Globo Rural

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
TV pós-Globo. Este artigo é sobre mais um programa de tortura televisiva. Salve-se mudando para o Canal do Boi, ou leia mais sobre a desgraça, logo abaixo.
331px-Longcat.jpg Prepare-se para ler:
Esse artigo é muuuuito grande e pode causar cegueira.
Pense duas vezes e não seja tão idiota antes de ler algo assim
Típica reportagem do Globo Rural com uma árvore.

Cquote1.png É um pograma dredicadu pras nossa comunidadi né seu moço... Cquote2.png
Caipira sobre Globo Rural
Cquote1.png Boi, vaca, boi, vaca, soja...Que tipo de imbecil assiste isso? Cquote2.png
Eu sobre Globo Rural
Cquote1.png Adoro! Cquote2.png
Furry sobre Globo Rural
Cquote1.png Eu mais ainda! Cquote2.png
Zoófilo sobre Globo Rural
Cquote1.png Esse programa me deixa deprimido. Cquote2.png
Vegano sobre Globo Rural
Cquote1.png Se fosse para dizer algo inteligente sobre esse programa seria "não assista" Cquote2.png
Oscar Wilde sobre Globo Rural
Cquote1.png E hoje no Globo Rural HOT veremos cavalos transando! Cquote2.png
Apresentador sobre Globo Rural
Cquote1.png Paaaai, a mãe tá na TV Cquote2.png
Teu filho sobre Globo Rural
Cquote1.png Nossa, nesta TV High Definition parece que as vacas estão na nossa frente Cquote2.png
Teu pai em frente à sua nova TV LCD de 42 polegadas sobre Globo Rural
Cquote1.png É a mãe, pai! Cquote2.png
O filho do infeliz sobre citação acima
Cquote1.png Quem planta sacanagem, colhe solidão Cquote2.png
Latino em um momento agrícola
Cquote1.png Certa vez me mandaram catar coquinho e plantar batata, vou mandar uma carta pro Globo Rural pra saber como eu faço isso Cquote2.png
Alguém sobre Globo Rural
Cquote1.png Preferia assistir ao filme do Pelé Cquote2.png
Chaves sobre Globo Rural

Fazendeiro correndo para casa para não perder o Globo Rural de cada dia

Globo Rural é mais um daqueles programas que passam em horários impossíveis de assistir. Mas no caso desse programa, até se passasse num horário possível de assistir, seria horrível, afinal tal programa é um tremendo programa de índio. É também o nome de uma revista, tão chata quanto o programa.

Ruralistas bem conceituados do país confirmam que o programa é tão chato, mais tão chato, que eles um dia mandaram o MST ocuparem a redação do programa, por considerarem o tal programa completamente improdutivo.

Em seus mais de 10 anos de estrada, o programa vem colecionando diversos prêmios, entre os quais a Grama de Ouro, a Picanha do Boi Bandido e o maior de todos, o insuperável Estrume Supremo.

Olha só, Globo Rural, nós somo rochedo! Pescamos algumas sardinhas cavalas!
Típico fenômeno que passa sempre no "Grobo Rurár".
Incrível arquivo histórico do primeiro reporte rural, aqui temos José Hamilton ainda jovem na flor de seus 8o anos de idade estreando no primeiro Globo Rural da história.
Incrível arquivo de Cid Moreira Sérgio Chapelin quando era ainda jovem, aqui temos Cid noticiando o lançamento do Globo Rural em pleno Globo Repórti a dezenas de anos atrás

Imagem:Porcoescroto.gif

Tabela de conteúdo

Surgimento

Furgão Rural utilizado nas reportagens do Globo Rural

Em 1900 e boi mugindo, após a chegada a Antena Parabólica Century (Por que com Century, você vai mais longe!) foi dada a oportunidade ao pessoal do campo de assistir aos canais abertos da televisão brasileira. A Rede Globo estava pensando em investir em programas sobre o campo, aproveitando o sucesso do Canal do Boi. Quando a Globo teve a ideia de criar o programa Globo Rural, já sabia que ninguém assistiria um programa assim, por isso colocou o programa para tapar um pequeno buraco da programação. Mas a Globo não imaginava que o programa tapa-buraco fizesse algum sucesso, causando uma pequena confusão e obrigando a Globo a criar alguns quadros para não perder os fãs, que eram poucos mas regulares.

Aproveitando a febre do momento, a chamada febre aftosa, o programa começou a ganhar uma audiência assustadora para os padrões rurais, já que no campo as pessoas não costumam assistir muita televisão. Então a Globo supôs que o pessoal urbano também estava assistindo o programa, o que não muda muita coisa nessa história. E a partir desse pequeno sucesso, a Globo teve a ousadia de lançar também uma revista. Assim, se era quase impossível ter gente vendo Globo Rural de graça, pagando seria quase impossível. Mas a Globo conseguiu...

A primeira matéria internacional foi sobre um cultivo de coca na Argentina, pelo senhor Diego Maria Juana.


Globo Rural, recuse imitações

O Sinal do Globo rural chegando a sua casa!

Com o desenrolar do sucesso, muitas outras emissoras pobres por sinal veem no Globo Rural um programa de sucesso. (Pelo menos é o que dizem). Então ao longo dos anos foram surgindo vários outros programas semelhantes ou que tentam ser semelhantes, e até canais falando o dia inteiro dessas coisas do mato, por exemplo o Canal Rural. Outro exemplo notável é o Canal do Boi. Você deve estar cansado de ficar ouvindo "eu tenho 2 mil, eu tenho 2 mil, eu tenho 2 mil, eu tenho 2 mil, eu tenho 2 mil" (Isso se você tiver TV a cabo ou com alguma parabólica que funcione, senão não entenderá nada do que está sendo falado).

