GANGgajang

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Canberra.jpg GOD SAVE THE KANGAROOS!!!

Este artigo é da Land Down Under! Sua fauna é extremamente mortífera e sua economia depende da venda de camisetas do AC/DC O autor fala um inglês horrível, bebe água suja e assiste MasterChef.

Mate um canguru e mandaremos Priscilla atrás de você!

Playinguittar.gif

John Lennon deu sua benção a este artigo!

Obrigado! Este artigo se sente mais forte agora :)

Clique aqui para mais abençoados.

Passarinho.jpg Este artigo é sobre um(a) artista, grupo musical ou uma banda.

Certamente, seus fãs idiotas alienados o odiarão!

GANGgajang
GANGgajang na praia.jpg
Vamos a praia!
Origem Queensland
País Bandeira da Austrália Australia
Período 1984 – Atualmente
Gênero(s) Surf Music
Gravadora(s) {{{gravadora}}}
Integrante(s) Mark 'Cal' Callaghan;
Chris Bailey;
Graham 'Buzz' Bidstrup;
Robert 'Robbie' James;
Geoffrey Stapleton.
Ex-integrante(s) James Black;
Mike Gubb;
Kayellen Bee;
Marilyn Delaney;
Mark O'Connor;
Gordon Sullivan.
Site oficial {{{site}}}

Cquote1.png Você quis dizer: GANGBANGgajang Cquote2.png
Google sobre GANGgajang
Cquote1.png Você quis dizer: Gangue do Gajang Cquote2.png
Google sobre GANGgajang
Cquote1.png They came from the Land Down Under! Cquote2.png
Men at Work sobre GANGgajang
Cquote1.png To see the beat goes on! Cquote2.png
Madonna sobre ”Hundreds of Languages”
Cquote1.png Boa noite! Por que não me chamaram pro clipe? Cquote2.png
William Bonner sobre o clipe de ”Hundreds of Languages”
Cquote1.png Só me lembro de Midnight Oil, Spy vs. Spy, Men at Work e Hoodoo Gurus e INXS Cquote2.png
Alguém sobre GANGgajang e sua atuação no Rock Canguru Oitentista
Cquote1.png Toca Raul! Cquote2.png
Brasileiro em show do GANGgajang

Todo mundo já ouviu INXS, Midnight Oil, Spy VS. Spy, Men at Work e Hoodoo Gurus, e quem disser que não, está mentindo. Mas, o que nem todo mundo ouviu, ou lembra de ter ouvido é GANGGAJANG, que se escreve “GANGgajang”, pra honrarem a gangue que iniciou a banda. O Men at Work diria que “they came from the Land Down Under”, formada em 1984 e se destaca por ter sido ofuscada por uma meia dúzia de bandas mais famosas, mas que entrou pra história por ter juntado todos os âncoras de telejornais da Austrália (os do “Kangaroo News”, o JN deles, “Boomerang News”, o Jornal da Record deles e o “Outback News”, o Jornal da Band deles) e os usaram pra fazer um clipe.

Origem:[editar]

Isso atrás deles é alguma capela ou os Arcos da Lapa compactados?

A história começa quando Mark Callaghan, vulgo Cal, por trabalhar muito com o material, Chris Bailey, Graham Bidstrup, Geoffrey Stappleton, James Black (peraí, tem mais), Kayellen Bee, Gordon Sullivan e Marilyn Delaney, baderneiros que tocavam, o terror nas ruas de Queensland numa gangue chamada Gajang, armados com Bumerangues (mais australiano impossível) e alguns lança-chamas, num cenário muito parecido com os retratados em Desejo de Matar, mas com a diferença que não tinha um fodão pra fazer a diferença e sair dizimando a população da cidade, assim sendo, eles faziam o dele, mas, quando o novo coronel de polícia apareceu sabendo os verdadeiros nomes e aparências de todos. Então, os 5 resolvem arranjar um disfarce, sabendo que não eram Houdinis da vida, então, olham pra todas as coisas que haviam saqueado nas arruaças, e, depois de muito pensarem em disfarces, olham pras guitarras, bateras e baixos, e se disfarçam de roqueiros, e batizam a “banda” (que depois veio a se tornar uma banda sem aspas) de GANGgajang, num nome meio sutil e que os rivais os procurariam se fossem atentos, mas todos eles que foram num show que eles foram fazer pra manter o disfarce, e deram a ideia pra eles largarem a vida de merda que tinham. Ideia dada, todos renunciaram a bandidagem, se tornaram integrantes de bastidores da banda e o tal coronel que finalmente tinha os identificado, “sumiu misteriosamente” numa emboscada em Adelaide, assim, todos ficaram com seus nomes limpos e a banda finalmente começou a estrada pro sucesso.

