George Harrison

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
GuardasInglaterra.jpg GOD SAVE THE DESCIC£OPEDIA!!

The Merlim's Order First Class garante que este artigo é 100% inglês. Ele é industrializado, casto, vitoriano e tem a aprovação de £ewis Hamilton.

Se o artigo for sem graça, é apenas humor britânico.
Vento-bandeira 1.jpg
Bebê Guitarrista.jpg
Davesolo.gif
George Harrison é um GUITARRISTA!
E cultua o Rock como se sua vida dependesse disso.

Brahma-copo.jpg
Atom.jpg

Hare Krishna!

Este artigo é hindu. Ele mora em um ashram, medita todas as noites, louva o deus da cerveja Brama e NÃO é budista! Se você vandalizar este artigo, poderá se tornar uma barata na próxima reencarnação.

Emblem-sound.svg.png George Harrison
George-harrison.jpg
George Harrison tocando a Batida rancheira.
Nome Jorge Haroldo Arílson
Origem Portugal - Porto
Sexo Nem pensar Três vezes ao dia
Instrumentos
Nuvola apps kcmmidi.png
Guitarra e cavaco
Gênero Boyola band
Influências Bob marley
Nível de Habilidade Predefinição:100
Aparência Jesus
Plásticas implante atômico de bigode
Vícios
Nuvola apps atlantik.png
Roupa preta, choro e franjinha Maconha
Cafetão/Produtor
Crystal Clear action bookmark.svg.png
Krishna

Cquote1.png Você usa peruca? Cquote2.png
Jornalista Americana sobre George Harrison
Cquote1.png Gente... licença... posso mostrar minhas... músicas? Cquote2.png
George Harrison timidamente sobre poder mostrar suas músicas, um pouco antes de ser ofendido e espancado por Paul McCartney
Cquote1.png Yoko Ono é uma puta desgraçada Cquote2.png
George Harrison sobre Yoko Ono
Cquote1.png E você que é chifrudo Cquote2.png
Yoko Ono sobre o caso Pattie Boyd x Eric Clapton
Cquote1.png Ele me chifrou também com a esposa do Ringo Cquote2.png
Pattie Boyd sobre seu talento para criar boatos e se fazer de coitada, aprendido com Cynthia Powerless
Cquote1.png Enfia essa cítara no cu, caralho!!! Cquote2.png
Tommy Lee Pinto (Vizinho de George Harrison)
Cquote1.png Eu sei que você tem 45 músicas novas, mas no disco só cabem 2 Cquote2.png
John Lennon e Paul McCartney sobre a produção de qualquer um dos discos
Cquote1.png Hare-krishna Cquote2.png
George sobre tudo isso
Cquote1.png George Harrison? Ahhh, eu vi o novo filme dele... Indiana Jones! Cquote2.png
Carla Perez sobre George Harrison
Cquote1.png Ele é meu Pai Cquote2.png
Chiquinha sobre George Harrison
Cquote1.png My Sweet Looooooord, huuuuum, My Looooooooord Cquote2.png
George sobre Deus
Cquote1.png Você traiu o movimento baby-boomers, véio! Cquote2.png
Dado Dolabella sobre George Harrison
Cquote1.png Aí vem o sol, doo doo doo doo Cquote2.png
George Harrison sobre Ele Mesmo
Cquote1.png Tudo passa, até uva-passa. Cquote2.png
George Harrison sobre a vida

Após uma escova progressiva.
Bob Marley, um de seus maiores parceiros pós-Beatles.

Jorge Haroldo Arílson, ou, Dom Jorge, o Filho de Harri, nasceu em Porto, em 25 de fevereiro de 1943. No começo da carreira dos Beatles, George Harrison era muito quieto. Todos achavam que ele era sério, mas com o tempo, descobriram que ele era mudo. Ele se sentia muito triste, pois não tinha espaço na banda, e nunca conseguia falar que estava com fome, ocasionando anorexia, seu melhor amigo era Ringo Estrela (fundador de uma fábrica de brinquedos infantís). Em virtude da anorexia George Martin (O Produtor) resolveu levá-lo à clínica de um tal Doctor Robert, um médico que curava seus pacientes à base de drogas alucinógenas (Chupe-chupe, paçoquinha e balas 7-belo), e então, o tal Doctor Robert, usou uma bala mágica e curou George, que ficou com a língua azul por algum tempo. Depois disso, o rapaz não parava mais de falar, e sua voz, que ficou tanto tempo sem ser usada era levemente aguda, um timbre infantil. George adorava a cultura Indiana, apesar dos temperos lhe renderem a música The Inner Fight, ele insistia em colocar cítaras e o caralho a 4 nos discos dos beatles... Em protesto John Lennon levava Yoko Ono às gravações pois caso essas porras o irritassem demais ela lançaria uns golpes de Kung Fu que aprendeu quando estagiou com os Power Rangers no Compre Bem Barateiro. George se casou em meados dos anos 60 com uma modelo chamada Pattie Boyd, (que mais parecia um coelho do que um Bode porém era gostosa). Mal sabia o inocente George, que Pattie Coelho-bode, iria chifrá-lo com seu melhor amigo, o Eric Clapton.

George após o capítulo chegou a usar barba, talvez daí o ditado que vovó já dizia... "Se barba fosse sinal de respeito george ha... ops Bode não tinha chifre".

