Ergo Proxy

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Spoiler5.JPG
Atenção! O texto abaixo pode conter (ou não) um ou mais spoilers.
Ou seja, além de deixar o artigo com mais pressão aerodinâmica nas retas e mais estável nas curvas de alta, ele pode revelar, por exemplo, que o mordomo é o culpado, ou que Gaius Helen Mohiam é a mãe de Lady Jessica.
Spoiler3.jpg


Viva a violência!!!
Porrada e muito sangue
Ergo Proxy é algo relacionado a Seinen

Este artigo tem a ver com animes/mangás muito sanguinários, onde os personagens enfrentam um mundo cruel e preconceituoso, desmembram seus inimigos ou vivem fodendo umas gostosas!
Kyo Kusanagiamaldiçoou abençoou esse artigo.
Yoda.jpg
Este artigo ou seção trata do futuro. Tudo que for escrito a partir daqui foi baseado nas premonições do Mestre Yoda.
Clique aqui para mais premonições do mestre Yoda você ver.
Ergo Proxy
エルゴ プラクシー
Ergo Proxy.jpg
Arminha humilde
Gênero Gótico, Sci-Fi, Seinen, Thriller, Post-Apocalíptico, Horror (não só o gênero)
Mangá
Autor Alguém
Divulgação
Onde sai
Primeira publicação 25 de fevereiro de 2006
N° de volumes
Anime
Dirigido por Shukou Murase
Estúdio Manglobe
Onde passa Japão, Brasil, casa de góticos
Primeira exibição 2006
N° de episódios 23
Filmes
OVAs

Cquote1.png Você quis dizer: Blade Runner? Cquote2.png
Google sobre Ergo Proxy

Cquote1.png Seus cálculos estão corretos, mas sua Física é abominável Cquote2.png
Albert Einstein sobre Ergo Proxy

Cquote1.png Pensa que é bonito ser feio!? Cquote2.png
Vincent Law sobre a razão dele raramente se transformar em Proxy

Cquote1.png Por que os humanos matam uns aos outros? Cquote2.png
Pino sobre Humanos

Nota: as ilustrações desse artigo podem ser demasiadas escuras, mas o anime é esse breu mesmo.


Ergo Proxy é um anime dos gêneros suspense, ficção científica e nonsense. Considerado o melhor Pós-cyberpunk-ghoticus animado em 23 episódios da animação japonesa (talvez por ser o único do gênero). Escrito por Isaac Asimov e George Lemaître. Produzido pela Manglobe, um estúdio iniciante e sem experiência no ramo dos animes, por isso não repare, Ergo Proxy é desenhado também por marinheiros de primeira viajem em uma animação 3D que custou uma bagatela de dinheiro para ser feita. Conta a história de um casal de góticos que viajam pela Terra no futuro, que como se pode deduzir, está reduzida a cacos por causa do aquecimento global e hecatombes nucleares.

Lançado em 2006 na televisão japonesa e no Dia de São Nunca na televisão brasileira, Ergo Proxy tem em sua equipe de produtores, alguns japoneses desempregados que lançaram algum anime das antigas tipo Cowboy Bebop e Gundam Wing e a essa altura já tinham torrado toda a grana que haviam ganhado com seus sucessos. Por causa disso Ergo Proxy tem aquele ar de que foi feito com as coxas.

Enredo[editar]

Vincent Law. Protagonista da história. Repare em seu carisma.

Enquadrado no subgênero Steampunk, lorotas fictício-científicas criadas por Júlio Verne, Ergo Proxy conta as andanças e nuanças da trajetória do casal deprê Vincent Law e Re-l Mayer. A história começa plausível, mas aos poucos ela vai ficando muito doida, até o ponto em que você não está mais entendendo nada.

A história começa primeiramente com o despertar de alguma coisa/ser que desafia a lógica da física e biologia e destrói o laboratório no qual estava mantido e vai para algum retiro esperar o último episódio, pois ele é o vilão final. Tirando esse suspense bobo, a personagem principal Re-l Mayer passa o primeiro episódio andando para lá e para cá com seu robô de estimação Iggy, ela como única detetive do mundo, pesquisa uma epidemia (o Cogito Vírus) que está fazendo com que os vários robôs com inteligência artificial se suicidem ou transgridam as 3 leis de Asimov - Essas 3 leis regram que todo robô deve obedecer seu mestre, ordem da qual os humanos se recusam a seguir, desobedecendo Deus todos os dias, mas Asimov era ateu mesmo, e não ficou com peso na consciência. - Re-l depois de ler no espelho algo escrito pela Samara, é abordada por um bicho feio pacas que não sabe o que significa bater na porta e pedir licença e entra quebrando tudo, ele rouba um beijo (uma cheirada de cangote na verdade), mas com vergonha de sua feiura sai voando arrebentando o teto para nunca mais querer voltar e deixa cair uma pista de sua identificação para facilitar as coisas, um colar bem único, que pertence somente a um faxineiro chamado Vincent Law.

Depois que exerceu mal suas funções como faxineiro, Vincent Law é caçado em Romdo Dome, a única cidade do mundo. Como executar mal suas funções é punido muito, mas muito severamente, Vincent Law foge da polícia e encontra Pino, uma robô guria-fofa infectada com o tal do Cogito Vírus e ambos fogem da cidade. Re-l se designa a caçar o desertor e aproveitar para questioná-lo sobre o Cogito Vírus, que ela tirou da cabeça que esse rapaz sabe alguma coisa.

Iggy, alterar para modo Calar a Boca.

Assim, o que se passam são inúmeros episódios da mais pura embromação e ficção nonsense. Vincent Law que tinha uma cara de bunda no começo, despenteia o cabelo e vira anti-herói carismático. Fora de Romdo Dome, a cidade da utopia capitalista, há apenas aterros sanitários, desertos e um ar altamente tóxico. Por incrível que pareça há uma comunidade de catadores de lixo vivos e o ar é apenas mais ou menos tóxico! Vincent passa bastante tempo se envolvendo com essa comunidade, para depois eles serem mortos em alguma tragédia generalizada e os espectadores do anime ficarem tristes (e putos com tanta enrolação).

Re-l Mayer decide virar aventureira, foge de Romdo Dome, se encontra com Vincent Law, rouba um veleiro flutuante e zarpa para o infinito e além para mais episódios de enrolação. Para combater Romdo Dome, eles decidem ir até a capital que sempre teve tradição em querer desafiar os outros, que é Moscou. Só para chegar nessa cidade, são muitos episódios de viagens com Re-l Mayer e Vincent Law sozinhos e juntinhos, e ela apenas esperando uma declaração (lembrando que Pino não conta como ser, mas ela está lá em todos os episódios).

Iggy até reaparece cheio de curtos-circuitos, crente que o melhor para sua mestra Re-l Mayer é deixá-la apodrecer em um esquife de aço, em um típico dilema robótico que Asimov gosta de repetir e reescrever. Mas ele contrai o Cogito Vírus e fica amigo de todos.

Depois de um tempo Vincent descobre que aquele bicho estranho que invadiu de forma tarada o quarto de Re-l Mayer para vê-la de camisola no primeiro episódio era ele mesmo, e que ele é um proxy, um ser ultrapoderoso que carregam consigo a capacidade de salvar o mundo ou destruí-lo para aumentar o grau de sua importância e de maluquice do anime. Vincent perdeu a sua memória e dessa maneira ele passa a se encontrar com seus semelhantes, todos sempre com alguma motivação para querer acabar com Vincent. Sempre um pretexto mais estranho que outro. Outro ponto desconexo em Ergo Proxy, é que Vincent renegou a sua memória quando se cansou de ser um proxy, mas depois que ele descobre ser um, tenta recuperar a sua memória, isso leva a crer que ele não deveria ter feito a cagada de ter renegado sua memória, mas também se ele não tivesse feito isso, não haveria os vários episódios de enrolação.

A cena romântica, quiça picante, entre Vincent Law a direita e Re-l Mayer a esquerda.

Ergo Proxy alterna assuntos sérios sobre humanidade, com coisas sem sentido, com coisas viajantes. O destaque no quesito viajem total e absoluta na maionese vai para os episódio 15 e 19. No episódio 15, Vincent Law participa de um programa de perguntas e respostas do Silvio Santos e disputa por Prêmios do Baú (isso por que no episódio 14 ele estava no meio do deserto). No episódio 19, Pino vai parar no Mundo da Fantasia, aonde se encontra com Alice no País das Maravilhas e outros desenhos animados infantis. O líder (e proxy da vez) é Doutor Roberto, o chefe do parque de diversões e apresentador de filmes de faroeste do cinema mudo.

