Sigmund Freud

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
(Redirecionado de Freud)
Ir para: navegação, pesquisa
Hitlercriança.jpg

Este artigo é da ÁUSTRIA. Ele fala alemão e pensa como alemão, mas NÃO É ALEMÃO! Ele dança valsa, bebe Red Bull, pratica esqui alpino, é fã do Gerhard Berger e do Niki Lauda, além de visitar Viena todos os dias. Se você vandalizar, Arnold Schwarzenegger vai voltar...

Maria antonieta new version.jpg

Matisyahu20.jpg Cadê o moedinha?

Este artigo é judeu! Ele odeia palestinos, foi escolhido por Javé e não come camarão porque é caro e anti-kosher. O autor deste artigo provavelmente é contador e deve estar cuidando da lujinha.

"Sr. Freud não seria o charuto um objeto de conotação fálica?" perguntou um jornalista, na qual Freud respondeu: "Um charuto, por vezes, meu caro Watson, é só um charuto. Ou não."

Cquote1.png Você quis dizer Aécio Neves. Cquote2.png
Google sobre Freud
Cquote1.png Tinha uma enorme tara por mim. Cquote2.png
Wanessa Camargo sobre Freud
Cquote1.png Tinha uma enorme tara por mim. Cquote2.png
Mãe de Freud sobre Freud
Cquote1.png Sempre foi muito infantil, colocava a culpa de tudo que ELE fazia em MIM!! Cquote2.png
Mãe de Freud, indignada sobre Freud
Cquote1.png Não passa de um filho da puta. Cquote2.png
Carl Gustav Jung sobre Sigmund Freud
Cquote1.png Charlatão desgraçado sacana da porra. Cquote2.png
Qualquer behaviorista sobre Sigmund Freud
Cquote1.png Enquanto Freud explica as coisas o diabo fica dando os toque. Cquote2.png
Raul Seixas sobre Sigmund Freud
Cquote1.png Freud errou! Cquote2.png
Revista Superinteressante, volta e meia sobre sobre Sigmund Freud
Cquote1.png Na União Soviética, Freud é explicado por VOCÊ!!! Cquote2.png
Reversal Russa sobre Freud

Fróid sem explicação para o caso do Dossiê Pelicano: é froids, disse.

Cquote1.png Você me imitou! Paga pau! Cquote2.png
Schopenhauer sobre Fraude Freud

Sujismundo Frido, digo, Sigmund Freud [lê-se Fróid] (6 de maio de 1856 a.C - 23 de setembro de 1939 d.C), judeu da Galileia, foi um malandro médico metodologista, tarado, beberrão, cocainômano, e PSICANALHA, fundedor da psicodelia e psicanálise. Interessou-se inicialmente pela histeria (falta de rola e/ou vibrador), estudando mulheres fogosas que apresentavam esse quadro. Freud planejava estudar direito, mas foi tomado de paixão quando começou a estudar as enguias (um prenúncio de sua tara por objetos fálicos).

História[editar]

Divã, onde Freud costumava praticar suas orgias consultas com suas pacientes. Note como está desarrumado, implicando orgia consulta recente.

Freud foi considerado um dos maiores tarados sexuais da história da humanidade, dizendo que toda a criança já nasce com vontade de ter prazer, incluindo o prazer sexual. Disse igualmente que a criança de quatro anos tem o desejo de foder com a mãe ou com o pai, dependendo de se for menino ou menina. Foi esta teoria de merda que ele utilizou para justificar a sua vontade incontrolável de foder com tudo e todos. O pior é que todo o mundo acreditou. Devido a este pensamento de tarado sexual, Freud é tido hoje em dia como um dos maiores génios da humanidade e um homem muito à frente do pensamento do seu tempo (quando era apenas um homem muito à frente da sexualidade do seu tempo. Ainda hoje o é...) Ainda pior, designou crianças pequenas como sendo "perversos polimorfos" (quer dizer, topam qualquer coisa em matéria de sexo). Dessa forma, Freud é considerado pelo Predefinição:FBI o precursor da pornografia infantil na Internet, razão pela qual seus livros estão atualmente banidos nos Estados Unidos. Porém, devido a sua visão radical dos orifícios humanos (os quais ele, malandramente, chamou de "zonas erógenas"), teve que fugir correndo de Viena, pois ameaçaram-lhe dar porrada.

CD promocional, lançando juntamente com a publicação do livro "A Interpretação dos Sonhos - Manual para o Jogo do Bicho".

