Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa


MulherComunista.jpg
Klaus Noel.jpg
Atenção, Kamapada!

Este artigo é comunista, portanto, come criancinhas. Ele pode ser marxista, leninista, stalinista, metido a Che Que Vara, castrista ou oportunista. Se você vandalizar a marcha revolucionária, a China entrará no meio.

VIVA LA REVOLUCIÓN!!!



Cquote1.png É nazista fascista de Extrema Direita do Imperialismo Americano! Cquote2.png
Aluno maconheiro comunista da FFLCH sobre quem discorda da opinião dele

Cquote1.png Vagabundo, vagabundo, vagabundo !!!! Cquote2.png
Kassab sobre Pseudo-revolucionário da FFLCH

Cquote1.png Nerds de direita... Cquote2.png
Aluno comunista da FFLCH sobre alunos da Ecola Politécnica da USP e da FEA

Cquote1.png Bando de Maconheiro filha da Puta!! Cquote2.png
Aspira Matias sobre Aluno da FFLCH

Cquote1.png Karl Marx é de Extrema-Direita fascista! Cquote2.png
Aluno da FFLCH sobre Karl Marx

Cquote1.png Ahn não! Ahn não! AAAAHN NÃO!!! OUTRO ARTIGO DE NERDS!!! Cquote2.png
Desciclopédia sobre este artigo "original"

Cquote1.png A FFLCH é o centro do mundo.... passa o baseado. Cquote2.png
Maconheiro da FFLCH sobre FFLCH

Cquote1.png Para que eles precisam de mais verba? Cquote2.png
Qualquer pessoa de fora da FFLCH sobre FFLCH

Cquote1.png Se eu tivessi estudadu mais... Cquote2.png
Qualquer aluno da FFLCH sobre estar na FFLCH

Cquote1.png Professor o caralho eu sou o futuro da nação. Cquote2.png
Aluno da FFLCH sobre o preconceito de ser da FFLCH

Cquote1.png Você quer comparar Oscar Niemeyer com um babaca como Antonio Candido? Cquote2.png
Aluno da FEA prestes a apanhar por dizer verdades

Cquote1.png Se por cerca vira zoológico, se por muro vira manicômico e se colocar uma lona em cima vira circo. Cquote2.png
Qualquer filósofo em um butiquim sobre a fauna fefelechica

Cquote1.png O que você quer que eu diga? Que é ESPECIAL? Cquote2.png
Sua professora incoerente sobre a FFLCH

Cquote1.png Você tá traindo o movimento socialista véio! Cquote2.png
Dado Dolabella falando alguma coisa que presta finalmente!


A FFLCH (vulgarmente conhecida como fefeloco, fefeleche, fefeleti, faveleche, fefelixo, fofolete, etc), é a sigla para Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP.

Tabela de conteúdo

História

Foi criada por um bando de franceses frescos que queriam dominar a Terra, mas erraram o caminho e cairam no Brasil, trazendo péssimas influencias para a futura geração de estudantes da faculdade, que começaram a viver em um mundinho "a la Paris 68". A FFLCH é a maior faculdade da USP, com mais de 10.000 alunos e mesmo assim, há pelo menos uns 50 anos não conseguem eleger um reitor e continuam reclamando da falta de professores.

A FFLCH ministra cinco cursos: História, Geografia, Filosofia, Ciências Sociais (divididos em 3 sub-cursos), e Letras (dividido em umas quinhentas especializações). Os Fefelechianos tem um sério problema com a FEA, POLI, Medicina ou qualquer outra faculdade que tenha dinheiro, respeito e empregos bons.