Os episódios finais são a coisa mais forçada e sem sentido já criados pela ficção científica. Todo mundo começa a falar como se estivesse dando um tapa na pantera, ninguém entende nada com nada, acontece alguma destruição e combate fantástico de Proxys. Vincent e Re-l se casam e Pino se encontra com Haley Joel Osment que estava esperando uma fada.

Cidades[editar]

Na época em que se passa Ergo Proxy, existe apenas uma cidade propriamente dita, a Romdo Dome, e fora ela, existe apenas ruína e perdição.

Romdo Dome[editar]

Um álbum musical de sucesso lançado por Re-l Mayer.

Cquote1.png Lá, os humanos são cultivados... Cquote2.png
Morpheu sobre Romdo Dome
Uma cidade flutuante que possui energia infinita para ficar aos céus. É nela que está toda a humanidade do mundo, já que com o término da V Guerra Mundial, o mundo ficou irrespirável. A cidade é regida pela Microsoft e governada por Bill Gates Mayer (que é um cérebro dentro de um pote com álcool na época em que se passa Ergo Proxy) o avô de Re-L Mayer.

Essa cidade desenvolvida em Bespim (coisa de Star Wars) não passa de um trambolho voador com humanos feitos sob encomenda e liderados por estátuas presunçosas. Romdo Dome é o império que cai no último episódio.

Mosque Dome[editar]

Moscou milhares no futuro, a cidade foi destruída e está um caco. Possui um trono, e um exército do Mad Max. No local, o trio aventureiro descobre coisas impressionantes que demoraram episódios a fio para serem tragas a tona.

Nas redondezas, Vincent encontra um vampiro noiadão e deprimente (um proxy) que depois de muito vinho resolve brigar para ser automaticamente derrotado (não tinha sentido em o protagonista do anime perder essa luta, apesar de apanhar um pouquinho para transparecer alguma dificuldade inerente ao herói).

Terra do Riso[editar]

O dono da Terra do Riso. E vendedor de carros também.

Cquote1.png Eu invoco Mundo da Fantasia e o coloco em modo de defesa... Cquote2.png
Maximillion Pegasus sobre Terra do Riso
Aparece no episódio mais doido, psicodélico e sem sentido do anime. Certo dia Pino bebeu absinto com cachaça no lugar do óleo e foi parar no maravilhoso mundo lisérgico do Riso. Essa terra é formada pelos amigos do Peter Pan e parceiro da Alice, possui muita cor, alguns dragões e um parque de diversão temático. Tudo liderado por um tiozão de bigode daqueles gente boa. Essa cidade foi criada quando os escritores de Ergo Proxy estavam voltando de uma festa hippie.

Proxy[editar]

Uma seleta raça de seres imortais e sem explicação de existência ficticiamente cientificamente plausível. Eles são seres fortes pacas e mágicos que dão a graça ao anime. Todos são feios e assustadores. A sua natureza que os permitem viver milênios a fio, os torna paranóicos e maníacos depressivos, fazendo com que achem que tudo é Teoria da Conspiração.

Amrita Cell[editar]

Pino e Re-l em tediosos dias de calor

São as células pelas quais, os Proxys são formados e por isso são imortais. O anime não explica como isso é possível e por essas e outras falha como uma boa obra de ficção científica.

Em virtude das Amrita Cells os proxys só podem ser mortos apenas se forem estraçalhados por Vincent Law, aí sim a Amrita Cell não dá conta do recado.

FP Ray[editar]

A FP Ray é uma munição balística especial feita para matar seres imortais, desenvolvida por Dédalo (Daedalus), o médico que ensinou o filho a voar (matando-o). Essa munição é a forma com que Re-l Mayer, como humana pudesse ser de alguma serventia nos embates contra os poderosos proxys. Re-l ( na verdade é o Raul quem atira. ) atira um desses em Vincent para testar o efeito (ele perde a mão por causa disso).

AutoReiv[editar]

Pino, a pequena robô projetada para ser amada.

Retirado do filme A.I. Inteligência Artificial, os AutoReivs é como são chamados os robôs em Ergo Proxy. O primeiro exemplar do AutoReiv foi o Robocop no ano de 1999, depois essa tecnologia foi aprimorada em uma versão R2D2, e posteriormente as versões C3PO. Zilhões de anos no futuro surgem os AutoReivs com as 3 leis de Asimov inseridas em suas mentes.