George de início não conseguia compôr quase nada, e no Álbum Pálido inseriu como encheção de linguiça que o álbum pedia, várias composições enfadonhas, afora aquela com a canja do amigo Clapton e outra com injeção de metais e reclamando que tudo que ele gosta é ilegal imoral e o guru não aprova. Mostrando que aprendeu muito com a literatura espiritual, culpava seus amigos da banda de não lhe dar espaço quando ele na maior parte dos discos, não fazia quase nada de interessante.

Após o fim dos beatles e cansado de ver músicas de Paul e John como Ob-la-di Ob-la-da, ou Revolution 69, tomar lugar de Long Long Long Long Long e Piggies Piggies Piggies como faixas de sucesso, George se revoltou, comprou um castelo no país das maravilhas, passou suas tardes fazendo chazinhos de VHS, Mamona, Orégano e todas as plantas bonitinhas que encontrava no seu jardim. Em 1970 e poucos, George conheceu uma mexicana dentuça, que viria a ser sua esposa e mãe de seu filho Q. C. Dhani Harrison, a Ruth lemos, e como ninguém queria o rapaz filho de Harri, ele se casou com ela mesmo. Os dois tinham conhecimentos excentricos... Ela, filha de bruxos mexicanos shamânicos e ele, um drogado alucinado por ácido-lisérgico sulfúrico e soda-cáustica limonada. Na foto podemos ver George com um amigo do reggae, fumando unzinho


George Harrison te despreza.

Músicas nos Beatles[editar]

Oh, Jesus!!!!
  • Don't Brother Me
  • If I fucked someone
  • Milk for yourself
  • I Eat You
  • You Suck Me Too Much (Recalamações de sexo oral violento)
  • Taxman (Homenagem aos taxistas britânicos)
  • Suck You To (Sexo oral recíproco)
  • I Want To Sell You (Quando foi cafetão)
  • My Dick Within You Without You (sexo implícito)
  • Only Anal best Song (Música ficou fora do disco "DeVolver" mas entrou com bola e tudo em Yellow Submarine)
  • Blow-Job Way (Música sobre o jeito britânico de fazer sexo oral)
  • The Inner Fight (Luta contra a diarréia)
  • While My Dick A-gently Weeps (Ejaculação poética)
  • Piggies (Homenagem aos 3 porquinhos)
  • LongDong, Long (Homenagem ao ator pornô Kid Bengala)
  • Savoy Ruffle (Inspirada após ver um saco de batatas Ruffles)
  • It's Small Too Much (Quando foi ao urologista)
  • Something in my dick (Quando desconfiava de uma possível DST)
  • Here Comes The Cum (Poesia orgástica)
  • Old Pink Shoe (Escrita após comprar seus sapatos rosas)
  • I me minnie (Quando se travestiu de Minnie mouse)
  • Fuck You Blue

Discografia sem os Beatles[editar]

  • Wonderbra Music (1968)
  • All Things Must Pass in the Ass (1970)
  • The Concert for Favela da Rocinha (1971)
  • Living with a Material Girl (1973) - diz-se que inspiraria Madonna a escrever um de seus primeiros hits na década seguinte
  • Dark Cocks (1974)
  • Extra Extra (1975)
  • The Naked Gun 33 1/3 (1976)
  • George Hare Krishna (1979)
  • Somewhere in Afghanistan (1981)
  • Gone Tripping (1982)
  • Loud Fine (1987)
  • Brain Water (2002)

Vida no México[editar]

George Harrison, após gravação de mais um episódio de Chaves

Com o fim dos Beatles, George viajou com sua mulher para o México, onde atuou como dublê do Seu Madruga, no seriado Chaves. Gravou diversos episódios, até ser efetivado no programa devido a morte repentina de Don Ramon, o ator original. Quando o programa deixou de ser interessante ele foi fazer papel de Jesus em festas natalinas de paróquias distantes mexicanas.

Curiosidades[editar]

No Rio Grande do Sul, Existia Uma Versão Gaúcha Chamada de Júpiter Maçã, Ou Flávio Basso pra aqueles fãs nerds exibidos, que acham que sabem tudo. Aquele carinha Masculo dos Cascavelletes aquela banda que sua mãe não deixa você ouvir. Mas como George era emo, ninguem se interessou.

George Harrison tem uma grande paixão por coisas longas, como ele mostrou na música Long, Long, Long. Como sua obsessão era interpretada erradamente por adolescentes incrédulos que passam o dia lendo a Desciclopedia, Jorge fez outra música chamada Azul Jei Uei, cujo nela ele esclarecia muito bem que não gostava de nada longo. "Azul Jei Uei" foi uma das músicas que mais influenciou o fim dos Beatles, pois mais uma vez Paul McCartney se sentiu enciumado com Jorge ter roubado a ideia de colocar a mesma frase inúmeras vezes repetidamente no final da música, como ele fez em "Hei Judeo", sua música mais criativa e bem trabalhada. Estudos de longo, longo, longo prazo na faculdade do Arizona (aonde Jo Jo foi trocou por um pouco de maconha) indicam que Jorge fez a música antes de mais uma de suas façanhas com Ringo Estrela, e ao abaixar suas calças disse "Por favor não seja longo! Por favor não seja muito longo!"- Se referindo ao orgão sexual.

Ver também[editar]

Donamorte1.jpg
George Harrison já morreu!

Já foi tarde!

Clique aqui pra ver quem te espera no inferno