A Gangue em Ação:[editar]

Eles também tocam em bares e em festas de casamento

Já em 1984, são convidados pra se apresentarem num programa especializado em mostrar ex-integrantes de gangues que traíram o movimento criminoso e se tornaram pessoas úteis a sociedade, e lá anunciaram que gravariam seu 1º álbum, com direito a investigações, acreditando que foi gravado graças as “atitudes do passado”, sendo que a banda ficou inativa por isso, mas, as investigações deram o óbvio: foi tudo produzido honestamente, e, em 1985, finalmente, conseguiram lançar o 1º álbum. Não querendo inventar muito, ficou no clichê local e se deu bem com isso. A banda tava muito grande, então, começaram a sair passando o rodo, demitindo quase metade dos integrantes e só fazendo uma substituição. O que eles ganharam com o 1º álbum não dava pra todo mundo, isso sem falar que a sonoridade ficava bizarra ao vivo com uma banda com uma porrada de gente. Passaram o ano de 1986 se divertindo com tudo o que conseguiram, com alguns fãs temerosos, achando que tiveram recaída, mas, no ano seguinte, após um crítico dizer que eles tinham sofrido essa recaída, eles chegam com um novo álbum. Olha a gangue aí de novo! E, após ganhar processo contra o crítico que disse o que disse sobre eles, ganharam muito e ficaram 7 anos sem gravar nada, muito ocupados com suas ONGs que cuidam de gangues fazendo justiça com as próprias mãos e limpando as ruas, devido a falta de confiança na Patrulha Canguru. Após a limpeza total das ruas, gravam Lingo, nome que só é lembrado hoje porque Matt Groening pegou esse nome pra batizar um brinquedo robô corretor criado pela Lisa Simpson, que teve seu ápice quando “discutiu” com um mafioso que falava errado, e por causa do clipe de “Hundreds of Languages”, com um monte de jornalistas. Mostrando que não gostam de trabalhar muito, levam muito tempo pra voltar aos estúdios. Enquanto algumas bandas gravam 15 álbuns em 18 anos, eles chegaram a marca de 4 álbuns nesse período, aparentemente querendo sacanear os fãs e/ou querer fazer os álbuns deles quando estão afim. Só pra ressaltar, desde 2002 não lançam nada. Que gentinha preguiçosa...

A Gangue:[editar]

Integrantes:[editar]

Uma banda de rock ou uma fanfarra?
  • Pá de Cal: Vocalista/Guitarrista
  • Chris Baleia: Baixista e outro vocalista e mais um dos mais de 8000 Chris do rock
  • Buzz Lightyear: Outro vocalista e mais uma porrada de instruemntos
  • Robbie: Guitarrista e mais um vocalista, que sofre com o fato de todo Robbie na música ser de sexualidade contestável (né Williams?)
  • Geoffrey Stapleton: Tecladista, guitarrista, e, Advinhem….

CDs e LPs (sim, na época deles ainda era LP):[editar]

Músicas Famosas:[editar]

  • Me Dê um Tiquim de Amor: Se fosse atual, diriam que é emo, mas, como não é...;
  • Casa de Cartas: Eles gostavam de fazer (e conseguiam) casinhas e castelos de cartas, coisas que você não consegue;
  • Sons de Todos: Entram pra história por fazerem uma música de domínio público, ou seja, sem processo por plágio. Não precisa ser nenhum gênio pra saber que essa música já foi plagiada;
  • Sonhando a Noite: Jogam na cara dos fãs e dos críticos que dormem;
  • Maiores Que Os Deles: Comparam os tamanhos de suas dotações com as dos fãs e dos integrantes de outras bandas que carregavam o rock australiano nas costas com eles;
  • Dólar: Só pra falarem de suas contas bancárias e quanto eles cobravam por show;
  • Sorte de Irlandês: A sorte mais FDP do mundo, talvez da galáxia e, na sorte, do universo;
  • Uma Porrada de Línguas: Ao contrário do que o nome sugere, essa música é cantada só em um idioma. Escreveram só pra dizer que falam vários idiomas. Seu clipe juntou vários âncoras de telejornais de vários canais que cantaram Poe eles. Um clipe assim aqui na Terra de Ninguém chamada Brasil seria inviável, já que o Império do Mal de Darth Marinho monopolizaria a parada e só colocariam os âncoras delçes pra música não sofrer censura no país;
  • Mundinho Filho da Puta: O Durans faz sucesso com uma música com esse nome, e eles foram no embalo, prevendo a explosão de downloads, sabiam que procurariam a música do Duran Duran, e, assim, seria a vez deles de brilhar;
  • Fala Comigo, Porra!: Queriam ter certeza que não estavam tocando pra mudos.