Estrela do Indaiá

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa


Cquote1.png Você quis dizer: Inferno na Terra Cquote2.png
Google sobre Google
Cquote1.png Você quis dizer: Cu do mundo? Cquote2.png
Google sobre Google
Cquote1.png Você quis dizer: Cidade do Eldo-Cuzco? Cquote2.png
Google sobre Google
Cquote1.png É uma cilada Bino Cquote2.png
Pedro sobre Estrela do Indaiá

Estrela do Indaiá é um município brasileiro do estado de Minas Gerais. Sua população total é de 3.399 habitantes, podendo ser alterada (pra menos) até o final dessa leitura.

História[editar]

Sapa Inca Pachacuti contemplando a vista do alto do Morro do Palhano

O povoamento das terras onde hoje se encontra a cidade de Estrela do Indaia ocorreu quando o Imperador Supremus Sapa Inca Pachacuti, Deus do Sol e Senhor da Expansão, entrou em seu Portal em 1.825 a.c, acompanhando por 3 súditos: - Sapa Inca Manco Cápac - chefe-em-comando do exercíto, Sapa Commen-Itu - Puxa-Saco Oficial e Sapôa D’onona D’lilico - esposa do imperador e Ministra da Fertilidade, mãe de fato do Ancião Devilson. Eles procuravam um lugar onde pudessem fundar o Cusco (Qosqo, em quíchua, "Umbigo do Mundo").

O lugar escolhido unanimamente pela comitiva transcedental foi o Morro do Palhano, pela aparência idêntica ao umbigo humano. Ali eles fizeram um ritual sado-masoquista, com muita corda e vela quente derretida, onde Sapôa D’onona D’lilico deu à luz o seu 3.821º filho, Criança Devilson, partindo em seguida para procurar o último e mais importante destino, Cocushi (KôsKux, em quíchua, “Cú do Mundo”), hoje Dores do Indaiá. Lá no topo do místico Morro acima dos 12.908m do nível do mar eles enterraram o umbigo do herdeiro, dando lhe seus primeiros simbólicos 666 Eldo-Cuzcos, (pouco mais de 155gr de Canabbis Sativa) quantidade suficiente para o bebê de 35 kg e aparência de um ser humano na pré-adolecência viver por 322 anos e se desenvolver, se auto-reproduzindo numa sistema auto-felação hermafrodita.

População[editar]

Ancião Devilson, curtindo seu hobby favorito: Fumar um bom Eldo-Cuzco - ou Cannabis Sativa, no português cotidiano
DEVILSON: (filho do capeta – em inglês) É o Fundador da cidade, que detêm poderes incríveis de controlar o tempo, fecundar sem penetração, cagar em pé sem sujar as pernas, assobiar e chupar cana e o poder mais importante: - Fazer o doce de leite direto da teta da vaca, um mistério ainda maior que o próprio Portal. Uma hipótese pouca aceitável é que ele introduz 230 kg de açucar na via oral da vaca e depois a-chacolha por 69 minutos, misturando assim o leite com o açucar, ordenhando o mais puro doce de leite direto da fonte. A adição de açúcar nas vacas deu origem às famosas vacas do pé doce, que depois de mortas produzem o principal ouro estrelense : a deliciosa e cobiçada geléia de mok-tó , que em quíchua significa pé ensebado.

Primeiros moradores[editar]

Depois de 300 anos do fundamento da cidade, é feita a primeira festa no local!

Um belo dia, cansado da monotonia e já possuindo 42 filhos, Jovem Devilson partiu para o sopé da montanha em busca de uma vida mais agitada. Foi então, em meados de 1682, que ele deparou-se com o primeiro ser vivo além dele e de suas crias: - Uma vaca! A paixão foi imediata. Jovem Devilson construiu uma casa (que no futuro as pessoas chamariam de Matriz de Estrela do Indaiá) formando a Avenida Francisco Campos, homenagem ao seu 17º filho, povoando a cidade e seus arredores, com os frutos de sua auto-felação e de seu envolvimento emocional e sexual com a vaca, que foi gentilmente chamada de Indaiá. O primeiro filho da relação entre Devilson e a vaca se chamou Estrela. Daí o surgimento do nome: Estrela do Indaiá.


