Erigor

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Harrypotterputa.jpg Hocus Pocus!

Este artigo se trata de charlatanismo magia, encantos e todo tipo de macumba. Ele serra pessoas ao meio, tira coelho de cartola, faz vodu e adora uma varinha mágica. Se vandalizar, Harry Potter fará você desaparecer.

Aangmomo02sj6.jpg Este artigo pertence à atmosfera!

Se você poluir este artigo, vai morrer sufocado pelo efeito estufa, então tome cuidado com vacas voadoras, fuja do Sharknado e não lute contra Temari!

Erigor é um dentre os infinitos magos existentes na série de mangá/Anime nerd-RPGista Fairy Tail. Erigor nada mais é do que um vagabundo fora-da-lei que após assistir muito Bleach, decidiu fingir ser um shinigami e sair por aí matando todo mundo. Erigor é o membro mais forte da dark guilda Eisenwald, e também podemos dizer que é o único personagem minimamente relevante de lá, já que o resto não passa de um bando de personagens para os quais a palavra "secundário" é pouco para definir. Erigor é um dobrador mago de vento, portanto, suas skills habilidades se baseiam em formar vendavais e varrer habitações da face da terra.

Infância[editar]

Erigor na flor da idade, se divertindo com sua brincadeira de infância favorita.

Erigor nasceu numa pequena cidadezinha rural de Fiore, onde foi criado por sua avó, uma velha chata e fofoqueira odiada por todos os moradores da cidade. Sua avó era rígida, e o educou com garras de ferro, ensinado a Erigor os bons costumes que costumávamos ter: não responder aos mais velhos, nunca discutir com um adulto (mesmo que esse esteja completamente errado), e fazer tudo o que os mais velhos lhe mandam. Erigor detestava ter que seguir esses padrões e tradições antiquadas, entretanto, nada podia fazer, já que sua avó virava no diabo e além de lhe dar uma surra fenomenal, ainda o obrigava a ficar 12 horas ajoelhado no milho.

Então, mesmo que todos odiassem sua avó, Erigor acabou caindo no gosto da população daquele povoado miserável, já que todo mundo gosta de jovens educados e simpáticos que dão bom dia na rua. Porém, ninguém fazia ideia de que por debaixo daquela aparência de menino decente, se escondia um rancor gigantesco pela humanidade, já que as constantes sovas de relho de sua avó, tinham deixado marcas insuperáveis de ódio e mágoa.

Como Erigor era todo certinho quando criança, ele não tinha amigos, já que as demais crianças o odiavam pelo fato de seus pais sempre os compararem a ele na hora de lhe dar uma bronca. Como resultado, Erigor nunca se apegou muito a coisa superficiais como amigos. Enquanto as demais crianças realizavam brincadeiras saudáveis na rua, tais como esconde-esconde, pega-pega e competições para ver quem quebrava mais vidros na vizinhança ao tirar aviõezinhos de papel das árvores com pedradas; Erigor ficava o dia todo trancafiado dentro de casa assistindo ao Avatar.

Tornando-se um mago[editar]

Apesar de viver a maior parte do tempo trancafiado dentro de casa, Erigor vivia por dentro do que acontecia no mundo afora, já que acompanhava o telejornal da Globo e acessava sites de fofoca online. Em algum momento de sua vida, Erigor decidiu que seria um mago, e que tocaria o terror na humanidade para se vingar das dolorosas horas ajoelhado no milho quando desobedecia sua avó. Tendo conhecimento de que se não pertencesse a nenhuma guilda ele não passaria de um joão-ninguém aos olhos da população, Ele então passou meses estudando um bom discurso para declamar no dia de sua entrevista para seleção de membros de alguma guilda.

Cquote1.png Paz e amor, bicho! Cquote2.png
Erigor em sua fase hippie, quando ainda não sentia um sádico prazer em promover a desgraça na vida das pessoas.

