Gabriel Colombo

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa


FNM.png Este artigo pode levar-te para o lado rosa da Força!

E gosta de fofoca no TV Fama.

Não o leia, exceto se você for macho, mulher ou está pintando as unhas de glitter.

Gabriel mostrando o dedo que ele usa pra enfiar no cu de quem tá lendo este artigo digitar.

Cquote1.png Sua intenção era pesquisar: Source do beijo na boca? Cquote2.png
Google dando uma de adivinho com a pesquisa de Gabriel Colombo
Cquote1.png Você quis dizer: Gluglu do Pânico? Cquote2.png
Google sobre Gabriel Colombo
Cquote1.png Mata minha sede, cala minha boca e as palavras me são meramente desnecessárias! Cquote2.png
Gabriel Colombo sobre beijo na boca.
Cquote1.png Adoooro beijo na boca! Cquote2.png
BRKsEdu sobre Gabriel Colombo.
Cquote1.png Não tenho nada a ver com essa biba! Cquote2.png
Cristovão Colombo sobre Gabriel Colombo.
Cquote1.png Isso eu ensinei em sala de aula. Cquote2.png
Professor Girafales sobre citação acima.
Cquote1.png É verdade, eu tive que falar isso pro Mestre Linguiça... Cquote2.png Cquote1.png TÁ TÁ TÁ TÁ... TÁ!! Cquote2.png
Chaves, seguido do Tobogã de salto-alto, sobre a citação dele.

Gabriel Colombina Com Rombo Colombo é um poeta genial que digita suas poesias com um só dedo (o mesmo que ele usa para realizar seus prazeres ocultos), mas seu maior amor na realidade advém de um gesto suave que é pura prova de atenção e promessa de romance: O "French Kiss" (beijo francês pros analfas leigos), também conhecido como beijo na boca, coisa que lhe dar desejo de abandonar pra sempre o beijo no rosto, pois que lhe dá tesão.

Gabriel tentando retomar a "fama" se escalando no sucesso dos bodybuilders. Não deu certo, pois ele tinha muita mania de subir em árvore.

Sua poesia "French Kiss" tornou-se uma das declarações mais dignas do Nobel de Literatura jamais vistas. Que Bob Dylan o que, porra, negócio é Gabriel Colombo, pois ele é o grande revelador de uma realidade jamais outrora notada: Beijo na boca é quando um ser entra no outro. Tá que esse papo tá parecendo papo de beijo grego, mas não é, é beijo na boca, e eu ADOOOOORO BEIJO NA BOCA, já que não sei assoviar, nunca vi estrela cadente, não cuido de plantas, digito com um só dedo e adoro beijo na "bóca"...

Virando meme[editar]

Cquote1.png SE JOGA, MONA! Cquote2.png

É quase certo que Gabriel Colombo só aceitou fazer esse vídeo famoso e vergonhoso devido a uma aposta perdida num truco imprevisível valendo a honra; com a derrota no jogo, ou fazia um vídeo romântico, ou dava o toba. Analisando bem a situação, talvez dar o toba fosse menos desonroso.

No vídeo o tal do Gabriel recita uma poesia de autoria própria, que demorou algo em torno de vinte segundos pra criar, ou seja, demorou menos pra criar do que pra falar. Mas o pouco tempo pra criar até que não afetou a beleza dessa poesia parnasianista, o tipo de poesia que Rogério Skylab faria se fosse pederasta e tivesse a fim de um paleta mexicana de carne veiuda recheada com leite grosso.

Essa poesia recitada com tanto afinco no vídeo deixou até a minha avó semilésbica com a calçola de algodão que vai até à metade das coxas encharcada na época, mas felizmente era só mijo, de tanto rir desse demente.

Depois da fama veio a lama. Após cinco horas inteiras de sucesso estrondoso na internet, servindo de chacota até para os poetas machos virgens discentes de Letras, eis que logo a fama foi embora. Gabriel Colombo até pensou em fazer uma nova versão do vídeo, Brazilian Kiss (Cquote1.png Beijo na boca é coisa do passado, a moda agora é fazer anal girado Cquote2.png) mas o YouTube não deixou o cara sequer salvar o vídeo no próprio computador, tamanho o strike dado. Então o meme foi ostracizado.