Famoso comerciante local, em sua siesta

COMÉRCIO: É especificamente dominado por butecos-copo-sujo. Sua tradição é revender a moeda local: - O Eldo-Cuzco. Sua estrutura é exatamente idêntica ao primeiro buteco criado por Jovem Devilson em 1633: - Balcão-vitrine de madeira, 04 cadeiras de madeira, com 01 mesa quadrada, prateleiras rodeando todo o complexo e 01 porta de enrrolar de ferro. Até o momento não há nenhum indício de outro tipo de comércio na cidade.

O benemérito Conde De Vieiras

Embora pouco seja divulgado na mídia, Estrela é uma grande produtora de petróleo, atividade que até pouco tempo foi controlada com mãos-de-ferro pela nobre família Rockfeller. No entanto, o Ancião Devilson obrigou João José Carvader a extinguir o monopólio municipal, permitindo a entrada de novos exploradores. O ancião estava descontente, pois geralmente no horário em que ele fica acordado, o posto sempre estava fechado, impedindo que fruísse a leitura do jornalzinho com seu sogro, Cacau. Assim, o Barão de Hermone abriu nova petrolífera na cidade, com amplo apoio do Conselho dos Penachos e dos Sacerdotes Moçambiques, o que provocou uma desavença com a nobre casa de Rockfeller. O Conde de Vieiras, poderoso filantropo, construiu uma fortaleza em frente ao posto de exploração dos Rockfellers, visando garantir a paz em nossa cidade e o trânsito naquela região, o que tem incomodado bastante o Ancião Devilson, o sacerdote Ravengar e o Mahatama Delmir, já que antes no local havia um ashram, dedicado ao Avatar Culata.

Comunicação[editar]

Pessoas de Estrela do Indaiá se comunicando

A cidade possui o maior e mais rápido sistema de transmissão de notícias já criado pelo homem: A Fofoca! Basta você soltar um peido no Bar do Pedrão, que em menos de 1 milionésimo de segudos a cidade inteira já está sabendo. O outro, e único jeito dos estrelenses se comunicarem é pelo auto-falante da Igreja Matriz, pois não há registros de linhas telefônicas e celulares na região.

Inconformado com seus esquecimentos constantes, o Ancião Devilson criou o serviços de anúncios, realizado pelo famigerado "Rosquinhas". Desta forma, os turistas desavisados que perderem suas carteiras na grande festa anual, poderão recorrer ao prestimoso serviço de carro-de-som, que faz ressoar pelas ruas os mais novos esquecimentos do Ancião.

O acesso se dá pela MG 69, seguindo até o final da estrada, tendo virado à direita no trevo de Cocushi. O município tem como referência o Morro Dupaiãâ, sendo circundado pela Serra do Deus-me-livre. Para quem vem de Belo Horizonte e SP, é possível atalhar pelo vale do Boato.

Trânsito[editar]

A cidade possui apenas uma avenida principal, (com menos de 1 km de extensão) quatro vielas secudárias e onze becos na região da quadra. Nenhuma dessas vias tem asfalto - na sua forma real e consistente. Essas vias são recobertas com uma finississississíma camada asfáltica, composta de 1% de brêu misturado com, 1% de estrume da vaca estrela, 48% de lama e 50% de água - uma conta fácil de escrever. Logo na entrada da cidade Darth Carvader ergueu uma enorme rampa a pedido do Ancião Devilson. Graças a essa magnifica obra é possível saltar da entrada direto para o pé do mordupaiã. No mais, o trânsito é de uma cidade fantasma.

Existem apenas: - Bicicletas monarque de barra circular, na contra-mão. - Pedestres no meio da rua. - Cavalos soltos. - Carroças velhas - que só transitam às 06:00hs da manhã e no finalzinho da tarde, perto das 17:00hs. - Cachorros sarnentos - que insistem em passar ou acasalar bem na hora que você está passando de carro.

Não há registro de atropelamentos, furtos e roubos porque não nenhum outro tipo de veículos automotores na cdade.

Política[editar]

Prefeitura Municipal de Estrela do Indaiá
De acordo com um pacto afirmado entre Boreta, 24º filho do casamento de Devilson com a Vaca Indaiá, nascido em maio de 1533, este ficaria sendo o prefeito ad aeternum de Estrela do Indaiá, sendo apenas substituído por seu filho mais velho, Jão José I, fruto de seu amor com Regina do Cacau IV, atual Duquesa de Gabriels. Assim, desde então, Estrela do Indaiá só teve em toda sua história 2 prefeitos: - Boreta e JãoJosé, que se revesam de 4 em 4 anos, trocando-se apenas os vices.

