Gladiador

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Romanopre.jpg ROMANI ITE DOMVM!!!

HÆC ARTICVLVS ROMANVM EST. LATIM LOQVÆBITVR. NON INTERLEGIT? HVMORIS PRIVATVS NON EST. MVITISSIMVS ENGRAÇATVS! SED ROLA MEAM VADE MAMARE! VADE FŒDERE CVM PORRIBVS NOSTRVM.

Spqrpre.jpg
PokeRyu.PNG Este artigo é sobre um(a) lutador(a)!!!
Se você ofender esse fodão estragando este artigo, ele te enche de porrada!
Knux Smash.jpg
Uuuii, que meda!!!

Cquote1.png MAAAATAAA!!! MAAATAAAA!! MAAATAAA!!! Cquote2.png
O gentil e bondoso público do Coliseu sobre o gladiador derrotado em batalha

Cquote1.png Mas ela tá com dor aonde? Cquote2.png
Guria retardada sobre gladiador

Cquote1.png Nessa profissão, a hora extra é um conceito bizarro... Cquote2.png
Gladius Aleatorius sobre sua profissão

Cquote1.png Live or die, make your choice! Cquote2.png
Jigsawrus, o Narrador diante de mais uma partida

Cquote1.png HA-HA! Cquote2.png
Criança na plateia sobre destino comum de todos os gladiadores.

Cquote1.png Comparado a isso, Luta-Livre e Vale-Tudo são atrações de boate GLS! Cquote2.png
Apresentador do Coliseu sobre lutas dos gladiadores

Cquote1.png This is ROOOOOMAAAAA!!! Cquote2.png
gladiador sobre copiar um antigo ídolo

Cquote1.png Prefiro um Dark Magician One Turn Kill! Cquote2.png
Viciado Fã retardado de Yu-Gi-Oh! sobre Feras Gladiadoras

Cquote1.png FINISH HIM!! Cquote2.png
Shao Khan, que usou o esquema de gladiadores para fazer seu próprio torneio de lutas até a morteem Outworld.

Cquote1.png PREPARE TO DIE, CASUL!! Cquote2.png
Chosão do Dark Souls, após invocar outro player no PVP do Coliseu de IronKeep.

Russell Crowe? Pfff... Gladiador foda mesmo é esse aqui.
Gladiator.gif

Gladiador é um filmaço com Russell Crowe era o nome dado a uma antiga e extinta espécie de efeito do photoshop guerreiro que os também extintos imperadores romanos usavam para fazerem grandes shows de carnificina dignos de um concerto de Heavy Metal from Hell with Lasers, algo que o povão da época adorava assistir. Sabe aquele conceito de ópio do povo? É claro que não sabe, mas se por algum milagre você saiba, fique sabendo também que na Roma Antiga, o ópio vinha com recheio de sangue, cobertura de tripas e dentes caramelizados e como complemento também coberto com um delicioso chocolate Nestlé.

Nesses estranhos shows, os gladiadores eram postos para brigar com praticamente tudo: uns com os outros, contra animais, contra estrangeiros, contra objetos, contra mutantes, contra viados, contra nazistas e contra plantas de tudo que é tipo, criando assim uma espetacular chuva de sangue, ossos, pele, olhos e tripas em cima de todo aquele que se pusesse a assistir. E o melhor: de graça!

Mas como eles eram afinal?[editar]

Dois gladiadores, prestes a brigar.

Geralmente os gladiadores eram homens já muito sádicos, anabolizados e/ou metrossexuais, que os soldados da Roma Antiga sequestravam de vilarejos onde esses homens trabalhavam de gigolôs (até porque era a única profissão da Roma Antiga que era totalmente desnecessária - até técnicos de informática naquela época que nem tinha eletricidade serviam pra alguma coisa, nem que fosse para ser comida de escravo), e traziam para o imperador. O imperador os jogava em um grande Coliseu, para que brigassem em rinhas até a morte. Na hora de lutar eles sempre tinham que usar roupas mínimas, mas com capacetes e outras partes de armadurasmuito loucas que causavam altas confusões. Dizem que foi destes costumes escrotos inteligentes dos romanos que nasceu o sadomasoquismo.

Eles costumavam usar grandes e pesadas armas de tudo o que é tipo, quanto maiores, melhor ficava a situação, mesmo que esses "maiores" significassem que seriam tão pesadas que o cara seria morto antes mesmo de conseguir levantá-la. Os gladiadores também usavam armaduras um tanto suspeitas, sempre com minissaias, tanguinhas ou mesmo pedacinhos de trapos curtos e outras escrotices do gênero.

História[editar]

Isso sim é que é um bom gladiador!!!

As primeiras lutas conhecidas começaram quando Roma percebeu que deveria ganhar as Guerras Púnicas ou seu cu não seria perdoado, porém, na real o esporte começou com os Etruscos, mas na vida nada se cria, tudo se copia. A maioria das vezes eram contra leões ou contra outros gladiadores, o povo gostava mais quando era contra outros gladiadores, então deixava os leões para os cristãos (para aqueles que preferiam uma partida rápida). De fato, leões contra cristãos cristãos eram o espetáculo preferido de Nero: o carinha amava ir ao Coliseu ver os grandes e fortes gladiadores com seus músculos enormes e aquela espada gigante e pesada. Pode-se dizer que ele ficava "aquecido" e "fogoso" depois de uma batalha.

