Euronymous

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Darth vader boliche.gif ESTE ARTIGO PERTENCE AO LADO NEGRO DA FORÇA!

É aconselhável que ninguém, eu disse NINGUÉM leia isso, mas se você não tiver amor pela vida, vá em frente.

Se vandalizar, demônios o infernizarão pelo resto da vida!

Ozzy2.jpg
Bebê tocando guitarra.jpg Este artigo é sobre um GUITARRISTA!

Ele idolatra e toca Rock como se sua vida dependesse disso e sua técnica milenar vem da terra.

Flag of Norway3.PNG Ek est årtikkel Norsk!

Este artigo desfruta do melhor IDH do mundo! O autor bebe hidromel, ouve black metal, nada em petróleo, é descendente de vikings e mora perto de um fjord.

Tudo pelas norueguesas!
Desentrevistasminibox.PNG
O Desentrevistas
possui uma entrevista com
Euronymous
Varg mostrando pro Euronymous, como bom amiguinho dele, como irá acidentalmente matá-lo com 23 facadas.

Cquote1.png Caralho, Varg, essa 13ª facada nas costas doeu pra porra! Cquote2.png
Euronymous sobre Varg
Cquote1.png Foi legítima defesa, cara! Cquote2.png
Varg Vikernes sobre ter matado o Euronymous
Cquote1.png Eu não vi nada... Cquote2.png
Snorre W. Ruch sobre ser cúmplice do Varg
Cquote1.png Cacete, parece o Squiggy! Cquote2.png
Glen Benton sobre a primeira vez que viu o Euronymous
Cquote1.png Vamos matar esses filhos da puta do Antestor! Cquote2.png
Euronymous sobre um plano que deu muito errado - na verdade, nem deu tempo de rolar
Cquote1.png QUERIA MORRER COMO O JERÔNIMOUS! Cquote2.png
Berzé sobre Euronymous

Øystein Aarseth, conhecido como Anonymous Euronymous, ou Jerônynous, ou como chamado pelos amiguinhos, Oisteinzinho (Puta que Pariu, 22 de março de 1968Oslo, 10 de agosto de 1993) foi um guitarrista de bréqui Metól from Réu, tendo ficado mais famoso na banda ManhÊÊÊ! Fundou também uma gravadora a qual não me interessa, então que ela se foda, e era dono de uma lojinha de LPs e fitas K7 pirata chamada Helvete, mas não que isso tenha importância alguma pra isso. Ah sim, ele também era um ótimo redecorador de igrejas da Noruega, tendo mudado a cor de muitas para cor de carvão através de uma técnica revolucionária chamada em norueguês takhafØguh.

História[editar]

Fotolog de Euronymous, onde ele mostrava suas fotenhas de proclamação do demônio. Na foto do post, Gugu e Xuxa, dois membros do Inner Circle brasileiros.

Euronymous formou o Mayhem em 1984 juntamente com Necrobutcher e Bruno Manheim (em homenagem a esse último a banda teve esse nome, mas por burrice do cara do cartório ficou "Mayhem" e não "Manheim"). Nessa época ele usava o nome de "Destructor", mudando posteriormente para Euronymous, que deriva do demônio Jerônimo, mas novamente por burrice dos caras do cartório não ficou Jerônymous. Ele também foi guitarrista do Checker Patrol, uma banda de Black/Thrash Metal com integrantes da banda alemã Assassin, o que é uma informação imbecil que não acrescenta em nada ao artigo. Fenriz (quem?) no documentário Until the Light Takes Us afirma que Øystein gostava de pagode e funk carioca.

Criou uma lojinha na 25 de Março chamada Helvete, onde vendia muitos K7 gravados na pirataria pura. No Helvete ele fez seu primeiro (e único) fotolog, e onde rolavam as festinhas de natal de amigo secreto satânicas do Inner Circle. Ele criou uma gravadora chamada Deathlike Silence Productions, mas novamente digo, isso não me interessa nem um pouco. Pelo menos não agora... lá pro futuro, em 1993, pode ser que eu dê alguma importância a essa merda no artigo.

