Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Cquote1.png ÚFIQSPA!!!11! Cquote2.png
Alunos ao finalmente aprenderem a falar a tão honrosa grafia da nova sigla

Cquote1.png Você quis dizer: Fundação Faculdade Feudal de Cavaleiros Medievais de Porto Alegre Cquote2.png
Google sobre FFFCMPA

Cquote1.png Quem concorda, permaneça como está! Cquote2.png
Reitora coordenando uma votação absolutamente democrática.

Cquote1.png Vamos trancar a Sarmento!!! Cquote2.png
Resolução final de toda reunião de Centros Acadêmicos, DCE e CEB.

Cquote1.png Na Fundação não tem JEITINHO! Cquote2.png
A reitora sobre as ações de todos na Fundação. Exceto as dela própria.

Cquote1.png Aluno da UFCSPA não precisa de RU. Cquote2.png
A reitora sobre sua preocupação com assistência estudantil.

Cquote1.png Isso vai aumentar a representatividade estudantil! Cquote2.png
Grã-Duquesa sobre a redução da representação estudantil de 15% para 10% no Conselho Feudal Universitário.

Cquote1.png Melhor do Sul e segunda melhor do Brasil! Cquote2.png
Estudante da UFCSPA sobre a superioridade do Feudo

Cquote1.png UFC... o QUÊ? Cquote2.png
Estudantes Brasileiros, 2010-atual sobre a dificuldade da grafia da sigla

Cquote1.png FFFFF...CM.. O QUÊ? Cquote2.png
Estudantes Brasileiros 1950-2009 sobre a dificuldade da grafia da antiga sigla

Cquote1.png Não posso gastar em cerveja, tenho que pagar mensalid... OPA. NÃO PAGO MENSALIDADE! Cquote2.png
Estudante da UFCSPA sobre a gratuidade de tão maravilhoso estabelecimento de ensino.

Cquote1.png Meu papai tem grana! Cquote2.png
Um estudante playboy/Paty qualquer sobre a sua condição financeira

Cquote1.png Badã. Cquote2.png
Estudante de Medicina da Fundação sobre estudantes de Pseudomedicina da Universidade vizinha

Cquote1.png Segue em direção ao RU e dobra a direita no DCE. Cquote2.png
Veterano fazendo calouro se perder.

Cquote1.png Você não tem postura para ser Médico. Cquote2.png
Um professor careca sobre estudantes usando bermuda

Cquote1.png Acho que vou ficar em casa lendo um artigo Cquote2.png
Aluno da UFRGS recusando um convite de festa feito pela Fundação.

O Castelinho

A UFCSPA - Unversidade Feudal de Ciências da Saúde -, ou Fundação, ou apenas Castelinho da Sarmento (Leite), antigamente conhecida como Fundação Faculdade Federal Feudal Fodástica Fundamental de Ciências Médicas de Porto Alegre (FFFFFFCMPA), é uma comunidade medieval de aspirantes a médicos e aspirantes a aspirantes a médicos. É uma jurisdição feudal conservadora, tendo como regente permanente a reitora (que possui os títulos de Excelentíssima Grã-Duquesa e a Rígida), que está sob o comando do Arquiduque Fernando Haddad, o Generoso, seu amigo de longa data. RESUMINDO: É aquela que quando você diz "a Fundação" ou "A Federal" os gaúchos dizem "ahh, a URGAYS" e acham que entenderam.

Anteriormente, dispunha apenas de um só curso, a Medicina, e seus professores eram felizes e realizados por ganharem rios de dinheiro para nunca dar aulas. Hoje congrega vários outros cursos, sobrecarregando os professores com uma carga horária próxima a de um trabalhador normal e se aproximando da vivência real de uma Universidade Brasileira.

História[editar]

O Reinado[editar]

Cquote1.png O Estado sou eu. Cquote2.png
A rígida reitora grã-duquesa sobre seu reinado

Ainda quando os domínios do minicampus eram conhecidos como Feudo-Faculdade, a Rígida já governava soberana, tendo chegado ao poder por caminhos obscuros. Quando da promoção do Feudo a Universidade Feudal, ela auspiciosamente organizou um golpe de poder, tornando-se a primeira Reitora na história do feudo. Seu governo é baseado na teoria do Direito Divino: mesmo existindo uma votação simbólica (com somente uma chapa concorrendo), sabe-se que a Grã-Duquesa, juntamente com sua Corte, é a única escolhida para governar diretamente por Deus Pai Todo-Poderoso.

Durante o período de regência da Ilustríssima Magnífica Excelentíssima Grã-Duquesa realizaram-se diversas obras faraônicas, como os jardins suspensos na cobertura e a edificação de um suntuoso palácio / restaurante panorâmico, cujo gramado encontra-se hoje sobre os escombros do lendário prédio do Centro Acadêmico de Medicina. Ao projetar seu novo palácio com um amigo arquiteto, a Rígida, em suas conversas com Deus, visionou a construção de um painel artístico, redirecionando a justa quantidade de cem mil reais para sua feitura. De acordo com as convicções místicas da líder, esse painel abençoará todos os alunos de ciências da saúde que por lá passarem, conferindo-lhes o poder da imortalidade e da cura, o que atrairá peregrinos de todo o mundo. Tudo isso para atrair potenciais clientes para o extravagante Restaurante Panorâmico, xodó da Grã-Duquesa, que defende que restaurantes universitários são santuários do mal, atraindo o infortúnio e a destruição.

Atualmente, os estudantes comem e bebem em tavernas próximas à sede feudal.

A Regente reside atualmente no castelo central, onde é ocasionalmente vista com um misto de temor e adoração pelos plebeus, por vezes ajeitando vasos, por vezes digladiando-se com as Roletas Biométricas. A Regente, assim como a Corte e sua Guarda Pessoal, alegam ter grande carisma e transparência com seus súditos, reforçando a inverdade de que o Feudo é, em algum nível, governado democraticamente. O poder religioso é representado pela Capela, trancada a sete chaves, onde, na madrugada, diz-se acontecerem os ritos da nobreza.