No ano de 73 a.C., aconteceu a Terceira Guerra Servil, liderada pelo grande escravo This is Spartacus. Ele chefiou um grupo de crianças de Lazytown, não espera esse é o Sportacus escravos e gladiadores insatisfeitos com a cruel, malvada, feia, boba e cara de mamão República Romana. Estavam todos muito cansados de serem tratados como lixo, terem que comer lixo, terem que beber lixo, e acima de tudo ter que lutar todo santo dia naquele lugar sujo de lixo e cheio de cadáveres. Caramba, que o limpassem pelo menos! Depois de lutas e mais lutas e de muitas cabeças arrancadas, os romanos finalmente acabaram com a revolução, e tudo do melhor jeito que sabiam: crucificando todo mundo. Crasso conseguiu o mérito mais uma vez.

Para lutar e se digladiar não precisava muito, como já fora dito anteriormente era só ser um escravo vindo de algum vilarejo, ou que não pagou os impostos, ou alguém que perdeu a família e o dinheiro, ou ter sido um gigolô. Se você estivesse numa dessas situações provavelmente seria capturado com uma pokébola e usado para lutar infinitas batalhas, que quase sempre se resumiam a uma única batalha antes que encontrasse a morte. Se conseguisse lutar com mais de 8 mil 300 espartanosgladiadores, talvez o imperador até pensasse em conceder a sua liberdade. Mas isso era praticamente impossível já que não é algo muito natural um cara sobreviver à trocentos guerreiros, animais e armadilhas, certo? Para piorar, alguns imperadores como Cláudio, Calígula e Nero gostavam de ver os negões lutando, e por isso por qualquer motivo alguém já poderia acabar na arena de batalha. Até se roubasse um alicate do anfiteatro de Roma, não importa se já estivesse usado e no lixo, já era condenado a 30 surras anais diárias ou 3 lutas como gladiador. Na verdade, alguns, como Calígula e Cômodo quiseram os dois.

Com a difusão do Cristianismo, finalmente pararam de fazer lutas sangrentas no Coliseu e os gladiadores foram morrendo, (digo, morrendo mais do que de costume se é que isso era possível) ou arredando o pé e indo para regiões à beira da sociedade. Hoje eles vivem no gueto, morô manu?

Uma ilustração (MUITO) exagerada de como seria uma batalha daquela época.

As lutas de Gladiadores[editar]

Cquote1.png Vamo' lá hein, Gladius Aleatorius vs. Semnomius da Silvius! Na minha mão é mais barato, ó, ó! Cquote2.png
Cambista tentando arranjar um trocado

Amadas pela plebe geral, que se distraia assistindo-as e assim esquecia dos problemas sociais e dos políticos que desviavam recursoscomo ocorre hoje com certo esporte do Brasil, as lutas eram a televisão da Antiguidade. Não havia coisa que alegrava mais a plateia do que ver muito sangue e ossos sendo arrancados de corpos ainda vivos! Eles até levavam as crianças para assistir, torcendo para que um dia elas crescessem e virassem gladiadores que seriam dilacerados também.

Era muito fácil de montá-las: bastava você, caso fosse um nobre ou imperador romano, seguir esta simples receita:

  1. Pegue vários gladiadores - quanto mais melhor, já que a maioria deve morrer já na primeira semana mesmo e é bom ter reservas.
  2. Amarre-os e torture-os bem para que não se unam e se revoltem contra você, ou pior: criem um sindicato.
  3. Faça ou alugue uma arena bem grande, do tamanho de um campo de futebol.
  4. Convide todo mundo, dizendo que haverá carnificina e cachorro-quente, por um preço bem baratinho. Naquele tempo era de graça,pro povo esquecer os problemas, já que a política do pão, vinho e diversão não resolvia porra nenhuma mesmo.
  5. Alugue também alguns leões e alguns escravos bem fracos e doentes, para aquelas lutas de menos de meia hora, pra aquecer o público para a Luta Principal da Noite do Dia.
  6. Sacrifique os escravos dando-os para os leões e assim já terá os bichinhos bem alimentados, afinal, leões fracos não rendem boas lutas.
  7. Jogue alguns gladiadores contra os leões e veja as tripas voarem.
  8. Pegue os gladiadores que sobrarem e ponha-os para lutarem numa incrível zona de carnificina, todos contra todos.
  9. Sente-se confortavelmente e assista à suruba ao espetáculo que você criou.

Cquote1.png Totalmente aprovado! Cquote2.png
Shao Kahn sobre método acima

Lembre-se sempre que para que o público psicótico e fanático que assistia essas rinhas ficasse satisfeito, era sempre bom fazer com que eles pensasem que podiam influir de algum jeito nas partidas, mesmo não podendo. Assim, se um gladiador cair em batalha e não morrer, era praxe pedir que o povão decidisse o destino da criatura, destino esse que chega a ser óbvio. Entretanto, não pense que o povão fazia isso só por ser sanguinário e assassino na verdade era por isso mesmo, eles faziam isso para acabar logo com a dor e agonia dos gladiadores feridos, que após a derrota provavelmente morreriam das infecções que viriam das mutilações e ferimentos durante a batalha, provindos de um péssimo convênio médico.

Por fim, lembre-se sempre: Quando o assunto é gladiador, pancadaria é a palavra-chave. E sangue também. E morte. E...AAAAAA!!!

O Coliseu[editar]

De uma só vez, o gladiador, o inimigo que acha que é um urso, a plateia ao fundo e um tigre que está aí só de penetra mesmo.

