Escandinávia do Sul

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Este artigo é um tapa na cara da sociedade.
ME AJUDA AÍ!!! O Anônimo !!!


Mapa baseado nas descobertas de Leifur Eiríksson e Magnús Magnússon no século XI, incluindo a longínqua Vinland e a Escandinávia do Sul.

A Escandinávia do Sul é uma cidade do interior do Rio Grande do Sul fundada no ano de 1003 pelo islandês Magnús Magnússon. A Escandinávia do Sul possui cerca de 200 mil habitantes e um clima semelhante ao de Reykjavík, devido a um trato feito com os Æsir. Sua principal fonte de renda é a exportação de cerveja folclórica nórdica e de sagas.

História[editar]

Segundo o Riograndnámabók, tudo começou no ano de 1003, quando Leifur Eiríksson, na época conhecido por seus grandes feitos de navegação, encontrou-se com Magnús Magnússon em um obscuro bar de Reykjavík. Depois de alguns barris de cerveja, Magnús disse a Leifur: "Eu duvido de que você consiga chegar à América!". Leifur, indignado com o insulto, desafiou Magnús para ver quem chegava à América primeiro.

Assim, no Equinócio de Outono daquele ano, Magnús e Leifur lançaram-se ao mar em direção à América, cada um levando uma tripulação de cerca de trinta homens e cem barris de cerveja. Leifur chegou à lendária Vinland (que hoje em dia é uma favela situada em uma obscura região do Canadá), enquanto Magnús, devido a um vento divino, desviou-se da rota original e foi parar no que atualmente é o Rio Grande do Sul. Magnús e sua tripulação fundaram aí uma próspera colônia.

Após algumas semanas, Leifur retornou à Islândia. A maior parte da população acreditou que Magnús havia se perdido, e consagrou Leifur como o maior de todos os islandeses. Leifur desconfiava de que a realidade não era essa, mas preferiu ficar quieto e aproveitar a vida boa que estava tendo desde então.

Entretanto, algum tempo depois, em uma tempestuosa noite de inverno (que na Islândia dura cerca de 12 meses), Thor apareceu para Leifur em um sonho e declarou:

"Leifur, venho aqui falar-te de um assunto de extrema importância. Os Æsir estão em regime de corte de despesas, então as reformas para ampliação da Valhalla estão suspensas. Apenas os guerreiros de maior glória terão um lugar decente em Asgard. A maior parte dos Æsir favorece Magnús, e com razão, já que o seu feito é muito mais grandioso do que o teu. Mas eu, Thor, acredito que tu possas provar tua grandeza. Para isso, terás que partir em direção às terras de Magnús e enfrentá-lo. Só assim garantirás teu lugar na Valhalla."

"Corte de despesas? Mas isso é inadmissível! Eu não posso tolerar que..."

"Não, nada disso", disse Thor, exibindo alguns papeis impressos. "Na Wikipédia diz que o herói viking aceita seu destino e a vontade dos Æsir sem mais questionamentos."

Leifur estava pronto para gritar "citation needed!", mas olhou para o martelo que Thor carregava e rapidamente mudou de ideia.

No dia seguinte, Leifur organizou uma expedição para encontrar as terras de Magnús. Chegando lá, dois meses depois, desceu com sua tripulação e começou a acabar com tudo e com todos que via pela frente, na melhor civilidade escandinava. Magnús, ao saber da invasão, mobilizou seus guerreiros e investiu contra Leifur. Acabando a cerveja, a maior parte dos guerreiros de ambos os lados desistiu da batalha, mas Magnús e Leifur continuavam bravamente. Os Æsir estavam impressionados. Estes se convenceram de que ambos eram valorosos guerreiros, dignos de honrarias. Como não havia mais lugar na Valhalla, os Æsir subornaram prometeram-lhes vida eterna, e cerveja gratuita a todos os habitantes da nova terra. Além disso, a Escandinávia do Sul passou a ser considerada uma província de Asgard, com parlamento próprio. Os Æsir acreditavam que o Ragnarök estava próximo, então não se preocuparam com os gastos com cerveja. Entretanto, estavam eles redondamente enganados (o leitor de runas oficial da época estava de férias na Noruega), o que deixou o Fundo Monetário de Asgard ainda mais quebrado do que já estava (esse problema foi resolvido mais tarde quando a Escandinávia do Sul passou a exportar cerveja "Polar", assim chamada em homenagem à terra natal).

Foi em meio à terrível crise de 1429, em que A Bolsa Interplanar do Valhalla teve seus piores indíces, que os habitantes da Escandinávia do Sul planejaram seu maior lance: As Olimpiadas Valkyrjakeppnir. A ideia era criar um evento guerreiro esportivo, para atrair todos os cidadãos de outros povos, para que pudessem ser mortos e seus corpos saqueados facilmente. O evento incluía as seguintes modalidades: Arremesso de dardo, pugilismo, esgrima, triato (três atos: cortar, perfurar, esmagar), arremesso de martelo (em homenagem a Thor), vela (eram grandes navegadores), vela 2 (queimavam seus inimigos na vela), hipismo (de acordo com Týr, uma das melhores provas. Tratava-se de uma prova em que um cavalo era amarrado a cada um dos membros da vítima do atleta, e via-se quanto tempo levava para que fosse esquartejado), e, claro, a prova dos 100 metros rasos (nesta, eles afogavam o atleta até à profundidade de cem metros, para eles, uma altura "rasa", e viam se o mesmo conseguia subir à superfície antes de acabar o ar).

Além de aumentar o indíce de turismo e de aumentar o espírito de confraternização entre os povos (afinal, quem teria a coragem de insultar alguém portando um porrete com pregos na ponta?), o evento teve também a capacidade de reduzir grandemente o efeito de superpopulação nas redondezas.

O dinheiro arrecadado no evento foi utilizado para expandir a produção de cerveja, aumentando sua qualidade, e permitindo que a mesma fosse transportada por grandes distâncias. Isto levou à total recuperação econômica de Asgard. Além disso, os Escandinavos do Sul passaram a investir no mercado do entretenimento. Isso resultou na criação de diversas bandinhas, de relativo sucesso comercial. Entre elas podemos citar:

Týr
Thyrfing
Bathory
Amon Amarth
Borknagar
Ensiferum
Einherjer
Enslaved
Outras milhares de bandas assim...