Esfinge

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Quevedo25on.gif Este artigo se trata de coisas que nón eczisten!!

Este artigo se trata de algum mito, lenda, conto, história de pescador ou desculpa esfarrapada e provavelmente contém informações sobre animais grotescos que capturam sua alma.

Horus.jpg

Este artigo é egípcio! Ele foi escrito num pergaminho sagrado e seu escriba é um sacerdote mumificado.

Não profane este artigo, ou a maldição do Faraó irá cair sobre você!



Cquote1.png Decifra-me ou te fodo! Cquote2.png
Esfinge sobre humanos.
Cquote1.png Na União Soviética, ou a Esfinge te decifra, ou quem devora ela é VOCÊ!! Cquote2.png
Reversal Russa sobre Esfinge.


Esfinge era um monstro mitológico apreciado por todos os gays da mitologia grega porque era um bicho tarado que costumava comer nos dois sentidos, de quem não conseguisse responder a seus enígmas, fosse a pessoa inquirida homem ou mulher, e quase ninguém acertava nada, isso porque fugiram da escola a esfinge só fazia perguntas sobre os seres humanos, coisa que nós macacos não conhecemos muito bem.

Classe de perguntas[editar]

"Já já a gororoba passa."

Como já dito escrito, esse bicho fazia perguntas sobre os seres humanos, e como não existe isso, ninguém sabia responder e achavam as perguntas muito dificeis. Segue um exemplo: Oque tem quatro caralhos de manhã, dois à tarde e três à noite. A resposta é uma pessoa na fase de bebê engatinhando, que dá um trabalho equivalente a aguentar quatro caralhos (você conhece bem esse trabalho), na fase jovem quando tem potência de dois caralhos e na velhice que tem um caralho murcho, outro é o nariz caído que parece uma piroca caída, e outro é a bengala: a única dura. Ou algo mais ou menos assim.

A esfinge, a exemplo de sua estátua imponente do Egito, era parte leão, parte gente, mas costumava ter nariz, mas ainda como a estátua, acabou comendo a própria venta de tanta fome. Isso aconteceu num dia em que milagrosamente os únicos três passantes eram inteligentes, e decifraram os enígmas do dia. Eram esses sábios um jegue, uma formiga e um elefante, e a esfinge, mesmo vendo que não eram pessoas, não teve a preocupação de mudar as perguntas, e continuaram sendo sobre humanos. Ela não se lamentou muito antes da fome apertar de verdade porque o prato preferido dela era mesmo bunda de gente: mas, embora comesse de todos os tipos, preferia rechunchuda e sem celulite, ou com grau um...

Mas normalmente eram pessoas que passavam por seus domínios, e outra das perguntas que ela usava muito era: "Porque os humanos coçam a cabeça, mesmo quando não há coceira?" E os inqueridos coçavam muito a cabeça, pensando na resposta, mas não conseguiam responder.


Brincando com a comida[editar]

Quando não estava excitado com fome, este animal, pra não negar sua parte felino costumava brincar com a comida: Dava rabadas, lambia, jogava pro altos, fazia mais perguntas, que também não eram acertadas... e como não gostava de geladeira nem frezzer, a esfinge arremessava a carniça para os urubus, que também não comia, porque a carne estava levemente passada mas não podre... se fosse um caso como o seu que, embora vivo e andando por aí, já é algo putrefado, mas o caso é que essa refeição não era desperdiçada: as hienas aceitavam, e sem fazer perguntas difíceis, mas sim dando simpáticas rizadinhas e era muito gentil aproveitando a carcaça toda...

Ver também[editar]