Futból'nyy Klub Spartak Moskva

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Futból'nyy Klub Spartak Moskva
Escudo do Spartak Moscow.png
Brasão
Hino '
Nome Oficial Futból'nyy Klub Sporrada Moskva
Origem Bandeira da Rússia Rússia - Moscou
Apelidos Спартак гёи
Torcedores
Torcidas
Fatos Inúteis
Mascote Operário
Torcedor Ilustre João do América
Estádio Artrite Arena
Capacidade Mais de 8 mil
Sede MosCÚ
Presidente Piroca
Coisas do Time
Treinador Rola
Pior Jogador Nuvola apps core.png Todos!!
Melhor Jogador Crystal Clear action bookmark.svg.png Nenhum, HAHAHAHAHA!
Patrocinador GAY-PÚM
Time
Material Esportivo Naiquí
Liga Campeonato Russo
Divisão Чемпионат
Títulos 10 Títulos
Ranking Nacional 999°
Uniformes



Futból'nyy Klub Spartak Moskva (ou num idioma mais palatável, Spartak Moscow) é um tradicional clube de futebol russo, uma espécie de Flamengo da Rússia, ou seja, um time antigo, com a maior torcida do país, mas que nunca ganha nada e nas raras vezes que ganha a imprensa russa o enaltece como o maior time de todos os tempos. Tanto Zenit Saint Petersburg quando CSKA Moscow já ganharam a sua Liga Europa da UEFA, algo que o Spartak jamais chegou perto de conquistar nunca tendo ido sequer a uma final desta competição europeia secundária, nem queira imaginar as baixíssimas chances do clube na Liga dos Campeões.

História[editar]

Fundação[editar]

Time fundado pelo proletariado que apesar da revolução de 1917 continuava oprimido nos idos de 1922, o nome inicial do time era Krasnaya Presnya, o nome do bairro pobre de Moscow repleto de cortiços e favelas cheio de grupos de bandidos que faziam daquela uma área perigosa e violenta com apostas ilegais e muitos assassinatos. Esta origem humilde e na sarjeta da antiga União Soviética refletiriam nos costumes e estilo de jogo do Spartak até hoje, que sempre oferece um futebol truculento, tanto que o nome foi modificado para Spartak em homenagem à Espártaco, o primeiro zagueiro cavalo bruto que se tem notícia na humanidade, tutor de Odvan e Júnior Baiano, dois ídolos que formaram uma dupla de zaga do Spartak.

Graças ao modo cavalo de jogar de seus jogadores criados na roça e nas siderúrgicas levantando aço, o Spartak logrou conquistar os títulos de 1936, 1938 e 1939 dos primeiros campeonatos soviéticos, conquistando inclusive a honrada medalha da Ordem de Lênin, entregue para quando o proletariado derrotasse a burguesia na base da porrada, ficando eternizado e reconhecido publicamente todas botinadas, carrinhos e voadoras dadas pelos pioneiros do Spartak Moscow nas vitórias da década de 30.

Obviamente, todos os jogadores desse time foram considerados aptos a irem jogar futebol contra os nazistas na década de 40, e os jogadores do Spartak saíram vitoriosos no que ficou conhecido como Batalha de Moscou na primeira partida e Batalha de Berlim no jogo de volta.

Pós-guerra[editar]

Com o fim da guerra, após o estupro da Alemanha, o Spartak voltava às atividades normais e caseiras de quebrar canelas dos próprios camaradas soviéticos, sempre o time sendo a base da seleção soviética onde os principais atletas recebiam suas doses diárias de bomba pra cavalo para se manterem saudáveis e tolerantes ao clima de -20ºC de Moscow onde jogavam bola, assim ganhando de tempos em tempos mais títulos do campeonato soviético nos gloriosos anos das décadas de 1950 e 1960.

A Rixa de Kiev[editar]

Em 1976 o Spartak Moscow encontrava o primeiro rebaixamento de sua história, perdendo a sua medalhinha de 'time grande que não cai', e o seu maior ídolo da época, o atacante Mikhail Kalashnikov, nada pode fazer para evitar tal desastre. A última rodada foi absolutamente marcante, na qual o Spartak enfrentava o Dinamo de Kiev precisando vencer de qualquer jeito, enquanto o rival ucraniano precisava vencer para ser campeão. Como são ambos times extremamente competentes, conseguiram a proeza de empatar, então nem o Dinamo foi campeão e nem o Spartak escapou do rebaixamento. Com ambas torcidas extremamente insatisfeitas, todos no estádio decidiram se confraternizar numa saudável briga generalizada que resultou na morte de apenas 3 torcedores do Spartak, pois a maioria foi salvo pela turma do deixa disso.

Tragédia no Luzhniki[editar]

Outro desastre ocorreu nas primeiras rodadas da Copa da UEFA de 1982-83, ao enfrentar em casa o HFC Haarlem da Holanda. Para se ter uma ideia de como o time era ruim, mesmo o Spartak ganhando de 2x0, o tédio e a vontade de morrer eram tantas, que a torcida simplesmente decidiu cair numa porradaria generalizada de sambo nos arredores do estádio, e após muito Pilão Giratório e Cheira-Saco, 67 pessoas receberam K.O. e foram mortas.

Campeonato russo[editar]

Com o fim da União Soviética, o Spartak Moscow finalmente poderia parar de perder para o Dinamo de Kiev, time para o qual era maior freguês, e agora tinha só os rivais igualmente ruins de Moscow para enfrentar, e assim, com o ex-jogador e ídolo Zangief Romantsev agora como técnico e depois como presidente, o Spartak conquistou uma sequência de 9 títulos nos 10 primeiros campeonatos russos, firmando-se como o time mais forte da Rússia, algo que ficou nesse passado remoto.

Declínio[editar]

Após 2001 o Spartak parou de ganhar qualquer coisa, quando os outros times russos, como o Zenit Saint Petersburg, aprenderam o que era o capitalismo e começaram a contratar bons jogadores por milhões, os botineiros do Spartak nunca mais ganharam um campeonato e sua diretoria viu no capitalismo apenas um meio de exercer corrupção incluindo até prisão do presidente do clube, Andrei Tchervitchenko.

Campeão novamente (2016-17)[editar]

Após 17 anos na sarjeta, o Spartak conquistaria o título russo de 2016-17 num dos campeonatos mais tranquilos da história da Federação Russa, uma vez que os antigos hooligans do time já estavam todos idosos e não conseguiram derrubar um alambrado sequer, então a equipe foi campeã, algo que demorou, e se qualificou para a Liga dos Campeões da UEFA de 2017-18.

Torcida[editar]

Simpática torcida do Spartak Moscow, comemorando mais um fracasso do clube com só um pouquinho de intolerância.

É um time de origem popular, ou seja, a sua torcida é o povão, aquele russo sem classe, geralmente analfabeto, burro, briguento, bêbado, machista, neo-nazista. O Spartak Moscow é dono da primeira torcida hooligan da Rússia que são conhecidos por sua agressividade indisciplina e rebeldia, muito diferente da disciplinada militar bem-comportada dos maiores rivais dos torcedores do CSKA. São torcedores basicamente piromaníacos, e incendiam qualquer coisa que verem por perto, também fãs de derrubar alambrados. Odeiam a OTAN e competem com a torcida do Zenit quem é mais neo-nazi.

Títulos[editar]