Esfirra

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
SheikYerbouti.jpg

"Vai tomar no cu", em árabe
Brimo, este artigo é árabe!
Ele gosta de mulher coberta e não gosta de ser confundido com turcos nem judeus.

Algumas shurikens Esfirras dando sopas, oleosas e gordinhas como os que as comem.

Esfirra é outro alimento de mesma natureza que a Empada, a diferença é que a esfirra é mais presente do que sua prima, essa Empada. Foi feita uma pesquisa recentemente em um Aniversário de Criança para medir qual era o salgadinho mais popular entre todos os outros, a pesquisa revelou que os Quibes são os mais cobiçados por estarem em menor quantidade, logo em seguida vem os "Risoles" ou simplesmente "Pasteis empanados", salsichinhas, pasteis, Coxinhas e em quinto lugar do mais cobiçado é a Esfirra, mostrando que ela não é bem a favorita de todo mundo.

Formato[editar]

Um Ninja da Esfirra pegando mais munição para acertar o moleque da foto.

Com o formato de uma shuriken, muito usada nos aniversários de crianças de 5 anos até os 8 para tacar nos pivetes, muito usadas por primos maiores que pelo menos podem se divertir fazendo alguma coisa diferente naquele lugar. Só o fato do uso da Esfirra como uma shuriken mostra que, provavelmente, a Esfirra não seja a favorita pelo mesmo motivo da Empada: mais massa do que recheio, isso quando o recheio é carne, pois quando é frango piora.

O formato é de uma estrela de três pontas que realmente incentiva a criatividade, bom mesmo era sair com as Esfirras no bolso, amarrar uma roupa na cabeça e se fingir de um Ninja Vingador renegado, que estava se defendendo de todos os que queriam caçá-lo, no caso pais e mães. Agora ele foge desses pais para continuar acertando suas shurikens nas pessoas más dessa sociedade, que seriam os primos e irmãos mais novos...

É mais ou menos isso o que o formato da Esfirra incentiva.

Gosto[editar]

Salgado, obviamente. Mas na primeira mordida você só sente o gosto da massa mesmo. Então não vale muito a pena investir em uma coisa com "casca grossa" e "pouco recheio". A Esfirra é um dos salgadinhos nesse tipo de festa que ficam pela metade e são deixadas pelos pirralhos na mesa de salgados pela metade, isso prova um efeito em cadeia: como vou saber se os salgadinhos que estou pegando não foi mordido?

Justamente por essa dificuldade alimentícia, a Esfirra perde sua credibilidade.

Recheios[editar]

Alguns recheios de esfirras são os populares de carne e os de frango (os mais usados pelos ninjas de Esfiha são as de frango pois são as em maior quantidade. Além de fazer um uso melhor para as esfihas de frango adubam o solo também, afinal, as esfihas de frango iam de qualquer forma para o lixo mesmo) mas no Iraque, onde a esfiha é feita mais fina, e países do Oriente Médio a Esfiha nada mais é do que uma torta com vários recheios diferentes.

Alguns recheios que você nunca verá no Brasil vão desde esfihas de queijo (nunca verá isso nem na versão grande) até carnes de carneiro e coalhadas (o que é coalhada?).

No fim, qualquer árabe ficaria louco ao ver os ninjas das esfihas fazendo aquilo com sua arte, não só ele mas alguns cozinheiros também.

Plágio Árabe[editar]

Esfiha, totalmente apreciada por casais no Dia dos Namorados para deixar o hálito fresco como peixe morto.

De alguns anos para cá, os restaurantes árabes como Habib's e Mr.Sheik têm utilizado, indevidamente, o termo "esfiha" devido ao fato de que muitos Esfihas tenham ido trabalhar em seus estabelecimentos; como foi o caso de Adolf Hitler que, visando fugir dos Aliados, inflitrou-se em um dos estabelecimentos de alimentação de origem Árabe. Muitos especialistas em linguística Latino-sino-alemã dizem que o caso de Hitler foi o primeiro e, a partir daí, o termo começou a ser utilizado. Como reveleram indícios sobre o paradeiro deste Esfiha, foram executados logo depois de suas declarações.

Teoria da Esfiha Mortal[editar]

A prova de que Hitler foi um dos criadores da esfiha reside, também, nas portas de faculdades, de colégios e de botecos em geral. É uma arma de extermínio da população de baixa renda chamada triângulo-da-morte ou, simplesmente, esfiha fechada. A esfiha fechada mata sem dó. É o comeu-morreu nazista. Uma resposta de Hitler para aqueles que não permitiram a ascensão de um império ariano. Muitos são os depoimentos de pessoas que comeram o triângulo-da-morte na porta de sua escola e ficaram idiotas pelo resto da vida. Outros desenvolveram gosto pela bebida alcoólica e hoje investem seu tempo escrevendo artigos na desciclopédia.

A origem da doença da "esfirra"[editar]

Outros especialistas dão conta que o nome da esfiha foi, na verdade, originado pelos brasileiros descendentes de árabes. Reza a lenda que, um belo dia, Ahmed, filho de Ahmal, filho de Ashmal, filho de Regnalh(do), estava em sua casa quando sua mulher preparou uma comida diferente e deliciosa mas com um problema. Os condimentos faziam mal para a rinite alérgica de Ahmed. Sempre que ele começava a comer a iguaria, sentia-se mal. Reclamou durante 37 anos com a mulher até que ela lhe disse: ´"Está com problemas de rinite? Os condimentos estão lhe fazendo mal? Então Espirra" Só que, como todo bom descendente de árabe, a pronuncia ficou "Esfirra". Prontamente, foi adaptada para o nosso tradicional e atual "Esfiha" que tanto vemos no Habibs e outros expoentes da culinária árabe.

Hitler servindo seu prato da morte

Ver também[editar]


v d e h