversas vezes já no jardim de infância e acabou desistindo da escola.

Indignados com a vagabundagem da filha, seus pais decidiram que não iriam mais sustentá-la e venderam-na a um prostíbulo mirim, onde acharam que ela tomaria jeito e aprenderia a trabalhar duro. Porém, Emme White era tão preguiçosa que sequer tinha disposição para atender seus clientes. A alternativa encontrada por ela então foi realizar seus programas virtualmente, fazendo sexo via webcam.

Carreira[editar]

Foi contratada pela Brasileirinhas em 2015, fazendo sua estreia participando da décima nona (eita!) temporada do reality show Casa das Brasileirinhas. Sua primeira transa profissional foi com Elisa Sanches, iniciando assim sua bem sucedida especialidade em sexo lésbico.

Como lesbianismo tornou-se um fetiche bastante batido no cinema pornô, as cenas de Emme White foram logo ficando repetitivas e sem graça, já que ela atuava somente com mulheres e nunca levava rola. Seus fãs então começaram a reclamar da sua falta de versatilidade e enchiam as páginas das redes sociais da moça com pedidos para que ela fosse arrombada pirocalmente por machos, e não apenas por consolos e afins.

Para não radicalizar de vez e ficar traumatizada, Emme optou por começar a ser fodida por travestis, o que seria um meio termo entre o sexo homo e o heterossexual. Para sua surpresa, ela adorou levar pirocadas, descobrindo então que na verdade não é lésbica, mas sim bissexual. Desde então, virou uma das maiores safadas do pornô brasileiro, topando qualquer tipo de putaria sem fazer rodeios.

Em 2017, consagrou-se como uma das maiores putas pagas da atualidade ao vencer cinco categorias do Prêmio Sexy Hot, sendo a pessoa mais premiada do evento. Seus troféus estão orgulhosamente expostos ao lado da sua coleção de dildos e vibradores. De vez em quando, ela acaba se confundindo e enfiando um prêmio por engano no cu ou na buceta, mas faz parte.