Mas apesar de tudo Freud era um rapaz muito educado, culto e inteligente, ele aprendeu uma técnica de hipnose infalível, desenvolvida por um mágico circense chamado Charcot. Freud teve aulas com Charcot, que realizava seus espetáculos em Paris, e depois de alguns meses, Freud já dominava perfeitamente a técnica. Hipnotizava as mocinhas em sua cama [divã, dizia ele para Marta sua esposa] e oferecia a elas seus maiores charutos!!! Muitas não gostavam de ser hipnotizadas e então ele criou o método de pressão nas tetas, o que era um pouco doloroso para elas. Freud criou então a técnica de ejaculação livre: muitas manchas apareceram em seu carpete.

Foi nessa época que suas histéricas trouxeram para seu consultório o sintoma conversivo de gravidez, como Anna O.: suas barrigas inchavam progressivamente e, depois de nove meses, pariam histericamente um filho. Para Freud, tudo não passava de produções do inconsciente daquelas mulheres enganadoras. Elas o acusavam de ser o pai das crianças, de tê-las seduzido, e foi então que teve de se refugiar na Inglaterra, pois Adolf Hitler, que defendia a honra das famílias arianas e puras e foi perseguido por isso), passou a persegui-lo. Uma das principais contribuições de Freud à Psicologia é sua teoria do inconsciente, advinda dos insights" que teve após várias overdoses de cocaína. Um dos seus mais eminentes discípulos, Jung, criou a teoria do inconsciente coletivo, forjada nas orgias regadas a álcool e drogas, frequentes entre os da psicanálise.

Freud teve várias filhas, e entre elas Anna Freud. Quando a moçoila foi crescendo, o velhinho - que era um tarado de primeira - foi acompanhando o desenvolvimento corporal da jovem, que foi se transformando de uma menininha sem-graça a uma ninfetinha gostosa. Daí então formulou sua teoria da sedução: todo pai tinha vontade de comer a filha. Quando a Comunidade Médica da época escrachou o velhote, inclusive ameaçando comunicar a polícia sobre suas fantasias eróticas, ele reformulou a teoria, dizendo que eram as filhas que inconscientemente desejavam seduzir os pais, e pela conversão histérica o seu corpo ia tomando formas voluptuosas tornando o incesto quase inevitável.

Após safar-se das ocorrências policiais pela reformulação teórica, Freud partiu em busca de explorar os mistérios da mente humana. Lançou então a Interpretação dos Sonhos, manual mais popular lançado pelo psicanalise, que até hoje pode ser encontrado em qualquer banca de jogo do bicho do país. Interpretando que certos sonhos indicam Gato na certa, e que outros que aparentemente o fariam apostar no Cachorro mas, na verdade, significariam Pavão, Freud ganhou bons trocados e fez seu nome junto aos mais importantes pensadores da humanidade, apenas comparável ao magistral Içami Tiba. Na década de 1980, seus discípulos quebraram as bancas de jogo do bicho no Rio de Janeiro quando, através da interpretação dos sonhos, apostaram tudo no Viado.

Freud, e a Psicanalise[editar]

Freud também teve seus dias de ser foda (reparem na analfabetismo da pessoa que o retratou).

A psicanálise é considerado um tratamento controverso. Primeiramente, o paciente deve aceitar o fato de que vai torrar uma grana fudida durante quase meio século, sem resultado algum. Em segundo lugar, o paciente passará o resto da vida falando mal da mãe, o que para as demais correntes de psicologia é considerado demência extrema. Em terceiro lugar, o paciente deve se resignar ao fato de que seu terapeuta não lhe ama. Ao contrário, lhe odeia (a chamada "contratransferência") e, durante toda a extensão do seu tratamento, o terapeuta sequer lhe olhará no rosto, exceto no dia de cobrar os pagamentos. De fato, é considerado um dos pilares da psicanalise que o divã (na verdade, um sofazão) seja virado para a parede. Isso proporciona ao terapeuta a liberdade de masturbar-se na presença do/da paciente, ou simplesmente se ausentar do consultório para ir ao banco. Além disso, só quem pode administrar o "tratamento" é um psicanalia autorizado pela Sociedade Psicanalítica Internacional (uma organização mafiosa com dedos em todos os países, envolvida no tráfico de mulheres, principalmente do Leste Europeu).

Na fase tardia, a teoria freudiana já não falava nem de criancinhas nem de sexualidade, pois o velho já estava brocha. Uma de suas obras mais importantes dessa fase é "A Civilização e seus Descontentes", onde postula que o ser humano é dotado de dois instintos fundamentais, Eros (a vontade de comer todo mundo) e Tanatos (a raivinha de saber que há mais xequinhas no mundo do que sua capacidade de comê-las. Essa ideia é um desenvolvimento do Princípio do Prazer x Princípio da Realidade, como veremos a seguir.