Os Cursos

História: Os historiadores são seres estranhos que dedicam sua vida a estudar coisas do tipo "As fofocas na Corte de Dom João I" ou "A História dos Pasteleiros Cristãos-Novos no Parque Edu Chaves durante a década de 1950". São a escória da FFLCH, e boa parte deles vivem com seus livros de Marx nas mãos, colando cartazes pela USP, poluindo assim os pontos de ônibus e espalhando seus panfletos do CRUJ na rampa para os demais estudantes. Se recluem a sua congregação departamental e só são vistos em outros lugares quando os seus grupos pseudo-revolucionários precisam fazer manifestações esquerdistas ou revoluções. Na verdade esses grupos pseudo-revolucionários são a única coisa que liga a História ao resto da FFLCH, já que esses juntam-se aos pseudo-revolucionários dos outros cursos e ficam o tempo todo organizando suas revoltas contra os fatos históricos. O maior desejo dos alunos de História é conseguir despejar os inquilinos de seu prédio(a Geografia) que dominaram quase todo o espaço e se separar da FFLCH, formando o seu próprio instituto, ou juntando-se com o MAE, com o IRI ou até mesmo, em casos extremos, com a FEA. Recentemente surgiram ideias de abandonar o seu prédio e mudar-se para o Museu Paulista, também conhecido como Museu do Ipiranga, o qual é propriedade da USP. É um curso cuja única finalidade é formar professores comunistas que encherão o cu de dinheiro dando aulas em escolas/cursinhos privadas/os.

Geografia: A geografia com certeza é o curso mais estranho e sem respeito que já se viu na face da Terra. Divide-se em Humana e Física, e procura continuamente um método que possa congregar essas duas áreas dispares da ciência, e não possuem metodologia própria e por isso dependem das teorias dos sociólogos, economistas, geólogos e dos filósofos. Talvez por isso não sejam respeitados por ninguem. Seus alunos no geral se dividem entre os que estudam a parte física e os que estudam a parte humana, sendo que os primeiros vão trabalhar com escravos usando softwares para vetorizar mapas e os segundos ficam na faculdade fumando maconha, distribuindo panfletos de coisas que todo mundo sabe que não vai dar certo e divulgando seus candidatos, além de se congregarem em assembleias para que possam dizer o que acham para as paredes. Eles procuram continuamente ganhar dinheiro fazendo mapas, mas em geral, pedem para o pessoal da POLI ou da Geologia fazer esse serviço em seus trabalhos. Nunca encontraram o sentido de se estudar geografia, mas como parte deles se tornam professores, obrigam seus alunos a se enganarem sobre a importância desse estudo que só serve para estratégias militares. O curso se baseia praticamente em fazer maquetes com argila e cartazes com fotos bonitinhas, além de leitura de textos antigos que tentam desvendar o que é a Geografia. A Geografia ocupou o prédio da história, deixando apenas os becos e os calabouços do prédio para os colegas barbudos historiadores, já que a mesma era pra ter tido seu próprio instituto, o Instituto de Geografia e não ter feito parte da FFLCH. Porém, isso nunca ocorreu devido ao fato de que a Geografia se preocupou mais em desvendar seu objeto de estudo do que concluir as obras de seu prédio ao lado da Academia de Polícia, e com isso a Geografia foi encampada pela FFLCH e teve que se instalar nas salas do departamente de história, deixando pouco espaço para eles que ainda assim acham que a Geografia os paga aluguel e são motivo de piada dos Historiadores, mesmo tomando seu prédio.

Filosofia: Curso de filosofia é o mais ... de todos. Eles procuram saber sobre tudo em todas as épocas. Ainda se rogam a mãe de todas as ciências, mas ainda não encontraram o pai, ficam reclamando o dia inteiro dos filhos desordeiros que bagunçam todo o esquema metodologico que eles demoraram 2000 anos para preparar. Ainda não se sabe qual a verdadeira função dos filósofos, mas eles ainda estão refletindo sobre o assunto. Dizem que os alunos de filosofia ficam na FFLCH, mas raramente você os vê.

Ciências Sociais: Chamados também de turma do meio, é o curso mais dividido de toda a FFLCH. Seus alunos se dividem entre pseudo-revolucionários radicais e tucanos não menos radicais. São considerados a FEA da FFLCH por terem uma grande concentração de tucanos e os banheiros mais limpos da FFLCH. Não gostam de se misturar ao resto dos cursos, considerados ralé. Sua principal função é produzir presidentes que foderão o Brasil para todo o sempre, e formar trabalhadores de ONG's que distribuiram cestas básicas. Há 3 cursos: Sociologia, Antropologia e Ciência Política(sendo que este último adoraria se separar dos outros, sair da FFLCH e ir pro Instituto de Relações Internacionais). Sendo que a única diferença entre eles é o nome. Seu curso é motivo de piada para os outros alunos da FFLCH, que insistem em afirmar, para desgosto dos alunos da CS, que Ciências Sociais não passa de disciplina de suporte pra outros cursos, e não um campo de estudo propriamente dito, os alunos mais radicais disputam com os alunos da ECA, da Geografia (humana) e da história quem fuma mais maconha. Esses não costumam ir às aulas, só participam do que chamam de MOVIMENTO.

