Europeu

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Bandeira da União Européia.

Cquote1.png Você quis dizer: Cuckold fraco Cquote2.png
Google sobre Se fodeu!!! HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA!!!!
Cquote1.png Experimente também: Campinas ou Pelotas. Cquote2.png
Sugestão do Google para Europeu
Cquote1.png Deveriam olhar mais pra cá!! Cquote2.png
Neto sobre Europeu
Cquote1.png Quem?? Cquote2.png
Americano sobre Europeu

Definem-se como Europeus os seres albinos, no Norte, e os seres meio-semitas, no Sul, que habitam o Califado da Europa e se caracterizam por serem cuckolds ao extremo assim como escravocetas. Antes dignos assassinos, genocidas, conquistadores, ou seja, o terror de pretos, amarelos e pardileiros do mundo. Hoje, um bando de velhos broxas e fracos, os quais oferecem as vaginas de suas mulheres albinas a rolas semitas do deserto e pretas com os olhos marejados de emoção por sentirem o famoso White Guilt. Claro que a crioulada subdesenvolvida agradece com água na boca a generosa oferta de xoxotas rosadas das albinas do Norte e marrons das sub-semitas do Sul. Enquanto socam a vara nas ppkas europeias, árabes e africanos ficam batendo com um chicote na lomba do fraco homem europeu enquanto o acusam de "terim mi colonizadu!!". O frouxo europeu treme de emoção enquanto isso acontece, pois precisa se purgar dos pecados do passado. Enquanto isso Churchill, Hitler, Mussolini, Erick, o Vermelho e Leopoldo da Bélgica choram no Inferno ao verem no que se tornou sua descendência. Já Stalin e Ivan, o Terrível tiram sarro dos outros europeus apelidando-os de "Depósitos de porra de crioulos", pois sabem que os russos ao menos ainda têm as bolas no lugar.

Ameaça de extinção[editar]

Dois Europeus em um parque.

Estes seres fracos hoje se encontram ou muito velhos para lutar, ou broxas para transar e não podem evitar que as vaginas de suas mulheres sejam defloradas por cacetes pretos e marrons. Tudo começou depois da Segunda Guerra mundial e dos movimentos de descolonização da África e Ásia. Por terem aprontado para caralho com todas as outras raças, os albinos europeus foram acusados de genocidas e colonizadores sem coração. Todavia, em vez de sentirem orgulho por terem arregaçado geral, começaram, como os frouxos em que se tornaram, a sentir culpa por terem genocidado, explorado, escravizado e estuprado as outras raças, inclusive criando seres híbridos e bizarros chamados de latinos, ou Las Creaturas Misturadas.

Nesse século, após a destruição do Oriente Médio e Norte da África pela Murka, a crise de cuckoldismo e escravocetismo do eurocuck se agravou muito, com os poucos machos pra caralho restantes no continente - os quais participaram, com muito orgulho, de todos os saques, estupros e genocídios - virando véios broxas ao mesmo tempo em que uma caralhada de refugiados, que estão pouco se fodendo para feminismo, aportaram no que hoje é conhecido por Califado das Neves. Além disso, muitos crioulos estupradores e esfomeados por xoxotinhas rosadas vindos da África chegaram ao continente para, com os árabes, estuprar as xoxotas rosadas das eurovadias e os cus dos frouxos albinos de saco rosado e cabelos claros. Atualmente o verdadeiro europeu está praticamente limitado a museus de história ou usando saias em marchas feminazistas bancando os felizes e cornos Feministos.

A verdade é que o tempo do Homo Albinensis como homem terminou e o melhor que esses branquelos de saco rosa têm a fazer é colocar uma peruca e oferecer seus cus avermelhados a rolas pretas, marrons e semitas enquanto são chicoteados por travestis brasileiras e filipinas.

O eurocuck hoje[editar]


Exemplos de europeus[editar]

Exemplos de não-europeus[editar]