Euonychophora

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Onicóforo
Um exemplar de onicóforo japonês, tentando parecer fofo
Um exemplar de onicóforo japonês, tentando parecer fofo
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Onychinforimfola
Classe: Unidunite
Ordem: Chiforinfola

Cquote1.png Você quis dizer: Unicórnio Cquote2.png
Google sobre onicóforos

Euonychophora é a única ordem do filo dos onicóforos, animais que não passam de lagartas mutantes que ganharam pernas após exagerarem no consumo do ópio (situação metaforizada no clássico Alice no País das Maravilhas). O principal representante da ordem é um verme conhecido no México como chiforínfola, muito raro e jamais avistado, até hoje conhecido apenas através de desenhos. Como um bom invertebrado, é um verme insolente como tantos outros invertebrados, mas embora goste de fazer lá suas nojeiras, como ejacular sêmen em cima de seu almoço, estas lagartas aveludadas tem seu filo próprio porque ao invés do costumeiro de vermes, que é o de serem animais repugnantes, os onicóforos buscam ser fofos e acariciáveis, e são até sociáveis, então ganharam esse filo próprio para não ficarem misturados com as lombrigas e outros animais nada fofos.

Anatomia[editar]

Estes animais são basicamente lagartas enormes que se apresentam em variadas cores chamativas, como que buscando demonstrar que são animais cítricos e nada apetitosos (o que é ignorado pela cobra-coral, que é cega - afinal nem cabeça tem - e come os onicóforos por mais berrantes que seja sua coloração). Os onicóforos apresentam um aspecto macio e fofo, sendo todos recobertos de veludo, só não são bons bichinhos de estimação porque gostam de ejacular sêmen pelas orelhas a todo momento e isso não é agradável para a maioria das pessoas. São lagartas que jamais se transformarão em borboletas, e sabendo disso criaram 50 pernas para compensar o fato que nunca poderão voar.

Internamente, são animais ocos, por isso estão sempre murchos e nunca são avistados rijos. O seu sistema circulatório é inexistente, pois não há coração não animal desses tão sem sentimentos, e o sangue não circula. Já o sistema nervoso é composto pela presença de um pequeno cérebro do tamanho de uma cabeça de alfinete, adaptado apenas para guiar o animal a conseguir andar sem tropeçar com suas quase 100 pernas.

Alimentação[editar]

Sem dúvidas o que mais chama atenção num onicóforo é seu hábito alimentar, sendo este o principal motivo deles serem até relativamente conhecidos. Embora sejam predadores são animais extremamente lerdos e burros e portanto péssimos caçadores e se dependesse de sua velocidade ou sagacidade, estariam já extintos todos mortos de fome. Porém, para não morrerem assim tão ridiculamente, de fome, os onicóforos desenvolveram um peculiar método para adquirir sua refeição (cupins, grilos, besouros, baratinhas): Eles esguicham sêmen através de suas anteninhas, jatos pegajosos que podem chegar até a 60 centímetros de distância, cobrindo de porra o inseto que deseja fazer de sua presa. O inseto alvo fica tão enojado com aquele molestamento tão repentino, que enquanto estão distraídos tentando se limpar desse bukkake de onicóforo, são abordados e comidos por trás pelo seu abusador. E os fetiches nojentos do onicóforo não param por aí, uma vez abordados sua vítima, como não tem interesse pela casca dura dos insetos, ele devora apenas as genitais de seus alvos, que são geralmente macias e digeríveis.

Famílias[editar]

  • Peripatidae - onicóforos maiores, de 22 a 43 pares de pernas
  • Peripatopsidae - onicóforos menores, de 13 a 25 pares de pernas