Fujian Tulou

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Pastel chines original.jpg Pastel de flango, né?

Este altigo foi fablicado na China e pode queblar a qualquer momento. O autor plovavelmente luta Kung Fu e tem uma pastelalia. Não estlague este altigo, pois Jackie Chan está de olho.


Este artigo é um
Patrimônio Mundial da Humanidade.

Pode ser uma ruína, uma cidade
de merda, um matagal abandonado,
mas está protegido!

World Heritage Site logo.png

Leitura recomendada apenas para
pessoas com cultura.

A UNESCO monitora este artigo.


Fujian Tulou são diversos estádios de futebol usados para competições de kung fu e karatê na província de Fujian na China. Muitos desses estádios são famosos pelas suas arenas multiuso que servem desde como fortalezas defensivas a áreas de plantação de arroz ou zonas de prática de yoga/meditação budista.

Tulou[editar]

Os Tulou são curiosos edifícios para fins defensivos construídos aos milhares ao longo dos milênios no litoral chinês para defender o país dos constantes bombardeios piratas (aka japoneses, na China)

Essas fortalezas tem formas circulares só para dificultar o trabalho dos engenheiros, e são cheio de muros de concreto muito mais eficientes quer os tradicionais papel, palhas e bambus do restante das fortalezas chinesas. A área central dos Tulous é muito usada para a realização dos campeonatos nacionais de kung fu na China.

Tulou de Fujian[editar]

O mais famoso Tulou de Fujian.

Os Tulou de Fujian são fortalezas especiais entre os milhares de Tulou tradicionais que existem em cada esquina na China.

Em Fujian o imperador ordenou que fossem construídos estádios de futebol para sediar a Copa do Mundo de 2002 mas infelizmente os seus rivais do Japão e Coreia do Sul ganharam a candidatura, e os fortes tiveram que ser adaptados para proteger a fúria das invasões dos infelizes de Taiwan de acordo com nota oficial do governo chinês.

Esses Tulou ainda são importante zonas de plantio e manipulação oligárquica de preços (cartel) de importantes produtos como arroz, chá e tabaco.

A UNESCO incluiu 46 desses edifícios como patrimônio mundial, cada um com um nome mais desinteressante que o outro que nem merecem ser mencionados.