Análise literária de sua obra morta[editar]

Cquote1.png Ai... um sorriso desses eu não resisto vai... Cquote2.png
Jailson Mendes sobre Gabriel Colombo.

Adoro beijo na bóca (romantismo puro de um poeta da terceira geração do romantismo)
Eu não sei assoviar (nem eu...)
Nunca vi estrela cadente (eu também não...)
Não cuido de plantas (nem... aff ¬¬)
Digito com um só dedo (graças a Jah eu não faço... a não ser quando dá preguiça e faço do ombro do amiguinho de touchscreen - e se você achou que eu ia falar de outra coisa, se enganou!)
E adoro beijo na bóca (repetição de versos, para enfatizar sua ideia central, brilhante)
Tascar beijo de língua, é assim mesmi (ênfase fantástica num ato tão sublime)
Adoro beijo tanto pelo símbolo de romantismo ou desejo sexual dele (nesse momento meu lado macho virgem chega a se ouriçar, vontade de trabalhar e relaxar nesse momento faz-se real... não pera)
Nele é comprovado que o corpo reage fisicamente ao fato de ser beijado, sacudindo até o fluxo sanguíneo do meu cérebro (verso longo para quebrar o clima, o gelo e te hipnotizar - vide na próxima seção do artigo sobre a descrição do vídeo em si)
Quero sempre beijar na bóca como forma de paixão, ao ponto de querer abandonar o beijo no rosto (afinal a verdade do mundo é que tudo é carnaval, negócio é pegar todo mundo)
Que me é pura forma de educação e etiqueta (continuidade da ideia anterior. Apenas um rompimento estético pra dar um clima de suspense)
Beijo na bóca é uma forma de atenção, e promessa de romance (uma realidade inquestionável)
Beijo na bóca me dá tesão (uma confissão emocionante por parte do poeta)
É na língua com língua que fico a vontade, em meio à salivas, membranas e mucosas (descrição biológica, a lá Augusto dos Anjos)
Gosto de beijo na boca inclinando de leve cabeça pra direita (convite subliminar, tentado estou a realizar o mesmo)
Adoro beijo na boca que é quando meu ser entra no outro (metáfora fora de série)
Mata minha sede, cala minha boca e as palavras me são meramente desnecessárias (fechando com chave de ouro convidando a todos a desfrutarem de sua virilidade só vem!).

Concluindo, tal peça literária é de uma sublimidade excitante, uma obscenidade digital, de deixar qualquer um pirado na batatinha e louquinho pra calar a boquinha dele na sua. Ai que delícia porra...

OBS: Ignorem toda a descrição acima, eu estavo (sic) muito bêbo quando escrevi tudo isso, e vocês sacumé né...

Descrição cinematográfica do vídeo[editar]

Admita: Você levaria esse homem pra sua cama e calaria a boca dele na sua!

Essa obra-prima do tesão anal começa com um som do saxofone do Kenny G.LS, primo de terceiro grau do Kenny G e tocador de flauta salgada, negra, de 25cm. Logo surgem palavras feitas no Windows Movie Maker, e depois a autoria do crime. O cara teve a coragem de assumir a autoria disso!

Começa então as cenas deliciosas, e o ator/poeta/jóquei de sucuri/roteirista para de folhear a G Magazine do Vampeta e olha pra câmara com seu jeito másculo, e diz que adora beijo na boca. Depois, em seu puff, triste, afirma não saber assoviar, claro, de tanto chupar pau ficou com beiço mole e nem assoviar mais consegue.

Uma cutscene; Gabriel vira, olha pra câmara, e diz que nunca viu estrela cadente, finalizando o corte com um sorrisinho de depravação, um prelúdio para o que viria mais tarde. Porém, antes, nova cena, perto duma plantação de mandioca-ardente, de bracinhos cruzados, alega que não cuida de plantas. Não posso opinar sobre isso, no entanto, as mandiocas que aparecem na casa dele sempre foram bem cuidadas e abrigadas.