Depois das Guerras Clônicas (quando carbonários tomaram Melo Viana, renomeando-a Serra da Saudade), o Ancião Devilson, pressentindo que sua mente entraria no estado de samadhi, convocou Boreta e João josé I, para os iniciar na arte Jedi, ou Força. Desta forma, Boreta passou a se designar Imperador Palpatine e João José I se tornou Darth Carvader. Cansados de governar, em eternas discussões sobre onde seria a lavanderia da cidade, resolveram iniciar o jovem Ênio Starwalker, que se tornou Ênio $walker, para que governasse entre eles, de modo que reinasse a paz. O jovem $Walker logo reconstruiu o modelo de castas da sociedade, criando os títulos secretos de nobreza estrelense e formando uma nobreza vitalícia, que seria seu alicerce para manter a Força. Seguem os principais títulos que a secreta ordem Jedi estrelense outorgou:


Boreta e JJ na festa de Eldo-Cuzco

IMPERADORES: Imperador Carvalhos (o atual rei, é o Darth Carvader), Imperador Palpatine (Boreta).

REIS: Rei Carvalhos, o “Pai dos camponeses”, Rei Boreta, el “pavimentador”, Rei Machado, o “bélico”; Rei Belo I, o “pioneiro”; Rei Enio, o “estrangeiro”; Rei Braga, o “breve”; Rei Silva, o “belo”; Rei Hermones I, o “fazendeiro”; Rei Hermones II, o “festeiro”.

PRÍNCIPEs: Príncipe Imperial de Mário; Príncipe Real de Braga; Princesa de Santos; Grã-Princesa de Inhapim; Infante Tonaco; Delfim de Aparecido; Infante de Olga; Infante de Capanema; Príncipe Real de Ozanam

ARQUIDUQUES: Arquiduque de Capanema; Arquiduque de Cajuca

GRÃO-DUQUE: Grão-Duque de Rodrigues ; Grão- Duque de Rodolfos

DUQUE (por região de colonização): Duque de Eufrásia; Duque de Ruas; Duque de Milindros; Duque de Limeiras; Duque de Baú; Duque de Melo Viana; Duque de Barreirinhos; Duque de indaiá; Duque de Porcos; Duque de Jorge Grande

MARQUESES: Marquês de Cajuca; Marques de Quinzote; Marquês de Goiabal; Marques de Hermones; Marques de Velosos; Marques de Moura; Marquesa de Alfredos; Marques de Juquinhas.

CONDE: Conde de Gomes, Conde de Camargos, Conde de Vieiras; Conde de Elóys; Conde de Inácios; Conde de Hermones;

VISCONDE: Visconde de Braga, Visconde de Moura; Visconde de Eufrásia; Visconde de Tibúrcios; Viscondessa de Palhanos

BARÃO (por famílias): Barão de Braga; Barão de Bráulios; Barão de Rodrigues; Barão de Santos; Barão de Cunha; Barão de Machado; Barão de Moura; Barão de Eloys; Barão de Hermones; Barão de Alfredos; Barão de Quinzote; Baronesa de Gabriel; Barão de Fiúza; Barão de Gomes; Barão de Belo; Barão de Gonçalves.

CAVALEIRO/SIR: Sir Antônio Ribeiro

COMENDADORAS: Comendadora Lúcia Mariano

SENHOR/LORD/DOM: Lord Jurássi; Lord Marcus; Lord Bráulio; Lord Braga; Lord Hermones; Lord Colodino; Lord Veloso; Lord Gomes; Lady Maciel; Dom Delbis; Dom Baiano; Lord Marques; Dom Máximo; Lord Tareco; Dom Gomes.

SULTÃO: Sultão de Tarecos

XEIQUE: Xeique de Sade; Xeique de Efigênias; Xeique de Cabaceiras

CALIFA: Califa de Vieiras

Darth Búrcios e Duquesa de Gabriels no Conselho Penacho

Estes são os mais importantes, porém, não os únicos, fornecidos aqui apenas à título de ilustração. Tal manobra política enfureceu Palpatine e Darth Carvader, que não gostaram dos títulos que lhes foram agraciados. Munidos de indignação, reuniram o Conselho Penacho, e junto com os sacerdotes Moçambiques, condenaram Ênio $Walker para o degredo, em rehaberab, um distante país das arábias.

