Escorbuto

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Asclepius.png A Desciclopédia não é um consultório de medicuzinho.
Por isso, tome vergonha e vá procurar um pra fazer seu check-up.
Cquote1.png Meu pior inimigo Cquote2.png
Laranja sobre escorbuto

Cquote1.png Meu também Cquote2.png
Marinheiro sobre escorbuto

O escorbuto é uma doença originária das prostitutas imunes a aids da África. Foi repassada através dos comerciantes homossexuais do mediterrâneo, chegando então aos marinheiros - que por passarem meses em alto mar, na época das grandes navegações em busca de metais preciosos para fabricar as jóias da hebe, acabavam tendo experiências um tanto diferentes.

História[editar]

Um homem acometido pelo escorbuto: uma total falta de vitamina C

Mais ou menos 1000 anos atrás, os encochados, praticadores de sexo oral, feirantes e plantadores previram o mundo de hoje com o auxílio do LSD. Perceberam como agora seria uma febre consumir produtos orgânicos mal-feitos e plantas, não importa quais sejam. Mas esse futuro não estava garantido. Deveriam conspirar para que todos acreditem no falso poder dos vegetais. Começaram a armação.

Como precisavam convencer a todos que as frutas, verduras e legumes deixavam a vida melhor (não importa como), pensaram em "benefícios" para cada uma das frutas. Na vez da laranja e dos limões, deram o nome à eles de "vitamina C". Na hora de determinar uma função para essa "vitamina", não havia nada na cabeça como ideia.

O boquete sexo oral pode causar o escorbuto.

Por isso, usando a telepatia de um sequestrado voluntário, contrataram os marcianos para desenvolver uma doença que matasse muito e junto uma cura. Nos laboratórios marcianos, desenvolveram um micro-organismo que pudesse acabar com a pessoa. Conseguiram fazê-lo e a cura também. Enviaram os produtos à Terra, Planeta Terra.

E todos viveram felizes para sempre nesse mundinho feliz *-*

Surtos[editar]

Para testar a eficácia do novo experimento, procuraram o seu maior inimigo: A carne salgada. Como na época os marinheiros comiam muita carne, o que fazia os frigoríficos lucrarem pra caramba. Como forma de chantagem, espalharam as amostras nos navios por meio de suborno dos agentes do governo, responsáveis por botar o vírus nos barcos.

Nas viagens, o vírus matava 50% dos ocupantes das embarcações. Os outros 50% morriam afogados por causa da tontura com o balanço do navio, jogando-os na água. Chegou a hora da operação. Pegaram os potes com a cura marciana, colocaram a substância nas frutas e plantações (laranja e limão) e venderam os frutos como cura do mal. Deu certo, e até hoje acreditam nessa enganação.