Representação milenar egípcia pré-feudal da Magnífica Grã-Duquesa recebendo as bençãos dos deuses e a missão de governar para todo o sempre.

O Iluminismo[editar]

Durante os árduos anos do reinado da Grã-Duquesa, os plebeus estavam cegos pelas trevas da ignorância, qualquer um que ousasse desafiar a Grã-Duquesa tinha a sua cabeça fincada em uma lança no alto do castelo. Contudo, um grupo de rebeldes começou a gerar e transmitir ideias de liberdade, dignidade e respeito, consideradas hereges pela Guarda Real, que os perseguiu e ignorou suas demandas. Apesar disto, seus ideais se propagaram pelos corredores do castelinho, iluminando a mente dos plebeus com a luz da sabedoria, fazendo-os pensar que não precisam servir a Grã-Duquesa cegamente. Esse período ficou conhecido como o Iluminismo, e se estende até os dias de hoje. Nele ocorreram e ainda ocorrem inúmeras batalhas entre os rebeldes e a Guarda Real, em salas de reunião arenas preparadas para isso.

A Tomada do Castelo[editar]

Faixas de protestos dos plebeus rebeldes.

O Primeiro Dia - A Cruzada da Liberdade

Às vésperas do feriado de Independência, no dia 6 de Setembro, um grande grupo de rebeldes organizou um protesto em frente à entrada do Castelinho e levou uma carta de pedidos até a ReitoriaSala do Trono. Como a Grã-Duquesa estava na China em um reino muito, muito distante, os rebeldes foram gentilmente truculentemente recebidos por membros da Guarda Real, que negaram-se a abrir negociações, evidenciando o caráter Feudal do Castelinho. Revoltados pela postura intransigente dos membros da Guarda, os rebeldes, apoiados por plebeus de outros Reinos, Feudos e Repúblicas, ocuparam todo o Corredor Real. Subestimando a força do movimento, a Guarda Real retirou-se com o cair da noite, crentes de que logo ele sumiria. Hoje sabemos, porém, que o movimento resistiu bravamente, mantendo a ocupação do lugar onde ninguém jamais havia ousado entrar.


O Segundo Dia - O Descanso dos Justos

No segundo dia de ocupação, ocorreram os primeiros embates entre os rebeldes e as Tropas Reais. Os rebeldes que não estavam no Corredor Real tiveram sua entrada dificultada ou impedida pelo fechamento dos fortes e quase intransponíveis portões de aço do castelinho. Apesar das dificuldades, muitos conseguiram entrar, esquivando-se das tropas, para manter ocupado o Corredor Real, visto que vários plebeus que haviam apoiado o movimento tinham de voltar para seus respectivos Feudos, Reinos e Repúblicas. Contudo, a República da UFRGS, do outro lado da Sarmento incrivelmente próxima, manteve seu apoio. Durante esse período, o movimento Rebelde ganhou números, força e maior articulação, passando a ser apoiado por várias das castas plebeias. Suas reivindicações foram ampliadas e a voz do povo clamava por elas, mostrando que o pequeno movimento que um dia existira logo se tornaria o maior motim de toda a História do Castelinho. Esse segundo dia foi a predecessor da tempestade, a bonança durante a qual os rebeldes puderam recuperar suas forças para a grande batalha que estava por vir, cuja própria arena de embate seria um dos prêmios.


O Terceiro Dia - A Alvorada da União

A alvorada do dia decisivo da revolução presenciou um Castelinho unido, com todas as castas plebeias apoiando o movimento. Sob a luz da manhã e a intensa pressão plebeia, a Guarda Real aceitou a primeira negociação. Marcada por despeito e truculência, a Guarda Real não parecia estar ciente das implicações da ocupação do Corredor Real e da Sala do Trono e provavelmente desejavam lidar com a situação antes do retorna da Grã-Duquesa, temendo sua tortura eterna. Contudo, apresentaram parca capacidade de combate e falta de bom senso para notar que não mais reinavam altos e absolutos. Esse dia assistiu três gloriosos embates entre a Guarda Real e os plebeus, onde estes conquistaram, passo a passo, a maioria de suas reivindicações, a não ser a principal, sem a qual a revolta não acabaria: a própria arena do combate. A capacidade de combate dos plebeus durante a terceira batalha surpreendeu a todos, deixando a Guarda Real prostrada e sem reação quando os rebeldes, após incrível manobra de combate e tomando o controle da situação, afirmaram que o embate continuaria no próximo dia.

O Quarto Dia - A Canção da Vitória

O dia final da Primeira Grande Revolução Plebeia foi marcado por grande tensão inicial, devido a infantil recusa da Guarda Real em reiniciar os combates. A ocupação do Corredor Real e da Sala do Trono continuou e, ao soar o meio dia nos sinos da Capela, os plebeus se reuniram em frente aos portões do Castelinho e fundaram A Grande Guilda uma união democrática das Guildas de cada casta dos plebeus. Após tal ato, os rebeldes ocuparam e impediram o trânsito da Sarmento da Rota da Seda. Afetados pelo enorme barulho de buzinas pelo prejuízo causado pelo fechamento da Rota da Seda, a Guarda Real aceitou reiniciar o embate, que seria o último da batalha. Consideravelmente curto, o último embate terminou com a rendição condicional da Guarda Real, com a assinatura do termo, lavrada pelo próprio Papa e com o testemunho de Deus, todo poderoso. Hoje, tal termo é exposto com honra por todas as paredes do Castelinho, para lembrar os plebeus dos seus colegas que foram ameaçados e perseguidos mortos durante a Guerra, lutando contra a tirania da Grã-Duquesa.

A condenação à guilhotina[editar]

No início de 2011, antigos membros da corte que foram outrora exilados, decidiram espalhar alguns segredinhos das mutretas da Grã-Duquesa, quando esta ainda era Senhora Feudal. Foi descoberto que a Grã-Duquesa aprovou 47 licitações de compras de pão cervejinha e vinhos do Norte para a divulgação e propaganda de torneio de cavaleiros. Tal torneio nunca foi visto.

Em março de 2011, a Grã-Duquesa se pronunciou ausente por "motivos pessoais". Poucas semanas depois, espiões da plebe e funcionários do reino descobriram o processo jurídico e que os motivos pessoais já não eram tão pessoais assim. Foram mandados e-mails impressos severos papiros e distribuídos por toda a comunidade acadêmica, explicitando a sentença de condenação a 8 anos de humilhação pública nas masmorras brasileiras.

Desaparecida desde então, muitos acreditam que a Grã-Duquesa possa estar escondida em mediações da faculdade, reunindo-se esporadicamente com seus conselheiros, tentando reverter a situação jurídica. Dom Haddad, amigo pessoal da Duquesa, expressou por documento todo seu apoio pela tirana.

Apesar disso, os plebeus exigem a guilhotina.

O Fim do Período Ditatorial[editar]

No ano de 2016, a Grã-duquesa percebia que seu longínquo e autoritário reinado chegava ao fim. Na sala do trono e em outras dependências do Castelinho, o assunto mais falado era sobre a sucessão da Rígida. Reuniões tomavam conta das antessalas do quinto andar para decidir quem seria o próximo a sentar-se no Trono de Ferro, se seria a Sorridente, responsável pela diplomacia entre o Castelinho e o Instituto de Cardiologia Cavalaria (uma ordem de cavaleiros separada do FFFeudo) e pesquisadora arquimaga na arte da defesa contra as trevas ou se seria um cavaleiro desconhecido apoiado pela mão direita da grã-duquesa. Esta, vendo o seu reino às vésperas de ser entregue a seu sucessor, percebeu que nenhum dos reivindicadores detinha o Punho de Ferro, característica pela qual recebeu o título de Rígida, e bolou planos para, talvez, uma última manobra. Aproveitando-se do contexto de conflitos internos entre as castas plebeias e da desorganização resultante das brigas de sucessão, resolveu demolir o espaço de convivências fechar a arena do combate. Na surdina da noite, a grã-duquesa enviou um corvo para os Grandes Arquitetos contendo os planos e permissões para a demolição da arena. Por sorte, o corvo foi interceptado pela Grande Guilda que, sabendo dos planos dela, organizou a última batalha do Período Ditatorial, aquela que ficou conhecida como a queda da Bastilha...

Período Pré-Ditatorial[editar]

Muitos acreditam que houve um tempo em que a Grã-Duquesa não era a maior das autoridades dentro do Feudo-Faculdade. Alguns dados corroboram essa teoria, como a presença do fantasma do extinto Barão, que perambula pelos corredores das masmorras do subsolo e dos contos dos anciãos como a Feiticeira Corcunda, especialista em poções e em microcomputadores e da anciã Brava, que possui rígidos métodos de tortura e visões do futuro, feitas com a magia negra da microscopia eletrônica. A comprovação dessas teorias é impossível, visto que toda documentação histórica foi confiscada pelas mãos inquisidoras da Guarda Real. Sabe-se apenas, que a Brava é suma sacerdotisa da seita a um ídolo, com quem mantém sonhos libidinosos. Há boatos de que a Brava mantém um altar especial para seu eterno amante.

A versão oficial da história conta que, quando o mundo ainda era jovem, reinava o caos. Os departamentos condados digladiavam-se pelo poder, em uma guerra que durou o que parecia uma eternidade. Eis que, do oeste, surgiu uma bela heroína, chegando veloz em uma vassoura um carro com motorista particular. Essa heroína uniu os povos sob um mesmo brasão, sendo coroada Grã-Duquesa, e destinada pelos deuses a comandar os povos pelas eras infindáveis.


Atualmente, existem diversas pesquisas em andamento sobre o funcionamento da vida social dos plebeus, durante o período Pré-Rígida. Em recentes prospecções arqueológicas realizadas no local do ANEXO II, foram encontradas, além garrafas de cerveja vasilhas de barro, usadas para armazenamento de alguma bebida mística; e vestígios de pintura rupestre em blocos de gesso, com desenhos evocando nomes de antigos plebeus e exaltando sua futura função na comunidade. A interpretação dos achados por especialistas do ramo, leva a crer que antigamente funcionava no local uma espécie de seita que os plebeus recém promovidos a uma casta superior promoviam para todo o feudo. Na mesma pesquisa, postula-se sobre um antigo centro de treinamento esportivo militar, que seria a base do antigo sucesso do feudo no INTERMED nas cruzadas. Com a chegada da Excelentíssima Grã-Duquesa, dando início ao reinado, toda a cultura desta época foi queimada e os remanescentes expulsos da faculdade mortos em praça pública.


Estrutura[editar]

A Estrutura do Castelinho da Sarmento é absolutamente invejável, levantando sérias dúvidas sobre o caráter Federal Feudal da Universidade. A verba para a manutenção de tal patrimônio provém de origens obscuras. Suspeita-se da venda da troca do antigo vestibular pelo ENEM como uma das fontes. Suspeita-se também de uma relação de amor entre a Grã-Duquesa e alguns Sirs do Ministério da Educação.

Tudo o que se sabe, é que temos elevadores falantes, chãos polidos, corrimões lustrados, piso de mármore, luminárias na biblioteca, cafézinho no subsolo e lustres de cristal por toda a Universidade. Temos reformas obscuras e de necessidade duvidosa todo ano pela universidade. Não temos marcas de pés na parede, nem chicletes nas carteiras. Não temos escrituras em portas de banheiro, nem talhações em classes. Não temos estofados rasgados e não podemos apoiar o pé no sofá da biblioteca.

Além do muro de 3 metros, do arame farpado e dos poços repletos de crocodilos famintos, temos catracas biométricas e câmeras para proteção contra estudantes invasores.

É tudo bonito, mas é bem chato.

Em recentes estudos após o desastre Illuminatti da Boate Kiss, os estudantes constataram que em caso de tal tragédia, o Castelinho abrigará dezenas de corpos de seus estudantes, pois a saída de emergência de todo prédio é composta pela Magnífica Escada Em Caracol, facilmente obstruída se atingida por horrores como esse.


O Castelinho[editar]

Primeiro e principal edifício do Império da Grã-duquesa, a Rígida. Foi construída em um tempo muito, muito distante, no Período Pré-Ditatorial. Suspeita-se que a igreja realizou tal ato como forma de buscar algo de útil pra fazerum objetivo para a existência da Irmandade da Santa Casa. Dessa forma, a Fundação tornou-se a primeira faculdade de Medicina que não criou seu Hospital-escola, mas foi criada por ele.

Masmorras[editar]

Cquote1.png Desce até não poder mais. Cquote2.png
Veterano ensinando calouro como chegar na sala

Cquote1.png Como você está pálido, meu filho! Cquote2.png
Mãe de calouro sobre os efeitos do primeiro ano.

Cquote1.png Mas que cheiro de merda nesse corredor!! Cquote2.png
Alunos sobre sobre o cheirinho bom pós-almoço que fica no subsolo.

Sombrios e tenebrosos, os corredores das Masmorras são habitados por criaturas míticas como o fantasma do Barão e as contribuições egípcias, duas múmias. Tais seres podem ser encontrados nos laboratórios de Anatomia, Histologia e Microbiologia, assombrando os alunos das mais terríveis e aterradoras formas, incluindo a degustação o exame de potes de merda amostras de material biológico para estudo.

O laboratório de Anatomia abriga cadáveres de plebeus e rebeldes que já ousaram "tretar" com a Duquesa. Respeitosamente, seus corpos foram embebidos em formol, e são utilizados por todos os cursos da faculdade. Inclusive a Gastronomia.

Na parte central das Masmorras, existe o Labirinto Administrativo, onde os estudantes que desejem registrar formalmente qualquer coisa devem se aventurar. Suas paredes de vidro e labirintos de sebe, isolam os trabalhadores do sol do dia. Caso seja merecedor de honra e glória, tal estudante alcançará o Santuário do Labirinto, vulgarmente chamado de Protocolo Santo Graal.

Quinto Andar[editar]

Originalmente acima de tudo o de todos, a Grã-duquesa governa impiedosamente os pobres estudantes do Feudo, defendida pelas Pró-Reitorias Guarda Real. Com a construção do sexto andar, estuda-se a possibilidade de transferir e Reitoria, de forma que a Grã-duquesa continue reinando alta e absoluta.

É sabido que todos os sons, conversas e barulhos emitidos em qualquer ponto da universidade, ECOAM nos corredores do 5° andar. Câmeras de segurança foram instaladas para um controle maior do movimento infravermelho dos alunos.

Após a tomada do castelinho, a Grã-Duquesa mandou instalar um grande portão de ferro, separando a reitoria dos demais espaços. Foram contratados 2 centuriões, que atualmente jazem a frente do portão, evitando (ou tentando evitar) outra rebelião plebeica.

Os banheiros do quinto andar são pontos de visitação obrigatórios, devido a excelente vista panorâmica. São a primeira opção dos alunos e funcionários em eventos de diarréia explosiva (especialmente em casos de giárdia, ou pós-almoço nas tavernas).

Biblioteca[editar]

Cquote1.png Você quis dizer: Discoteca Cquote2.png
Google sobre sobre o verdadeiro propósito da biblioteca.
Lugar para muita azaração, bate-papo e escutar música no volume máximo. Conta com um acervo vasto de livros riscados e faltando páginas. Ainda conta com uma ótima e super apropriada trilha sonora proveniente dos ensaios da orquestra e do coral da UFCSPA, que tocam bem ao lado.

Jardins Suspensos[editar]

Jardins Suspensos, ainda em construção

Cquote1.png Serão um excelente local para estudar, conversar e descansar. Cquote2.png
Grã-duquesa sobre os Jardins Suspensos.

Agora abertos para visitação dos meros mortais estudantes, os Jardins Suspensos estão geralmente desertos devido ao calor insuportável/vento minuano que devasta os alunos. Na sua entrada, há o grandioso mosaico de granito e mármore intitulado "Jardins de Células" licitado por 100 mil moedas de ouro.

Com a "falta de salas" nos dois prédios do Feudo, algumas reuniões de Cavalarias como a Cavalaria dos Doutores Palhaços são realizadas ao ar livre. Seus vastos campos de lírio são palco ainda de aulas da Maria Paula, tutorias, picnics, pegação e DRs. Os Jardins também protagonizam eventos peculiares como uma tentativa de suicídio e amassos entre funcionários da limpeza do Castelo.

Anexo II[editar]

Anexo II

Vencedor de um prêmio de elefante branco engenharia, e antiga promessa do Feudo, o Anexxxo II (que não se sabe porque é anexo DOIS, já que só existe UM prédio além do Antigo Castelo) conta com 3 andares voltados para o digníssimo, super necessário e plenamente justificável (em uma universidade com um problema crônico de falta de sala).... estacionamento! Afinal, onde mais os sirs e duques(as) que o habitam deixariam suas liteiras?

Engloba também a sala fodástica das estudantes de Fisioterapia, a sala de rituais pagãos Florence Nightingale que funciona como laboratório para os estudantes de Enfermagem e o incrível Restaurante Panorâmico, o maior orgulho da Grã-duquesa. Atualmente, o prédio é deserto, com ar condicionado central de temperatura boreal e repletos de salas bem equipadas e vazias. Sua construção demandou tamanho trabalho e planejamento que o prédio não possui capacidade nem para ter bebedouros. Boatos correm de que isso, na verdade, faz parte do plano da Grã-Duquesa para que a plebe os estudantes de fato não permaneçam por ali (embora ninguém se atreva a falar em voz alta, com medo das masmorras). O ponto chave da estrutura encontra-se nos banheiros, utilizados para realização de atividades de integração entre os sexos.

Sobre o Restaurante Panorâmico, sabe-se que os mais valorosos Sirs e Duques(as) se reúnem para suas refeições ao meio-dia, em que os Estudantes filhinhos de papai abastados puxam o saco dos professores. Com preços módicos de 15 reais em média por almoço, os reles mortais ainda tem direito à uma deliciosa sobremesa, inclusive a Torta de Bolacha recheada com Band-Aid, em que ocasionalmente, os alunos encontram curativos e cabelos em meio as camadas das delícias oferecidas.

Sua inauguração teria sido um grande evento, não fosse o detalhe de que foi realizada antes do Anexo estar pronto.

Anexo III[editar]

Anexo III

O mais novo brilho dos olhos da alta cúpula feudal, é o território dos laboratórios de pesquisa, como o de realidade virtual, onde experimentos envolvendo mágica, alquimia, alucinógenos e psicodélicos são realizados - tudo isso sem ter ainda um projeto de pesquisa.

Prédio da Pós-Graduação[editar]

- DESCANSE EM PAZ -

Em mais um ato de fúria, a Duquesa mandou demolir o prédio da Pós-Graduação, e alocou (do verbo: aloka) seus trabalhadores e mestrandos para o Anexo II, onde estes estão expostos a uma rede de esgoto não-terminada, pó de asbesto, sílica e outros patógenos de áreas de construção.

Giga Byte[editar]

Durante uma visão, a Rígida previu que em sua futura obra faraônica de verba altamente duvidosa construção do Anexo II haveria um restaurante envidraçado panorâmico que seria frequentado apenas pela alta corte, de forma que a plebe e os mais baixos que a plebe, os estudantes, não iriam sequer colocar os pés no mesmo. Como um certo careca sempre brada que os alunos deveriam se sentir envergonhados por não pertencer à nobreza suprema que rege o Castelinho a Fundação e ter R$10,00 para almoçar, a Cúpula Suprema decidiu por fazer um favor a um chegado uma licitação e colocar uma cafeteria sobre a biblioteca.

Após muitos estudos, a Rígida instalou uma filial da lanchonete-taverna do folhetim global Malhação, também conhecido como Gigabyte, local em que todos alimentos servidos são murchos multicoloridos, sem gosto saudáveis e não-alcoólicos.

Supõe-se que exista recheio nos salgados, mas nunca foram encontrados registros de sua existência.

Preza-se principalmente pelo alto grau de higiene local, já que o saco é coçado dinheiro é contado com a mesma mão com que se esquenta seu super barato cafezinho, de 3 reais.

E sendo a Rígida uma profunda conhecedora de economia, já previu a inflação até 2050 e decidiu que os preços já seriam os desse ano, de forma que eles nunca sofreriam aumento. Por isso todos alunos podem comprar uma coxinha a módicos R$26,50. Os alunos também podem comprar, em tretas especiais, as famosas Tortas Voadoras, importantíssimas na solução de problemas de turma como mudanças de provas e boatos inverdadeiros.

DERCA[editar]

Órgão mais fdp amável e mal atendido querido da ufcspa onde os servos estudantes são enviados para resolver todo e qualquer tipo de problema e necessidades da instituição. Reza a lenda que ainda existem processos da era pré-Duquesa para resposta no DERCA. Este local conta com vários funcionários que não sabem fazer nada e que nada resolvem, dependendo em todos os casos da opinião e última palavra da chefe do departamento. Dizem os boatos que agora que a Chefe estará em licença maternidade e o DERCA será fechado por falta de capacitação técnica.

Conselho Feudal Universitário[editar]

Representa o auge da democracia UFCSPAniana. Nele, os cavaleiros da távola redonda conselheiros que por ventura votarem contra alguma decisão da Grã-Duquesa, ganham o digníssimo "direito" de repensar seu voto até que A Rígida consiga o quórum mínimo para validar suas propostas. Por debaixo da sala dos conselhos há ainda túneis que levam os revolucionários direto para as masmorras do subsolo, caso necessário. Fantasmas dos antigos coordenadores de curso que ousaram questionar seus mandamentos são vistos, por vezes, vagando pela sala dos Conselhos e pela Sala do Trono.

Cursos[editar]

Medicina[editar]

Cquote1.png Há 10 anos eram 1 ou 2, há 5 anos eram uns 40%, ano passado 60% e hoje mais de 80% deles são gays! Cquote2.png
Um certo professor de anatomia
Cquote1.png Qual a diferença entre ser médico e ser Deus? - Deus não pensa que é médico. Cquote2.png
Sabedoria popular sobre médicos e aspirantes
Cquote1.png Eu nem queria ter uma vida sexualmente ativa mesmo! Cquote2.png
Estudante de Medicina
Cquote1.png Vou estudar esse ano, mas quando eu passar no vestibular vai ser só festa! Cquote2.png
Vestibulando de Medicina sobre o fim da sua vida social
Cquote1.png Vou estudar só mais esses 6 anos, depois eu vou curtir a vida e os frutos do meu esforço! Cquote2.png
Estudante de Medicina sobre o fim da sua vida social
Cquote1.png Vou estudar só mais esses 5 anos, depois é hora de aproveitar a grana do tempo investido! Cquote2.png
Estudante de Residência sobre o fim da sua vida social
Cquote1.png É só os primeiros 10 anos de carreira que são puxados assim, depois fica tranquilo! Cquote2.png
Médico em inicio de carreira sobre o fim da sua vida social
Cquote1.png Vou trabalhar só mais 5 anos, para fazer um pé de meia, depois começo a pensar mas na família. Cquote2.png
Promessa feita a cada 5 anos
Cquote1.png Preciso trabalhar! Cquote2.png
Médico aposentado sobre o fim da única coisa que teve na vida
Bah, mas esse bixos da medicina são gostosos hein! Bixetes de todos outros cursos da FFF

Curso composto, basicamente, por pessoas que apanhavam no colégio. Após passarem no vestibular, tentam mudar completamente a personalidade.

Antes da realização do ENEM, a população do curso contava com 85% de ex-estudantes do Rosário, 20% de nerds riquinhos e ingênuos estudantes do Fleming e 8% de estudantes do interior do Rio Grande do Sul. Felizmente a matemática não está no currículo. O curso também oferece cotas para aqueles que passaram na UFRGS e decidiram ir para um lugar com um pouco mais de nível.

Com o advento do ENEM a totalidade das vagas (88) permaneceu com pessoas de fora do estado (97% de Paulistas), demonstrando que os gaúchos precisam estudar mais, caso contrário vão parar em espeluncas tipo a UFRGS, UFPel, UFSM e até mesmo chegarem ao desespero de pagar 9,600 reais de mensalidade para cursar a ULBRA.

Todo estudante de medicina acredita ser um semi-deus e possuir diversos poderes, como: riqueza certa, poderes divinos e sedução inesgotável para com as senhoras do sexo oposto.

Um comportamento comum aos integrantes desta seita é a confusão entre inteligência e capacidade de decorar nomes por segundo. É muito comum que esta elite intelectual não consiga fazer um cálculo, ou ler um livro, ou praticar o coito.

Existem dois motivos principais para a entrada de uma pessoa em tal curso:

  • A busca pela imitação do Deus televisivo House M.D., do qual tentam incorporar sua falsa sabedoria, mas apenas conseguem imitar porcamente sua arrogância estética.
  • Afagos e parabéns da mómis e do papis, talvez uma caranga, e uma faixa escrito "Bixo 2000+x", onde x>13.
  • Acreditar que a profissão será um Remake de Grey's Anatomy ou ER, num clima de muita azaração.
  • Nadar em dinheiro.
  • Muito dinheiro.
  • Ser um ser humano tão bom quanto o Patch Adams.

Durante uma pesquisa perguntaram a um aluno da Medicina da Fundação: - Prefere Shakespeare ou Cervantes? Ele respondeu: - “Sebento”

Na mesma pesquisa foi perguntado ao mesmo aluno: - Prefere sexo convencional, anal ou oral? Sua resposta foi: - “Sebento”

É natural que os alunos costumem desfilar nas redondezas ufcspanianas com seus jalecos, dos quais não tiram em nenhum caso, inclusive no sexo realizado uma vez ao ano.

Todos acreditam que vão trabalhar no Hospital Mãe de Deus, Moinhos de Vento ou Johns Hopkins, mas a maioria acaba num postinho da Vila Cruzeiro. Acreditam que vão nadar em dinheiro e conseguir verba de 10 mil reais mensais durante a residência de Neurocirurgia, mas a verdade é que vão engravidar alguma enfermeira no final do quinto ano.

O Centro Acadêmico[editar]

As ligas acadêmicas[editar]

A sociedade de aspirantes a médico é segregada e cheia de contrastes. Em função disso foram criadas as ligas acadêmicas. São elas:

LMHAM[editar]

A Liga Masculina de Homossexuais Aspirantes a Médico é um grupo homogêneo e dele fazem parte aproximadamente 50% dos aspirantes do sexo masculino. Suas principais características são:

  • 95% de seus amigos são mulheres
  • Falta de interesse nas amigas
  • Bonitos, com algumas exceções
  • Malemolência vocal
LMHAM[editar]

A Liga Masculina de Heterossexuais Aspirantes a Médico - LMHAM - é frequentemente confundida com a LMHAM. Isto se deve, provavelmente, à idêntica grafia das siglas das ligas. De fato, é difícil perceber a diferença de um membro do LMHAM e do LMHAM (somente pessoas altamente treinadas - veteranos - percebem esta diferença). Este grupo tem como características:

  • 95% dos seus amigos são homens
  • Excesso de interesse pelas integrantes da LFMFAM
  • Feios, sem exceção
LFMFAM[editar]

A Liga Feminina de Mulheres Feias Aspirantes a Médica é integrado por ex-nerds frustradas que, agora, em razão da possibilidade de ficarem ricas algum dia num futuro longínquo, vêem uma luz no fim do túnel. Constitui-se de 80% das aspirantes a médicas. Modo de ingresso:

  • Ter medo de ficar solteira
  • Ter medo de casar, separar e ficar solteira
  • Ter medo de perder o marido para alguma enfermeira safadinha


LFMFAM[editar]

A Liga Feminina de Mulheres Formosas Aspirantes a Médica é formado por todas as aspirantes a médica que comprovem cagar morangos. Em geral são delicadas, desinteressadas por aspirantes feios e difíceis de xavecar. Possuem muita afinidade com aspirantes gays. Algumas delas viram um pênis pela primeira vez durante as aulas de anatomia. Neste caso, não se pode afirmar que viram um pênis ao vivo.

Liga das Aberrações[editar]

Um grupo minoritátio e bastante heterogêneo constituído por pessoas com problemas graves de comunicação, postura ou interação social. São o tipo de aspirantes sobre os quais todos pensam: "Jesus, como é possível que uma pessoa DESSE TIPO venha a clinicar?".

Aluna típica sentada nas escadarias da faculdade

Psicologia[editar]

Cquote1.png Cadê a psicologia???!! Cquote2.png
Estudante tendo crise de identidade já no primeiro ano.

Cquote1.png Mas o curso não é de três anos?? Cquote2.png
Acadêmico de psicologia sobre a aparição esporádica de fantasmas dos alunos do 4º e 5º ano pelos corredores do feudo.

Cquote1.png A diferença entre as ênfases é que... uma preza por precessos de... é... hm... Cquote2.png
Estudante tentando diferenciar as ênfases do curso.

Cquote1.png Essa é a última né?!! Cquote2.png
Estudante ao começar a cursar a 52ª disciplina de avaliação psicológica.

Cquote1.png Nesse ano vai! Cquote2.png
Acadêmico esperançoso ao fazer a disciplina de psicofarmacologia pela 4ª vez.

Cquote1.png Quem é Caíque? Cquote2.png
Bixo sobre o aluno mais famoso da universidade

Cquote1.png Mas não tem remunerado? Cquote2.png
Estudante do terceiro ano no seu último sopro de esperança ao procurar estágio obrigatório.

Cquote1.png Quem tá com o WISC?????!!!! Cquote2.png
Estudante do terceiro ano procurando uma das 4 caixas (pra 30 alunos) do WISC uma hora antes do seu atendimento de psicodiagnóstico.

Composto pelas professoras mais malucas e desequilibradas da Universidade. Além de Medicina, é o único curso que não realiza sua Festa dos Bixos em conjunto com os demais. Provavelmente consideram tais eventos como sintomas decorrentes de problemas em alguma fase do desenvolvimento da personalidade.

São organizados diversos eventos para pegação integração entre eles, como o Psiconfras (chance única pra venerar alguns parcos mortos em guerra alunos do 4º e 5º ano) e o Pizzanálise - ambos organizados pelo veterano aluno Caíque. Há ainda o glorioso grupo de vôlei, onde há relatos de um passado longínquo onde um dia pode ter acontecido do quórum ter sido suficiente pra completar um time (sem reservas, obviamente).

Desde a utilização do ENEM, é composto por 60% de indivíduos frustrados que não obtiveram escore suficiente para ingressar em Medicina e utilizam o curso como forma de morar na capital tratamento. Este fato em conjunto com a análise dos índices de aprovação - inferiores a 40% - em cadeiras como neuroanatomia e psicofarmacologia, entre outras disciplinas, permite a especulação do porquê de sua primeira turma ser composta atualmente por 10 pessoas.

O objetivo principal dos aspirantes a psicólogos no Feudo é aprender a lidar com todo tipo de loucos, tarados e narcóticos, quanto ao que diz respeito à psicologia clínica. Também podem trabalhar com educação, ocupando lugares tipicamente ocupados por pedagogas (supervisão e orientação escolar). No mercado de trabalho comum, podem trabalhar com recursos humanos/gestão de pessoas, em recrutamento e seleção, aconselhamento profissional e outras besteiras inventadas para dar trabalho aos psicólogos desempregados.

Farmácia[editar]

Lendas. São como os cabelos do nosso cu, ninguém vê, mas todos sabem que eles estão lá. São sabidamente produtores de todos os tipos de narcóticos, que impolidamente não oferecem a seus colegas de universidade. Nascem para implicarem com médicos e enfermeiras, com razão é claro!

Não sabemos como ainda não declararam guerra a biomedicina, tecnologia de alimentos e toxicologia analítica.

Fonoaudiologia[editar]

Cquote1.png Vamos beber que amar tá difícil! Cquote2.png
Estudante de Fono sobre Festa da Medicina da Fundação
Cquote1.png Disfagia! Cquote2.png
Estudante de Fono sobre único diagnóstico que sabe fazer
Cquote1.png FonoaudiolOrgia! Cquote2.png
Guris da medicina dando sua opinião sobre curso tão peculiar
Cquote1.png Enquanto não encontro o cara certo, me divirto com todos os errados! Cquote2.png
Estudante de Fono sobre o que aprenderam na fazer
Cquote1.png Ele ficou gago porque leu os comentários do spotted e levou um susto! Cquote2.png
Etiologia mais comum da gagueira dos universitários do castelinho, necessário acompanhamento fono(ral)audiológico
Cquote1.png Minha filha faz uma audiometria na sua tia! Cquote2.png
Família da estudante de fono pedindo exame pra todos os familiares
Cquote1.png Fazem ótimo uso da LINGUAgem! Cquote2.png
Guris da medicina
Cquote1.png Vou te ensinar a usar a língua! Cquote2.png
Estudante de fono nas festas da faculdade

Certa vez formou-se um time de Futsal masculino que alegou pertencer a Fono. Evidentemente, mesmo juntando todos os homens desse curso, não era possível afirmar que eles eram homens.

Nutrição[editar]

Cquote1.png Gorda! Cquote2.png
Estudante de Nutrição afetando a moral, honra e integridade psicológica de uma colega
Cquote1.png Comer uma nutricionista não é o mesmo que fazer dieta! Cquote2.png
Estudante de medicina constatando que não perdeu peso desejado
Cquote1.png Calma, não é para fazer sopa! Vamos estudar ossos! Cquote2.png
Um professor introduzindo uma aula prática de osteologia para as cozinheiras

Espécie avançada de cozinheiras, especializadas em ler e interpretar tabelas nutricionais e fazer operações matemáticas avançadas: soma, subtração, divisão e multiplicação. Nessa espécie, todas as pessoas vivem em um mundo em que uma porção de comida cabe em uma colher de chá, enquanto degustam um maravilhoso sanduíche de três andares. Alegam que sua cantina é na realidade um Laboratório de Técnica Dietética. Suas experiências frustradas são servidas no RU da universidade vizinha. Assim que adentram na faculdade fazem sua inscrição em uma academia, mostrando que seu ideal não é o curso e ,sim, agarrar um médico. As alunas desse curso costumam desfilar os modelitos mais bregas fashions pelos corredores. O mais controverso nesses seres antológicos (mais anta do que lógicos) é que 99% acabam o curso acima do peso, assim como suas professoras - principalmente a chefe-mor.

Fisioterapia[editar]

Cquote1.png Sinceramente não vejo como uma massagem pode ajudar no pós-operatório de uma reconstrução ligamentar. Cquote2.png
Ortopedista sobre Fisioterapia
Cquote1.png Não somos massagistas. Cquote2.png
Alunos da Fisioterapia.
Cquote1.png Médico não sabem definir terapia, médicos achma q fisio só usa aparelhinhos, médicos não sabem nem o que é trofismo e plasticidade. Cquote2.png
Alunos da Fisioterapia.
Cquote1.png Médico só faz cagada. Cquote2.png
Alunos da Fisioterapia.
Cquote1.png Médico tem tanto medo de perder paciente que tentaram o ATO MÉDICO pra criar reserva de mercado, coitados! Cquote2.png
Alunos da Fisioterapia.

Composto em sua maioria por mulheres gostosas! Repleto de aluno que não sabiam exatamente o que queriam fazer. Poucos homens, muitas mulheres (as mais lindas da faculdade por sinal!). A maioria sonha em ser como o excelentíssimo professor Vianna, e vir a trabalhar em um grande clube de futebol e ganhar rios de dinheiro, o que só acontecerá com 1 aluno em cada 23 turmas formadas. Durante as aulas de fisiologia com o professor com cabelinho estiloso que é diretor do curso, frequentemente pensam: "mas que diabos eu estou fazendo aqui?". Os alunos que escolhem seguir a área de neurologia sabem mais do que os alunos de medicina dessa área. Maior parte dos formandos irá trabalhar em clínicas de fisioterapia atendendo velhinhos quebrados e ganhando pouco.

Enfermagem[editar]

Cquote1.png Vai tentar Medicina ano que vem? Cquote2.png
Pais, colegas,parentes e todo mundo
Cquote1.png Faz Enfermagem, é mais fácil! Cquote2.png
Parentes sobre o fracasso dos vestibulandos de Medicina
Cquote1.png Espermagem! Cquote2.png
Estudande de medicina opinando sobre o curso
Cquote1.png Se eu ensinar isso para o pessoal da Enfermagem até eles vão saber, porque é muito fácil! Cquote2.png
Professor (médico, é claro) em palestra no Curso de Cirurgia
É um curso formado praticamente só por mulheres (muitas com beleza duvidável por sinal). Estão nesse curso apenas pela oportunidade de agarrar algum médico, o que está cada vez mais difícil nessa instituição. A formatura para elas representa a entrada em um mundo de horrores, visto que nenhuma sonhava em ser Enfermeira, mas optaram por ir pelo caminho mais fácil.

Os poucos homens do curso são sempre tachados de homossexuais (e muitas vezes o são) e são atormentados pelas diárias discussões das colegas sobre esmaltes, estetoscópios Littmann e outras frescuras.

Biomedicina[editar]

Cquote1.png O que faz um biomédico? Cquote2.png
Sua mãe e qualquer outra pessoa na Terra sobre Biomedicina
Cquote1.png Screw your lab safety, I want superpowers! Cquote2.png
Calouro da Biomedicina para professora de Biossegurança
Cquote1.png Trust me, I'm a scientist! Cquote2.png
Recém formado em Biomedicina
Cquote1.png EPF! Já tem farmácia! Cquote2.png
Estudande de medicina sobre a importância da Biomedicina

Carrascos. Passam metade do seu tempo torturando ratinhos de laboratório. Na outra metade, estudam no microscópio o resultado de seus experimentos malignos. Seu único desejo é um Prêmio Nobel, para se vingar de todos que um dia disseram: - você vai fazer Biomedicina mesmo?

Informática Biomédica[editar]

Cquote1.png Ahhh! Estão falando dos seres magicos que vivem no DCE e acreditam ser o bátimã? Cquote2.png
Comunidade UFCSPA sobre os Informatas Biomédicos
Cquote1.png O TCC deles vai ser baseado em Magic? Cquote2.png
Comunidade sobre a contribuição acadêmica dos alunos
Cquote1.png Cara, foi estranho... eles chamaram os nervos de barramentos e o cérebro de CPU. Cquote2.png
Monitor de anatomia
Cquote1.png You shall not pass! Cquote2.png
Plofessora de Química da instituição
Cquote1.png Depende ... Cquote2.png
Professor de Arquitetura de Computadores
Cquote1.png Já terminaram? Cquote2.png
Professora de Cálculo
Cquote1.png Uhul! chegou os livros do curso Cquote2.png
Aluno no final do semestre
Cquote1.png Curso com maior densidade de testosterona da universidade. Cquote2.png
IBGE
Cquote1.png Quantos mols tem um pastel de flango? Cquote2.png
Alquimista Oriental da Instituição
Cquote1.png Só fazendo um adendo Cquote2.png
Aluno do curso
Cquote1.png Oque é clitóris? Cquote2.png
Aluno durante as aulas de anatomia

Pobres almas perdidas entre aulas de telessaúde e viagens! Genericamente composto por alunos que queriam fazer engenharia da computação, mas infelizmente estão sofrendo nas mãos da plofessola de química. São as únicas pessoas da faculdade que realmente entenderam que não é propriamente o médico que importa, mas sim o número de monitores de acompanhamento remoto que ele tem durante sua operação e se ele usa dispositivos móveis de auxílio a decisão. Depois que se dão conta do quão importante o curso é para o desenvolvimento e funcionalidade da área da saúde, optam por gastar muito tempo no DCE fazendo nada, a espera da valorização de sua carreira.

A Graduação em Informática Biomédica é também o mais eficiente método contraceptivo oferecido pela UFCSPA. Seguido da Graduação em Física Médica e da castração química decorrente dos produtos de limpeza utilizados nos banheiros a cada 12 segundos.

Toxicologia Analítica[editar]

Fornecedores de Dorgas. Sua chegada estava prevista para 2011. Um curso composto por pupilos da Condessa Terrível, famosa por praticar a tortura intelectual com seus servos alunos.

Gastronomia[editar]

Quem? Foi implementado de forma extremamente democrática pela Rígida, que primeiro comprou todos os equipamentos do curso para só depois levar a ideia ao Conselho Feudal Universitário. O curso é composto por um círculo fechado de estudantes que mantém todos seus deliciosos experimentos apenas para si, nunca dividindo o banquete com o pessoal de outros cursos. Ouvem-se boatos de que os estudantes da gastronomia vivem no edifício fantasma do anexo II, em que usam as suas varinhas mágicas para fazerem crepes e os mais refinados pratos. Enquanto isso, os outros moradores do reino vivem sob um encanto em que permanecem sempre acordados, pois precisam estudar para as provas que os permitirão sair das masmorras em direção ao reino da Santa Casa.

O Moodle[editar]

O Poodle, o Múdel, ou o sextube é uma moderna rede social, onde os estudantes se reúnem para encontrarem namorados(as), baixar slides (o método mais comum único método de ensino na fundação), implorar para que os professores divulguem logo as notas, e enviar tarefinhas agradabilíssimas antes das 23:59 de todos os dias.

Está prevista para 2015 a aquisição da versão Surdo-Moodle, para os alunos da fonoaudiologia colocarem em prática suas habilidades adquiridas ao longo da faculdade.

O Jaleco[editar]

Apesar de todos saberem ser extremamente desaconselhado e anti-higiênico, os alunos adoram exibir seus jalecos bordados, no almoço, na rua, na chuva, na fazenda, numa casinha de sapê, na cafeteria de luxo com preços exorbitantes (gigabyte), enfim, em todos os locais possíveis, imagináveis e inimagináveis. Acreditam que isso lhes concederá instantaneamente o status de estudantes da área da saúde, sem notar que as manchas de fluidos não identificados de cadáveres e pacientes não são muito atraentes.