Feirante

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Cquote1.png Olha o pasteeeel! Olha o caldo de caaaana! Cquote2.png
Feirante tentando estourar os tímpanos chamar atenção da freguesia
Cquote1.png Olha a bandana do Naruuuuto! Olha o Muuuupy! Cquote2.png
Feirante do Anime Friends tentando vender suas otakisses
Cquote1.png Não comprem a mercadoria dos feirantes acima. Comprem de mim! Cquote2.png
Outro feirante apelando para vender seus produtos
Cquote1.png Eu podia estar matando, eu podia estar roubando, mas estou vendendo pirulitos. Então passa a grana logo, senão serei obrigado a dizer que isso é um assalto. Cquote2.png
Frase comum de feirante

Típica placa usada pelos feirantes para atrair clientes.

Feirante é o nome dado as pessoas que não conseguiram juntar dinheiro suficiente para construir uma loja e, por isso, marcam um dia aleatório da semana para atrapalhar o trânsito dos carros montar várias barraquinhas no meio da rua para tentar vender seus pastéis, bananas e sandálias Havaianas pedindo ou implorando desesperadamente para os clientes olharem (literalmente) o nome do determinado produto.

Tipos de Feirante[editar]

Há diversos tipos de feirante. Eles se diferenciam, não pela aparência, pois todos são carecas e têm aquela mesma voz irritante, mas pelo produto que vendem. Alguns exemplos:

Feirante Rip[editar]

São os feirantes que vendem drogas, piscinas de 1000 litros contrabandeadas, acessórios feitos com pedras de pouco valor e outras tranqueiras inúteis como lapiseiras e canetas "descartáveis", camisas da Nike que, segundo eles, são originais, cédulas de mentira, canetas que dão choque, entre outros produtos que você acha legal, compra, mas nem usa. Eles costumam frequentar feiras de artesanato.

Feirante mendigo[editar]

É o feirante da esquina que vem te incomodar todos os dias com aquela barraquinha "pequena" de churrasco ou yakissoba que ocupa metade da calçada. Eles ficam em lugares agitados, onde há bastante movimento, como saídas de baladas, pontos de ônibus, ao lado do McDonalds, no prédio da Isabela, etc.

Feirante Otaku[editar]

Geralmente, encontram-se na Liberdade ou em eventos de anime. Gostam de vender pelúcias de algum personagens de anime, mangas e touquinhas ridículas de algum bicho estranho. Mas o que realmente os faz lucrar é a venda da bebida sagrada, Mupy. Eles também atendem a freguesia emo, vendendo produtos masoquistas e frufrus como, por exemplo, pulseiras de pedra preta, cintos com brilhantina, lâminas de apontador, manuais de como se matar, entre outros produtos caseiros. Você nunca consegue se comunicar com eles e muito menos comprar nada deles, pois eles falam em uma língua estranha e incompreensível.

Tio do churros[editar]

Tio do churros é aquele moço simpático que frequenta todas as feiras, vendendo churros (ou até pastel) para a pirralhada. Ele é o feirante que mais lucra, pois sempre passa a perna nas criancinhas (ou até nos adultos) na hora de devolver o troco, já que elas ainda não aprenderam a subtrair.

Feirante Nerd[editar]

Feirantes nerds são aquelas criancinhas que são obrigadas a participar da Feira de Ciências para mostrarem seus experimentos geniais para seus pais a humanidade. Na maioria das vezes, na verdade, elas sempre criam uma original maquete de vulcão.

Concorrência[editar]

Armamento usado pelos feirantes para acabar com a concorrência.

Um grande problema que perturba os feirantes é a concorrência, que os obriga a usar métodos sujos e criativos para acabar com ela:

  • Colocar alguma coisa chamativa na frente da barraca para atrair a freguesia;
  • Jogar pragas onívoras para estragar os alimentos da concorrência ou fazer uma bomba caseira;
  • Gritar mais alto do que a concorrência;
  • Fingir ser simpático para fazer amizade aliança com os clientes. Eles certamente irão comprar o seu produto, mesmo se for uma porcaria;
  • Mentir o preço e a qualidade dos produtos;
  • Aumentar o estoque de Mupy;
  • Mudar a barraca para um local onde não há concorrência (acho que eles nunca pensaram nisso).