Francisco Sá

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Francisco Sá é um fim do mundo grande no meio do nada, que é chamado popularmente de Minas Gerais. Francisco Sá é alvo de piadas de outras cidades regionais (mas de quem está fora dos limites de Francisco Sá as piadas não funcionam pois não estão nem aí para as piadas de um buraco em Minas) e é muito chamada de "Caipira-mor".

e bem que praticamente todas as cidades em volta dela são caipiras mesmo...

História[editar]

Um dia incomum em Francisco Sá, não pelo acidente pois isso acontece quase todo dia, mas sim pelos Bombeiros aparecerem, eu achava que a cidade não tinha corpo de bombeiros!

Fundada por um capitão de um Navio do Rio de Janeiro. Não se sabe o que deu na cabeça, talvez dias no mar devem ter torrado os miolos do capitão que acabou enlouquecendo, se afastou do mar e resolver se meter em um fim de mundo seco, sem mulher (não mudou muita coisa mesmo do mar para o interior de Minas) e com muito pó.

Anos e anos depois trabalhando para construir uma fazendinha naquele fim de mundo ninguém mais sabia que Francisco Sá era Europeu e o confundiram com um mestiço, não que isso seja ruim mas era ruim para as pessoas na época. Seja como for, todo mundo começou a retratá-lo com o rosto empoeirado de Francisco Sá.

Logo, ele virou o ilustre afundador do município e teve uma estátua em sua homenagem, apesar de que isso teve um significado reduzido com o passar dos anos, afinal até mesmo um hidrante que salvou o primeiro incêndio de Francisco Sá recebeu uma estátua em sua homenagem o que soou ridículo.

Ano passado, esse hidrante se candidatou a prefeito da cidade e ganhou.

Coisas que existem em Francisco Sá[editar]

Pegando de inspiração de outra cidade mineira que ganhou um prêmio do governo mineiro por ter feito uma lista de Coisas que não existem e não vão ter no município daqui 1000 anos Francisco de Sá, após ter sido revelado que duvidavam da existência da cidade, fez uma lista de cosias que existem nela.

Apesar de que algumas soam meio duvidosas pois estão com existência "pela metade".

  • Prefeitura: Construída pela metade, por enquanto, desde nossa emancipação, mantemos a prefeitura anexada com uma sorveteria no centro da cidade, que existe sim!
  • Atrações Turísticas: Engano! Isso não existe aqui...
  • Restaurantes: Temos quatro deles espalhados pela cidade, apesar de que três deles sejam churrascaria-hotéis que estão com o pé na cova e quase na falência, o quarto já faliu e só está lá abandonado, aproveitamos o prédio desse último para construir uma escola!
  • Mulheres: Sim, existem mulheres aqui, só que não exatamente do jeito que a maioria pensa
  • Padaria: TODA cidade pequena tem isso.
  • Casas de classe média baixa: Sim, e foi confirmado com uma pesquisa feita pela prefeitura que 50% da população fica o dia inteiro na frente da varanda fazendo nada, 30% fica na praça fingindo discutir política e 20% diz que gosta de Pão de queijo.
  • Pessoas: Apesar de serem a minoria, sim!
  • Patrimônios: Como museus, es´tatuas essas coisas? A maioria está em estado degradante mas sim!
  • Escola de verdade: Tá... Não existe ainda.

A cidade foi indicada por Minas Gerais como "Maior livro plagiado de outra cidade da região" e isso acontece com frequência em Minas Gerais. Quem acabou ganhando foi Águas Vermelhas por sua existência duvidosa.

Ver também[editar]