A par desses movimentos, o nobre Visconde de Tibúrcios conseguiu tornar-se grande mestre jedi após breve exílio no planeta Tatooine (dizem que foi o próprio degredado Ênio $Walker que o iniciou no domínio da Força). Percebendo esta nova realidade, Darth Carvader e Palpatine logo trataram de cooptá-lo para o lado negro da Força, tornando-o o temível DarThBúrcios, com a missão de suplantar os Príncipes jedis e garantir o controle definitivo para os Sithi. Outros já afirmam que DarthBúrcios é um clone de Palpatine, criado pelo Ancião Devilson e Ravengar em noite de lua cheia.

Tradição[editar]

Cortejo conduz a safra de eldo-cuzco para o ashram matriz
Visitante aprecia as deleicias de Eldo-Cuzco

“Dia do Eldo-Cuzco” Uma festa realizada em meados de agosto de todo ano, que atrái multidões de diversas partes do universo – estima-se que mais 2.34 milhões de pessoas viajam até a Meca dos Eldo-Cuzcos para se deliciar das belas putas moças do local, que são oferecidas em cada esquina – diferentemente do Carnaval, época em que a cidade dorme cedo e não atrae ninguém. Além, é claro, do maravilhoso “Run-com-Coca” e do “Marron Mesclado Prensado DúBão” que possuem admiradores de fama intergaláctica. É nessa época também que Ancião Devilson aproveita para liberar a bebida para os jovens de todo mundo, para eles se embebedarem sem limites e proibições, aproveitando para “dar um tapa” no “Marron Mesclado DúBão” e se tornarem assíduos por décadas da grande festa.

Os Sacerdotes Moçambiques espera sua porção de eldo-cuzco durante almoço no castelo do Conde de Elóys

No primeiro dia, a festa é aberta por um desfile de cavalos, bois e carruagens, onde a nobreza se exibe para os plebeus. A safra de eldo-cuzco é transportada até o ashram matriz, onde é prensada pelo Ancião Devilson. A seguir, o sacerdote Ravengar acende um enorme bong, onde mahatama Delmir degusta o primeiro lote e confere a aprovação da safra. A seguir, o cortejo prossegue até a praça sagrada e ergue uma grande tora de eldo-cuzco prensado, que é acesa por Palpatine e Darth Carvader. Mahatama Delmir e Ravengar sobem até o topo da tora, e só saem de lá quando toda ela tiver queimado, o que sempre coincide com o final da festa de Eldo-cuzco.

Em seguida, o Conselho Penacho e os Sacerdotes Moçambiques começam a dança do congocuzco, seguidos por conselhos menores, formados de yogues, monges e sawamis. Eles dançarão na casa de todos os nobres, e no dia final, voltam a praça sagrada para ressuscitarem mahatama delmir e o sacerdote ravengar, e portanto, apagar a tora da safra anual de eldo-cuzco.

Mahatama Delmir e o sacerdote Ravengar são conduzidos de carruagem pela nobreza estrelense

Após os chatérrimos discuros de Darth Carvader e Palpatine, os presentes podem começar a degustar a safra de eldo-cuzco, vendido em barracas feitas de sapé, que ainda teem todas espécies de produtos mágicos. O turista não pode deixar de experimentar o coquetel Pomba- Gira, servido na barraca do Marreco, nem o drink de gabiroba. Para quem aprecia comidas exóticas, há pipocas de tanajura e batata frita na banha de porco. Dizem que a linguiça do xará é no ponto.

Até o terceiro dia de festa, os festins seguem o dia todo, sempre regados à vinho de buticaba e muito eldo-cuzco. Durante à noite, até pela manhã, são acesas fogueiras coletivas na praça sagrada, onde o eldo-cuzco é queimado para purificar os espíritos. Logo atrás, perto do cemitério sagrado, são realizados bacanais secretos, sendo a cerimônia de iniciação sexual dos jovens estrelenses e de muitos, muitos, visitantes que afloram ao local. Reza a lenda que de Estrela ninguém volta virgem, seja de qual lado for. O Ancião DEVILSON em pessoa cuida dos casos mais delicados, que são levados para cima da caixa d'água de Babel. Os casos que não tiverem solução são resolvidos ali mesmo: ou a pessoa é jogada lá de cima, ou transformada em Toddy e diluída na caixa d'água, para ajudar a manter o nível de glicose da população. Poucos voltaram do alto da caixa d'água para relatarem a experiência. Dizem que o simples tic-tac do relógio da matriz deixa o Ancião DEVILSON fora de si (razão pela qual o barão de Varduíro o chama de Capitão Gancho ).

