Facção Central

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Passarinho.jpg

Este artigo é sobre um(a) artista, grupo musical ou uma banda.
Certamente, fãs idiotas alienados odiarão este artigo!!

Bob Mauley.jpg   Fala, mano! É o seguinte: Facção Central é mais uma coisa que os mano da quebrada curte, tá ligado, véio?
Então, não zoa este artigo não, porque vai dar em treta, mano!
Cquote1.png Eu sou pobrê e curto facção por queeu sou da bocada. Cquote2.png
Playboy riquinho sobre Facção Central

Cquote1.png A playboyzada de mitsubishi gravata terno, não impina o nariz quando o céu virar inferno. Cquote2.png
Facção Central sobre Playboy riquinho
Cquote1.png O som é pesado, né pah preiboy naum Cquote2.png
primo preto sobre Facção Central
Cquote1.png O viadinho do shop ta olhando oque?!, cansou de viver qual que é quer morrer? Cquote2.png
Facção Central sobre O viadinho do shop

Facção Central é um grupo de traficantes rap brasileiro, formado na cidade de São Paulo no ano de 1989.

História

O grupo foi formado em 1989, na região central do crime (Rocinha, Complexo da Maré e Carandiru), sendo inicialmente integrado por Nego, o maior fumador de pedra do grupo (hoje conhecido como rapper Mag, o rapper que virou playboy..), Eduardo e Jurandir. Nego e Jurandir deixaram o grupo, porque a pedra acabou e as mina tava de boi, sendo substituídos por Dum Dum e Garga, outros marginais, que se juntaram a Eduardo e iniciaram as atividades do grupo, como contrabando, trafico de drogas e dando inicio ao Narcotráfico. De 1997 para 1989 Garga saiu do grupo e Erick 12 chegou para somar, somar as quantidades de maconha e papelotes de cocaina, mas em seguida deixou o Facção Central e hoje apenas produz o grupo de trafico grupo de rap.

Nascidos e criados em cortiços, todos foram estuprados por pedófilos quando eram crianças, então cresceram traumatizados. os componentes Eduardo (compositor/intérprete/consumidor) e Dum Dum (intérprete/mercenário) conviveram desde a infância com violência social,tráfico de drogas, vícios, violência policial, delegacias e presídios. Um passado violento transformado em fonte de inspiração para fumar, matar e traduzido em composições contundentes que relatam a realidade cotidiana das camadas mais baixas da sociedade, além de criticar duramente aqueles que, na visão do compositor Eduardo, seriam os causadores dos problemas discutidos nas letras das canções, os prayboys.

Novo CD da Facção Central: Morte ao Rato que Voa!!!
Faccionários e Faccionárias: Novo álbum do Facção Central


O seu único video clip Isso aqui é uma guerra, é censurado para menores de 10 anos, pois é um clip bastante hingenuo com conteúdo de criançinhas júvenis criadas a leite com pera e ovomaltino na geladeira, o clip apresenta: a história cruel da chapeuzinho vermelho, a vida de drogado do lobo-mau, a prostituição da vovózinha, e o trabalho do caçador que é vender drogas nas favelas.. Diz até uma historia que o cachorro do grupo, um vira-lata que era usado para saciar as necesidades sexuais do grupo, morreu de overdose.

Discografia

Álbuns

  • 1995 - Malandragem, e muita sacanagem
  • 1998 - A peda acabo
  • 1999 - Preiboy você vai morrer na faca
  • 2000 - Versos Sangrentos
  • 2001 - chapados...
  • 2003 - Tapa na pantera
  • 2005 - Facção Central Ao Vivo, na cadeia.
  • 2006 - Mata-Mata
  • 2006 - Sou bandido e gay mesmo, e daí?

Coletâneas

  • 1991 - Carreirinha de Pó
  • 1991 - Fumando sua Mente

Popularidade

Hoje em dia o grupo de trafic rap é conhecido por ser o grupo de rap com letras mais pesadas do Brasil, citando em suas letras palavras como:

  • Filho da Puta.
  • Playboy viadinho e filha da puta!
  • Vou estourar sua Cabeça.
  • Enfia uma faca no buxo! (Eles eram viciados em CS)
  • É só uma vadia chorando pelo marido.
  • Vou contar até 3, aí você morre.
  • A paz tá morta, desfigurada no IML.
  • Eu vou brincar de assassino descarregando um 38, legal, cara expludindo vuando um olho.

O grupo é bastante escutado por: