Fiodor de Mandrágora

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Bambu.jpg Fiodor de Mandrágora faz parte do Incrível Mundo Vegetal Folhoso
Este vegetal foi certificado pelo Greenpeace como um artigo livre de agrotóxicos, transgênicos e outras pragas nocivas.
Night creature.JPG Fiodor de Mandrágora surgiu das trevas!!

E está aqui pra puxar seu pé!

Puro osso.gif


Fiodor de Mandrágora

FiodorMandragora.JPG

Classificação Espectro
Cavaleiro
Deus a que serve Hades
Armadura Mandrágora
Golpes Grito Dilacerante (Strangle Shrill)
Perfil
Nacionalidade ???
Local de Treinamento Inferno
Nascimento ???
Frase Favorita "AAAAAAA"


Cquote1.png Você quis dizer: Espectro de planta que grita? Cquote2.png
Google sobre Fiodor de Mandrágora
Cquote1.png Você quis dizer: Fiofó? Cquote2.png
Google sobre Fiodor de Mandrágora
Cquote1.png Experimente também: Palmon Cquote2.png
Sugestão do Google para Fiodor de Mandrágora
Cquote1.png Já ví isso no Harry Potter! Cquote2.png
Guria retardada sobre Mandrágora
Cquote1.png Mandrágora é uma planta que emite um grito para quem a colhe... blábláblá... Cquote2.png
Hermione sobre Mandrágora
Cquote1.png Eu tenho medo! Cquote2.png
Regina Duarte sobre Fiodor de Mandrágora

Apresentação[editar]

Mandragora.gif

Habitando as profundezas do Mundo Inferior, na forma de uma plantinha do barulho, que grita e apronta as maiores confusões que até Deus duvida, Fiodor de Mandrágora é mais um paga-pau do Imperador Hades, o Senhor do Mundo dos Mortos e tio da Deusa Athena nas horas em que não está tentando dominar o Planeta Terra no lugar dela que é uma representante horrível para o Planetinha Azul.

Ele aparece no filler na Saga The Lost Convas, ou Saga da Tela Perdida, para aqueles que não entendem Inglês ou o porquê dos japoneses usarem o Inglês em tudo, ao invés de usar a sua língua-mãe. Ele é o fantasma Espectro que protege uma ruína próxima à Colina do Yomotsu, a entrada mais pobre para o Mundo dos Mortos, haja visto a enorme fila que tende a se formar nesse local para a entrada do bando de defuntos, tal qual a fila do INSS ou mesmo a fila do SUS aqui pelo Brasil.

AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA[editar]

Cquote1.png MWAHAHAHAHAHA! Agora tenho um artigo na Desciclopédia! Cquote2.png
Fiodor sobre o artigo dele

Fiodor de Mandrágora é reconhecido como a Estrela Celeste do Ferimento, talvez pelo fato da planta que representa a sua Armadura Negra possuir algumas funções medicinais em vários quesitos, que curam as feridas e outras esfoladas na pele de qualquer descuidado (se não for por isso, não faço a mínima ideia do porquê dele ser a "Estrela Celeste do Ferimento"). Ele tem a sua armadura (que é mais conhecida como Surplice) baseada na Lenda da Mandrágora, uma plantinha maquiavélica e demoníaca que não existe na Nação Canarinha mas que não chega ao poder emanado por uma mandioca crua brasileira nem à pau (ui!).

Basicamente a Mandrágora possui uma raíz muito profunda e difícil de ser recolhida, se bem que ninguém deveria sequer mexer com a raíz da planta, já que ela não tem nada de especial e nem sequer é coméstivel. Mas para as pessoas mais malvados com o Lado Verde Escuro da Força, ou aquelas que gostam de plantar mudas no quintal da casa, a planta tem um segredo que é, literalmente, de matar.

Mandrágora e sua origem macabra. Isso realmente é uma lenda que dá medo!

