G4

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Cquote1.png Ei companheiro indiano, voffê efquefeu fua toalha de banho na cabeffa! Cquote2.png

O G4 é um grupo de 4 países [carece de fontes] que desejam ir à Libertadores da América pretendem aumentar o número de cadeiras do Conselho de Segurança da ONU, com suas participações e o direito ao veto (Direito ao veto, não direito ao voto). A maior (e única) missão do G4 é esta mesmo. Neste caso, o G4 não significa os 4 países mais ricos do mundo, até porque o Brasil e a Índia estão no grupo e nem no Mundo do Contra estes 2 estariam em grupos de países desenvolvidos.

História[editar]

Lula estava sóbrio quando propôs para o então primeiro-ministro japonês Toshiro Mifune criar um grupo de países excluídos da panelinha do Conselho de Segurança. Lula queria uma cadeira no conselho, de preferência à direita, perto do frigobar. Toshiro Mifune gostou da ideia de ter uma cadeira no conselho e foi falar com o então chanceler Manfred von Richthofen, que também gostou da ideia. Herr Manfred foi falar com o ministro indiano cujo nome ninguém sabe (E também nem interessa já que ninguém vai lhe perguntar isto), que também gostou da ideia. O grupo estava criado. Após assinar o acordo com os outros, Lula finalmente pôde dar uma bicadinha na cachaça. Apesar de vários anos na atividade, o G4 nada conseguiu.

Objetivos[editar]

Cquote1.png Brasil no conselho de segurança? Eu prefiro ver o filme do Pelé Cquote2.png

Para Lula, a entrada no conselho de segurança da ONU seria importante para... na verdade ele nem sabe o porquê mesmo, mas acha que seria importante. O Japão quer entrar no conselho para irritar a China, para não perder a liderança na Ásia. A Alemanha quer entrar no conselho para irritar a França, para não perder a liderança na Europa. A Índia quer entrar no conselho da ONU pra irritar o Paquistão, para não perder o controle da Caxemira.

Conflitos[editar]

Cquote1.png Ô companheiro, vofê traiu o movimento G4, véio Cquote2.png

Os chineses, que já possuem o poder de veto, não gostam dos japoneses e não querem que eles entrem no conselho. A Coreia do Sul também não gosta dos japoneses e não quer a entrada do Japão no conselho de segurança. Os argentinos não gostam dos brasileiros e não querem que o Brasil entre no conselho. Bem, quem se importa com a opinião dos argentinos? O México (Até tu Mexicus?) não quer a entrada do Brasil no conselho porque também deseja a cadeira no conselho. o México é concorrente direto do Brasil na América Latina na provável vaga que possa surgir no ano 3986. Os paquistaneses não gostam dos indianos e não querem que a Índia entre no conselho de segurança da ONU. Na ocasião o presidente Perverso Mussarrafo ameaçou jogar uma bomba em Calcutá se a Índia entrasse na panelinha de segurança. A Alemanha não gosta dos franceses, mas os franceses não ousaram discordar da entrada da Alemanha no conselho, até porque quem tem merci beaucoup tem medo.

A união dos 4 países acabou trazendo problemas à candidatura de Lula ao conselho, já que a China, que até então aceitaria a entrada do Brasil, recusou a adesão do mesmo por causa do aliado japonês.

Ver também[editar]

NAFTA logo.png
Organizações Internacionais
v d e h

Blocos económicos: AECALBAALCAAPECASEANCAFTA-DRCANCAOCARICOMCEDEAOCEEACEEACCEIMercosulNAFTAOCDESADCUAUEUMAUNASUL

Outras panelas: BRICSCOICommonwealthCPLPCruz VermelhaEixo do MalFIFAFrancofoniaG1G3G4G5G8G20G77G193GAAAAALiga ÁrabeOPEPOTAN