Apesar de terem existido milhares de estádios, tendas, barraquinhas, ginásios, prédios, favelas e bueiros aonde os guerreiros poderiam se espancar, lugar algum foi tão fuderoso quanto o Coliseu que existia em Roma. Foi construído pelo imperador Vespiano, que queria muito ter um lugar onde pudesse assistir homens lutando pelados. O público também gostou da ideia (esses romanos...) e logo o Coliseu foi um sucesso, não havia lugar melhor para ver gladiadores, leões e órgãos arrancados (não necessariamente nessa ordem). Foi aí que o lado bicha de Nero aflorou, quando ele se pronunciou sobre os gladiadores: "Super aprovo, mona!"

Treinamento[editar]

Aos três anos de idade, os gladiadores iam para os Ludus, escolas especializadas em não deixá-los ouvir àquelas bandas de Rock Colorido imbecil e chato para cacete. Em Roma tinham quatro dessas escolas, sendo a mais famosa a Ludos Magnos, que não deixava eles ouvirem nada, nem mesmo Dream Theater. Dorgas, manolo.
Ludos era tão foda que tinha um túnel direto para o Coliseu, então você já deve saber o que acontecia com quem respondia os professores ou não fizesse o dever de casa. Durante os treinamentos de 16 horas diárias, eles podiam passar duas gotas de Merthiolate, mas tinha que ser rápido, não se pode gastar muito por causa dos desvios de dinheiro que o tesoureiro do imperador fazia. 16 horas por dia eram mais que suficiente para treinar os pivetes em suas três lutas anais anuais, e viajavam em grupos conhecidos como famílias para outras cidades lutar: ia o papai, a mamãe, o titio, a prima gostosa... O treinador ia junto, é claro, quem cuidaria da prima gostosa família?

Etapas de um treinamento para gladiador[editar]

Alimentação[editar]

Os gladiadores eram sempre muito preocupadinhos com sua aparência. Estavam sempre fazendo dietas e jejuns, ou usando drogas ilícitas só para ficarem magrinhos, sarados e musculosos. Por causa dessa e de outras, os gladiadores eram, em grande parte, vegetarianos, não comendo nada que tivesse carne, ovos, leite, farinha, sal, açúcar, tempero, batatas, chocolate ou queijo. Na verdade eles se alimentavam basicamente de esterco e grama que encontravam jogados por aí. Mas também, quem vive vendo tripa voando ia largar de carne no mesmo instante!

Soma-se a isso o fato de que a comida na época era algo muito caro para um gladiador comprar: custava o equivalente a 25 centavos! Mas quem mandou serem escravos não é mesmo? Que fossem estagiários que pelo menos teriam plano dentário!

Categorias[editar]

Existiram vários tipos diferentes de gladiadores, cada tipo com suas próprias características, armas e doenças.Era normal essa variação pois as crianças romanas gostavam de ficar decorando os nomes dos vários tipos e ficar comprando as figurinhas pra completar o álbum pelo Twitter e bonequinhos deles. Assim, as categorias mais famosas eram:

Traças Trácios[editar]

Contemple! Um incrível Trácio!

Fracassados, pobretões, odiados e inúteis. Eram muito fracos e baratos, por isso sempre eram comprados aos montes para serem mortos pelos outros grupos. Sempre ficavam com as piores armas, as piores armaduras, aliás nem armaduras eles tinham, apenas elmos, já que a grana para equipamentos de segurança era desviado pela comissão técnica, e nessa acabava sobrando pros trácios (pra variar).

Dizem que na hora de lutarem com os leões, os trácios já eram cobertos com sal e com orégano, pois todo mundo já sabia como eles iriam acabar.

Os trácios recebiam uma espada de borracha curva em forma de pênis, um escudo quadrado, e por fim caneleiras que iam até o joelho. Ah, e sem contar o capacete que cobria toda a cabeça, emprego mais humilhante que esse só testador de supositórios.

Cquote1.png BBUUUURP! Alguém tem antiácido aí? Esse desceu mal... Cquote2.png
Leão depois de encontrar com um trácio


Mamilos Murmillos[editar]

Um mamilo pertencente ao gladiador Tonis Ramozzos preparado para a batalha.

Eram a classe mais riquinha e queridinha do Coliseu. Geralmente lutavam com os Trácios e com os Retiários, lutar só na teoria claro, já que geralmente estavam mais para carrascos. Afinal enquanto os Trácios não prestavam pra nada e os Retiários tinham que correr por aí desprotegidos, os murmillos tinham todo o equipamento do bom e do melhor: melhores escudos, melhores espadas, melhores capacetes, até metralhadoras se bobeasse eles podiam ter.

Os Murmillos também ficaram famosos por usarem capacetes ridículos com formato de peixe, o que era seu ponto fraco já que esses capacetes tinham um formato tão ruim que prendiam facilmente em qualquer redinha que jogassem contra eles.

Retiários[editar]

Borat exibindo uma réplica de um uniforme de retiário, porém com um pouco mais de roupa do que o original.

Eram, de todas as categorias de gladiadores, os que mais gostavam de bancar os nudistas. Não usavam quase que porra nenhuma no corpo todo sendo a classe mais desprotegida e fácil de empalar. Apesar disso tudo, eles eram uma classe muito temida, já que além de tridentes e facas também usavam uma arma que era o terror de qualquer guerreiro: uma redinha!!

Cquote1.png UMA REDINHA! AAAAAAHH! SAI! SAI! SAI! Cquote2.png
Um gladiador enfrentando a terrível redinha.