Letras: Os letreiros/letristas/letrados (alunos que fazem letras) procuram ocupar seu tempo vago sendo pseudo-intelectuais e sempre criticando qualquer letra de música ou poema que qualquer outra pessoa que não faça letras ache legal. Os alunos entram em letras pois sempre é o curso mais fácil do vestibular e sempre tem emprego (professor). Dentro do curso, há um engalfinhamento para escolher as melhores líguas, então os mais burros sempre acabam pegando Russo, Aramaico, Sânscrito ou qualquer língua morta que nunca será utilizada na vida. É o único curso onde se acham algumas mulheres bonitas na FFLCH.

Os Alunos

A FFLCH é dividida em vários grupos, cuja divisão se assemelha muito a da USP como um todo. Isso se deve ao fato de que recentemente, a FFLCH tem tido uma presença cada vez maior de alunos "não revolucionários", chegando ao surpreendente nivel de 60% de "não revolucionarios" para 40% de "pseudo-revolucionarios retrogrados". No entanto, assim como no resto da USP, este último grupo continua gritando mais alto que os outros, e chamando a atenção pra si mesmo.

Dentre os grupos presentes na FFLCH se encontram:

  • Grupos Variados
  • Pseudo-revolucionarios Retrogrados
Exemplos de pseudo-revolucionários retrogrados sendo encarados por seus arqui-inimigos: A fascista-reacionária-elitista Policia Militar do Estado de São Paulo

Dentre os grupos pseudo-revolucionários retrogrados, se encontram os seguintes sub-grupos:

  • Hippies: Facilmente indentificados pelo cheiro desagradável, a barba mal feita, a e roupa desleixada. Atenção! Não confundam com um mendigo!
  • Pseudo sem-terra: Usam suas camisas vermelhas, facão, foice, e chapeu de palha.
  • Ripongas: Com suas batas leves e soltas que não entram na água a mais de um mês. Sempre com seu fiel companheiro, cigarrinho de ervas que não é o fumo.
  • Antiimperialistas: Ficam semanas combinando por email o melhor jeito de fazer uma revolução contra o sistema e só comem no Mc Donalds.
  • Revoltado-barbudo-vermelhinho-esquerdista-anticapitalista: Esse aluno é dificil de descobrir só vendo. Somente sabemos estar em presença de um deles depois que eles abrem a boca e começam com suas palavras de ordem, geralmente fazendo piquetes ou gritando com os alunos da POLI que furaram a greve. Uma interessante característica desses alunos é sua contradição, já que constuma pregar o fim do sistema capitalista selvagem injusto bobo e feio, usando seu tênis Nike comprado na 25 de março e indo embora da faculdade com seu EcoSport.

Em geral, se é barbudo não só de corpo, mas de alma também. Logo vemos muitas mulheres barbudas na FFLCH. Costumam pregar o fim do capitaslimo e criar ligas revolucionarias bolcheviques. Amam Marx, e leem o capital como se fosse a Biblia. Na verdade eles so falam que leem, pois se lessem de verdade descobririam que Marx não passa de um ex-aluno da FEA que foi para a Inglaterra fazer parte do grupo de humor Monty Phyton. Por isso muito acreditam que há em Marx um manual do mundo mágico socialista, nunca acharam de verdade essas passagens, mas vivem discutindo sobre isso, sem saber desse incrível lado humoristico das pegadinhas de Marx.

Fidel Castro, em aula magna na FFLCH (ele se sentiu em casa)

Centros Acadêmicos

Os centros academicos da FFLCH são seres mágicos, funcionam quase como ninjas, em suas ações furtivas e sempre escondidas. Eles insistem em não escreverem atas de reuniões ou em não divulgá-las para os alunos. Além disso insistem num coisa chamada “movimento coletivo” “política coletiva” ou qualquer outro nome que eles queiram dar para essa incoerência administrativa e filosófica. Eles insistem que as decisões são tomadas por todos, mesmo que suas plenárias tenha 10 alunos.

