Feromonas

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Nuvola apps atlantik.png Coloque mais dados aqui. Feromonas merece!

Aqui poderiam estar mais dados relevantes ao invés dessa merda.
Esclareça os fatos, melhore a redação e assim salve uma alma do purgatório.
Seja útil uma vez na vida e contribua para este artigo ou seção melhorar: edite-a

PortugalDJoãoscary.jpg Manuel, vê-me dois cäcətinhos, o pá!

Æstə ärtigo é purtugäish, gajo. Élə comə cacətinho cum bəcalhau, tuma um vinho ishtränho, adora cumpetir cum a Ishpänha e tem um bigodão.

Se vəndalizarish, um bäenfiquista vai atrás də tua mãe


Feromonas é um youtuber português que nasceu no ano de 5 a.c, e ficou popular até 2016, chegando à marca de 3 milhões de inscritos e desde aí começou a fazer vídeos patrocinados por marcas de leite. Feromonas também lançou a sua própria revista em 2016, que foi comprada apenas pelos familiares e amigos muito próximos, porque nem o resto dos amigos quiseram comprar o livro do autista youtuber.

Foi em algum dia de algum mês do ano de 2017 que o canal de Feromonas foi dado como morto pelas autoridades portuguesas do cyberbullyng, e então continuou com 3 milhões de inscritos até o ano de 2040. Para a surpresa de muitos atualmente em 2019 ele volta com uma aventura de minecraft HYATALE MOD. Como diz a música. Ele é um português bem cabeçudinho.

Sobre[editar]

Feromonas bebe leite sentado no sofá da avó, até que um dia foi jogar numa pedra, e decidiu criar um canal. Feromonas também abusa sexualmente tanto a sua sobrinha e sobrinho depois de gravar os vídeos

Os videos do Feromonas são a maioria de Minescrafiti Só para Ganhar dinheiro por causa dessas crianças mongoloides mas atualmente faz videos de jogos cagados como Baldi Basics e Hello neighbor pois são todos jogos modinhas para o publico infantil.O feromonas tinha um problema grave que depois tinha de ir ao hospital, e ficou com um problema grave da saúde. Feromonas tambem teve a conquista de criar um cemiterio para o seu proprio canal e os seus 3M de subscritores mortos

Ver também[editar]