Enfim, além do mais, veio outros programas destinado ao público caipira como o SBT Rural, Band Rural, Terra da Gente, Record Rural (O Senhor é o meu pastor e nada me faltará), Rede TV Rural, TV Cultura Rural, Disney Channel Rural entre outras porcarias, sempre com um propósito: tentar fazer um programa a altura do famoso Globo Rural, mas é claro que isso é impossível pois somente o Globo Rural ensina receitas deliciosas como buchada de bode ao molho branco, pênis de carneiro com arroz e também a fazer curativos em árvores doentes (Pica-Pau que o diga), ou a distinguir se o cogumelo que nasce na sua casa é venenoso ou não. Por mais que a concorrência tente copiar, caipira nenhum quer assistir outros canais, e isto caso tais canais passem nas regiões já que a Globo é a única televisão que chega a lugares que nenhuma outra alcança (Qualquer semalhança com a nova Oral-B é meramente plágio) e tem um pacto com capeta consegue pegar em 100% de todo território nacional, exceto o Acre (Não tirei a porcentagem máxima porque os habitantes do Acre não existem mesmo).

Com a cobertura total, não tem pra ninguém. A concorrência até tenta copiar, mas a quantidade de caipiras assistindo é insignificante, talvez os telespectadores dos programas concorrentes do Globo Rural são cliente do Baú da Felicidade, devotos de Edir Macedo ou tem medo de ser manipulado pela Rede Globo. A terceira alternativa é muito maior. Até os animais tem medo.

O programa

Um programa cheio de veriedades, com notícias e reportagens, receitas, novidades do mundo rural, o preço atualizado do boi gordo, horóscopo para seu gado, previsão do tempo e outras coisas. Metaforicamente, o Globo Rural é uma espécie de Fantástico versão caipira. Pode não ser o programa mais popular da Globo mas com certeza é o programa mais animaaaaaal desta emissora, isto se você não considerar a novela Malhação como um grande curral.

Formato

Os dois apresentadores do programa.

O formato do programa é quadrado aquele estilo blazé que todo mundo imaginava de um programa desse estilo: dois apresentadores que demonstram profundíssimo conhecimento sobre a vida no campo (tão profundo que me dá vontade de vomitar... êta bandiburro!) e alguns drops durante a semana.

Todo programa tem um monte de perguntas que os telespectadores fazem, mas que os apresentadores simplesmente não sabem as respostas, aí inventam qualquer merda pra disfarçar ou encaminham para os especialistas que dão consultoria.

Em dias de semana, o programa fica com um tempo mais reduzido. Além disso apenas uma pessoa apresenta, e essa pessoa é sempre do sexo feminino. Não se sabe ainda o motivo claro disso, mas talvez ficar apresentando um programa falando de plantas e a cotação da saca de feijão é realmente frustrante pra um homem de meia idade, então um apelo feminimo sempre é bom pra poder aguentar alguns minutos.

Cenário

O programa Globo Rural é talvez o único programa no mundo cujo cenário nunca foi alterado de uma forma perceptível aos telespectadores. Todos os dias, é sempre aquele mesmo cenário feito no Paintshop, com recortes de bois e sabugos de milho. Este cenário estático até sofre algumas modificações e, ao longo do tempo, após algumas alterações, cerca de 2 pessoas perceberam a mudança.

A produção do Globo Rural não se preocupa muito com o segundo plano. As mudanças que ocorrem no cenário são tão significantes como as conquistas corintianas na Libertadores da América. Está certo que pouca gente assiste este programa e desses poucos que assistem, com certeza uma pequena parcela costuma reparar em algo que não seja a mulher que apresenta, ou, dependendo do gosto, no senhor de idade aos domingos. Pensando nisso, a Globo nunca deu muita bola pro cenário. As pessoas que assistem ao programa só estão interessadas no preço do boi rastreado.

Horário

Estado comum de pessoas que assistem Globo Rural.

Sempre de manhã, quando pouca gente pode ver. Em dias de semana, começa mais ou menos 6 horas e 7 minutos (totalmente quebrado mesmo) e aos domingos varia mais do que o clima paulista. Enfim, tanto faz porque você não vai assistir mesmo.

A duração do programa semanal é de aproximadamente 30 minutos. É tempo suficiente para as pessoas tomarem banho até começar algo que presta na televisão. Já o programa dominical dura quase 2 horas. Como todos sabem que o programa Globo Rural é o tapa-buracos oficial da emissora e tal emissora usa e abusa do fator "encher linguiça" neste programa, até começar alguma corrida de manhã ou então algum programa um pouco menos inútil.

Destaques

Tanto a revista como o programa Globo Rural fala com pessoas, sobre pessoas e para as pessoas. Aliás, troque todos os "pessoas" por "animais" (a Wikipédia só fala merda!). Desta forma, em qualquer tipo de reportagem ou seção a figura humana é simplesmente ignorada, pois os destaques vivos do programa são os animais do campo eos animais que fazem parte da praga que devasta o milho. Os principais personagens são o produtor, o trabalhador rural, os técnicos agropecuários, engenheiros agrônomos, zootecnistas, entre outros, além de bois, vacas, galinhas, patos e até onças mas nunca esquecendo das pragas do campo pois sem elas algumas seções do programa seriam inúteis. Há um grande enfoque com a cultura do interior do Brasil, desde as festas, músicas, e tradições, como as festas de bois e as brigas de galos. Finalmente, ensina os leitores a fazer tecnologias e equipamentos como calhas de cano, latrinas e outros, todos de pequeno porte e que o produtor pode fazer por conta própria.

Apresentadores

Mais dois apresentadores dessa pocilga. Reparem no cenário feito sob medida pelo Microsoft Paintbrush.

No começo tiveram a ideia de fazer o programa ser apresentado pela Carla Perez, devido a sua grande característica semelhante com o povo e os animais do campo, mas não deu muito certo, já que Carla Perez tinha um complexo de inveja, e achava que as vacas e os jumentos apareciam mais que ela no programa.