Entretanto, ele se lembrou de um detalhe muito importante: não adiantaria nada ele ter um bom discurso, se não soubesse porra nenhuma sobre como fazer magia. O pior de tudo é que além de ele não fazer a mínima ideia de que tipo de magia se especializaria, Erigor vivia onde Judas perdeu as botas, e o único mago que existia no lugar era um vagabundo especializado em magia de projeção astral, a coisa mais inútil que podia existir na face da Terra. Abalado com o fato de que seus sonhos foram destruídos muito antes dele começar, Erigor fez a única coisa que sabia fazer: foi pra dentro de casa assistir a Nickelodeon, a qual ele tinha acesso via Sky Gato.

Foi então que, em meio a uma maratona de seu adorado Avatar, Erigor finalmente decidiu que rumo tomar na vida: seria um dobrador mago de ar, e criaria técnicas tão apelonas que colocariam Aang no chinelo. Ele então passou a comprar livros de meteorologia, energia eólica e teoria científica do vento pelo Buscapé online, e passou a estudá-los dia e noite. Também adquiriu alguns grimórios de magia negra e macumba para aprender os princípios básicos de como criar um magia ceifadora de vidas.

Para se certificar de que saberia tudo sobre vento, Erigor passou a assistir videoaulas no Youtube sobre formação das correntes de ar. Entretanto, aquilo não era suficiente: precisava de mais conhecimento para incrementar suas habilidades, e dessa forma decidiu acompanhar o fenômenos de perto. Logo, Erigor sempre prestava atenção na previsão do tempo no telejornal da hora do almoço para saber onde haveria uma maior probabilidade da formação de furacões e ciclones, se dirigindo até o local para assistir de camarote todo o caos proporcionado pelos tornados, para ter assim uma ideia de como iria atentar contra a humanidade.

Entrando para uma guilda[editar]

Após aperfeiçoar as sua técnica do vento, Erigor finalmente torna-se um mago de verdade, cai na estrada em busca de alguma guilda condizente com seus objetivos de vida. O grande problema é que boa parte das guildas seguia o politicamente correto, e seguindo aquela ética e moralismo barato, nunca poderia alcançar seus sonhos. Após uma incessante procura, Erigor finalmente encontra seu lugar no mundo: uma guilda chamada Eisenwald, composta basicamente por psicopatas megalomaníacos que adoravam aceitar missões que atentavam contra a vida alheia.

Erigor espantado com toda a inutilidade dos demais membros da Eisenwald.

Sentindo-se em casa com aquele ambiente amigável, Erigor não perdeu muito tempo, e um dia depois de entrar na guilda pegou a sua primeira missão: assassinar um bando de mendigos que roubavam pão na cidade vizinha. Aquela era a oportunidade perfeita para Erigor testar pela primeira vez suas habilidades em outros seres humanos. Assim que terminou seu primeiro trabalho, Erigor ficou surpreso, pois se deu conta de que matar o próximo era muito mais divertido do que ele imaginava em seus sonhos mais depravados. Daquele dia em diante, não conseguiu mais parar, e passou a aceitar apenas missões de assassinato, desgraçando a vida de qualquer pobre coitado que tivesse o azar de topar com ele. Assim, sempre que ia realizar um serviço, Erigor vestia um cosplay de Bleach e saía com uma foice pelas ruas, o que teria lhe rendido o apelido de Shinigami.

O tempo passou, e Erigor ia ficando cada vez mais psicótico, tornando-se o membro mais forte de sua guilda, e sendo temido até mesmo pelos seus companheiros,já que ele era maníaco demais até mesmo para Eisenwald. Assim que atingiu o patamar de mago mais apelão, ele decidiu colocar ordem na casa, e se aproveitando de seu poder, baixou a regra: a partir daquele dia, a guilda só aceitaria missões de assassinato, e quem se colocasse contra, seria fatiado em finos pedaços simétricos de carne humana e arremessado aos crocodilos. Não se sabe qual foi o posicionamento do guild master na ocasião, mas mediante a falta de informação sobre o dito cujo, tudo indica que o próprio Erigor teria dado cabo do infeliz quando esse se opôs.