Cogito Virus[editar]

Cquote1.png Cogito ergo sum Cquote2.png
René Descartes sobre AutoReivs
Cquote1.png Cogito ergo sum Cquote2.png
Pino infectada com o Cogito Virus
Cquote1.png Puta intelectual esse anime meu!! Cquote2.png
Boça sobre Ergo Proxy
Esse perigoso vírus, junto ao Bifrost trojan, MSN Messenger Keylogger e HIV, forma o grupo dos mais perigosos à robótica.

O Cogito Vírus infecta o AutoReiv e faz ele pensar que pensa logo existe, e que ficar seguindo ordens dos humanos é bobagem, por que eles são uma raça inferior, sabem nem quanto é a raiz quadrada de 7 e ficam se matando

Personagens Principais[editar]

  • Vincent Law - Começa com uma cara de nerd e atitudes estranhas. Ao começar a assistir ao anime, você fica até chateado em imaginar que esse mané será o protagonista. Mas depois que Vincent se encontra com Pino e foge de Romdo Dome por improbidade e perde seu pente, fica com cara de que não gostou e passa a ser um protagonista mais decente e carismático. Nunca escondeu que gosta de Re-l Mayer, mas também nunca se declara. Viaja com ela a procura de respostas e descobre que é um Proxy. Depois disso ele começa a pensar abobrinha atrás de abobrinha com preocupações dispensáveis, fazer coisas sem muito sentido e no final destruir parte do mundo e se casar com Re-l Mayer.
  • Re-l Mayer - Ninguém sabe ao certo qual é o nome oficial da protagonista. Como japonês fala muito difícil, seu nome foi traduzido de maneira porca como Re-l. Ela é neta do dono do mundo, mas não consegue viver como patricinha e preferiu viajar pelo mundo ao lado de Vincent Law, o único cara com personalidade em todo o mundo. Re-l é uma gótica de carteira assinada, sempre vendo o lado negativo das coisas, e gosta de se vestir como a Amy Lee e a Anette Olzon. Aprendeu a atirar enquanto assistia filmes do Exterminador do Futuro. Perde espaço na trama no final, quando os proxys ficam mais evidentes, e os humanos não, mas sempre consegue aparecer, seja para ajudar ou atrapalhar Vincent nas lutas. Ela se casa com ele no final.
  • Pino - Uma AutoReiv versão garotinha pentelha fofinha, segue seu mestre Vincent Law para onde ele vai, sempre fazendo perguntinhas pertinentes como “O que é morrer?”, “O que acontece depois que alguém morre?” e coisas do tipo. Veste todos os dias uma roupa fofa de coelho rosa e sempre carrega consigo um teclado de brinquedo quebrado. Testemunha a morte de Raul Creed, e ninguém sabe qual foi seu fim.

Personagens Recorrentes[editar]

Monad, o Darth Vader cabeludo.
  • Iggy - AutoReiv de Re-l Mayer, é o tio do C3PO, fala pelos cotovelos igual a seu parente, e tem uma devoção comovente por Mayer
  • Raul Creed - Um personagem que não convence. Líder político de Romdo Dome, não tem mais nada para fazer da vida além de encher o saco de Vincent Law e ficar de joguinhos de bastidores. Depois que seu plano maquiavélico altruísta falha miseravelmente e previsivelmente, ele morre de maneira triste (triste no sentido de que não teve emoção).
  • Daedalus Yumeno – Um garoto de 10 anos que conseguiu o diploma de medicina na FAFIFO-GO e atua como personagem misterioso da trama. Ninguém nunca sabe o que ele quer. Ora ajuda Mayer, ora ajuda Creed. Inventa algumas coisas, opera outras pessoas, sabe tudo sobre proxys e morre sem ter dado o ar de sua graça.
  • Donov Mayer – Velhote que já está morto, mas seu corpo moribundo continua no trono de Romdo Dome coordenando as atividades da cidade e a liderando. Atravessa o anime inteiro e morre mudo.
  • Proxy One – Grande antagonista da trama, aparece no segundo inicial do anime para depois retornar no último episódio acusando Vincent de coisas infundadas para dar pretexto em sua tentativa de querer matá-lo. O vilão não convence ninguém e sua derrota é esperada.

O resto é tudo vilão de 1 episódio, ou figurante.

Ver também[editar]

v d e h
Este artigo fala sobre um anime.