Hoje o programa é apresentado aos domingos pela múmia viva Nélson Araújo e pelo pitelzinho Helen Martins. Foram escolhidos a dedo para dar um contraste especial na bancada. Nélson sentiu um desconforto na escolha a dedo realizada. De segunda-feira a sexta-feira, o programa é apresentado por uma outra mulher, que normalmente é o quindinzinho Priscila Brandão, mas às vezes ela tira folga e ocorre um troca-troca de mulheres na apresentação do programa. Já teve loiras, morenas, ruivas, carecas... até a moça do tempo substitui Priscila Brandão no cargo de apresentadora. A moça do tempo também tem um nome mas o redator deste texto preferiu não citar dada a importância da moça no programa. Quando a moça do tempo fica apresentando, outra mulher apresenta a previsão do tempo já que seria um pouco estranho a mocinha do tempo original abandonar a bancada para ir falar do tempo. Normalmente quem a substitui na apresentação do tempo é uma mulher loira, cujo nome também não chega a ser muito importante, aliás é menos importante já que é a substituta de uma mulher do tempo. Quando esta loira aparece, homem nenhum consegue presta atenção no tempo, o que é bom já que quando a previsão do tempo fala que de tarde vai chover, faz um Sol do caramba, e vice-versa.

Reportagens

Repórteres desse programa devem estar preparados pra uma situação como essa...

Esta é uma profissão suuuper segura... Se entrevistar gente já é difícil, imagine um caipira entrevistando algum bicho!? Tá que os dois até se entendem, afinal, é tudo farinha do mesmo saco, ou vizinhos de porteira como se fala lá no interioooor. Ser repooooorter do Globo Ruraaar necessita de um certo talento, claro que você não vai sair por aí falando que conversa com os bichos, eu disse talento, e não se tornar um retardado por completo.

Mas há certo momentos que as coisas nunca dão certo, como ser vítima do próprio entrevistado. Ninguém quer tomar um coice de um cavalo enquanto fala sobre a gonorréia do bicho, ou tomar um cagaço de uma galinha enquanto se fala dos nutrientes do ovo (só não me pergunte como a galinha consegue cagar em você. Bem, a não ser que você tenha tido a idiotisse de querer que ela pusesse o ovo na sua cabeça...).

Existe alguns regras fundamentais, como nunca alisar o rabo de um animal, ou nunca dar o microfone pra eles conversarem, ninguém quer ver um repórter falando em um microfone babado ou um animal morrer engasgado com isso. O repórter também precisa de um treinamento para saber interpretar o bom humor dos animais, sim, os animais também podem estar naqueles dias, e se o repórter não souber lidar com a situação vai apanhar na frente do Brasil todo.

José Hamilton Ribeiro

Este é o nome da reportagem do programa Rede Globo. Este simpático velhinho sabe tudo e mais um pouco sobre reportagens. Ele é o principal repórter do programa. Sem dúvida, Globo Rural não vive sem José Hamilton Ribeiro e José Hamilton Ribeiro não vive sem Globo Rural. José Hamilton Ribeiro é uma espécie de fóssil vivo, encontrado no ano de 1968 por algum repórter na Globo. Desde então, José Hamilton Ribeiro tem trabalhado como repórter nesta emissora. José Hamilton Ribeiro acabou se tornando um ícone para o programa Globo Rural, fazendo várias reportagens excelentes. Sempre quando José Hamilton Ribeiro sai de sua casa para fazer as reportagens, uma equipe de paramédicos o acompanha em caso de morte por causas naturais, embora muita gente ache que ele já esteja morto, ressuscitado através de magia negra. Acompanha também uma equipe preparada com bálsamo, para dar um retoque na maquiagem da múmia enquanto ela faz as reportagens.

Certa vez José Hamilton Ribeiro foi fazer uma reportagem sobre sequóias com mais de 4000 anos de idade em um campo nos Estados Unidos. Foi uma matéria emocionante em sua vida, já que ele encontrou a sequóia Jimmy, com 4605 anos de idade, árvore esta que o próprio José Hamilton Ribeiro plantou em uma viagem antiga aos Estados Unidos, quando ele era apenas um jovenzinho. Raul Seixas jurou de pé juntos que viu José Hamilton Ribeiro a dez mil anos atrás, em uma viagem transcendental ao mundo ao contrário.

José Hamilton Ribeiro é um dos repórter mais prolíficos de toda a televisão brasileira. Se contarmos todas as vacas que José Hamilton Ribeiro entrevistou, teremos vacas suficientes para povoar um baile funk da cidade do Rio de Janeiro. Sua primeira vaca entrevistada foi a vaca Annis que pertenceu a Cleópatra. José Hamilton Ribeiro já entrevistou vacas pioneiras, como a vaca que deu origem ao churrasco servido na festa de inauguração da Babilônia. Dizem os especialistas que José Hamilton Ribeiro é uma espécie de Picasso das reportagens. José Hamilton Ribeiro nega isso. Ele acha que jamais entrevistaria algo cúbico.

Audiência e popularidade

Uma família reunida para assistir o programa preferido de todas as manhãs

Atualmente, o programa Globo Rural é o programa rural que possui rural no nome e pertence à programação da Rede Globo que tem maior popularidade. Dizem as más línguas que a audiência do programa nas zonas rurais ultrapasse a marca de 5.500.000 cabeças. Isso se deve ao fato de que os bovinos, suínos e caprinos também adoram muito o programa e não perdem a seção receitas por nada, às vezes como prato principal.

Para ser mais exato, acredita-se que no meio rural, 100% das televisões estão ligadas na Globo quando o programa exibido é o Globo Rural. Mas nem só o mundo rural que dá ibope à Globo no horário do Globo Rural. Aos domingos (êta dia de merda!), naquele período da manhã, logo após o programa Pequenas Empresas Grandes Negócios, das 37 pessoas que acordam e assistem televisão, cerca de 37 pessoas mudam na Rede Globo para ver o programa Globo Rural. Os demais assistem aos programas religiosos ou de vendas.

