Esporte Clube XV de Novembro (Piracicaba)

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Esporte Clube XV de Novembro (Piracicaba)
Escudo do XV de Piracicaba.png
Brasão
Hino '
Nome Oficial Esporte Clube Quinze de Onzembro de Piracicabana
Origem Piracicaba - link={{{3}}} São Paulo
Apelidos
Torcedores
Torcidas
Fatos Inúteis
Mascote
Torcedor Ilustre
Estádio Roberto Gomes Pedrosa (o troféu?)
Capacidade
Sede
Presidente
Coisas do Time
Treinador
Pior Jogador Nuvola apps core.png
Melhor Jogador Crystal Clear action bookmark.svg.png
Patrocinador
Time
Material Esportivo
Liga
Divisão
Títulos
Ranking Nacional
Uniformes



Esporte Clube XV de Novembro, o famoso XV de Piracicaba é o time mais tradicional do estado de São Paulo, reconhecido nacionalmente no Brasil por ser sinônimo de “time ruim”, uma vez que para medir a ruindade de determinado time, o dito popular “pior que o XV de Piracicaba” ou “perde até para o XV de Piracicaba” serve para determinar o quanto um time está no fundo do poço. É o segundo time paulista com a menor quantidade de títulos conquistados, possuindo apenas uma taça, a de campeão da Série C de 1995, superando apenas a Ponte Preta que nunca ganhou nada.

História[editar]

Fundação[editar]

O XV de Piracicaba foi fundado no longínquo ano de 1913, porque mesmo no início do século XX os times mais tradicionais da capital precisavam de uma equipe do interior para fingirem integração com o restante do país que servisse de saco de pancadas eterno deles. A cidade de Piracicaba era na época o que Campinas tem a fama de hoje, uma cidade de viadinhos almofadinhas metidos a besta, e portanto foi o lugar ideal para que um time de futebol derrotado fosse criado.

O criativo nome do clube faz alusão ao dia em que este foi criado, em 15 de novembro, pois no feriado da Proclamação da República todos estavam sem ter o que fazer, foram disputar um joguinho e deu no que deu.

Década de 60[editar]

Na primeira metade do século XX, o XV de Piracicaba era um time metido a besta, porque o futebol ainda estava no começo e o estado de São Paulo quase não tinha times profissionais ainda, e o XV de Piracicaba se achava a grande força do interior, mas na prática só servia para fazer número nos campeonato paulistas. Foi o primeiro time de Piracicaba a realizar uma excursão para o exterior, na época que isso significava alguma coisa. O time viajou para a Moldávia e o Uzbequistão, países de nível condizente com o futebol demonstrado pela equipe paulista.

O primeiro título do XV de Piracicaba foi singular, quando em 1969 foi campeão da Copa Centro-Oeste, competição que participou por engano, pois o time era tão ruim que acharam que Piracicaba talvez fosse uma cidade mato-grossense ou algo do tipo, pois São Paulo normalmente não tem tradição de lançar times tão ruins.

Campeonato Paulista de 1976[editar]

Desde que o campeonato paulista foi inventado em 1900 até hoje, a única função do XV de Piracicaba neste torneio (nas vezes que participou) foi disputar para não rebaixar, mas para variar um pouco, foi relativamente bem no Paulistão de 1976, cujo regulamento previa que não importasse o quão mal um time fosse na primeira fase da competição (como o caso do XV de Piracicaba que chegou a brigar para não rebaixar), importava era o desempenho na metade final do campeonato, quando ficou em segundo lugar uns 20 pontos atrás do Palmeiras, que aliás, deu uma chance para o time café-com-leite de Piracicaba marcando uma final em 18 de agosto de 1976, a qual venceu por apenas 1x0, deixando o XV de Piracicaba com o vice.

Campeonato Brasileiro de 1979[editar]

Graças ao desempenho do XV de Piracicaba no Paulistão de 1976, o time de Piracicaba começou a ser convidado a participar dos campeonatos brasileiros que eram compostos por mais de 100 times aleatórios. O XV de Piracicaba não necessitava passar por nenhum critério técnico ou ganhar nenhum título, sendo ele convidado para os campeonatos devido ao seu nome gozado.

A única coisa de bom que esse time fez foi na edição de 1979, na qual eliminou o Grêmio, só para na fase seguinte ficar na lanterna após perder todos os jogos para times totalmente medianos.

Primeiro rebaixamento[editar]

Típico de times paulistas em ascensão, o XV de Piracicaba não escapou de sofrer um miserável rebaixamento no mero campeonatinho rural do seu estado, quando no Paulistão 1980 foi rebaixado porque ficou atrás do seu grandioso e eterno rival XV de Jaú, pois a Federação Paulista advertiu que não toleraria dois times com os mesmos nomes imbecis na primeira divisão do estadual e um teria que rebaixar.

Década de 90[editar]

Durante os anos 90 o XV de Piracicaba se apegou à segundas divisões, por 17 anos disputou a Série A2 do Paulistão que passou a ser sua casa, enquanto basicamente caía no total ostracismo. Apesar do insucesso estadual o time conseguiu bravamente permanecer vários anos na série B do Brasileirão. Mas não importa que competição o XV de Piracicaba jogue, o seu objetivo sempre será disputar para não rebaixar.

O apego à segunda divisão era tão grande, que na vez que foi rebaixado no Brasileirão, no ano seguinte já conquistava a Série C de 1995 retornando à segundona nacional.

Década de 2000[editar]

A partir dos anos 2000, com a modernidade do futebol e o surgimento de vários novos times, o XV de Piracicaba decidiu ousar para se manter no folclore do futebol, e após anos jogando todo tipo de segunda divisão, foi arriscar jogar a Série A3 do Paulistão, e assim jogou até 2010 a terceira divisão estadual da qual se tornou símbolo também.

De volta à Série A1[editar]

Devido à decadência de times paulistas outrora razoáveis como Guarani, São Caetano, Paulista, Grêmio Barueri, Portuguesa e outras porcarias semi-amadoras, abriu-se um espaço na Série A1 do estadual paulista, a qual o XV de Piracicaba compôs a partir de2012.

Tudo o que fez desde que voltou foi disputar para não rebaixar, sempre se prevalecendo da ruindade total dos times adversários. Em 2012 não rebaixou por saldo de gols, em 2013, no ano do centenário não rebaixou por 5 pontos e em 2014 foi o lanterna de seu grupo, mas o Comercial Futebol Clube foi tão ruim que tiveram que rebaixar ele ao invés do XV de Piracicaba.

Campeonato Paulista de 2015[editar]

Para não perder o costume, até mesmo no ano em que vai bem no estadual, o XV de Piracicaba não deixou de disputar não rebaixar. Graças à regra absurda que os chapados da Federação Paulista inventaram, o XV de Piracicaba chegou na última rodada da primeira fase com a curiosa possibilidade de classificar e rebaixar ao mesmo tempo. Mas ao vencer o Audax, conseguiu vaga para participar das oitavas-de-final.

A classificação foi meramente acidental, tanto que perdeu logo de cara para o Santos por 3x0 sem esboçar qualquer reação. Tal desempenho pífio sequer custou uma vaguinha para a Série D.

Títulos[editar]