Visitantes aguardam no pé do Morro Dupaiãã
Cena típica após o fim da festa

Por fim, logo após a tora de eldo-cuzco se extinguir, o Conselho Penacho e os Sacerdotes Moçambiques retiram Mahatama Delmir e Ravengar das cinzas (a grande guimba, que os fiéis recolhem para protegê-los do BOPE, raio x de aeroporto e fiscais da imigração na Bélgica), conduzindo-os para a ressurreição. Segue um cortejo (foto) até o alto do Morro Dupaiãã, onde os turistas param no pé do morro e somente os estrelenses e decendentes podem subir ao topo. Assim que Mahatama Delmir e Ravengar recobram os sentidos, é servido um grande banquete com todas as iguarias da terra, de modo que a larica possa ser satisfeita. Geléias das vacas Doce de leite, pão cummoio, coicoitos, e leite de podrinha são a pedida certa. Através de um grande tobogã, o guru Babaú envia guloseimas do banquete aos visitantes que aguardam o retorno no pé do Morro Dupaiãã. Por fim, Ancião Devilson entra na caverna sagrada de Delfos para consultar os oráculos e proferir quais dos príncipes será o presidente da camara municipal até a próxima festa do Eldo-Cuzco. Dizem que ele aproveita e dá uma chegadinha na Bélgica, levando um pouco de Eldo-Cuzco para os degredados de Estrela, que lá se encontram, como forma de demonstrar sua generosidade.

Após tais ritos, todos descem o morro e vão embora com os visitantes até a cidade, quando tudo fecha por uma semana para que os estoques de Eldo-Cuzco possam ser repostos.

Cultura[editar]

O Estrelense não tem nenhuma cultura propriamente dita, pois eles copiam tudo que vem de fora: - Modinhas Sertanejas, cortes de cabelo das novelas e até trejeitos na fala de seus vizinhos da cidade de Cocushi (leia Dores do Indaiá ou Cú do Mundo). Não há ensino superior de nenhum modo e nenhum interesse que ele exista na cidade.

Assim, as únicas expressões culturais que restaram são as populares.

Guru Babaú sendo assediado
O grande sacerdote Ravengar

Depois de fazerem grande esforço para expulsar quaisquer formas de indústrias poluidoras, Boreta Palpatine e João Carvader deram início ao seu grande plano de transformar Estrela num paraíso ecológico e espiritual, criando vários centros de meditação (Asrham) e de ensino de malabares, de forma a propiciar pão e circo a todos, como já se fazia em Roma antiga. O silêncio nas ruas dá o tom da cidade, sendo que até o relógio da igreja Matriz parou de tocar, através de um encantamento do Ancião DEVILSON. Dizem que o grande objetivo é competir com São Tomé das Letras, e nesse sentido, um dos gurus mais famosos é o grande Babaú, que prega a elevação espiritual através do êxtase carnal. Até o Ancião DEVILSON é seu discípulo, sendo que todo mês de janeiro ocorrem as famosas Folias, organizadas por Babaú e seus seguidores. São alimentos típicos desses eventos o pão cummoio e o vinho de buticaba. Depois de 6 dias peregrinando, os foliões seguem até o Ribeirão dos Porcos para um banho de descarrego, onde o culto passa a ser celebrado pelo grande mago Ravengar, ministro da cultura e pajé local (que enquanto vivia na vida profana, atendia pelo nome de Nilson).