Princípio do Prazer x Princípio da Realidade[editar]

Segundo Freud, tudo que fazemos é em busca de prazer sexual imediato, sendo este o Princípio do Prazer. Porém, para que possamos comer todo mundo, precisamos de certas coisas (dinheiro e beleza) e para isso é preciso que sacrifiquemos o prazer sexual imediato, fazendo coisas que odiamos (como trabalhar e malhar), em prol de um prazer sexual futuro, sendo este o Princípio da Realidade.

Porém, o Princípio da Realidade é freud foda, pois veja bem, o cara trabalha o dia inteiro numa fábrica (ou mina de carvão), andando de bicicleta 6 dias por semana, para pagar o carro usado que comprou na esperança de comer alguma xota decente, mas acaba tendo seus planos frustrados pelo aumento da gasolina ou pela bateria arriada do carro devido à falta de uso; enquanto isso, playboys, filhinhos de papai, criados a leite com pera, que nunca precisaram trabalhar, andam com seus carros do ano (geralmente importados), passando o rodo nas vadias, quero dizer, nas nobres mulheres que passam o dia inteiro na academia para ficarem gostosas e pegarem um filhinho de papai que vai garantir que elas não precisem trabalhar. Em seu livro "Além de Foder quero Gozar na Cara", Freud denomina este ciclo como Ciclo da Putaria, em que homens pobres e mulheres feias não têm vez.

Mas Freud, em toda sua sapiência, asseverou que, no final, todo mundo se freud fode, o playboy termina em uma overdose ou falido; a vadia da academia é traída ou espancada pelo boy; o festeiro que viveu exclusivamente sob o princípio do prazer termina morto em um acidente, ou sem fígado aos 22 anos de idade, ou ainda na crakolândia; o nerd que viveu exclusivamente do princípio da realidade acaba suicidando; o religioso entende que Deus[carece de fontes] está cagando pra tudo, e então volta a ser um drogado e/ou uma puta, ou então acaba virando um mendigo que grita nas ruas "jesus está voltando".

Produto que lançou Freud para a fama.

Id(ota), Ego(ista) e Supe-rego[editar]

Id(ota) - Representa nossos instintos sexuais. Indiocrassicamente fazemos de tudo por sexo, desde trabalhar 26 horas por dia a suportar a TPM de uma mulher com cara de cu. Chegamos ao ponto de nos recolhermos a prisão do casamento, tudo isso para satisfazermos os desejos instintivos de foder do Id. Nas mulheres, o id permanece inerte, até ser estimulado por uma quantidade vultuosa de dinheiro e/ou fama.

Ego(ista) - Tem a função de tentar satisfazer nossos desejos sexuais (id) sem que nos metamos (literalmente) em enrascadas. Por isso, o ego nos torna tão egoístas, já que somos capazes das maiores artimanhas para tirar uma foda, desde uma mentirinha até abandonar os filhos por uma ninfeta, ou no caso das mulheres, abandonar o marido frentista de posto de gasolina para ficar com o empresário enrugado.

Supe-rego - Mais incherido que sua vizinha aposentada, o superego vive criticando tudo que o sujeito faz, é aquela voz interior nos dizendo "não estupre aquela gostosa, você não vive mais na selva" ou "não mate o desgraçado que ligou o carro de som em frente a sua casa, tocando sertanejo, num sábado de manhã". Caso você seja religioso, saiba que o Superego é que gera aquele sentimento de culpa após você se masturbar assistindo filmes pornográficos.

Não se pode deixar de mencionar o Alter Ego, que nada mais é do que uma Esquizofrenia disfarçada, já que o sujeito se acha outra pessoa simplesmente por que trocou de roupa ou penteou o cabelo (figuras como Clark Kent e Bruce Wayne eram esquizofrênicos). Há casos, porém, em que o Alter Ego revela, de acordo com Freud, uma vontade inconsciente de dar o rabo, já que o sujeito, que se chama João, se veste de mulher e sai pela noite com o Alter Ego de Ivonete rainha do boquete.

Obras Publicadas[editar]

Fróid depois de passar no MC Donalds.
  • A Interpretação dos Sonhos: Manual para o Jogo do Bicho;
  • Psicopatologia da Foda Cotidiana;
  • Três Ensaios sobre a Teoria da Safadagem;
  • Totem e Tatoo como ce torna racão de cachorro em 21 dias;
  • O Homem dos Gatos;
  • Um Estudo sobre Leonardo ter dado pra Vinte;
  • Além de Foder quero Gozar na Cara;
  • Conferências Introdutórias - Só a Cabecinha Conta?;
  • Conferências para Introduzir (até o talo) a Psicanálise;
  • O Chico e sua Relação com Falta de Rola;
  • Estudos Sobre a Histórinha (predecessor do Kama Sutra);
  • Moisés e a Masturbação.

Ver também[editar]

E o lado negro da força...

Mirror2.jpg Conheça também a versão oposta de Sigmund Freud no Mundo do Contra:

Espelhonomdc.jpg