Ainda no âmbito da exatidão matemática, a cada televisão ligada na Globo no momento do Globo Rural, cerca de 10 pessoas (humanas mesmo) estão assistindo a este programa, porque normalmente as famílias do campo costumam ser numerosas. Nas manhãs da zona urbana, 80% das televisões estão ligadas na Rede Globo e 20% estão ligadas no SBT para acompanhar os desenhos animados deste horário. Na zona rural, de 100% de televisões ligadas na Globo para assistir o Globo Rural, 100% são desligadas após o termino do programa, e o pessoal que estava assistindo volta ao trabalho ou a pastar nos campos.

Segundo o Ibope, das pessoas na zona urbana que assistem a Globo no momento do Globo Rural, 80% deixam na Globo por falta de opção mesmo; 15% deixa na Globo porque a preguiça de mudar o canal é grande e 5% assistem porque gostam mesmo, mas jamais fizeram a receita de bolinho de chuva que passou no programa do domingo passado. Na zona rural, segundo o Ibope, das televisões que ficam ligadas na Rede Globo no horário do Globo Rural, 60% tem chiaço, 40% não tem som e 30% ainda não foram pagas em dia. Ainda na zona rural, das pessoas que ficam ligadas no horário do Globo Rural, cerca de 105% e meio assistem porque gostam e os demais assistem só pra saber se o preço do boi gordo aumentou.

Em dias de semana, o programa Globo Rural é assistido por 100% dos homens adultos que acordam cedo pra coçar o saco na frente da TV ou pra se arrumar pro trabalho. 80% destes homens só assistem o programa por causa das gostosinhas que apresentam (e alternam as apresentações). O resto assiste por estar mesmo interessado no preço da saca de café.

Já os ruralistas baianos por exemplo, quando deitam em suas redes para assistirem o Globo Rural, acabam caindo no sono, sendo que os mesmo vão despertando aos poucos, próximo ao meio-dia, que é o horário do almoço, sendo assim, os baianos perdem muito tempo e quase toda a metade do dia quando deixam de ir para roça. Geralmente a desculpa dos fazendeiros baianos é que tirou uma meia horinha de manhã cedinho pra assistir o Globo Rural onde o mesmo acredita que vai dar pra ver se o programa onde possivelmente iria ou não falar sobre o preço do cacau...

Inovação e influências

Quem diria, o programa criado pela Rede Globo para falar apenas sobre o campo era algo tão bizarro que até virou um ícone da cultura brasileira. Nunca antes na história desse país um programa conseguiu falar do campo, apenas sobre o campo, e fazer algum sucesso. Os programas rurais da época eram assistidos por cerca de 3 pessoas (o produtor, o câmera e o editor chefe) e logo viraram atração pra fantasmas assistirem.

O programa Globo Rural foi algo tão fantástico que passou a ser copiado a esmo, inclusive pelo SBT que criou sua própria versão do Globo Rural. O programa do SBT, cujo nome era SBT Rural e que com certeza ninguém deve ter visto, era apresentado pelo Professor Papau e tinha umas variedades a mais como o pensamento do dia. A cópia não durou muito tempo.

Depois do SBT, foi a vez da Band criar seu próprio programa rural. O nome do programa é Band Rural (Quanta criatividade!) e por enquanto ainda não saiu do ar.

Como reunir a família para assistir Globo Rural?

Êta fuminho bão! Típicos entusiastas do programa.

Nada mais traficante gratificante do que você fazendeiro de sucesso(ou um mero coadjuvante que cuida de algum asno) reunir aquela sua família para assistir as dicas do Globo Rural, mas o problema que todo mundo acha o programa um tédio (não que ele não seja). Então os pobres fazendeiros tem que se contentar em assistir sozinho o programa. Mas podemos lhe ajudar, sabemos que no Globo Rural vai ter pessoas tão ignorantes quanto seus telespectadores, isso já é um motivo que influencia seus parentes assistirem ao Globo Rural, afinal, brasileiro adora vê gente tonta na televisão, e isso melhora a auto-estima.

O programa também como se trata de animais, não é difícil de se ver alguma coisa que de errado durante alguma matéria, você a qualquer momento pode observar algum boi mijando na frente das câmeras, ou praticando um ato sexual com alguma vaca, algo cômico de se ver logo às 6 da manhã. E isso convencerá aquele seu filho adolescente ou seu cunhado bêbado e tarado, que adora sexo, e quando digo sexo, é qualquer porcaria de sexo, se não gosta de praticar então gosta de ver.

O Programa também pode contar com receitas deliciosas que você vai conhecer mais pra frente ao ler esse imenso artigo. Uma alternativa para sua mulher preparar algo diferente no almoço, mas não leve muito as receitas a sério. Você saberá o motivo depois.

Para convencer a sua sogra é fácil, basta dizer que vire e mexe sempre aparece algum parente dela. Ela não vai entender direito, mas você sabe do que eu estou dizendo!

Para as crianças, fala que as vacas são todas hentais e domesticadas pelo Ash Ketchum, pode ser mentira, mas elas vão acreditar.

Quando você perceber, todo santo dia sua familia vai acompanhar o glorioso Globo Rural com você. até elas descobrirem que estão sendo enganadas e expulsar-lo de casa

A revista

Caso o espectador fã de Globo Rural perca algum programa, ele pode comprar a revista Globo Rural, que reúne as melhores matérias do programa. No mundo real, uma revista que reunisse as melhores matérias do Globo Rural seria uma revista em branco.

A revista pode ser adquirida nas bancas. Ela fica armazenada na banca junto às revistas Sexy e Playboy afinal, gastar dinheiro com a revista Globo Rural também é uma tremenda sacanagem. A revista também pode ser vendida através de assinatura.