Esportes[editar]

Poucos sabem, mas Estrela do Indaiá possui o maior time de Handbol da galáxia, chamado All Star Hand's (que seria uma clara tentativa de de dizer em inglês: "Todas as Estrelas na Mão") fato escondido pelas autoridades sob o maior sigilo, pois tal acontecimento deixaria a humanidade sem rumo. O time é transportado (com autorização prévia de Ancião Devilson) do Morro do Palhano através de outras via-lácteas para disputarem torneios contra diferentes raças; Humanóides, Marcianos, Jupterianos e etc... A partida mais importante foi All Star Hand's x Resto da Galáxia em 21 de maio de 1623ac. Mais de 5.887.231 expectadores estavam presente naquele dia fatídico. O placar jamais foi esquecido: All Star Hand's 25.031 x 24.999 Resto da Galáxia. A partida durou 90 mil anos-luz e os juizes doaram 8 gerações de suas famílias para apitarem o embate. Estima-se que mais 650 mil pessoas perderam a vida tentando comprar o ingresso ou apenas indo ao banheiro.
Queima de Fogos após vitória sobre Resto da Galáxia em maio de 1623ac - fato visto da Lua

Próximos jogos:

All Star Hand's X Barra do Funchal (amistoso inter-regional)

All Star Hand's X Zennon 911-A (consulte sua operador sobre a disponibilidade dessa galáxia)

All Star Hand's X Cometa Harley (jogo disputado na cauda dele)

All Star Hand's X Sol (jogo disputado no núcleo do mesmo)

All Star Hand's X Resto do Universo II (garanta já seu ingresso)


Oração do Time

Time nosso que estais na quadra,

Santificado seja vosso patrocínio de Palpatine e Darth Cavader

Que venha nossos adversarios

Seja feita a nossa vitória

Assim em casa ou em qualquer galáxia de universo

A conquista de nosso Eldo-Cuzco diário

Perdoais nossos inimigos de Cokushi (Dores do Indaiá)

Assim como nós perdoamos as incontáveis gerações de juizes que apitam nossas batalhas

E não nos deixai levar a exclusão

Conseguindo finalmente fazer com que possamos dominar todas as galáxias

Permitindo que Ancião Devilson tenha vida eterna

AMÉM!!

Pontos turísticos[editar]

Foto do Topo do Morro (não conta que eu te mostrei)
Morro do Palhano: Môrdupaiã – na língua local, é o lugar onde somente os estrelenses tem a permissão de fazer uma viagem sub-intertranscendental com datas prederminadas pelo Ancião Devilson, guardião e condutor da viagem, que custa 1.700 Eldo-Cuzcos - equivalente à 452gr de Canabbis Sativa. Reza a lenda que todo estrelense quando morre é enterrado lá no topo, há mais de 12.802m acima do mar. Todo cidadão estrelense é obrigado a visitar o Morro do Palhano uma vez por ano, preferencialmente em agosto, no pedíodo da festa do Eldo-Cuzco, onde o próprio é comercializado livremente nas ruas e butecos e até pelos policias da cidade, facilitando o intercâmbio do viajantes. Existem registros de cidadãos não-estrelenses que viajaram diversas vezes através do Portal. Muitos deles jamais voltaram pra contar o que acontece por lá.
Tatersal em dia de semana

Tatersal: Local construído inicialmente para leilões das famosas “Vacas Doceleiteiras” de Jovem Devilson em maio de 1888, que acabou transformando-se num motel à ceu aberto por ser um lugar emo, abandonado e muito distante da cidade – mais de 523 km. A noite o movimento é intenso de carros estacionados um ao lado do outro, onde a fornicação é livre e desenfreada, rolando todas as possibilidades existentes de sexo inimagináveis pelo ser humano.

DJ Guto e Marreco no fim de noite

Marreco Dancing Show: Única boate dançante de toda região oeste, perdendo apenas pro Canecão no Rio de Janeiro. Seu proprietário é Marreco, filho bastardo de Jão Rudrigues com Regina do Cacau III. Reza a lenda que em sua infância muito conturbada, Marreco era trancado num quarto medindo 1,00m x 1,00m e obrigado a escutar música sertaneja repetidamente durante 7 anos seguidos. Quando fiinalmente saiu de lá ele resolver pedir permissão para Jovem Devilson para abrir a tal boate para vingar do seus pais. Até hoje Marreco toca apenas músicas sertanejas ultra-ultrapassadas no volume que atinje mais de 205.000 decibéis, podendo ser ouvido em Havana, capital de Cuba.

Vista aérea do Condomínio da Cojan com direito a oceano artificial

COJAN: Sigla para Condomínio Orbital Jamais Apresentado... ou Não: Famoso projeto de condomínio fechado, que será inaugurado em 2055, projetado por engenheiros luso-franco-holandeses, localizado na extremidade sul da cidade. Estima-se que mais de 1.89 milhões habitarão o local, com uma extensa lista de espera, de 600.000 pessoas aguardando para adentrarem e construirem suas casas no disputado condomínio de padrão mega-luxo-internacional, projetado por Le Corbusier.