Sim, nenhum Murmillo poderia resistir àquela terrível arma que cobria-lhes a cabeça, o que de acordo com a lógica era o suficiente para incapacitá-los.

Secutores[editar]

Um terrível secutor indo ao encontro de ser carne moída

Basicamente eram muito, muito semelhantes aos Mamilos, entretanto costumavam usar um punhal ou uma espada minúscula (por incrível que pareça, menor que seu pênis). Eles foram treinados pelo mestre Yoda para derrotar os terríveis retiários, que como já foi dito acima eram um tipo de gladiador com um tridente e uma rede para pescar.

Os capacetes dos Secutores eram apertados a ponto de espremerem seus cérebros, e na parte da frente tinham apenas dois furos para os olhos, tudo isso a fim de evitar um lance de mão do retiários, já que o fanfarrão poderia atravessar seu rosto e impactar sua órbita craniana, deixando-o igual a um filé mignon. Na parte de cima do capacete, ele era bem arredondado, já que os romanos tinham uma cabeça de cima grande, e a de baixo pequena. Os glandes falanges flanges, para protegerem o pescoço, eram lisos e em forma de nadadeiras. Caso eles fossem passar o dia na praia com a família e de repenteBAM!!! - encontravam um retiário em Copacabana, teria que haver luta. Quem estivesse mais disposto a lutar na praia, venceria. O capacete só tinha isso. Acho que esqueceram algo... AH, CLARO! Não tinha onde respirar, a luta teria que ser rápida, ou o Secutor morreria sem ar ou sem cabeça.

Como vestimenta, o Secutor usava uma tanga e um cinto largo super fashions comprados na Tiffany's. No braço direito, a Manica e na perna esquerda usavam ócreas. Ele também usava um escudo retangular igual ao doCapitão América (ignore o fato de que o Capitão América usa um escudo redondo).

Usando isso tudo, sem poder respirar, se mexer, andar ou desembainhar a espada, não surpreende a maioria dos Secutores sempre saírem sem braço, sem perna ou circuncidados das batalhas.

Dimachaeri[editar]

Dimachaerus e suas armas poderosíssimas, roubadas do sobrinho de seis anos.

Os Dimachaeri eram os grandes apelões das batalhas. Veja só, antes de mais nada importavam do norte da África duas facas de cortar pão cimitarras, utilizando uma em cada mão (claro, usar as duas em uma mão só é coisa de ninja, não de gladiador). Eles receberam o nome de dimachaeri pois esta palavra significa sujeito que carrega duas facas de festa de aniversário, no idioma grego. Como bons gladiadores, eles prestavam apenas para fazer um showzinho para o público. O problema é que colocar um Dimachaerus para batalhar era uma desgraça: primeiro porque tinha que achar alguém que era bom tanto com a direita como com a esquerda, e segundo porque ele não tinha escudo nem nada, só podia se defender com a espada. E como bem sabemos, espadas foram feitas para atacar, não pra se defender. Ou seja, a taxa de Dimachaerus mortos após a primeira batalha era de aproximadamente 132,9%, e o imperador César Augusto tratou logo de trocar os Dimachaeri por argentinos, porque ninguém gostava deles (tradição esta que o mundo herdou até os dias de hoje), e também porque um argentino a menos no mundo é sempre muito bem-vindo.

Dia-a-dia de um gladiador[editar]

Apesar de estarem sempre lutando e se moendo nos campos de batalha, havia aqueles que poderiam ser considerados os "dias normais" de um gladiador, já que afinal de contas espetáculos nos coliseus eram caros e não dava pra ficar tendo isso a toda hora. A agenda desses dias constituía-se basicamente em:

Dois gladiadores prestes a se comerem matarem. Reparem que o da esquerda não tem nenhuma chance, afinal que espada resistiria àquela redinha?
  • Acordar ainda de madrugada;
  • Tomar algumas chibatadas nas costas;
  • Tomar café da manhã (na época, era um restinho de mato que sobrou no pasto dos bois);
  • Treinar;
  • Treinar;
  • Treinar;
  • Almoçar;
  • Matar Alguém;
  • Treinar;
  • Treinar;
  • Treinar;
  • Levar mais chibatadas;
  • Sofrer pra burro;
  • Descansar 5 minutos;
  • Treinar de novo;
  • Jantar;
  • Treinar;
  • Matar Alguém;
  • Treinar;
  • Treinar;
  • Matar mais alguém;
  • Fugir das redinhas;
  • Servir de escravo sexual para algum nobre ou imperador;
  • Levar algumas chibatadas de Boa Noite;
  • Dormir umas duas horas;
  • Começar tudo de novo.

Nos fins de semanas haviam exceções: eles não dormem e não tomam café da manhã. No lugar, eles treinavam.

Armas típicas dos gladiadores[editar]

Como em todo esporte, os gladiadores tinham centenas de equipamentos especializados em sua área (no caso, a arte do assassinato), principalmente armas, as quais eram sempre patenteadas para evitar futuros processos. Ao todo, a variedade dessas armas nem era muito grande, pois os romanos não gostavam de novidades, mas apenas de verem os mesmos tipos de espetáculos repetidos toda semana.

Espada[editar]

Uma poderosa e mítica espada quebrada, muito usada pela classe dos trácios, e sem dúvida a mais baratinha de todas.