Diz a mentira lenda que tal plantinha nasceu bem embaixo das forcas medievais da Idade Média, lugar esse em que várias pessoas que eram enforcadas (O RLY? Pensei que fossem defenestradas!), mesmo muita delas sendo inocentos ou culpadas. Tal planta acabou sendo a retaliação dos condenados contra os seus enforcadores e contra todo o mundo que o jugou por estar condenada à tal tortura, por isso, quando um idiota indivíduo vem a arracancar tais plantas da terra, puxando as suas raízes, ela emite um grito tão agudo, mas tão agudo, que é capaz de matar instantaneamente aquele que a puxou, quem estiver ao seu redor ou mesmo uma cidade inteira (MWAHAHAHAHAHA!).

Tal grito pode ser comparado com os piores gritos realizados diariamente do mundo, como: uma mulher com TPM, uma modelo que descobriu que acabou de encordar duas gramas, um homem ao perceber o arranhão feito no seu carro novinho, tua namorada ao saber que você é broxa e muitas outras coisas ruins no mundo.

A missão de Hades[editar]

Fiodor de Mandrágora tendo uma boa recepção de Tenma de Pégaso.

Sobre a infância de Fiodor de Mandrágora nem Masami Kurumada, o autor dessa joça toda, teve coragem de escrever, ou ao menos mostrar um pouco dentro do desenho, naqueles flashbacks que são rotinas nos animes dele, por esse motivo, falar um pouco sobre o passado de Fiofó Fiodor é quase tal obscuro quanto o caminho de volta do Acre, já que ninguém conseguiu nenhuma informação de como fazer isso. É claro que suposições é que não faltam, uma delas é o fato dele ter chego ao Inferno através da degustação de uma Mandrágora crua, ainda gritando, o que acabou lhe dando um baita derrame rabial, trazendo-o à óbito.

Quando ele chegou ao Inferno, todo cagado virou gozação de todos os outros Espectros, até mesmo de Zelos de Sapo, que, naquela época, ainda era o mais chacotado de todos. Com pena do rapaz e sendo um deus bondoso, Hades o tornou um de seus Espectros, mas só para não perder o fio da piada, condecorou-lhe com a Surplice de Mandrágora, só porque combinava mais com ele.

Cuidado, a Máscara da Mandrágora vai gritar.

Com essa armadura que mais parecia uma fantasia de destaque de escola de samba de um município esquecido pelo mundo, Fiodor tinha total vergonha de sair em público, até o dia em que pediu para o Imperador Hades que ficasse vigiando um casebre abandonado perto da Colina do Yomotsu, onde poderia ficar sozinho e não ser incomodado. Hades não gostou muito dessa ideia, mas Fiodor explicou que aquilo poderia ajudar e muito como uma sala de tortura para pessoas que chegassem ao Inferno mesmo não estando mortas, o que acontecia muito durante as famosas Guerras Santas.

Foi aí que Hades percebeu que o cara estava certo e, por saber que ele era forte o suficiente para cuidar do local (pelo menos assim ele achava), deixou-o cuidando de tudo, desde a sua limpeza até informações sobre as novas almas que caíam na Colina direto para o Inferno, sendo que, para ele não ficar matando hora o dia todo, ele sempre tinha que passar um relatório de quantas almas estavam passando por alí e calcular a velocidade com que elas caíam no buraco da colina, só para que ele não dormisse em serviço.

The Lost Canvas[editar]

A Colina do Yomotsu, um belo lugar para quem não deseja o Paraíso.

Após a invasão do Imperador Hades à cidade onde viveram Ele, Sasha e Tenma quando criança, o Cavaleiro de Pégasus ataca o Imperador sem nem pensar duas vezes, para o azar do Cavaleiro de Jumenta voadora que acabou morrendo (pelo primeira vez o Cavaleiro de Pégasus é morto facilmente). Porém, para o azar de muitos que estavam doidos para ver um outro protagonista fazer parte da trama, Tenma não morreu por completo por estar utilizando uma pulseirinha de flores (ui!) feita por Athena e acabou indo parar em uma área próxima à Colina do Yomotsu, onde acabou sendo encontrado por Fiodor de Mandrágora e sendo mantido em cativeiro no casebre do Espectro. Além de ser um puto gostoso, só devia ser do signo Escorpião mesmo.

Ao acordar e vê-se todo acorrentado em uma parede, Fiodor se apresenta como o Espectro que guarda aquele local e que logo mais um dos Titãs infernais, Minos de Griffon, irá atacar o Santuário de Athena com todos os Espectros que estão sob a sua responsabilidade. Para o desespero do Cavaleiro de Pégasus, que se agita no local.

Cquote1.png Grito Dilacerante! Cquote2.png
Fiodor de Mandrágora sobre seus inimigos.

Mesmo acorrentado, ele tenta travar um duelo contra Fiodor de Mandrágora (como sempre, os Cavaleiros de Pégasus nunca se dão por vencidos, mesmo estando mais do que óbvio a sua derrota), mas isso é simplesmente inútil, já que, estando acorrentado, ele não é páreo para o "Grito Dilacerante" do Espectro, que é um golpe que nada mais é do que a representação do grito da Mandrágora que sai por uma mascarazinha esculpida em sua Armadura Negra no lado esquerdo do peito dentro do coração.

Tal golpe tem o poder de paralisar o oponente que tentar atacar Fiodor, podendo a gritaria aumentar segundo a vontade do Espectro. Depois dessa pequena apresentação, Fiodor resolve dar uma volta para pegar um pouco de ar e repassar as informações de que Tenma de Pégasus ainda estava vivo para o Imperador Hades, deixando toda a guarda do local para Markino de Esqueleto, um Espectro noob e que não sabe cuidar nem mesmo da própria cabeça (mas pelo menos ele tentou fazer alguma coisa, não vamos crucificá-lo por isso).

O Resgate[editar]

Yato de Unicórnio até que tentou, mas tudo foi em vão.

Tenma de Pégaso parecia até estar morto, porém a sua garganta funcionava que era uma beleza, tanto que o cara não calava a boca nem sequer um minuto, para a felicidade de Yato de Unicórnio e Yuzuriha de Grou, que tiveram a obrigação de descer até o Inferno para buscar o cara, como se ele fosse fazer alguma grande diferença se morresse logo de uma vez. Chegando lá e pensando que tudo estivesse tranquilo só pra salvarem o cara, são atacados por Markino de Esqueleto, que avança sobre eles com uma foica tal qual a Dona Morte faz nos quadrinhos da Turma da Mônica.

Infelizmente eles não são nem feridos, já que a hentai Yuzuriha o derrota com uma bela joelhada na nuca, algo básico para uma Amazona. Quando finalmente eles vão libertar Tenma, aparece Fiodor, vindo das trevas, e ataca primeiramente Yuzuriha, por saber que ela é a mais forte que tem deles alí. Yato, tentando bancar o herói, tenta vingar a humilhação sofrida pela moça, lutando com o cara, mas o anão não é páreo para um cara com quase dois metros a mais que ele.

Só mesmo o poder do protagonista para conseguir vencer o Espectro de Mandrágora.

O Cavaleiro de Unicórnio e a Amazona de Troll Grou ainda tentam continuar os seus ataques contra o poder paralizante do Espectro, mas o Grito Dilacerante ainda é mais forte do que qualquer um deles, mesmo tendo Yato atingido a imagem da Mandrágora na Surplice de Fiodor com o "Galope do Unicórnio". Vende o quão burro eram os seus salvadores, Tenma teve que queimar a rosca o cosmo para se libertar das correntes em que estava preso e lutar contra o Espectro de Mandrágora.

Depois de conseguir se libertar, Tenma concentra o seu mais forte ataque (que nada mais é do que um "Cometa de Pégasus") e dispara contra a imagem já rachada da Mandrágora, antes que a mesma abrisse a sua bocona e gritasse mais uma vez. Agora sim, finalmente alguém conseguiu vencer o Espectro de Mandrágora, depois de somente ter aparecido alguns perdedores. O pior de tudo não foi nem ser derrotado pelo protagonista, mas sim o fato dele não conseguir sequer ficar vivo por pelo menos mais de um episódio tal qual o Espectro Kagaho de Benu, a Estrela Celeste da Violência.

Ver também[editar]


Cavaleirospredef2.jpg