Fuga

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Não adianta correr pra caralho, se a bicha que o percegue, quero dizer, o bicho, voa pra caralho.

Fuga é o ato de correr pra caralho seja com as pernas ou com o que estiver disponível para fugir de algo ou para se alcançar alguma coisa que se quer. As fugas podem ser perigosas mas, costumam desencadear adrenalina que faz um fogo no rabo espetacular.

Mecanismo[editar]

Qualquer bicho que se sinta em perigo, mesmo que não pense em fuga irá sentir as mãos frias e as pernas quentes, começando a partir da bunda porque pode precisar correr: Isso é mais do que natural mas, numa evolução da fuga, os olhos começam a procurar alguma parafernália que o tire dalí mais rapidamente do que suas próprias pernas.

Um humano por exemplo costuma procurar coisas do tipo automóveis (mesmo que não lhe pertença), ou até mesmo um cavalo mesmo que nunca tenha pensado em cavalgar na vida, isso porque a sensação de desespero lhe faz querer fugir pelo meio que for, desde que possa sair da situação que lhe ameaça, ou que imagina ameaçar.

Assim que o cérebro percebe algo como ameaçador, já causa sensações em todo o organismo podendo desencadear em fúria mas, se o ser em questão mesmo sendo metido a fodão, sabe quando a situação está difícil, vai perceber que a ordem dada pelo organismo é de fugir.

Fugas[editar]

Algumas vezes é bom um veículo para ajudar na fuga.
Hora ideal para fuga.

As fugas cinematográficas são boas mas, não traduzem o que é uma bela de uma fuga bem sucedida ou demorada na realidade. Sim alguns filmes reproduzem muito bem, mas, ainda não traduzem tudo que a fuga representa. A não ser as perceguições de bichos predadores e a fuga de suas presas, daí sim.

Mas, na maioria das fugas dos bichos em fuga se fodem bonito... ou feio e acabam comidos mas, algumas vezes conseguem escapar e o predador tem que se contentar com alguma carniça esquecida por alí. Alguns bichos se perceguem e fogem apenas para brincar, tipo os humanso na fase infantil brincando de pega-pega.

Nas fugas cinematográficas quem está em fuga nem sempre é um bandido, pode ser uma vítima, ou alguém que aprontou mas, não tanto, ou que pensam que tenha aprontado. Essa criatura costuma correr pra caralho até por telhados e muros mas, pirralhos não tentem isso em casa: Dependendo do lugar não se pode nem praticar um Le Parkour saudavelmente. Mas as fugas do cinema costumam ou terminar be ou não depende do enredo mas, aquelas em que o Le Parkour é bem natural, uma fuga mesmo, é melhor do que o próprio esporte.

Nada também muito comparado a você fugir de mulher: Ora, a sua mãe correndo atrás de você com algo para lhe dar um corretivo. Essas fugas são muito fuleiras, além disso pais podem assustar mas, não provocam muita adrenalina. O problema de uma fuga real é que se terminar bem, ótimo mas, se não pode acabar igual ao pobre veadinho perceguido e comido.

Fuga da realidade[editar]

Olhar típico de pinguço quem foge da realidade.

Fuga da realidade é uma veadagem inventada (e nada tem a ver com o podre veadinho), que foge a tudo que tem a ver com fuga mesmo: Nada de adrenalina, mesmo que a imaginação seja muito fértil mas, não nascem bananas nem para um escorregadinha que valha a pena.

Não se sabe porque isso de fugir da realidade foi chamado de fuga se não tem nada das sensações de fuga, antes e nada mais do que uma bela viajada regada à noia e nada do suor das, batidas mais fortes do nervão principal, nada das ideias imediatas... ou seja, totalmente o oposto do que ocorre numa fuga. Chamar esses devaneios (ô frescura) de fuga é mais um erro de definição e mesmo uma ofensa.

Alcançar também[editar]