Quadô: famoso bairro boêmio, assim conhecido por ser uma derivação de cuador (de café), já que inicialmente era povoado pela população negra. Logo, era o local onde a coisa ficava preta. Famoso pela Tribo dos Coitados e pela aglomeração da Tribo dos Penachos, liderados pelo grande Cacique GerárdBat. Ultimamente, tem sido invadido pela especulação imobiliária, promovida pelo Soba de Carvalhos, o que tem gerado violentos protestos no local e formação de gangues, que por sua vez deram origens aos famosos raps e funks, como Fundo do Quadô: (Póparapoparápopará/Paparapaparapapara/Parapapapapapapapapa/Fundo do Quadô é ruim de invadir/Nois, num deixa por a mão, vamo se diverti/Porque no Quadô eu vo dizer como é que é/Aqui não tem mole nem pra João José/Pra descer aqui no Quadô até a rapa treme/Não tem mole pra cabôco, nem pra muié fême/Eu dou o maior conceito para os amigos meus/Mais Fundo do Quadô Também é terra de Deus/Fé em Deus, DJ Guto/Vamo lá/Parapapapapapapapapa/Parapapapapapapapapa/Paparapaparapapara clack bum/Parapapapapapapapapa)

Visitantes comemoram o ano novo no Clube del Potro
CLUBE DO CAVALO: também conhecido como Clube Del Potro, é um barracão onde acontecem festas regadas à cerveja quentíssima (a la cowboy) e música country. Trata-se de um parque temático sobre o Texas, sonho de férias de todo estrelense que se preze. Encontram-se deliciosas pelotas, que quando misturadas com farinha, dão nome ao prato típico do local: a gongonha. O freguês ainda pode apreciar, nesse local, a deliciosa mandioca fria e o X-egg sem ovo. Recomenda-se o uso de botinas e traje esporte grosso, principalmente em dias de chuva, quando a lama adentra pelo recinto, conferindo às mulheres da terra o famoso adjetivo de "red shoes". Dizem que o fundador se inspirou no Forró do Mangabinha...
moças de família dançam can can no Jonnhy Baloomm

JONNHY BALOOMM: situado (amoitado) fronteira entre Cocushi e Estrela, oferece diversão para toda família. O promoter é o conhecido Alquimista Jonnhy Baloom, que fornece as tão disputadas pílulas azuis (ele é o fornecedor exclusivo do Morfeus, de Matrix), com poderes rejuvenescedores sobre certas partes do corpo. Para aqueles que preferirem um experiência mais leve, é possível experimentar chá de ayahuasca com cogumelo, bebida preferida do Ancião Devilson. Recomenda-se que os homens compareçam desacompanhados, simplesmente porque o estabelecimento não conta com banheiro feminino, além de serem frequentes casos de abdução no local.

Ruínas do Coliseu: Também conhecido como Anfiteatro Johnnywalker, foi utilizado durante aproximadamente 500 anos. Foi construído com o intuito de oferecer diversão aos cidadãos estrelenses; no inicio eram sediadas as famosas partidas de queimada e rouba-bandeira, sendo mais tarde usado como local para prensagem e consumo de Eldo-Cuzco. A lenda diz que o Coliseu foi destruido por acidente, quando Darth Carvader, em um de seus treinamentos, fez uso excessivo da força, o que provocou uma forte ventania que derrubou a construção. Embora esteja agora em ruínas, o Anfiteatro sempre foi visto como símbolo do reinado $walker (ou JonnhyWalker), sendo um dos melhores exemplos da sua arquitectura. Atualmente, é uma das maiores atrações turísticas em Estrela. Há milhares de anos Ancião Devilson o elegeu umas das "Sete maravilhas do mundo".

