Fagner (futebolista)

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
81488162.gif CUIDADO! Fagner (futebolista) É UM JOGADOR AGRESSIVO


Se mexer com ele vai levar um Carrinho da Morte!

Veja outros Cavalos jogadores desse mesmo feitio aqui.

Fagner Miranda Lemos
Fagnerufc.jpg
Fagner fazendo sua estreia no UFC
Apelidos "Recruta", "Pinscher", "Geraldo", "Chucky, o boneco assassino",
Nacionalidade Bandeira do Brasil Brasil
Altura Menos de um metro e meio
Posição Lateral
Nas canelas dos adversários
Clubes Aqui no Brasil, Corinthians e Vasco
Influências Júnior Baiano, Diego Lugano, Mascherano, entre outros
Vícios Dar tesoura, cotovelada, cabeçada, o caralho a quatro e conseguir não ser expulso


Cquote1.png Você quis dizer: Thammy Gretchen? Cquote2.png
Google sobre Fagner (futebolista)
Cquote1.png Você quis dizer: Geraldo? Cquote2.png
Google sobre Fagner (futebolista)
Cquote1.png Eu tenho medo! Cquote2.png
Qualquer ponta-esquerda sobre Fagner
Cquote1.png Filho da puta! Cquote2.png
Flamenguistas após o Fagner quebrar o Ederson
Cquote1.png Quem? Cquote2.png
Eden Hazard sobre Fagner

Fagner Conserva Lemos (11 de junho de 1989), mais conhecido como Fagner ou Pinscher, é um lutador de MMA que nas horas vagas joga futebol. Atualmente defende o Curintia.

Carreira[editar]

Os melhores momentos de Fagner com a camisa do Corinthians

Desde pequeno Fagner sempre foi o menor da turma, e por isso ganhava dos colegas apelidos carinhosos como "Gnomo", "Lenhador de Bonsai", "Surfista de Aquário", entre outros. Para não sofrer bullying e virar um adolescente depressivo e sadboy, ele resolveu aprender a lutar e aí descobriu sua vocação para lutador, acabando com qualquer zoação que sofria por sua altura dando cabeçadas nos joelhos dos bullies. Algum tempo depois, ele decidiu que queria jogar futebol, e entrou para o time de juniores do Curintia, rapidamente fazendo sucesso nos gramados por aplicar em campo aquilo que aprendera no octógono. Inicialmente, ele jogava como atacante, mas seu treinador resolveu colocá-lo de lateral, por que sua principal característica não seria bem aproveitada no ataque.

Os anos se passaram, Fagner cresceu (embora não pareça) e acabou virando profissional. Depois de se destacar nos primeiros jogos, ele atraiu a atenção de alguns olheiros gringos, e como todo muleque acima da média do futebol brasileiro, acabou sendo vendido por preço de banana pra jogar na Europa, mais precisamente no PSV, da Holanda. Porém, Fagner não foi bem no futebol holandês, pois como morava em Amsterdã, vivia frequentando as coffee shops locais e por isso "relaxava" demais antes dos jogos, não conseguindo repetir as atuações que tinha pelo time de Itaquera.

Depois de ser mandado embora do PSV, Fagner voltou para o Brasil e foi jogar pelo Vitória, na esperança de que o poderoso Givanildo Oliveira o ajudasse a recuperar o futebol perdido, mas o "rei do acesso" não viu futuro nele e o lateral acabou tendo que ser mandado para um clube de segunda, o Vice da Gama.

Pelo anão da toca, Fagner recuperou a forma antiga graças aos conselhos de seu mentor, Júnior Baiano, que inclusive lhe ensinou aquele que seria seu golpe mais poderoso: a tesoura voadora. As boas atuações atraíram novamente os agentes europeus, e Fagner foi para a Alemanha jogar pelo Wolfsburg, onde ficou por dois anos e era pago com tatuagens.

Em 2014, ele voltou para o Corinthians, seu clube de origem. No começo, ele não tinha a confiança da torcida, mas acabou caindo nas graças da Fiel com as boas atuações nos clássicos, dando joelhada no Cueva e metendo porrada no Dudu e no Lucas Lima (não aquele). Considerado como um dos melhores laterais-direito do Brasil (que fase do futebol brasileiro, hein?), ele segue no Curintia arrebentando... com as canelas dos adversários.

Paralelamente a carreira de jogador, Fagner trampa na tesouraria do Timão e é empresário da futura sensação do futebol brasileiro, Henrique Lemos.

Seleção Brasileira[editar]

Boneco do Fagner na DLC do FIFA 18 versão deep web

Fagner ganhou chance na seleção brasileira graças a chegada de Tite, que é famoso por convocar seus antigos "parças" do Corinthians como o próprio Fagner, Renato Augusto, Paulinho, Rodriguinho e outras aberrações crias dos gambás. Na Copa da Rússia, foi chamado para substituir Daniel Alves após este sofrer uma misteriosa lesão de última hora (curiosamente, Fagner foi visto em Paris alguns dias após a lesão...). Acabou tornando-se titular após Danilo sofrer outra lesão misteriosa após o 1º jogo. Embora contestado, foi o segundo jogador com mais roubadas de bola, atras apenas de outro anão, Kanté. Ambos se aproveitaram da altura média de 1.90m dos jogadores da copa para roubarem a bola sem ser vistos e passarem por baixo das pernas dos adversários. Encontra-se desaparecido desde o jogo contra a Bélgica nas quartas, quando foi incumbido de marcar Hazard e procura o belga até hoje.

Ver também[editar]