Faxinal do Soturno

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Gnome-searchtool blue.png Faxinal do Soturno é uma pequena cidade desconhecida.
Você pode estar perdendo seu tempo à-toa ao ler sobre essa joça.
Se você passar na rua, todo mundo fica olhando.

Sciences de la terre.svg.png
Macarraopre.jpg PORCA DESCICLOPÉDIA!!

Questo articolo è 100% made in Italia ed è sotto il controllo di Cosa Nostra! Perciò sta' bene attento a dove metti le tue manacce zozze o i nostri amici verranno a casa tua per spezzarti le gambine!


Cquote1.png Você quis dizer: Vaginal dos Coturno Cquote2.png
Google sobre Faxinal do Soturno
Cquote1.png Você quis dizer: Quarta Colonha dos Gringos Polenteiros Cquote2.png
Google sobre Faxinal do Soturno
Cquote1.png Você quis dizer: PORCA MADÓNA! Cquote2.png
Google sobre Faxinal do Soturno
Cquote1.png Isto non ecziste! Cquote2.png
Padre Quevedo sobre Faxinal do Soturno
Cquote1.png Vamo subí o cerro comprido a pé, depois tomamo uma pépsi no Pintado Cquote2.png
Faxinalense sobre à principal atividade do final de semana
Cquote1.png OLHA O QUEBRA-MOLAAAAA!! Cquote2.png
VileiroCamobiense sobre o acesso a Faxinal, ao se deslocar para Nova Palma Beach
Cquote1.png Tá, e o que tem de bom pra se fazer aqui? Cquote2.png
Santamariense sobre o primeiro dia na cidade
Cquote1.png Fax City Cquote2.png
Guria retardada sobre a cidade que mora, no orkut
Cquote1.png Ih, mas ainda nem tá mapeada no Google Maps... Cquote2.png
Nerd sobre Faxinal do Soturno

História

Faxinal do Soturno é a segunda maior aglomeração populacional do ex-estado da Quarta Colônia, e atual província dos Estados Unidos do Sul (perdendo apenas para o Território Independente de Ivorá). Com cerca de poucos mil habitantes (IBGE: 1900 e guaraná com rolha), Faxinal é o primeiro pólo de conversa fiada do país e um dos maiores do mundo.

Além disso, é a terra do vinho, galeto, polenta com queijo, polenta frita, polenta na chapa, polenta mole, polenta brustolada, polenta com potcho, polenta com molho, e ocasionalmente, da uva. Também é muito conhecida pelo fato de ser a única cidade do mundo na qual os motoristas passam atrapaiando oszotros no lado esquerdo da maior rodovia do mundo, a Av. Vicente Pigatto.

Vista aérea da metrópole. Atrás do morro está Ivorá, que integra a megalópole Ivo-Fax.

A cidade surgiu em 1900, quando quatro casais de imigrantes italianos estavam indo para Novo Treviso e se perderam no mato. Foi quando o mais esperto, ficou com medo e teve desarranjo intestinal. Foi para atras da moita para desabafar, quando ouviu o barulho de um carro se aproximando e disse para a esposa: - FAIS SINAL, FAISSINAL e pede informaçón, porcodíuna! Como a situação estava feia, ou "soturna", resolveram denominar o local da "evacuada" de Fassinal do Soturno. Entretanto, nos últimos anos, Faxinal entrou em decadência e encontra-se atualmente no cultivo de hortaliças urbanas.

Perfil dos moradores

A grande maioria (0,5% da população) da população da cidade é composta por agroboys (colonos, ou seja, caipiras "modernos" - típicos da região).

O restante (99.5%) é formada por Emos, Metaleiros, Skatistas, Manos e outras mutações. É do gentílico faxinalense considerar-se uma espécie de semi-deuses (comparáveis a Chuck Norris, Capitão Nascimento e outros clássicos dessa classe), ao definir Faxinal como metrópole nacional, maior até que Porto Alegre (seu exemplo mais aceito de uma metrópole é o da Capital, já que não se conhece nada além da fronteira do seu estado sonhador-separatista).