A arma mais clássica, famosa e clichê de todas as armas que já existiram. De longe. Todo mundo, em qualquer época, precisa ter uma espada, inclusive os gladiadores. Era provavelmente a favorita deles justamente por ser clichê. Dizem que as primeiras espadas teriam surgido de facas de mesas que foram feitas em tamanhos muito grandes já que os povos antigos não sabiam medir. Essas facas então começaram a ser usadas para assassinar outras pessoas e isso acabou virando moda, nascendo assim a espada.

Os Traças Trácios usavam uma espécie especial de espada, mais curva, barata e mal feita chamada sica. Ela tinha esse nome porque sempre que alguém tentava usá-la, já sabiam que ia dar zica.

Um incrível escudo de madeira! É invencível a tudo, menos espadas, tridentes, redinhas, facas, metais, bastões, pedras, animais, socos, chutes e qualquer coisa com mais força que uma folha.

Escudo[editar]

Outra arma clássica. Tá certo que estaria mais para um objeto de defesa que arma em si, ou ao menos seria assim se certos guerreiros apelões não ficassem jogando seus escudos como se fossem bumerangues.

Todo mundo tinha que ter um pra que não fosse morto já nos primeiros dois minutos da partida, empalados por algum tridente alheio. Cada classe tinha um diferente, sendo que pra variar os Trácios ficavam com o pior: um escudo quadrado e todo quebrado, de papelão. Os Murmillos por outro lado usavam uma versão maior e mais requintada, já que eram os queridinhos do imperador e sempre ganhavam do bom e do melhor.

Facas[editar]

Uma faca normal. Muito parecida com uma espada quebrada

Muito usada pelos Secutores, não passavam de simples faquinhas de rocambole sem nada demais que podiam ser encontradas em qualquer cozinha. Na verdade, não tinha nem graça usar uma coisa dessas, já que só de usar um caco de vidro bem pontiagudo que tenha caído no chão, ou mesmo uma pedrinha com formato adequado, já conseguia-se o mesmo efeito, se duvidar até melhor! Mas pra variar os Secutores gostavam de armas diferentes das outras, gostavam de parecer diferentes, e como não tinha nada mais útil disponível, como um machado ou mesmo uma lança, acabou sobrando pras facas mesmo.

O lado bom era que sempre foi bem fácil de se manuseá-las, era só pegar e enfiar, pegar e enfiar, pegar e enfiar até acabar com as tripas do inimigo. Claro, tomando-se o devido cuidado para não segurar no lado pontiagudo, para evitar de perder a própria mão antes da batalha, o que seria no mínimo idiota.

Redes[editar]

Curve-se perante à mais terrível arma!!!

A mais terrível, a mais destruidora, a mais devastadora de todas as armas. Não havia coisa pior em toda a história das antigas civilizações do que cair nas garras dessa terrível arma: a redinha. Geralmente quem as usava eram os Retiários pois além de gostarem de armas mais exóticas, bom, quem não gostaria de ter a arma mais poderosa de todos os tempos, certo? Mas é claro que antes de poder usá-las, eles tinham sempre que passar por vários testes e cursos, durante vários anos, já que era uma arma muito perigosa para cair em mãos inexperientes.

Dizem que para tornarem essas armas mortais ainda mais mortíferas, eles as faziam constituídas de diversos pedaços da mais venenosa e cortante linha, molhada com muito ácido e preparada com um restinho de extrato de laranja estragada. Depois eles deixavam a rede durante vários dias em cima de um rádio tocando as músicas de alguma bandinha emo, para que ela absorvesse toda a energia infernal e demoníaca proveniente dessas músicas. Essas técnicas entretanto foram abandonadas em pouco tempo, já que tornar algo tão perigoso ainda mais perigoso não costuma ter resultados agradáveis.

Só de jogá-la, não havia guerreiro que não tombasse de horror. Civilizações inteiras tombavam em desespero perante das terríveis chacinas que essas armas poderiam causar! Afinal, o que poderia ser pior do que uma rede na cara, atrapalhando sua visão, certo?

Tridentes[editar]

Não, não era esse. Droga!

Cquote1.png Eu todo dia compro um Trident de morango antes de ir pra aula. Cquote2.png
Guria retardada sobre Gladiador

Mais uma arma que era usada pelos Retários, eram também as preferidas por qualquer seguidor de Poseidon ou do Capeta.

Eram muito úteis para depois das lutas, quando os gladiadores remanescentes podiam usá-las para pegar os restos de tripas espalhadas dos que morreram em combate, e então usar o tridente como um espeto de churrasco colocando-o na fogueira com esses restos espetados nele. Isso era muito bom para que esses gladiadores pudessem recuperar suas forças já que, como dito anteriormente, eles eram proibidos de comer carne de animal.

Outros equipamentos típicos de gladiadores[editar]

Assim como as armas, havia muitos outros equipamentos patenteados importantíssimos para eles. Alguns exemplos são:

Sandálias[editar]

As estilosas e fashion sandálias que todo gladiador gostaria de ter.

Ninguém pode andar descalço num chão cheio de pernas, braços e cabeças certo? Mas quando se é um escravo lutador não se tem muita grana no bolso para se comprar algo útil como um tênis, certo também? E é daí que vieram as sandálias!

As sandálias eram baratas, qualquer banquinha de camelô romana tinha umas pra vender. Não bastando isso, eram muito simples, sem porra nenhuma muita coisa, na verdade não eram mais que umas sapatilhas de balé! Se você quisesse descobrir se um gladiador era boiola, era só colocar uma sandália nele e depois tocar a música vai, Wilson, vai "I will survive". Depois era só checar a reação e tirar suas próprias conclusões. Balé mais Gloria Gaynor era MARA.