Crenças e política[editar]

Euronymous em um ensaio para a G Magazine norueguesa.

Euronymous era seguidor do satanismo teísta, uma vertente que diz que Satã é mesmo Deus, que Deus é o Demiurgo, que Jesus era Inri Cristo e que meu pau de óculos não era míope. Além disso, o modelo que mais parece a Isabelle Drummond versão norueguesa também era um seguidor do comunismo, embora pra muitos isso seja uma grande merda. Ele foi líder de um grupelho de terroristas criados a leite com pera chamado Rød Ungdom, que era um grupinho de muleques chupa pica do Karl Marx e Friedrich Engels. Foi lá que ele aprendeu a técnica impressionante de fazer fogueiras perto de igrejas, e a aperfeiçoou, criando uma versão de fogueira com a igreja mesmo, sendo um ótimo meio de aquecer a população inteira. Principalmente quem estava dentro da própria igreja.

Morreu[editar]

Sim, ele morreu...

Tá, eu sei que você já sabia, mas foda-se. Só botei essa seção para não ficar muito na cara que esse artigo se parece com o que tem na Wikipédia...

Cquote1.png De certa forma, tem sido interessante ver como algumas pessoas sentem a necessidade de criar histórias sobre o motivo pelo qual eu acabei matando Euronymous. Mas é triste ver que essas pessoas ainda não fizeram nem um filme pornô sobre isso, que chato, cara! Cquote2.png
Varg Vikernes

Em 10 de agosto de 1993, Varg Vikernes e Snorre W. Ruch viajaram da Bahia à nado até o apartamento de Euronymous. O encontro resultou em uma discussão e Varg o esfaqueou 23 vezes sem querer querendo: duas vezes na cabeça, cinco vezes no pescoço e 16 nas costas. O corpo foi encontrado na parte de trás do apartamento. Foram somente facadas, Euronymous não caiu em cima de vidros, de jarros, de copos, de bolas de papel, tampouco de um dildo de ferro que ele tinha lá pra suas fantasias sexuais com seu esquilo de estimação. Todas essas teorias foram levantadas pelo Varg (exceto a última, que foi levantada pelo Leão Lobo quando fazia uma fofoca matéria do caso).

Muitas hipóteses foram levantadas na época para justificar as razões do assassinato. Especulou-se que uma das razões era que Euronymous deveria ter lançado o disco intitulado Asco do Bonzaum, mas não o fez. No ponto de vista de Varg, esse era o momento certo, pois a atenção da mídia estava voltada ao mesmo, o que daria grande atenção ao disco (só não sei de que doente). Euronymous só o fez meses depois. Esse fato, somado ao sentimento de traição que Varg sentia após Euronymous o trocar pelo cadáver do Ollinho, acabaram por acabar com qualquer tipo de boa convivência entre ambos. Euronymous tramou para abater Varg com uma raquete de pingue-pongue, levá-lo a uma floresta e torturá-lo até a morte só usando esse instrumento (ia demorar uma semana, portanto, matando o Varg). A tensão entre os dois teve seu ápice em 1993 quando Varg, segundo ele, descobriu a trama de Euronymous (um amigo dos dois contou à Varg) e foi tirar satisfação com Aarseth, dizendo que se era pra ele matá-lo, que fosse de metralhadora ou fuzil, onde teve início a briga que só foi terminar com o assassinato de Euronymous a facadas. Existem boatos que dizem que a rixa entre ambos era causada pelo fato de Varg ter pedido o divórcio e uma pensão bem gorda, mas isso não procede, já que o Euronymous não tinha grana nenhuma pra pagar como pensão.

ReaperlogoDare.gif
Euronymous já morreu!

Foi beber água junto aos peixes!

Clique aqui pra ver quem te espera no inferno