Felixlândia

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Gnome-searchtool blue.png Felixlândia é uma pequena cidade desconhecida.
Você pode estar perdendo seu tempo à-toa ao ler sobre essa joça.
A única rua asfaltada é uma rodovia estadual (provavelente esburacada).

Sciences de la terre.svg.png
Carroca1.jpg Enxada-2.pngEsti artigu é caipira, sô!!Enxada-1.png

Este tar di artigu pareci caipira, foi escritu purum caipira, ô ele é de fato
CAIPIIIIRRA!!!

Num istraga eli naum, si não nóis crava a inxada pra riba docê!


História[editar]

Felixlândia, ou Bagre, é uma cidadezinha localizada no interior do interior do interior de Minas Gerais, fundada por católicos bandeirantes mineiros legítimos que vieram do nordeste por volta do ano de 1600. O principal dos fundadores(leia-se fodedores) desta magnífica cidade é o Sr Padre Feliz(Gato Félix, para os íntimos) que troxe sua bolsa mágica e dela retirou tudo o que está na cidade até hoje: igreja, hospital(onde é, mesmo?), praças(as únicas de mão dupla, tripla, quádrupla... de todo o universo), cemitério(porque toda cidade precisa de um) o Clube Vale do Sol(in Memorian) e o Centro de Macuba, que se diz Boite e onde todos os habitantes entram e ficam doidões: Xangô(ou seria Iansã, Xogum, Iemanjá).

Lenda Local[editar]

Conta-se que um pescador tão velho quanto Matusalém estava voltando da pesca na represa de São José do Eucalipto, quando foi abordado por um Zé Mané sem-o-que-fazer que questionou se ele havia pego algum peixe(além das piranhas, muito abundantes na região, diga-se de passagem). Matusalém disse que havia pego um monte de felixlandinhos, pois Bagre é um nome que não deve ser pronunciado na cidade. A simples pronúncia desse nome provoca mortes, dores e mal estar em quem o diz. Até hoje os moradores ficam revoltos quando houvem o nome-que-não-deve-ser-pronunciado

Clima[editar]

O único meio de sair ou entrar em Felixlândia (nem Teletransporte ou Portais dimensionais encontram essa cidade!).

É o inferno verdadeiro! Mais quente que o sol amarelo e frio que o sol vermelho. Temperaturas variam entre 55°C e 75°C. Nas épocas de chuva, que são poucas, há intensas inundações que destroem toda a cidade(existe algo mesmo pra se destruir???). Logo após as chuvas a cidade é novamente reconstruída por todos os barrageiros da região e de outras regiões também.

Hidrografia[editar]

É banhada pela represa da cidade vizinha Três Marias, cuja população de Marias já passa dos 13.000, e que também passa pelo antigo São José do Buriti, San Jose de La Buracha atual São José do Eucalipto, um dos distritos da cidade(como pode uma cidade dessas ter distrito??. E pelo rio de Parisopeba, local onde Penélope constrói sua barragem de dia e a destrói a noite, com a ajuda de diversos barrageiros de diferentes empresas do ramo.

Vegetação[editar]

A cidade possui uma vasta flora constituída principalmente de cagaiteiras, mangueiras, articunzeiros e piquizeiros. É claro que também possui uma quantidade razoável de trepadeiras, que infestam a região.


Fauna[editar]

Conta com a mais extensa fauna, contendo muitos animais raros, como as piranhas negonas ou os viados campestres. Há ainda uma espécie rara de corno manso e galinhas pirguetes. Em suma, ainda há os brasas que são animais ainda não identificados, mas que já se descobriu ter um parentesco distante com porcos, piranhas, galinhas e gambás.