Manchetes destacadas

Funcionários de Nicolau Faraó Custódio eram espancados até a morte pelo capataz Machado no Pinto Rego durante a viagem até a roça

As notícias principais da revista, destacadas na capa. Era tudo o que as pessoas precisavam saber. Ou nem tanto assim.

Denúncia de trabalho escravo

Aqui o Globo Rural em revista apresentou uma denuncia de trabalho escravo no estado do Mato Grosso onde centenas de trabalhadores rurais trabalhavam em condições precárias.

O empresário Nicolau Faraó Custódio era responsável pela contratação destes funcionários que viajavam em um caminhão rural em péssimo estado de conservação, ele viajavam da cidade até a lavoura de fumo onde eram espancados até a morte pelo capataz de nome Machado no Pinto Rego que foi preso pela policia no local. Machado no Pinto Rego irá responder por homicídio e lesões corporais.

As investigações da delegacia do trabalho chegaram à seguinte denuncia: eles descobriram que os escravos ainda pagavam para o patrão "dois $$salários mínimos$$" cada um ao invés de receberem pelo trabalho; eles que pagavam e trabalhavam, ou seja, tinha que pagar para ter o direito de trabalhar.

Após o julgamento, ficou decidido que o patrão é um tremendo safado. O patrão irá levar uma surra da policia e será liberado após pagar fiança de 20 reais e vinte centavos. Já os escravos sairão com uma mão na frente e outra atrás cheios de feridas e hematomas pelo corpo.

Detalhes desta grande reportagem foi ao ar no programa de domingo. As cenas do patrão sendo espancada pela polícia só poderão ser mostradas no Fantástico pois o horário do Globo Rural não permite isto.

Interior do Piauí: Da paçoca à muriçoca

Belíssima notícia que mostrou uma viagem ao interior do Piauí, na cidade de Pirapora Nossa Senhora de Aparecida (onde diabos fica isso, pô?). Destaque para a bela reportagem realizada sobre a culinária e sobre a fauna do lugar. Destaque também para a receita de paçoca de muriçoca, inventada pela Dona Naná. Dona Naná só inventou isso para tentar acabar com a população de insetos na região mas acabou criando uma guloseima bem apetitosa. Nossa equipe, embora tenha achado o prato muito apetitoso, preferiu não experimentar.

Esta matéria também foi transmitida pelo programa como uma matéria especial.

Marcelo D2 afima: Se eu não fosse cantor, eu seria agricultor

Na reportagem principal da revista de outubro do ano passado, o cantor (WTF??) e músico (WTF??²) Marcelo D2 deu um depoimento sobre a vontade de ser agricultor antes da fama. Tendo estudado um pouco sobre produção de vegetais orgânicos, Marcelo D2 tinha o objetivo de se tornar um grande exportador de ervas para exterior.

D2 e sua humilde plantação

No bate-papo que teve com a equipe da editora Globo, Marcelo confirmou seu gosto pela agricultura e mandou um salve pra galera que trabalha com isso.

Cquote1.png Sempre quis ser um agricultor, plantar ervas. Inicialmente eu tive uma agricultura de subsistência, que era para meu próprio sustento e o sustento de meu pulmão e dos meus neurônios doidões. Depois eu pensei alto, aproveitando que a erva já havia me deixado alto. Quis virar agricultor. Infelizmente eu não estudei e tive que virar vocalista de banda mesmo... Cquote2.png
Marcelo D2 em depoimento para a Revista Globo Rural

Marcelo D2 já tinha a esperança de exportar seu produtos para a Holanda, competindo com a Jamaica neste ramo.

Cquote1.png Ramo não, só as folhas! Cquote2.png
Marcelo D2 sobre ramo da agricultura

Cquote1.png Eu queria mandar um salve para o pessoal que cultiva ervas no quintal, escondido da polícia. Cquote2.png
Marcelo D2 completando o raciocínio

Outras manchetes famosas

  • Como plantar bananeira com uma mão só.
  • Está nervoso? Vai pescar! Conheça mil lugares para a prática da pesca esportiva.
  • Descoberta do ano: sentar em formigueiro faz bem à saúde.
  • Porcos coloridos: da lama ao luxo em poucos minutos.
  • Pulgões são a praga que mais cresce no Brasil, depois da Rede TV!
  • Exclusivo! Muito exclusivo! Compre a revista e veja o que é tão exclusivo!

Seções próprias

Algumas coisas você só encontrará na revista.

Coisas que não foram ao ar, mas foram publicadas através da revista

Na revista, várias matérias que não passaram no programa são jogadas na revista. Algumas perguntas não respondidas no programa também são jogadas na revista. As dúvidas, receitas e curiosidades mais idiotas você só encontrará na revista.

Matéria sobre o acasalamento de um touro com uma cabrita

Não foi ao ar porque era impróprio para o horário, mas foi colocada na revista. Saiu na revista de março de 2009.

Batata doce caseira

Esta receita foi considerada tosca demais para ir para a programação, que já é auto-suficiente em tosqueira e não necessitava de mais. Para os curiosos, a receita foi a seguinte:

Jogar açúcar na batata e c'est fini. Esta receita foi enviada por um fã do programa e publicada na revista por falta de opção dos editores. A editora já tratou de mandar uma bomba na casa do idiota espectador que enviou esta receita, como agradecimento. Esta receita, e outras 32 receitas desse tipo, foram publicada na edição de janeiro do ano passado.

Seção de humor

Imagens como essa, que existem as tuias em sites de humor, aparecem na revista.

A revista Globo Rural também conta com uma seção de humor, sobre as coisas da roça. Na seção de humor você pode encontrar:

Variedades do Globo Rural

Por ser um programa de variedades, uma espécie de programa da Ana Maria Braga, mas sem Ana Maria Braga, o programa Globo Rural possui várias seções.

Faça você mesmo

Uma das seções mais importantes do programa é conhecida como Faça Você Mesmo, também chamada de Vamos Fazer ou Como Fazer, onde o programa ensina o espectador a fazer coisas que ele normalmente não faria em casa, mas a pressão feita pelo programa é tão grande que ele acaba achando legal a ideia de plantar um pepino usando materiais recicláveis como vaso ou mijar no banho pra economizar água.

Álcool eclético

As receitas do Globo Rural serve tanto para você como para seu gado. (caso sobre um pouco na panela). Só com as receitas do Globo Rural, seu gado poderá se tornar tão saudável quanto você

Esta receita foi enviada a nossa redação pelo cachaceiro Mohammed Al Kólatra. Para fazer o álcool eclético, serão necessários os seguintes materiais:

Refinaria de Álcool eclético

Para fazer o álcool eclético, é necessário que você tenha todos esses CDs na sua casa. Se você não for de ouvir música, comece a pedir emprestado pela vizinhança. Em uma caldeira colocada sobre uma fogueira, coloque a garapa, deixe ferver e adicione o fermento. Comece a mexer o caldo. Quando começar a borbulhar forte, coloque os CDs para tocar, na sequencia citada. Quando acabar um CD, coloque outro, e assim por diante. Quando borbulhar muito forte, apague o fogo. Deixe o caldo descansando até a hora que acabar os CDs da sequencia. Quando todos os CDSs forem tocados, o álcool estará pronto. Coe o caldo e filtre o líquido. O álcool eclético pode ser misturado em qualquer bebida e poderá ser apreciado em qualquer lugar, independente da música tocada. Este álcool é 100% alcoólico portanto, se for beber, misture a alguma coisa. Ah, e é sempre bom lembrar: se beber, não dirija seu trator ou sua tobata.

Mandioca hidropônica

Uma técnica bastante elogiada pelo pessoal de casa, a técnica da mandioca hidropônica, popularmente conhecida como mandioca aquática, é bem simples e exige apenas que o sujeito que for fazer tal arte tenha, no mínimo, 45 de QI.

Para fazer a mandioca aquática, você precisa de um tanque de água com gelo, cloro, sal de cozinha e uma solução a base de cloridrato de cetamina e suco de laranja. Pegue sua mandioca (A raiz, esse tubérculo aí, não vá enfiar outra coisa na água, pelo amor de Deus), mergulhe ela nessa mistura do tanque, deixe ela no Sol e espere um pouco. Faça isso com outras mandiocas.

Após o banho de Sol, mas mandiocas vão começar a germinar. Quando isto acontecer, deixe elas de molho na mistura novamente. Deixe lá uns 3 dias. Após esperar, você verá uma pequena plantação de mandiocas em sua casa, sem precisar de terra. É ou não é totalmente excelente?

Masturbação caseira de porcos

Essa técnica é extremamente útil para desestressar seus suínos, e até mesmo desestressar um caipira que tenha alguns gostos estranhos. Essa prática é demasiadamente saudável para seus porquinhos poderem ter uma iniciação sexual bem eficiente. Não recomendamos, entretanto, essa prática a outros gados, principalmente equinos, ou as consequências podem ser bem perversas.

Para fazer a masturbação caseira, use alguma luva. Tenha certeza de que o seu porco de estimação seja do sexo masculino. Use a revista Playpig para deixar seu porco mais alegre. Comece fazendo movimentos de vai e vem com sua mão (Ah, você sabe fazer isso! Você faz todo dia!). Após 2 horas de masturbação caseira, recolha o material seminal e congele. Conclua a obra oferecendo seu rabo um jantar ao porco.

Dicas do Globo Rural

No Globo Rural você aprende dicas que vão mudar a sua vida, às vezes pra melhor, e não só a sua, mas também a do seu gado e de sua plantação de maconha. São dicas importantititititititissímas sobre coisas que você já aprendeu na escola, ou que você ainda vai aprender na escola ou coisa que escola nenhuma iria ensinar porque seria muita idiotice.

Vamos às piores melhores dicas selecionada pelos piores melhores selecionadores de dicas de toda a Desciclopédia.

Como descobrir se o seu porco está gripado

Uai sô, mas é facim facim, se o seu porco fizer ROOOOONC, ele está cheinho de saúde, mas se ele fizer, RONNNNNNNNNNNNFG, o bichim tá gripado e nói do Globo Rurar recomendamos os tradicionais cogumelos do sor e as deliciosas castanhas da Índia Atalaia, porque castanha, tem que ser, Atalaia. E quem passou a receita pra nóis foi o sô Zé da Serra.

A vaca tosse?

Pobre bezeirro sufocado tentando ser desentalado pelo criador.

A vaca não tosse, mas jorra leite na cara. Irairairairai!

(Queridos telespectadores, desconsidere essa resposta logo acima)

O que acontece quando a vaca torce o rabo?

Pode ser o diabo! Auauau! Incon, incon! Miau, miau, miau! Cocorocó! Entretanto, existe também a possibilidade da porca torcer o rabo, então isso pode ser o diabo também. Depende da música sertaneja que você canta.

Como fazer com que seus parentes não atolem o carro ao lhe visitar?

Você pode também distribuir "meios de transportes" menos atoláveis para sua família ir lhe visitar.

Nada mais desagradável que a cambada de parente lhe visitar e no meio do nada, atolar o carro 1.0 no na metade do caminho. E você tem que sair lá de seu sítio, pegar o seu trator pra tirar o carro mil da lama. Isso se você não atolar também.

Por isso o Globo Rural lhe ensina a fazer um caminho alternativo, ao invés de seguir pela estrada, faça um mapa alternativo cortando caminho pelo meio do mato e deem aos seus parentes antes da viagem. Afinal, quanto mais mato, menos chance de atolar, mas faça um mapa o mais compreendido possível, você não vai querer aparecer no Jornal Nacional pedindo apelo para o exercito procurar a sua cambada de parentada no meio da floresta. Você pode também enfiar um monte de arvores no meio da estrada e colocar uma placa (Continue o caminho a pé). Assim seus parentes e amigos continuarão a seguir caminho a pé, claro que quando chegarem, vão trazer contigo centenas de carrapatos, isso se alguém não morrer no caminho devido a picada de cobra, mas nada que seja tão chato quanto ter que resgatar os parentes da cidade no meio da lama.

Como botar fogo na sua fazenda sem ser perturbado pelo Ibama ou Greenpeace?

Em algumas lições básicas você poderá por fogo em toda a fazenda e caso o fiscal intervenha, facilmente você pode colocá-lo no microondas.

Seu José saiu tranquilo!

Tenha em mãos sempre uma arma de cano longo para eventuais tentativas de intervenção e uma de cano curto, para a necessidade de suicídio.

Você precisará de gasolina, um isqueiro Zippo (tem que ser Zippo, senão vai dar merda), um papel, caneta esferográfica e ter seguro da fazenda, senão tudo isso é uma grande burrice.

Modo de fazer: Pegue o papel e com a caneta esferográfica escreva "vire" em ambos os lados. Isso vai distrair os limitados fiscais de nível médio incompleto (todos). Após isso, espalhe a gasolina pela casa e em seu corpo, assim eles não poderão pegar você enquanto você foge.

Com muito estilo, abra e acenda o Zippo. Use a manobra de sua escolha pra abrir. Existem muitas maneiras. Jogue o isqueiro próximo a você.

IMPORTANTE: Quando você começar a pegar fogo, corra para cima dos fiscais. Isso fará eles acharem quem você é o Tocha Humana tentando salvar o lugar.

Como botar marcha a ré no jegue

"Bão di mais, agora posso andar de ré com meu jeguim 4 marchas"
Tião da Ressurreição elogia seu jegue"

Saiba como adaptar a marcha a ré do "Volquesvaguem" Kombi em seu jegue. Nesta seção o Globo Rural apresentou na TV dicas sobre tração animal, sendo adaptadas com transmissão automotor.

Muitos produtores rurais encontravam dificuldades na hora de dirigir seus meios de transporte onde a tração é animal. Uma dificuldade encontrada por parte da maioria dos ruralistas é dar marcha a ré no cavalo ou no jegue, isso por que os equinos nunca vêm com transmissão automatizada de fábrica, e isso vale tanto para os jegues da marca Corcel II quanto para os cavalos velozes de alto desempenho da marca Mustang.

Em 2008, uma reportagem apresentada pelo Globo Rural mostrou o agricultor Tião da Ressurreição, que elogiou o serviço mecânico que foi realizado em seu jegue, que depois de passar pela autorizada, ficou zero bala. Tanto no Tião quanto no jegue foi adaptado um câmbio de Kombi dos grandes. Esta câmbio, além de grande, era do modelo bem grosso. O restante do câmbio veio com uma bola preta na ponta da rosca. Esta colocação foi realizada de quatro, a posição ideal tanto para os mecânicos trabalharem quanto nos envolvidos, tanto no jegue como no proprietário. Na ocasião Seu Tião, com 74 anos de idade, aproveitou o embalo da oficina para fazer o seu primeiro exame na próstata, depois foi introduzido o tão sonhado câmbio de quatro marchas incluindo nela a tão complicada marcha a ré no jegue.

Cquote1.png Virgi Santíssima, Esse jegui era brabo dimais sô! Dispois que nóís colocô marcha ré no bichim, ele fico tinino de bão, mio que isso só dois disso, uai! Cquote2.png
Tião da Ressurreição elogiando seu jegue

Seção de fotos do telespectador

Cquote1.png Humn moska varejeyra né, veneno não matar moska né! E só mandar eles pararem de kagar no quintal de kasa que moska vai embora né! Cquote2.png
Chokito Kurozal dando conselhos ao telespectador!
Foto enviado pelo Seu José do Perpetuo Socorro do Amparo. A mosca varejeira do Maranhão
Seção de fotos do telespectador

O Globo Rural sempre separou uma seção do programa onde sua equipe de reportagem divulga fotos curiosas enviadas por agricultores e pecuaristas de todo Brasil. O programa, semanalmente, procura divulgar todos as fotos de maior repercussão, ou as mais engraçadinhas.

Foto da mosca varejeira com estranha aparência

Uma análise onde um agricultor do Maranhão pede socorro ao Globo Rural através do envio de fotografia. Nessa resolução foi abordada a praga da mosca varejeira onde o telespectador é orientado pelo agrônomo japonês Chokito Kurozal. A foto da estranha mosca varejeira foi analisada e a resposta foi mostrada ao ar no domingo retrasado.

"Questionamento por Nelson Araujo da Capitinga"

ImageNE.jpg
Cquote1.png Seu José do Perpetuo Socorro do Amparo, agricultor no estado do Maranhão, enviou uma foto ao Globo Rural queixando-se de uma espécie de mosca que vem atacando sua lavoura de mamão. Seu José disse que essa mosca sempre aparece pousando sobre o mamoeiro onde a mesma chupa toda poupa da fruta. No final o mamão morre ainda no pé, apodrecendo por inteiro. Seu José afirmou ter usado todo tipo de agrotóxico sem sucesso, pois a mosca acaba voltando onde senta as patas sobre as frutas, dando perda total na lavoura. Além disso a mosca chefe fica chamando mosquinhas parentes para chupar outras frutas. Cquote2.png
Apresentação do problema do telespectador Nelson Araujo da Capitinga
  • Resposta do Globo Rural ao seu José

