Football Club Flora Tallinn

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Football Club Flora Tallinn
Escudo do Flora.png
Brasão
Hino '
Nome Oficial '
Origem Bandeira da Estônia Estônia - Tallinn
Apelidos
Torcedores
Torcidas
Fatos Inúteis
Mascote
Torcedor Ilustre
Estádio Estádios dos Leleks
Capacidade
Sede
Presidente
Coisas do Time
Treinador
Pior Jogador Nuvola apps core.png
Melhor Jogador Crystal Clear action bookmark.svg.png
Patrocinador
Time
Material Esportivo
Liga Campeonato Estoniano
Divisão Meistriliiga
Títulos
Ranking Nacional
Uniformes



Football Club Flora Tallinn é um tradicional time de futebol da Estônia, tradicional só no seu pequeno país esquecido mesmo, cujos um dos poucos orgulhos é nunca ter sido rebaixado (pois na Estônia não existe segunda divisão, até mesmo porque todos os clubes já são ruins o bastante e o campeonato já se parece com uma segunda divisão). O time é tradicional por aceitar apenas jogadores estonianos, o que não é muito difícil de se fazer, pois dificilmente alguém de outro país iria ir jogar futebol nesse fim de mundo mesmo.

História[editar]

Fundação[editar]

O Flora foi fundado em 1990 pelos mesmos fundadores da Meistriliiga. Com a eminência da falência da União Soviética, a população de 450 estonianos que não foram massacrados perceberam que agora finalmente poderiam ter uma liga própria e que o único time da cidade não precisaria mais ficar sendo humilhado eternamente na Série D do campeonato soviético. Embora a estreia do clube tenha sido ficando na lanterna da Série Z do último campeonato soviético de 1991. Anteriormente Stalin teria mandado fuzilar um time tão ruim, mas no ano seguinte a URSS já não existiria mais.

Primeiros campeonatos estonianos[editar]

Em 1992, como o JK Narva Trans (único time existente na Estônia até então) não poderia jogar sozinha contra sigo mesmo, foi criado além do Flora mais outra meia-dúzia de times ás pressas. Portanto, o primeiro campeonato de 1992 foi decidido no par ou ímpar por falta de jogadores, e no primeiro campeonato realmente real o Flora foi o vice-campeão de 1992-93.

Bi-campeonato estoniano[editar]

Por ausência completa de times ou de coisa melhor, o Flora conquistaria o bi-campeonato de 1993-94 e 1994-95, época em que adotou seu escudo e cores. O verde pela ausência de árvores e vegetação na Estônia com o desenho de uma mulher gorda empunhando um baseado de maconha, erva a qual os jogadores consumiam antes dos jogos para entrarem pilhadões.

Liga Europa de 1994–95[editar]

Graças ao título nacional de 1994 e a consequente descoberta da Estônia por parte da UEFA, o Flora participou pela primeira vez numa competição internacional pela Liga Europa de 1994–95, quando na fase dos times café-com-leite-que-ninguém-se-importa enfrentou o Odense da Dinamarca, perdendo os dois jogos por 3x0 e encerrando assim a sua primeira melancólica e esquecível participação.

No ano seguinte repetiria a mesma coisa contra o Lillestrøm SK da Noruega, também pela Liga Europa (até então havia bom senso e esses times ruins demais eram proibidos de participar da Champions League), mas em casa o time estoniano conquistou uma impressionante vitória por 1x0, provando toda a ruindade do futebol norueguês. Tpdavia, no segundo jogo os noruegueses ganharam de 3x0.

Champions League 1998-99[editar]

Depois de conquistar seu terceiro título nacional em 1998, o Flora foi convidado a participar de sua primeira Champions League na temporada de 1998-99, quando foi sorteado para enfrentar o campeão Steaua Bucureşti (sim, esse lixo romeno já ganhou uma Champions). O jogo até hoje foi o mais importante da história do Flora, inicialmente convidado só para fazer número e encher a tabela numa fase preliminar da fase dos times café-com-leite da fase preliminar da fase dos times ruins da fase anterior da primeira fase da Liga dos Campeões da UEFA. O Flora venceu em casa por 3x1, usando a neve, ausência de comida, tédio a seu favor. Na Romênia, todavia, o Flora foi derrotado por 4x1 e assim eliminado.

Anos 2000[editar]

Após uma década de fracassos, em 2001 o time se mudaria para o Leleks Stadium, onde seria tri-campeonato, sendo que em 2003, de modo invicto. Se um time ruim como Flora foi campeão invicto de algo, foi a prova mais do que perfeita para a UEFA jamais tirar a Estônia no último nível de países europeus ruins.

O título invicto de 2003 foi mero acaso, pois em 2005 para não perder o costume de ser um time ridículo, o Flora ficou em quarto lugar num torneio onde só tem times amadores.

Liga Europa de 2015–16[editar]

Por falta de times disponíveis na Estônia, o Flora está sempre fazendo número na primeira fase da Liga Europa (a qual se passou alguma vez, foi com muito sofrimento e o adversário era algo abaixo de "time amador"). Dessa vez, em 2015, enfrentou o FK Rabotnički da Macedônia. Ganhou em casa por 1x0, utilizando-se em sua vantagem as deprimentes paisagens estonianas que abalam o psicológico dos adversários, mas depois na Macedônia foi derrotado por 2x0 e consequentemente eliminado.

Em comemoração o escudo do time foi levemente modificado, e a silhueta de uma mulher gorda foi trocada por de uma mulher mais em forma.

Títulos[editar]