Tudo ia muito bem, e a cada dia que passava, Eisenwald acrescentava mais defuntos ao seu currículo de trabalhos realizados, até que num belo dia, um bando de tiozões decidiu que matar gente não era uma atividade lá muito legal e civilizada, e proibiu terminantemente a realização de qualquer trabalho de assassinato. Como resultado disso, Eisenwald passou a ser tratada como um refúgio para escória e gente de baixo calibre, e foi banida da liga das guildas de magia. Eisenwald então passou a ser considerada uma guilda ilegal, e como resultado disso, teve diversos benefícios cortados, tais como TV por assinatura e Wi-Fi grátis. Aquilo foi um golpe direto no orgulho dos membros da guilda, sobretudo de Erigor. Como vingança, Eisenwald decidiu que tocaria o verdadeiro terror e daria cabo dos velhotes mestres das guildas.

Emboscando a Fairy Tail[editar]

Ao pesquisar meios de se vingar das guildas oficiais, Erigor encontrou um texto em um livro de satanismo antigo, que mencionava uma tal flauta demoníaca confeccionada pelo próprio Satanás, capaz de matar qualquer um que escute seu som num raio de 100 km, sendo quase tão eficiente quanto as músicas de Justin Bieber para esse fim. Caso conseguisse aquela flauta, seria muito fácil dar cabo daquele bando de velhos reumáticos. Após uma incessante busca, Erigor finalmente consegue comprar a flauta em uma promoção no Mercado Livre.Como estaria ocupado demais chacinando algumas vítimas no parquinho central da cidade, Erigor manda um inútil qualquer, um tal de Kageyama, trazer o objeto amaldiçoado em seu lugar. Entretanto, a regra era clara:caso Kageyama permitisse que algum abelhudo sequer visse aquela flauta, ele receberia uma punição adequada para responder pela sua falha.

Erigor posando pra foto ao lado de um artefato satânico.

Entretanto, mais tarde, após roubar um trem-bala, Erigor ficou sabendo que mesmo após seu aviso, Kageyama conseguiu fazer jus a toda sua inutilidade, e não demorou dois minutos para que deixasse que terceiros ficassem a par da flauta que carregava. Pra piorar as coisas, a pessoa que ficou sabendo do objeto era membro da Fairy Tail, uma conhecida guilda de magos esquisitões e apelões. Erigor pensou inicialmente em dar cabo de Kageyama ali mesmo, porém, talvez ele ainda pudesse ser útil, nem que fosse só para servir como saco de pancadas para distrair os inimigos. Logo, Erigor contenta-se simplesmente em aplicar um Madruga's Crush-A-Head's Obliteraition na cabeça do bastardo.

Como a merda tinha sido feito, Erigor chegou a conclusão de quem deveria dar cabo da Fairy Tail o quanto antes a fim de evitar interferências em seu plano maléfico e malvado. Como seus inimigos eram os mocinhos, nada melhor do que ameaçar a vida de gente inocente e irrelevante para atrair sua atenção. Dessa forma, Erigor e os paus-mandados da Eisenwald arma o maior barraco numa estação de trem das redondezas, ameaçando torturar todas as pessoas do lugar com um maratona de 10 horas do Furacão 2000. Visando proteger os inocentes daquele triste fim, o grupo da Fairy Tail, composto por uma amazona ruiva, um idiota usuário de Katon, uma macumbeira que realiza pacto com espíritos das trevas celestiais e um nudista que faz esculturas de gelo, chega ao lugar, e como de costume, já quebrando tudo pelo caminho. Após recitar uma ladainha que provavelmente ninguém prestou atenção, Erigor se manda do lugar, sumindo do mapa. Quando todo mundo pensava que Erigor tinha fugido por se tratar de um tremendo covarde, ele então revela seu verdadeiro plano, concentrando todo o seu chakra da natureza vento e aprisionando todo mundo naquela estação de trem ao criar uma indestrutível parede de vento. Como era um vento criado por meio de magia negra, é óbvio que ele escondia algumas surpresinhas, como por exemplo, a capacidade de fatiar carne humana como se fosse bife no açougue, impedindo até mesmo Erza Scarlet, a maga mais apelona e fodona da Fairy Tail, de passar.

