Espelhos Distantes

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Os três primeiros volumes dessa saga. O quarto foi proibido por Donald Trump porque importação de árabes e bibsfihas foram proibidas. Por isso que o quarto número aparece ali escondidinho atrás dos outros três.

Espelhos Distantes foi mais uma saga do Areiomem feita em dois pedaços inclusive, por tretas com o governo americano republicano anti-árabe motivos de força maior que fez com que o capítulo quatro ficasse uns anos na gaveta. O fato é que eles foram publicados nos números 29, 30, 31 e por fim no 50, um bom tempo depois, confundindo a porra toda e a cabeça de qualquer catalogador e colecionador babaca, em especial quando compram esses encadernados e veem que as histórias tão espalhadas em dois encadernados nada a ver um com o outro. Mas foda-se, nenhuma das quatro histórias na verdade têm muito a ver nem com o andamento mesmo da história do Sandy e Júnior nem nada a ver umas com as outras, nem nada a ver com nada. Nem com as histórias reais as quais são baseadas.

Sim, porque basicamente são contos baseados em coisas que realmente aconteceram na vida real. Mesmo tendo um título descaradamente plagiado de uma escritora aí que ninguém dá um puto pra ela - inclusive eu nem sei o nome da vadia -, tem um monte de nerd que baba por essas histórias e as considera entre as melhores do personagem escritas pelo Níl Gay-man. Se essas são as melhores, tenho medo das piores...

As histórias[editar]

  • Thermidor (nº 29) - Conta de quando a Lady Constantine (sim, a tataravó daquele mago filho da puta fumante de cigarro falsificado) recebeu uma proposta indecente do Sandman pra salvar a cabeça do filho dele, Orpheus. No meio disso tudo, ela acabou por enfrentar (e vencer) a Revolução Francesa ao propor com jeitinho que os girondinos mandassem os jacobinos, incluindo Saint Just e Robespierre, pra brincar de Alice Cooper na guilhotina.
  • Augustus (nº 30) - Conta de quando o Otávio Augusto se juntou ao ator Lycius, o Anão (um antepassado de Anão Chumbinho e todos os outros futuros anões que fazem filmes pornô) e foram brincar de outro Augusto, o Liberato, naquele quadro falso moralista do Domingo Legal de "Sentindo na Pele" virando ambos mendigos como um remédio do Cagador Moldador de Sonhos para que o Gutão pudesse esquecer as vezes que seu titio Júlio César o currava nas noites de Natal Mitra.
  • Três Setembros e Um Janeiro (nº 31) - Conta de quando a irmã gorda peladona do Morpheus desafia ele junto com a transsex e a zé droguinha a impedir que um carinha que fazia parte do reino da Desespero voltasse pra ela ou caísse no reino de alguma das outras maninhas antes de morrer. O carinha em questão, Joshua Norton, então, é convencido por Morpheus que é o Imperador dos Estados Unidos e daí ele fica tão fodão que não aceita nem coelhinha da Playboy pra iludir seu régio coração, ainda faz Mark Twain ficar famoso pra caralho. Tudo isso por um sonho besta de ser Imperador. Sim, seu vizinho que se acha o rei do bairro, deve ter passado por isso também. Ou não.
  • Ramadan (nº 50) - Quase não saiu essa história, devido treta com o Partido Republicano. Só quando a Torneirinha Predileta da Casa Branca virou presida é que enfim conseguiram publicar esta porra. Mas ao contrário das três de cima, essa é totalmente baseada nas lendas do livro "As Mil e Uma Noites de amor com você, na praia no mar no farol apagado no moin..." tá chega né? Sobre a vida do califa Harune Arraxide, rei de Bagdá, que tava de saco cheio (ou vazio, nesse caso) de tanta mulher em seu harém, de tanta riqueza no palácio e de toda essa crise depressiva afrescalhada que rico tem sei lá porque caralhos, decidiu usar o globo do Inferno de Sulaiman Ben Daoud com mais de oito mil (e não é zueira ou exagero ou uso desgastado desse meme, é sérião agora a porra) de demônios e almas de sogras malucas pra forçar o rei dos Sonhos a o visitar no mês de Ramadã para dar um jeitinho de sua cidade não ser destruída pelos séculos. O Rei dos Sonhos espertamente transforma a cidade inteira num daqueles globinhos natalinos e vai embora com a cidade debaixo do sovaco.

OBS: Na edição 50 teve uma história extra envolvendo também a Morte e a deusa Bastet, mas como ninguém publicou essa porra fora dos EUA, foda-se.

Ver também[editar]

  • Convergência, outra saga tapa-buraco;
  • Fábulas e Reflexões, um troço que inventaram tentando juntar essa saga de cima e a citada nesse artigo, mas terminou de bagunçar a porra toda;
Precedido por
Estação das Brumas
Rsmith.jpg
Volume de The Sandman

Agosto de 1991 - Outubro de 1991
Sucedido por
Um Jogo de Você
Precedido por
Vidas Breves
Rsmith.jpg
Volume de The Sandman

Junho de 1993 - Junho de 1993
Sucedido por
O Fim do Mundo


v d e h
Bem-vindo à DCclopédia!