Esporte Clube XV de Novembro (Jaú)

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Esporte Clube XV de Novembro (Jaú)
Escudo do XV de Jaú.png
Brasão
Hino "Galo do Brasil: 85 anos e a festa é o rebaixamento"
Nome Oficial Esporte Clube XV de Novembro
Origem link={{{3}}} São Paulo Monte Azul Paulista
Apelidos Os filhos do Caipira),
Torcedores Galos da comedora
Torcidas Galinhas
Fatos Inúteis
Mascote Galinha da comedora
Torcedor Ilustre Ninguém
Estádio Jaulão
Capacidade Mais de oito mil pessoas
Sede Juá; Rua da Franga, 24
Presidente Nhô Zé Antônio
Coisas do Time
Treinador Padre Marcelo Rossi
Pior Jogador Nuvola apps core.png Alfinete
Melhor Jogador Crystal Clear action bookmark.svg.png Kazuyoshi Miura (o melhor que já passou por lá)
Patrocinador Frangos City Ltda.
Time
Material Esportivo Lacoste
Liga Campeonato Paulista
Divisão da casa do caralho
Títulos Nenhum conhecido
Ranking Nacional é de mais de 8 mil!
Uniformes Xv1.jpg
Xv2.jpg



Esporte Clube XV de Novembro de Jaú, ou simplesmente XV de Jaú, mais conhecido como Galinhas da Comedora ou Copiadores, é um falido time que nunca ganhou títulos de expressão e nunca serviu pra nada. Junto com Sertãozinho e União São João de Araras fundou a "Liga dos Times com Nomes que Jamais Deveriam ser de Times caso Realmente Desejem Serem Respeitados". O nome "XV de Jaú" é aceito pelo Dicionário Aurélio como sinônimo de time ruim, de maneira que a expressão "perde até para o XV de Jaú" se tornou uma expressão altamente pejorativa.

Seu material esportivo é fornecido pela Lacoste, patrocinado pelo Frangos City Ltda. Seus jogadores são merda, mas de vez em quando surgem jogadores medianos como o japonês Kazu e o italiano Dino Sony.

História[editar]

Fundação[editar]

Reunidos no bar São Pedro, alguns esportistas, entre os quais José Pingane Sobrinho e Herminio Cachasabianca, decidiram fundar um quadro de futebol, formado com jogadores locais. Aquela época, estava em evidência o E. C. Sírio, que mediante proposta de Cachasabianca, foi então denominado Esporte Clube XV de Novembro de Jaú

Década de 50[editar]

A 8 de março de 1953, o XV de Novembro fez um jogo amistoso em Jaú contra o Framengo, que terminou empatado em 2 a 2. Posteriormente o XV de Novembro retribuiu a visita do Flamengo, fazendo amistoso no Maracanã em 10 de setembro de 1953, resultando num empate de 4 a 4. O XV de Jaú foi o "primeiro clube do interior paulista" a fazer um jogo no Maracanã, o que é grandes bosta, até o Macaé já jogou lá.

De 1950 a 1959 se manteve na Série A1 Paulista, onde obviamente nada fez, do contrário XV de Jaú não seria sinônimo de time ruim escroto.

20 anos na primeirona paulista[editar]

O XV de Jaú viria a se tornar sinônimo de time ruim devido à sua história de 1977 a 1993, quando por 16 anos consecutivos disputou a primeira divisão estadual paulista, e em nenhuma das vezes conseguiu algo que preste, sempre perdendo, cagando, ganhando só de vez em quando e por milagre.

A vitória na cagada sobre o Corinthians por 3×0 em 1977 até hoje tem peso de título mundial para os torcedores do XV.

Série A3 de 2012[editar]

Após vários anos de extrema regularidade, o XV de Jaú chega ao seu fim no dia 08 de abril de 2002, oportunidade quando enfrentou o já rebaixado Clube Atlético Taboão da Serra, um lixo que havia perdido pra todo mundo e estava com 0 pontos. O XV de Jaú brilhou! Só porque usava um atacante velho ex-Corinthians, começou o campeonato com a certeza iludida de que subiria de volta para a A2, mas na última rodada dependia de uma combinação de 6 resultados que por incrível que pareça ocorreram! Só faltou avisar aos jogadores, que deixaram o Taboão empatar um jogo que estava vencido por 2x0, que terminou 2x2 e com rebaixamento do XV de Jaú.

Após 2 anos fazendo merda na última divisão, no ano de 2015 o XV de Jaú desiste do futebol de uma vez, decide encerrar suas atividades e retornar para onde nunca deveria ter saído, que é o futebol amador municipal de Jaú.

Títulos[editar]

  • 1 Mundial Interclubes de 1988 (após uma vitória de 5 x 1 no PSV Eindhoven). A equipe jogou no lugar do Club Nacional de Football, do Uruguai. A equipe holandesa, com Romário e Ronald Koeman perdeu de 5 x 1.
  • 1 Campeonato Paulista da Série B5 de 1966, em uma final com o primeiro tempo eletrizante contra o Tamanduapé FC. A luz acabou nos 5 minutos do segundo tempo, de maneira que o jogo deveria então ser decidido em uma partida de Jó-ken-pô, na qual a equipe de Jaú venceu. Até hoje, a mão do jogador do XV é considerada sagrada, e está exposta no museu de Jaú. A mão do jogador foi cortada por um torcedor piracicabense, que até o momento não havia ganhado nenhum título.
  • 3 Campeonato Intercontinental de Bolinha de Gude de 1998, 1999 e 2000.
  • 1 Campeonato Mundial de Truco Valido o Toba de 2001, após o goleiro titular e principal jogador da equipe, Rambo, ter trucado o oponente tiozinho do truco com um Reisssss.