Na parte do peito do pé, as sandálias eram cobertas por um pano grosso para não deixar a carniça do chão das batalhas apodrecer seus pés. Os dedos ficavam na parte de fora, pois a maioria deles tinha unhas enormes, cortadas com faca, o que de vez em quando gerava um dedinho a menos. O resto era tudo a mesma porra, a sandália cobria até a canela em tiras, que nem aqueles tamancos de puta, e acima disso é outro tópico.

E lembre-se, se você for um gladiador, não fique com ciúmes de seus amiguinho só porque eles tem sandálias caras da Nike e você da DalPonte. Ninguém nunca atacava os pés mesmo...

Capacetes[editar]

Se tirassem as diferenças, sobrava só isso aqui

Como um homem pode viver sem seu capacete? Em cada tipo de gladiador era diferente o estilo pois todos queriam se gabar de que estavam na moda, pelo peso, pelo tamanho da cabeça e pelo, bom, pescoço. Alguns dos estilos já foram citados mais acima, mas como você deve ser um incompetente que já esqueceu tudo o que leu, vale a pena relembrar cada um:

  • Os Trácios tinham um capacete que cobria a toda a cabeça, evitando serem decapitados. O capacete Trácio tinha umas penas bem coloridas, normalmente laranja ou preto, dependendo do dia, da hora e de como ele queria morrer.
  • O capacete dos Murmilos era o mais estranho. Tinha a forma de um peixe, o que dava o apelido ao murmilo de Aquaman da antiguidade. Assemelhava-se muito ao dos Secutores, entretanto, nos murmilos tinham escamas, guelras e as partes de cima eram de pano.
  • Os Retiários não usavam capacete SmileySmall.png.
  • Os Secutores plagiaram feio os murmillos na hora de fazer seus capacetes, com a exceção de que os seus eram feitos sob medida para escapar das terríveis redinhas. Na verdade, a única grande diferença visual entre o capacete Murmilo e Secutor era que o capacete se arredondava nas pontas para mostrar melhor a silhueta, com ainda algumas pontas, sendo elas que impediam a terrível investida das redes.
  • Não se sabe quase nada dos Dimachaeri e por isso não dá pra ter certeza de que diabos eles usavam na cabeça para protegê-la.

Braceletes[editar]

Mulher-Maravilha, exibindo seus incríveis braceletes antes de ser estuprada em batalha.

Onde estariam os gladiadores sem seus queridos braceletes, certo? Bom, provavelmente estariam mortos do mesmo jeito, mas o que interessa é que os braceletes eram outro equipamento muito usado na época. Como as luvas ainda não tinham sido inventadas, e os romanos odiavam a ideia de quebrarem as suas queridas unhas, assim era normal que eles, ao verem que seus punhos seriam atingidos protegerem-no com o outro braço, para evitar assim ter que ir todo dia até a manicure. O problema é que desse jeito eram os braços que ficavam feridos pelas unhas igualmente grandes do inimigo, o que causava sérias hemorragias e arranhões. Assim surgiram os braceletes que sempre vinham em diversos estilos temáticos.

Às vezes vinham em um braço só, às vezes vinham um pouco maiores, e às vezes não passava de um pedaço de trapo enrolado em volta do braço. E geralmente vinham com umas ombreiras para acompanhar. Eles gostavam de comparar seus braceletes entre si para ver quem tinha o mais chique ou o mais colorido. Ainda assim, os braceletes não eram lá tão úteis já que apesar de protegerem uma parte do corpo da maioria das armas, também não serviam para escapar das horríveis redes.

Caneleiras[editar]

Uma caneleira bem simples e inofensiva.

Apesar de haver virtualmente nenhuma necessidade, visto que todos queriam acertar a cabeça, os braços ou a barriga gordurosa do adversário (até porque era mais digno acertar aí do que se abaixar para acertar as canelas - o perigo em se abaixar era de algum leão se apaixonar e tentar se acasalar com o gladiador), os gladiadores gostavam de se enfeitar tal qual uma árvore de Natal, ou uma boneca da Barbie. Então, como já tinham capacetes, escudos, lanças, espadas, lança-chamas e armaduras, resolveram criar também caneleiras.

As caneleiras, geralmente eram feitas de madeira e espinhos. O primeiro lote veio com um defeito de fábrica, onde os espinhos eram voltados para dentro, e não para fora, causando pequenas feridas na canela do próprio gladiador. Felizmente o problema foi resolvido no lote seguinte.

Tanguinhas[editar]

Um exemplar do tipo preferido de tanga que os gladiadores gostavam de usar. Essa de quebra, ainda vinha com um protetor peitoral combinando, como pode ser visto.

Vale lembrar que naquela época eles não andavam de calças jeans apertadinhas coloridas ou qualquer coisa que atualmente os jovens usam em uma visão turva da ideia de masculinidade, nem de bermudão, nem daquela calça velha da Copa da França de 1998. Andavam com uma toalha de mesa no máximo amarrada na cintura, deixando muitas vezes que qualquer ventinho colocasse à mostra aquela floresta de tufos de pelos com uma mixaria à mostra. Como as batalhas de gladiadores tinham nas arquibancadas várias famílias de bem, que suportariam ver uma cabeça sendo cortada ou um lutador sendo estripado (por um golpe de espada, por favor não confunda comestuprado, que ocorria muitas vezes com algum leão sentindo a falta de uma fêmea ou algo do gênero), mas que julgavam ser inadmissível ver as partes íntimas de um lutador. Então desenvolveram as tangas.

Como tudo tem seu porém, os gladiadores adquiriram o hábito de contratarem espiões para sacanear o adversário. Geralmente eram pivetes que entravam no vestiário do oponente e passavam Lico de Cair Pinto nas tangas. Ou seja, mesmo que o inimigo vencesse, ele não poderia aproveitar sua noite da vitória.

Dicas para lutar numa arena de gladiadores[editar]

As lutas de gladiadores romanos eram violentas, sangrentas, torturantes, asquerosas, cruéis, vis, sádicas e cheias de sujeira voando pra todo lado. Mas isso parece ser algo que atrai a humanidade mais que qualquer prazer que se possa imaginar.

Assim sendo, caso você tenha ficado fascinado por esse estranho mundo de lutas e sofrimento em que os gladiadores viviam, e seja burro ou masoquista o suficiente para querer ser um, aqui vão algumas dicas importantes que você nunca deve esquecer quando entrar no coliseu para ser dilacerado lutar:

Chora, pode chorar a vontade sua bicha! Faz bem pros pulmões!
  1. Nunca entre na arena urrando e balançando a espada para todos os lados. Você não vai parecer fodão, vai parecer um imbecil. E a morte sangrenta que sofrerá depois se tornará ainda mais humilhante;
  2. Nunca, nunca peça misericórdia para o outro gladiador. Mesmo se você estiver derrotado e indefeso. Lembre-se de que quem decide sua vida é o povão, e eles, generosos como sempre, odeiam quem choraminga e implora para os outros;
  3. Não use um capacete enorme e enfeitado só para parecer ameaçador. Ele atrapalhará a visão e ficará muito pesado, o que somado com o peso da sua cabeça oca poderá causar resultados catastróficos;
  4. Lembre-se: mais vale uma espada que você saiba usar do que duas que vão escorregar da sua mão no primeiro deslize ou incompetência que você cometer;
  5. Seja original como os retiários e procure armas legais e diferentes. Não saia por aí só com uma espada e um escudo achando que vai vencer alguém.
  6. Não corra como uma bicha louca ao redor do campo, isso não é uma corrida e se for, pior, você só vai é acabar sendo atropelado por uma biga.
  7. Nunca confie em homens que usam saia, ou seja, na Roma antiga, nunca confie em NINGUÉM!
  8. Para matar um leão, ponha um elefante na frente dele, leões tem medo de elefantes;
  9. Para matar o elefante, ponha um rato na frente dele, elefantes odeiam ratos;
  10. Para matar o rato, ponha um leão na frente dele, leões são felinos e consequentemente odeiam ratos;
  11. Nunca confunda seu tridente com um garfo;
  12. Nunca confunda seu tridente com um desentupidor;
  13. Nunca confunda o seu tridente com um coçador de costas também;
  14. Se estiver na arena cheia de lutas, e avistar um leão morto, vá lá e coma um pouco da carne dele. Proteína nunca é demais;
  15. Se estiver na arena cheia de lutas, e avistar um ouro gladiador morto, vá lá e faça o mesmo. Só cuidado para não engasgar com a armadura;
  16. Lembre-se que você é um escravo e como tal nunca poderá comer bem, beber bem, dormir bem, descansar bem, assistir TV bem, ou qualquer outro "bem" que antes você tanto gostaria de fazer;
  17. Nunca pergunte quem sabia que o sabiá sabia assobiar. A resposta é mais assustadora e sinistra do que pode imaginar;
  18. Nunca desafie ninguém que seja mais forte que você ao combate. Na verdade, não desafie ninguém, você já está condenado mesmo;
  19. Nunca ria de gladiadores com nomes ridículos. Geralmente eles iram te dar uma surra e depois te estuprar;
  20. Nunca roube a comida de outro gladiador. Geralmente ele vai te dar um surra e te estuprar também;
  21. Nunca rie da cara dos leões. Geralmente eles também iram te dar uma surra e te estuprar;
  22. Na verdade, não faça nada, absolutamente nada! Qualquer coisa que fizer vai acabar com alguém te dando uma surra e te estuprando mesmo;
  23. Não use capas, ou vai acabar tropeçando nelas e sendo brutalmente massacrado, tomando uma surra e sendo estuprado enquanto tenta se levantar;
  24. Não use sandálias com cadarços também, pelos mesmos motivos acima;
  25. Não use cueca por cima da calça também, porque, bom.... é ridículo;
  26. Não jogue o escudo no inimigo achando que ele volta pra você como num desenho. Você vai é ficar desprotegido e apanhar se fizer isso;
  27. E acima de tudo!! A dica mais importante e que sempre vale lembrar, quantas vezes for necessário é: TOME CUIDADO COM AS REDINHAS!!!!!!
Às vezes o imperador botava lutas injustas só pra ver um bom espancamento de uma via: só um lado bate e o outro lado só apanha.

Gladiadores Famosos[editar]

  • Spartacus: Um famoso gladiador que decidiu criar um sindicato uma revolta de escravos terrível e sangrenta, originando a Terceira Guerra Servil, como já citado. Os romanos viviam tentando capturá-lo, mas era muito difícil achar ele, mais difícil do que achar o Wally, e o cara sempre escapava por entre seus dedos com seus miguxos escravos fugitivos.
  • Gladiador Dourado: gladiador do futuro que veio ao presente para bancar o super-herói. Mas esse nem deveria estar aqui já que não é gladiador porra nenhuma.
  • Maximus: Um ex-general fracassado do império que teve a família assassinada e virou um gladiador fracassado. Ficou doidão e por isso bolou um plano maluco para dar cabo do imperador malvado ao invés de simplesmente ir lá e matá-lo de uma vez.
  • Silvia Saint: Essa sabe como ninguém manejar uma espada e dar prazer ao derrotar o inimigo.
  • Rei Leônidas: Bom, na verdade esse não era gladiador, viveu antes deles existirem até. Mas ele foi a grande inspiração para todos os gladiadores que já viveram, que toda noite sonhavam em um dia sair por aí decepando cabeças e soltando urros de guerra tão bem quanto o finado Leônidas fazia.
  • Chapolin Colorado: O único a renegar o uso das armas tradicionais desse tipo de batalha e lutar usando uma marreta biônica.
  • Mario: Ficou famoso pela antiga técnica de se esconder e te pegar atrás do armário.
As vantagens de ser um gladiador. Pena que a maioria nunca queria aproveitá-las, ou nem conseguia.

Curiosidades[editar]

  • Depois das lutas e combates, o esporte preferido dos romanos era sem dúvidas as corridas de bigas, aonde um bando de imbecis corriam com suas carroças mal-feitas em uma pista circular, até que todos caíssem e acabassem mortos. Aliás não havia esporte em Roma que não acabasse com todos mortos. Até um jogo de boliche terminava com a morte de todos por lá.
  • Geralmente os gladiadores entravam na arena de algum jeito muito extravagante e exagerado. Às vezes só saíam por uma porta mesmo mas outras vezes eles vinham em plataformas subterrâneas, em túneis escondidos, em passagens secretas e até em discos voadores quando dava pra pagar um a tempo.
  • Além de terem que lutar, às vezes era ordenado à esses guerreiros que fossem lá (no Coliseu, porra!) para participarem de peças teatrais, que remontavam antigas aventuras mitológicas de todos os tipos, mesmo que para isso fosse preciso inundar o Coliseu inteiro com água para simular o mar. Nessa os gladiadores tinham que fazer de tudo, ser os heróis, os vilões, as vítimas de afogamento e até mesmo as mulheres das histórias. Às vezes haviam peças com cenas de conteúdo sexual, e aí sobrava para o gladiador vestido de mulher pagar o pato.
  • Também tinham aqueles gladiadores que, num antigo e sábio ritual de fortalecimento, acreditavam que alcançavam o poder supremo após lamber fezes.
  • Recentemente foi feito um filme de nome "Gladiador" que retrata um destes, chamado Maximus em sua luta para se vingar de seu ex-parceiro sexual, o imperador. Apesar de ter suas falhas, o filme mostra com coesão o quanto os imperadores eram burros já que mesmo sendo maricas não tendo nenhum treinamento que prestasse, eles iam lá no estádio e ainda achavam que venceriam no mano a mano um cara que treinou a vida inteira a arte de matar.
  • Além dos clássicos leões, haviam sempre nas lutas vários tipos de animais terríveis e assustadores para encarar os gladiadores (já que leão é uma espécie em extinção e não dá pra ficar comprando eles em qualquer camelô na esquina, certo?). Eram sempre preferidos animais muito violentos que matariam alguém só de olhar, como elefantes, tigres, panteras, rinocerontes, crocodilos, lobos, macacos, hipopótamos, esquilos e flamingos.
  • Era típico nas lutas e massacres de gladiadores, o uso de anões, que iam de um lado para o outro cortando a canela dos guerreiros e estuprando os que já estavam caídos. Eles também lutavam entre si ou formavam times para encarar os gladiadores. Esses anões eram usados como alívio cômico e foi daí também que surgiu a história de Branca de Neve e os Sete Anões, só que no original o protagonista da história era um gladiador que ficava "sujo de sangue de Sete Anões".
  • Outra coisa típica da época era usar mulheres do mesmo jeito que usavam os anões. Eram apelidadas de amazonas em homenagem às antigas guerreiras gregas que foram mortas e violentadas pelo nobre e querido herói Hércules, ídolo supremo dos gregos e romanos. Elas tinham que lutar nuas e às vezes até conseguiam matar alguns gladiadores, já que esses, por razões desconhecidasmorriam de medo delas e tinham medo de chegar perto. Nos (pouquíssimos) casos em que os inimigos que surgissem não tivessem esse "medinho", de duas uma: ou os gladiadores tinham problemas com a roupa, ou simplesmente estupravam a coitada no meio do campo, tudo para agradar a plateia.
  • Houve um Imperador chamado de Domiciano, que era doido de pedra e gostava de bizarrices. Ele viu as lutas bizarras citadas acima e pensou numa escrotice ainda maior do que botar anões e mulheres para lutarem e serem mortos por gladiadores: botar anões e mulheres para lutarem uns contra os outros e acabarem mortos dos jeitos mais bizarros possíveis.
  • Depois que as lutas encerravam, era normal eles recolherem os cadáveres dos gladiadores, dos escravos, dos leões, das mulheres, dos anões e do que mais estivesse lá, juntar tudo, moer e servir nos refeitórios das escolas locais. Hummmmmmmmmmm Diliça!

Galeria[editar]

Ver também[editar]

Diamante.gif O Desafio dos Artigos da Desciclopédia Diamante.gif
Edições: 1 - 2 - 3