Entre Folhas

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Cquote1.png A Felicidade mora aqui Cquote2.png
Placa desiludindo os visitantes da cidade
Cquote1.png Entre Flores?! Cquote2.png
[pessoa normal]] perguntando o nome da cidade
Cquote1.png Sou de Caratinga Cquote2.png
cidadão informando um desconhecido onde mora
Cquote1.png É melhor que Viadagem-alegre Cquote2.png
recalcados se orgulhando da cidade
Cquote1.png Na União Soviética, o tédio mata VOCÊ!! Cquote2.png
Reversal Russa sobre Entre Folhas

Entre Folhas é o que todo mundo chamaria de "um buraco em Minas Gerais", o bairro, província, distrito, cidade município fica na região do vale do rio doce e tem um nome tosco muito bem escolhido pela prefeitura... Ou Não. A província também é conhecida como "Trifoia".

História[editar]

Cquote1.png É uma cilada Bino! Cquote2.png
Pedro sobre A placa de Entre Folhas mentir

Uma cidade com menos de 20 anos tem história? Acha que acontece alguma coisa em Entre Folhas? Acha que alguém da população nasceu nessa cidade? É de quase 90% de certeza de que a maioria da população deve ter nascido Caaratinga. Enfim, houve um idiota que apareceu na cidade e escreveu uma cronologia sobre ela.

Provavelmente uma cronologia que nem você, caipira de Entre Folhas sabia que existia. Se bem que eu duvido que alguém de Entre Folhas saiba ler ou usar um computador para ver esse artigo.

  • Fim de 1800: Um idiota bate uma carroça em Entre Folhas e começa a criar o município de forma assexuada.
  • Começo de 1900: Nada acontece, só mais algumas pessoas se mudam para a cidade.
  • Década de 1910: Há um grande emigração da cidade para uma melhor depois de comprovarem que o chefe do povoado era um Travesti.
  • Década de 1940: Brasil entra na segunda guerra mundial, que estava praticamente vencida sem ele, e no município se cria um pelotão anti-alemães na cidade. Essa maluquice se mantém até 1960 quando aparece alguém com a primeira foto de uma mulher pelada para eles.
  • Década de 1960: Primeira foto de mulher pelada, ninguém se emancipa pois fica a admirando.
  • Década de 1980: Não acontece nada.
  • Década de 1990: Alguém decide emancipar a cidade e ninguém fica sabendo.
  • Anos 2000: Chega o primeiro rádio na cidade.
  • 2011: A VIVO anuncia o inicio de suas operações na cidade com uma plaquinha no final de uma estrada de terra, dizendo "em breve".

Economia[editar]

A cidade é tão rica que não tem dinheiro nem para asfaltar as ruas. Apesar de tudo diz que vive da agropecuária, seja como for todos sabem que Entre Folhas não produz mais do que 1 quilo de arroz, 300 gramas de cana, 250 gramas de café e 2 bois para virarem churrasco, mas eles já estão reservados para o grande churrasco do dia da fundação da cidade.

A unica loja de eletrônicos da cidade vende TVs de Tubo como aparelhos de primeira linha.

A internet da cidade tem a mesma velocidade de download e upload, como Padre Quemedo diz, "isto não ECZISTE" no resto do Brasil.

Sim, o churrasco só rola entre o prefeito atual, se bem que o prefeito é um cão pastor alemao, e que ele não gosta muito de carne, mas cachorro é cachorro e ele come de tudo. Em consequência a prefeitura fica em uma casinha de cachorro e o vice prefeito tem que se espremer lá todo dia.

Cultura[editar]

A população cresceu ouvindo a históriaconto da Carochinha de que a cidade havia sido presenteada por D. Bilau II com uma suntuosa imagem de Nª Senhora, um sino retumbante e um órgão para a Igreja da Matriz sim, esta possui filiais por todo a região. Mas ninguém até hoje soube dizer onde estão tais preciosidades, a não ser o órgão despedaçado, que batem no peito e dizem: Só existem 3 desse no mundo. E a de que um cidadão dormiu e acordou com uma cobra exótica ao seu lado bicha enrustida.

Religião[editar]

Entre Folhas conta atualmente com um número impressionante de cultos/ritos religiosos, sendo conhecida também como Cidade Santa®. Nos dados constam presentes na cidade 89 religiões com 549 deuses e semi-deuses, santos, heróis e criaturas mitológicas. Uma das famosas criaturas é o homem que banha os pés no rio da cidade enquanto está sentado na ponte.

A população é muito dividida quanto as religiões, mas em sua totalidade grande maioria são pessoas que procuram compensar as fofocas, mentiras, calotagens, orgias e safadezas em geral que distribuem e fazem por aí.

Educação[editar]

Os moradores do vilarejo, invejando seus vizinhos vargem-alegranianos, começaram a querer diplomas também pros seus filhos. Daí criou-se uma Escola, que hoje é conhecida como Escola Estadual Dr. José Augusto, mas que antigamente era o Grupo de atoas, claro. Com muito esforço alguns se formaram por ali. Outros desistiram e voltaram a capinar, como fora recomendado pelos professores mesmo.

Uns excepcionais gays, lésbicas, playboys e patricinhas alunos terminam os estudos fora e se encaminham para Federais do país todo. O restante com muito recalque vão pra FIC ou pra UNEC mesmo insistindo que são boas faculdades e que não perdem em nada pra uma federal.

Vida[editar]

A vida por lá é monótona como em qualquer outra cidade pequena. Uma questão que se levanta quando se pensa na vida por lá é: o que esses caipiras fazem para passar o tempo? A resposta é simples: Fazenda Feliz.