A plenária é a entidade maxima de adminitração política dos alunos e de alguns departamentos que vivem com a mentalidade política do socialismo utópico. Eles dizem que todos podem falar e dar sua opinião nessas plenárias, mas nunca se perguntaram o que aconteceria se todos os alunos matriculados de um curso fossem a uma reunião. Por isso, contina uma pequena parecela de menos de 0,75% de alunos decidindo por todos os outros, arrogando a isso uma decisão “coletiva”(e como a sua idola, a Neli do SINTUSP diz: 0% é quase nada!!!).

É famoso o senso democrático dos alunos dos Centros academicos, que geralmente terminam uma discussão em que estão perdendo (99% delas) com uma voadora no peito de seu intorlocutor. Existe uma teoria da conspiração que diz que alguns Partidos Socialistas Trabalhadores Urbanos se infiltram entre os alunos, havendo até mesmo um recrutamento para que eles prestem cursos da FFLCH (dito anteriormente, os mais fáceis da FUVEST) e comecem a revolução imaginária que pela primeira vez quer se iniciar entre um bando de gente que nem classe social é. Não pensam sobre o que os trabalhadores de fato fazem, e sempre quando ouvem palavras como “engenheiro”, “economista”, “politécnico”, “macdonalds”, “militares” tem um frio na espinha e se escondem.

Ex-alunos Pseudo-intelectuais famosos da FFLCH

Possibilidades de Trabalho

Além das possibilidades de trabalho convencionais, os alunos da FFLCH são especialistas em roubar empregos das outras unidades. É comum ver os alunos da História e da Ciência Política cursando matérias da FEA, FAU, IRI, ECA e tentando ser economistas ou bibliotecários (principalmente da história, que veêm que o seu curso não serve para nada, além dar aulas), especialistas em arquitetura histórica, Diplomatas e jornalistas (afinal, qualquer um que saiba rascunhar um papel pode se tornar um jornalista). Roubar empregos da ECA também é uma opção muito bem vista pelos alunos de Letras. Há ainda alunos da Geografia que com formação voltada à Geomorfologia fazem matérias no IO, IGc e IAG e assim roubam vagas de alunos de cursos genéricos como Gestão Ambiental, Engenharia Ambiental e até mesmo da Geologia, mas isso os que se dedicam a Geografia Física, visto que a humana só serve para criticar as coisas sem construir nada.

Os alunos formados na FFLCH também estão habilitados a "trabalhar" nas seguintes áreas:

  • Há também a possibilidade de nunca se formar, tornando-se estudante profissional.
v d e h

USP
USP
Universidade de São Paulo

Unidades de ensino, pesquisa e extensão (Se passar na Fuvest, você provavelmente vai ficar em uma dessas)
EACH · ECA · EE · EEFE · EERP · EEL · EESC · POLI · ESALQ · FAU · FCF · FCFRP · FD · FDRP · FE · FEA · FEARP · FFCLRP · FFLCH · FM · FMRP · FMVZ · FO · FOB · FORP · FSP · FZEA · IAG · IB · ICB · ICMC · IF · IFSC · IGC · IME · IO · IP · IQ · IQSC · IRI

Institutos especializados e instituições vinculadas e/ou associadas à USP (Estudantes exóticos estudam por aqui.)
Hospital das Clínicas de São Paulo · Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto · Instituto Dante Pazzanese · Instituto de Criminalística · IPEN · IPT · Cebimar · CENA · IEE · IEA · IEASC - IEB · IMTSP

Fundações ligadas à USP (Maaá Oe! Quem quer dinheirooooooo?)
FIPE · FIPECAFI · FIA · FFM · Fundação Vanzolini · Fundação Zerbini · FUNDACE · FAEPA

Museus (Também conhecidos como Passeios baratos mas que impressionam sua namorada.)
MAC · MAE · MC · MZ · MP · Museu de Anatomia Veterinária · Museu de Geociências · Museu Republicano de Itu

Unidades recreativas (É aqui que você vai matar suas aulas.)
CEFER · CEFERSC · CEPEUSP · FFLCH · EACH

Hospitais (Quando você passar mal depois de comer no bandejão, é neles que você vai se quiser morrer.)
HRACF · HU
Ferramentas pessoais
Ver e modificar namespaces

Variantes
Ações
Navegação
Colaboração
Votações
(F)Utilidades
Novidades
Redes sociais
Correlatos
Ferramentas