São conhecidos pelo fato de se considerarem praticamente europeus, visto que na mente deles, Faxinal é um pedacinho da Itália que cresceu no lugar errado. Também adoram colocar um terno e se acharem extremamente elegantes (apesar de usar terno uma vez só no ano, no Baile de Debutantes), ou mesmo pelo sonho distante de morar em POA (cidade mundialmente conhecida por... hã, bem... é,...conhecida por não fazer nada, além de ser a capital do RS e moradia de políticos corruptos).

São facilmente reconhecíveis à distância, uma vez que conversar emitindo um som abaixo de 200 decibéis é colonamente inalcançável.

Vista da praça municipal, em uma das raras ocasiões onde a iluminação está 100% operante

É importante destacar o vício que todo faxinalense tem: bestemar. Um faxinalense que não bestema é tão difícil de se encontrar quanto um gaúcho que não toma chimarrão, ou um cabeleireiro que não seja gay, ou ainda um morador de Porto Alegre que não fique sem fazer nada o dia inteiro. Para se comprovar isso basta você andar pelas ruas de Faxinal, que logo será surpreendido por um energético, caloroso e estrondoso - PORCO DIO. Há também muitas outras bestemas como: "porca madona", "porco can", "porca miséria", etc... O principal motivo dos habitantes dessa linda cidade bestemarem, é para terem um motivo para fazer a famosa "romaria da saúde", em Silveira Martins, pois eles acreditam que terão o perdão divino (ou seja, o perdão de Chuck Norris)pelas suas bestemas, se caminharem vários quilômetros em meio a colônias, matagais e estradas perigosas, muitas vezes de baixo de chuva e durante a madrugada.

A principal atividade do faxinalense é reclamar da quantidade de acidentes na esquina da praça (um por ano, quando chove, geralmente envolvendo algum gringo do Sítio que atravessou a avenida em seu Corcel, sem sinalizar) e sonhar com a instalação de uma "sinaleira", alegando que a cidade está crescendo e o trânsito está ficando complicado. Além disso, a sinaleira faria Faxinal passar da categoria de micro-cidade diretamente para cidade grande.


Férias & Lazer

O povo da cidade tem como grande afeição as praias de Nova Palma, Agudo, Tunas, Restinga Seca, Vale Vêneto, Ivorá e do Bozzetto, onde aproveitam o veraneio para lavar o carro em cima da barragem, economizando a água de casa.

Outra receação bastante apreciada pelos faxinalenses, é estacionar o carro nas arquibancadas do estádio Largo dos Pinheiros no domingo à tarde para assitir às partidas de futebol pela Taça Quarta Colônia, resultando em toneladas de erva-mate e pipoca com açúcri de cana despejadas no meio do mato.


Amanhecer típico de uma foliona do baile de enterro dos ossos

A maior expressão da cultura popular de Faxinal do Soturno é o famoso Baile de Enterro dos Ossos (que de Baile não tem mais nada faz tempo, a não ser pela milenar Banda Charm's, que insiste em arruinar o tímpano dos foliões todo santo ano). É naquele final de semana, depois do feriado de carnaval, que a cidade se enche de maconheiros e bêbados foliões que vem dos mais diversos lugares do estado, sendo que a grande maioria são os drogados participantes dos blocos de Santa Maria.

Neste final de semana a população da cidade praticamente dobra, o que causa um imenso transtorno à velharada, pois segundo eles, "A quaresma é um tempo de meditação e abstinência, e não dessa algazarra toda, ósmia!".

O nível cultural dos foliões é muito elevado, ao ponto do qual, possivelmente turistas europeus sentir-se-iam em casa durante as festividades. Eles não só descobriram que beber cerveja favorece e acelera processo diurético do corpo (e mijar em qualquer canto é uma atividade totalmente natural e saudável), como também se deram conta que as latas servem de decoração para a cidade inteira, na manhã do dia posterior à festa.





abce

A praça

A praça de Faxinal do Soturno, é um lugar muito movimentado, que em dias de festa o numero de pessoas na mesma chega a atingir 5 pessoas. O recorde até hoje é de 7 pessoas, 4 cachorros vira-latas e 666 bacterias. Normalmente esse gigantesco numero de pessoas se reunem na praça para tomar um bom ximarrom e falar sobre os acidentes, de carroças e tratores na avenida.