A derrota[editar]

Após prender todo mundo na estação, Erigor sai voando em busca dos coroas, deixando seus companheiros fracotes levando uma surra da Fairy Tail. Porém, pouco importava, o que interessava era dar cabo dos velhotes, afinal não é possível fazer uma omelete sem quebrar alguns ovos. Erigor na verdade não precisava de tudo aquilo, ele poderia simplesmente acreditar que seus companheiros dariam conta do recado e seguir seu caminho numa boa. O grande problema é que ele era o único mago forte daquela guilda fajuta, e nem mesmo ele botava fé nos figurantes que se cagavam de medo dele, portanto, tal medida fora extremamente necessária.

Erigor após adquirir câncer de próstata e se aliar novamente a Oración Seis para poder pagar suas sessões de quimioterapia.

Enquanto estava perdido em seus pensamentos, planejando assistir a sua novela preferida assim que desse cabo dos mestres de guildas, Erigor é bruscamente interrompido no meio da viagem por um murro no meio da cara. Era ninguém mais ninguém menos que Natsu Dragneel, um conhecido esquentadinho destruidor de propriedades. Erigor até tentou conversar civilizadamente com ele, visando desacreditá-lo e fazê-lo desistir da luta para ão se machucar. Porém, a única língua que o mago de fogo entendia eram os punhos, e Erigor então decidiu que cairia na porrada com ele. Para início de conversa, seu adversário controlava fogo, e Erigor controlava vento, o que lhe daria uma larga vantagem.

Para se aquecer, Erigor começou imitando a Eliana naquela antiga propaganda contra as drogas, erguendo sua palma em direção a Natsu e lançando um pequeno vendaval em sua direção, mas que não foi forte suficiente para matar o inimigo, que conseguiu escapar aparentemente pulando feito um sapo. Logo, vendo que aquele esquisito poderia causar problemas, decidiu acabar de uma vez com a conversa, e começou partindo para a ignorância, criando sua própria versão do furacão Katrina e fazendo o mago do fogo rodopiar mais que uma Beyblade pelos céus.

O mago do fogo acaba caindo num buraco infinito que existia em volta dos trilhos de trem, já que aquele lugar no passado fora muito utilizado como cenário para fases de jogos em 2D. Entretanto, Natsu, por alguma trapaça apelona, conseguiu voltar para o campo de batalha usando seu fogo satânico de dragão. Natsu ataca Erigor usando sua especialidade, o Katon: Goukakyuu no Jutsu, obrigando Erigor a se defender com uma parede de vento. Puto da cara com tamanho protagonismo, Erigor também apela para cheats, e se transforma numa bailarina de vento, repelindo todo o tipo de ataque de fogo lançado pelo mago. Quando sua vitória era quase certa, eis então que seu inimigo apela para o maior de todos os cheats: as forças da Física. Ao concentrar seu chakra, berrar feito um doido varrido e esquentar todo o ar ao seu redor, o vácuo que ficou em volta do mago de fogo devido a subida do ar quente de menos densidade (caso você, reprovado em física nas aulas do ensino médio, não se lembre) acaba sugando todo o ar de Erigor, deixando-o exposto. Assim, Natsu encerra com um Falcon Punch bem no meio do seu estômago, colocando Erigor para contar ovelhas.

Um tempo depois, Erigor novamente aparece ajudando a Oración Seis e decide que iria se vingar pela surra aplicada por Natsu. Erigor alegava que dessa vez estava mais forte e que aquilo não se repetiria... Mas não demora dois minutos para que Natsu novamente o derrote, dessa vez o nocauteando com um único soco, duplicando ainda mais sua humilhação. Anos mais tarde, Erigor aparece novamente como um dos paus mandados da Oración Seis. E pra variar, leva outra surra memorável, porém, não mais para Natsu. Pelo contrário, dessa vez ele apanha para uma garotinha e para um cosplay fajuto de cavaleiro medieval. Atualmente não se sabe por onde Erigor anda, mas depois de tanto apanhar, é bem provável que viva em alguma caverna isolada do mundo tentando superar a dor de tanta humilhação e se encolhendo em toda sua mediocridade, já que todos os vilões que apareceram na série depois dele são infinitamente mais interessantes do que ele, que é apenas uma piada pronta (sobretudo depois de ficar mais careca que o Tio Chico da Família Addams).

Ver também[editar]

Fairy Tail por Hiro Mashima
v d e h