Idioma[editar]

Predomina o Minerês, na sua essência mais pura, também chamado dialeto abacatês, com leve sotaque basco e suave influência do checheno; os maiores exeplos são:

  • Aruváio: orvalho
  • Ôua: Nossa!
  • Ôôua: Nossa Senhora!
  • Ôôôua: Nossa Senhora Aparecida!
  • Ôôôôua: Nossa, que coisa incrível?
  • Isturdí: Outro dia.
  • Ah neeem...: Indica desânimo total
  • Dicoqui: sapo
  • Rudeira: roda
  • Gomeira: mangueira
  • Pelota: almôndega
  • Arrudia: dê a volta
  • Mômo: Pirraça, manha, dengo
  • Figuinho : fígado com cebola
  • Indigestã: indigestão
  • Bocadistami: boca do estômago
  • Ecriipe: ecplipse
  • Crepúsquii: crepúsculo
  • Gongonha: almôndega (para os iniciados)
  • Sóli: sol
  • Motóqui: moto
  • Páio: Palio da Fiat
  • Figo: fígado
  • Passe-e-repassa: troca-troca
  • Mandioqui: mandioca
  • Quéde: Cadê
  • Apiá: Descer
  • Breiar: Sujar
  • Pelostroca: pedaço grande de algo
  • Giriza: ojeriza, antipatia
  • Belôrzont: Belo Horizonte
  • Divinópi: Divinópolis
  • Bom'dpáchi: Bom Despacho
  • Pará'dmina: Pará de Minas
  • Sérr: Serra da Saudade
  • Mél'vianna: Serra da Saudade
  • Parecida'du'nórr: Aparecida do Norte
  • Maiá: trabalhar
  • Boiá: comer
  • Pôsá: dormir, pernoitar
  • Muié: mulher
  • Ôns: Onibus
  • Lambisame: Lobisomem
  • Conhecer: No abacatês tem dois significados, tanto pode ser o verbo conhecer quanto o verbo REconhecer.
  • Di: conjugação do verbo dar, primeira pessoa do singular, pretérito perfeito.
  • Derrobá: Derrubar
  • Pia: Espiar, olhar
  • Truxe: Trouxe
  • Mé: Minha
  • Beião: Bebado
  • Piá o galo: Adormecer bêbado
  • Xujo: Sujo
  • Orômica: Aroma
  • Tinino: Ótimo
  • Ispiciale: Especial
  • Chêpa: Carona
  • Disguritá: Estrambear, perder o rumo
  • Dvogado: Advogado
  • Coigo: Córrego
  • Péia: Pele
  • Barrê: Varrer
  • Sungá: Suspender
  • Combida: Kombi
  • Animale: Equídeo
  • Fufu: Pombo
  • Burricido: Aborrecido, Chato
  • Margaça: Manguaça
  • Morçá: Almoçar
  • Esmagrecê: Emagrecer
  • Trupicá: Tropeçar
  • Precata: Alpargatas
  • Suã: Espinha dorsal
  • Gaiposo: Garboso, elegante
  • Timbuado: Atordoado, desequilibrado.
  • Timburete: Tamborete
  • Vrido: Vidro
  • Truqueis: Torquês
  • Bater a caçuleta: Morrer
  • Ocalip: Eucalipto
  • Pobrema: Problema
  • Oropa: Europa
  • Breganha: Barganha, troca
  • Luís Cacheiro:Ouriço Cacheiro
  • Xispado: Em alta velocidade.
  • Presepero: Arteiro, levado
  • Pilurito: Pirulito
  • Abroba: Abóbora
  • Trabicero: Travesseiro
  • Grosope: Ingerir bebida alcóolica
  • Sulerado: Acelerado
  • Vapu: negar da situação (acompanha o gesto com a mão direita para trás)
  • Doidimai(2de maio): É o dia mais doido do ano
  • Baita ; Bitela: Grande
  • piróqui: piroca
  • Delissa: delícia
  • Lasã ( ou alazã): lasanha

Estrelenses ilustres[editar]

Mahatama Delmir em trajes profanos na Gurgel Dance
  • Ancião Devilson.
  • Regina do Cacau I, II, III, IV, V, atual Duquesa de Gabriels.
  • Boreta I, II, III, IV, V, VI. VII, VIII, IX, X, XI,XII, XIII, XIV até MMCXXXIV, atual Imperador Palpatine.
  • Jão José 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10, até 288; para os íntimos, Darth Carvader.
  • Marreco (o único - Graças a Deus)
  • Dotôêno (Doutor Ênio, em português), depois Ênio $walker.
  • Baba
  • Filho da Baba (estuprador)
  • Zarildo (comedor de bosta de cavalo)
  • João Pedro filho da Cassia e do Adilson