Biel desprezando as recalcadas de plantão, que não têm nenhuma promessa de romance como ele.

Outro corte, e um stinky finger aparece no vídeo. Seu dedo preferido, pra digitar apenas. No seu esfíncter um dedo - bem fininho para os padrões dele - sumiria igual uma sardinha na boca duma orca. Mais um corte e, de novo larga a revista do Vampeta pra dizer que, novamente, adora beijo na boca. E se achávamos, até agora, que o vídeo tinha sido um estupro mental, é a partir de agora que começa a virar um estupro coletivo com jumentos africanos, sendo o cérebro, olhos e ouvidos as vítimas dessa violação.

Então, a abertura do estupro coletivo começa com a frase Cquote1.png tascar beijo de língua, assim mesmo Cquote2.png, com um movimento de pescoço um tanto quanto suspeito. Acho que o câmera-boy tava com a berinjela de fora. Então, finalmente, uma cena altamente viada, como se as outras não fossem... Eu me recuso a descrever o resto do vídeo (que deverá ser descrito por outra pessoa), e eu acabei perdendo 20% de testosterona só nessa cena, junto à explicação e explicitação científica homoerótica do beijo na boca, com direito a metáfora e mensagens subliminares pra transformar crianças normais em crianças viadas travestis da lambada. Até a voz do poeta afina de um jeito mais boiola. Depois de quase 45 segundos de tortura, mas que parecem 45 dias jogando capoeira de gaúcho, o vídeo acaba, não sem antes roubar parte da masculinidade do "assistidor", até a mulher que assiste essa praga perde o resto de testosterona no corpo e fica sem tesão pro resto da vida. Abaixo, a descrição da parte mais primorosa do vídeo, o qual dá nome ao boi, French Kiss.

Descrição da cena sobre o beijo[editar]

Meu bumbum começa a doer seriamente com este artigo. Desculpem-me.

Bem, como o outro tolo diretor não soube controlar seus impulsos do seu lado feminino, coube a mim, que sou um macho de verdade, dar continuidade ao que o covardão não pode. Bem, onde ele parou mesmo? Ah sim, nesse deslizar de língua delici... opa, bizarrésimo, um close no pescocinho e na gargantilha de bijuteria ouro, aquela deslizadinha de cabeeeelo... ain... calma calma, um close dele subindo as escadas balançando aquelas nádegas com suas mãos no bolso, que inveja dessas mão... não, para! Depois ele aparece declamando seus versos em várias poses diferentes, uma delas com uma descidinha de rosto báaaaaasica, antes do "promessa de romance!", e daí o clímax com um sorrisinho deliciooooos... segura porra! Me dá tesão, me dá tes... cala a boca porraaa! Bem, daí um close em preto e branco naqueles oooooolhos, olhando estrategicamente para baixo e depois focando diretamente em miiiim... uma nova deslizada naqueles cepillooooooooooooos... depois vem desfilando e demonstrando seu desejo de beijar meus lábios de leve inclinando sua cabecinha e piscando marotamente para mim... Por fim me convida a entrar no seu quartinho para matar sua sede, calar sua boca, pois que as palavras são meramente desnec... AAAAAAAAAAAI QUE DELÍCIA, HOMÃO DESSE PORRAAAAAAAAAAA!

Cquote1.png Aviso: O escritor dessa análise foi banido por excesso de viadagem! Cquote2.png

Se você também adooora beijo na "bóca", confira esta pérola da literatura brasileira[editar]

OBS: Gilmar Simão e Cíntia Pimpão (que nome hein!) se assumiram parte da irmandade após a conclusão desse vídeo que eles produziram.

Livros lançados[editar]

Ver também[editar]

Gabriel Colombo recomenda Anal-B
AnalBFoto.jpg AnalBViado.jpg EscovadeDenteOralB.jpg
Aprovado pela Associação Cristã de Moços