George Armstrong Custer

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Custer pedindo ao presidente que mandasse um médico pra curar seus "pequenos" ferimentos provocados pelos Cheyennes.

Cquote1.png Cara pálida curtia pegar índia amarrada no cactus, cara pálida levou flechada! Cquote2.png
Touro Sentado sobre Custer
Cquote1.png Tinha bunda peluda e era nanico e bigodudo! Cquote2.png
Cavalo Louco sobre Custer
Cquote1.png Tudo por uma diversãozinha com umas índias... Cquote2.png
Custer sobre suas aventuras
Cquote1.png Ah sim, professora, existe um jogo de Atari chamado "Custer's Revenge" em que ele fode com uma índia nua amarrada num cacto. Cquote2.png
Angry Videogame Nerd sobre uma aula de história sobre Custer.

George Armstrong Custer, conhecido como General Custer (New Rumley, Ohio, 5 de dezembro de 1839 — rio Little Bighorn, Montana, 25 de junho de 1876) foi um militar norte americano e um tarado bigodudo.

Na Guerra de Secessão, destacou-se como um agressivo oficial de cavalaria da União, alcançando o posto temporário (brevet) de general de brigada de voluntários com apenas 25 anos de idade após pagar alguns favores ao comandante das tropas. Teve um papel de destaque em várias batalhas, como em Gettysburg, o maior combate daquela guerra, em que ele venceu a batalha sem sequer dar as caras em nenhum momento.

Após a guerra civil, retornou ao seu posto permanente de capitão do exército regular no Quinto Regimento de Cavalaria, já que era analfabeto e nunca poderia subir de cargo por muito tempo. Foi aí que ele ficou famoso, ao embarcar nas Guerras Indígenas. Foi nelas que esse senhor bigodudo ficou famosíssimo por coordenar o maior auto-massacre da história do exército americano, na Batalha de Little Bighorn, onde 268 homens morreram vítimas dos Cheyennes e dos Sioux, inclusive o próprio Custer, empalado por várias flechas enquanto tentava pegar uma indiazinha.

A última investida de Custer (também conhecida como "A Vingança de Custer")[editar]

A "mortal" sétima cavalaria de Custer. Estão estáticos assim porque foram empalados pelos índios Sioux.

A Batalha do Anão de Chifre Grande aconteceu por um motivo um tanto quanto bizarro: Custer se enamorou de uma linda índia com o corpo meio pixelizado, mas bem apetitosa e que tinha uma fantasia sexual bizarra de sempre ficar amarrada em um cacto em forma de poste verde. Custer, claro, correu enlouquecido e seminu pra cima da carne fácil, usando apenas seu chapéu de caubói, botas e seu lenço no pescoço (ou uma echarpe, vai saber).

O problema é que aquela indiazinha (ou, como o meu corretor automático do Firefox está sugerindo, "vadiazinha") era esposa do chefe Touro Sentado (que inclusive ganhou esse nome singelo após o ocorrido, já que os seus companheiros Dakotas zoavam o chefe dizendo que ele ficou sentado o tempo todo enquanto Custer pegava sua esposa), e assim Touro Sentado chamou seu amigo Cavalo Louco e ambos no mesmo lugar da traição mandaram flechadas em todo o exército americano, inclusive Custer, que em sua insanidade completa simplesmente corria das flechas enquanto tentava dar mais algumas tarimbadas na índia gostosa, morrendo após levar algumas flechadas e seus pontos de vida acabarem em game over.

OBS: Esse relato foi misteriosamente removido de livros e dos filmes Enterrem Meu Coração na Curva do Rio e Pequeno grande homem (embora esse último também relembre fatos curiosos, como Jack Crabb, um cara que tinha uma irmã puta e que foi quem levou o Custer pra emboscada dizendo que os índios tinham um bordel cheio de mulheres grátis e também Whisky Velho Olho do Vermelho e do Rosa).

Ver também[editar]