Finados

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Grue Jammy.gif Este artigo é sobre um dia do ano.

Se você faz aniversário neste dia, foda-se!
Ninguém quer saber disso.

Um finado comemorando o seu dia.

Finados é o dia em que comemoramos a ida de um parente ou amigo para o céu. Ou a descida de um inimigo para o quinto dos infernos. No Dia de Finados, vamos sempre tirar da solidão um monte de carne putrefata, enterrada a seis palmos de um lugar fedido e escroto. A ausência da pessoa prestigiada não diminui em nada o ardor com o qual o comemoramos; pelo contrário; quer dizer mormente economia na conta do açougue, quando planejamos um churrasco, ou na compra de um presente, que se restringe a um baratíssimo buquê de flores -afinal, defuntos não comem carne nem se importam com presentes mixurucas.

Como vemos, apesar de ser um dia destinado à reflexão sobre a pós-morte, o Dia de Finados se tornou uma data comercial e festiva. No 2 de novembro, viúvas de presuntos ainda quentes saem para a gandaia sem o menor pudor, enquanto coveiros aproveitam o momento propício para ganhar uma graninha extra vendendo souvenirs funerários ou proporcionando serviços adicionais. Mas nem por isso o Dia de Finados deixa de ser uma ocasião de zelo por parte do povo brasileiro; dedicado como é, o trabalhador tupiniquim vê, no Dia de Finados, a data oportuna para visitar cada uma das 500 tias que morreram nos poucos dias em que faltou ao serviço.


O Dia de Finados e o Halloween[editar]

O Dia de Finados brasileiro ocorre exatamente dois dias depois do Dia das Bruxas nos EUA. E isso é uma pena. Porque, depois de ressuscitarem durante o Halloween, os zumbis norte-americanos têm a oportunidade de comemorar a solenidade em sua homenagem com fartura de cérebros, como podemos ver em vários filmes desse país. No Brasil, pelo contrário, os zumbis só são prestigiados em produções cinematográficas do Zé-do-Caixão.

Na verdade, o Dia de Finados é uma versão brasileira estrategicamente remasterizada do Halloween yankee. Enquanto os estadunidenses distribuem doces no referido dia, os brasileiros se abstêm de gastos do tipo; afinal, tendo em vista a precária condição sócio-econômica de nossos cidadãos, uma reedição do Dia de São Cosme e Damião traria consequências nefastas no orçamento familiar. Sem falar no caos occasionado pela super-lotação das clínicas odontológicas.


Regras de Etiqueta para o Dia de Finados[editar]

Não fica de bom tom usar roupas extravagantes no Dia de Finados, ainda que seja durante o velório de um dos integrantes do conjunto Restart ou de qualquer outro travesti do tipo. O ideal é usar aquela peça de roupa preta, discreta, sem decotes ou exageros; qualquer deslize nesse sentido e você pode ser confundido(a) com uma gótica promíscua ou com um vampiro das trevas. Nada contra esse gênero de seres peculiares, mas a grande maioria das pessoas que visitam cemitérios durante o Dia de Finados não está interessada em fazer orgias em túmulos nem realizar rituais de magia negra (ou não).

Quanto ao uso de óculos, aproveite para tirar o mofo daquele seu Raiban maneiro. Além de tirar onda com seu visual descolado, você vai poder disfarçar sua ausência de tristeza por causa do "passamento" de um parente de segundo grau de quem você nunca ouviu falar ou nem se lembra mais. De quebra, acaso aquela sua tia chata e varizenta o aviste da outra ponta do túmulo, você vai ter uma boa desculpa esfarrapada para ignorá-la, dizendo depois que estava muito emocionado para olhar ao redor. Óculos escuros também são bons para avaliar sem qualquer contrangimento os peitos das viúvas alegres que sempre comparecem nessas ocasiões, tão cheias de lágrimas quanto de segundas intenções.

Aproveite para colocar suas intenções na missa do dia. Como não têm nada o que fazer mesmo, os finados sempre acompanham as missas do dia e, em especial, àquelas celebradas em benefício dos "fiéis defuntos". Ademais, isso vai livrá-lo da obrigação de sair da comodidade de seu lar para fazer uma visita sem sentido ao sepulcro onde estão os restos mortais de alguém, até porque os cemitérios de uma cidade sempre ficam muito distantes, geralmente naquele lugar onde Judas perdeu as botas.