Por Nelson Araujo

ImageNE.jpg
Cquote1.png Bem seu José, o Globo Rural consultou o agrônomo Chokito Kurozal sobre a tal mosca que vem atacando a lavoura de mamão do senhor. Segundo Chokito Kurozal, essa é a famosa mosca varejeira, mais conhecida como a mosca que voa sobre excrementos não endurecidos. A mosca varejeira é uma espécie muito resistente e dificilmente algum veneno irá combatê-la. Essa espécie nunca desiste de assentar-se sobre os excrementos e depois sobre os alimentos, que podem ser contaminados por tais atitudes anti-higiênicas. A solução para resolver os seus problemas relacionados a mosca é tampar bem a boca da fossa e proibir que todos os membros de sua família defequem no quintal de casa. Outra coisa importante que deve ser observada é se todos os membros de sua família têm o habito de escovar os dentes no período da manhã e após as refeições, pois o mau hálito da boca pode atrair atenção da mosca. Eliminando a mosca chefe, você elimina todas as moscas da família. Cquote2.png
Resposta do Globo Rural para o senhor José

Foto da mandioca gigante

Uma curiosidade enviada por um telespectador do Globo Rural sobre as mandiocas que nascem em seu terreno. O programa Globo Rural, que dedica um bom pedaço do programa mostrando mandiocas alheias, não desperdiçou a oportunidade de mostrar a foto da mandioca gigante do telespectador.

"Fotografia e desafio de um telespectador"

Por Helen Martins

Foto enviado pelo senhor Armando Pinto. A mandioca que nasce em seu terreno.
Seção de fotos do telespectador
Globo ruralinha.jpg
Cquote1.png O telespectador Armando Pinto nos enviou uma imagem de sua mandioca, dizendo que em sua região, a mandioca da vizinhança é pequena demais, enquanto a sua é gigante. Ele gostaria de saber por que sua mandioca nasce grande enquanto as de seus vizinhos nascem pequenas e se sua mandioca é a maior mandioca do Brasil. Ele desafia o pessoal de casa, dizendo possuir ter a maior mandioca das Américas. Cquote2.png
Armando Pinto
  • Resposta do Globo Rural ao senhor Armando Pinto
Globo ruralinha.jpg
Cquote1.png Consultamos nosso especialista em agronomia, Chokito Kurozal, que explicou que sua mandioca é de um gênero africano, Grandilongus mandiocis, comum em algumas partes do Brasil. Já o gênero da mandioca de seus vizinhos é o Microfinus macaxera, originária do Japão, também comum no país. Quanto ao desafio, o telespectador que possuir uma mandioca maior que a do senhor Armando Pinto, envie fotos para nossa redação. Mas podemos afirmar ao senhor Armando Pinto que sua mandioca não é a maior do país, já que o senhor Euclides Bengala nos enviou uma foto de uma mandioca do gênero Motumbus aipinus, tubérculo mutante de larga escala. Cquote2.png
Resposta do Globo Rural para Armando Pinto

Foto misteriosa do "vexame de abeião grande"

Farsa do "vexame de abeião grande"

"Fotografia e discussão no caso do enxame de abelhas gigantes"

Por Helen Martins

Globo ruralinha.jpg
Cquote1.png O telespectador Barnabé do Livramento nos enviou uma imagem e um relato em uma carta. A carta diz o seguinte:

"Bom dia grobu rurá, adoro o programa di ocêis, e qui roça venho seno atacada por um vexame de abeião grande do tipo africana, parece qui elas tem um 2 metro de artura, o probrema é qui esses abeiões estão esporando minhas vacas. Não sei mais o que fazer com elas, o que mais dói é levar firuada dessas bêias, dói ate na fundo da arma da gente. Istou inviando uma fota das bichas procêis vê, gostaria que ocêis mi ajudaçi com essas bêias marditas!"

Nosso repórter mumificado José Hamilton Ribeiro foi buscar uma resposta. Cquote2.png

ReHamilton.jpg
Cquote1.png Bom dia seu Barnabé do Livramento, tudo bem com senhor? Desculpa, mas não vamos atender seu pedido. Nós do Globo Rural sugerimos que o senhor leve o nosso programa mais a sério, não brinque com a gente, nosso programa trata de coisas serias. O Programa do Ratinho fica na emissora concorrente, sugiro que o senhor apresente essa foto por lá. Essa sua abelha gigante é uma farsa. Contactamos o Detetive Virtual do Fantástico para avaliar a sua fotografia e, segundo análise do detetive virtual, foi descoberto que essa foto não passa de uma montagem feita em trabalho de Photoshop, sendo que segundo os analistas, tais abelhas na realidade seriam provenientes do jogo Donkey Kong Country para consoles Nintendo. Também suspeitei da montagem, pois meu tatatatataraneto tem esse jogo em casa. Portanto, seu Barnabé do Livramento, isto non ecziste!!!. Seu Barnabé, eu sou um velhinho antigo mas não sou burro, viu? Cquote2.png
José Hamilton Ribeiro em resposta para o piadista

Seção de cartas do telespectador

Carta de Tião Galdino

  • Remedim pra curar os bagos du meu boi
Carta de Tião Galdino
Cquote1.png Boa tardi amigos do grobo rurar, qui quem vus fala é o tião galdino Primeiramente gostaria de parabenizar todos ocêis pelo estrombólico progama docêis! Infelismente não da pra assiti ocêis todos os dias, minha televesão só funçona quando ligo o gerador morvido a dirso pra gerar força elétrica na tumada. Tamem nu posso fica im casa infornado todo dia pra vê ocêis. Quasi todo dia eu e minha muié levanta cedo pra ir pegar no sabugo la na lavora de mio da minha propriedade. Deixano de papo fiado vamo ao arsunto. É qui meu boi inganchou nos bagos no arami farpado, e ficou com bicheira na cabeça da pomba, outro probrema é qui ele não encavala mais com as vacas. Qual remédio ocêis me endica pra passar nos bagos do meu boi? Demos novargina pra ele bebe na ração mas ele cospi fora. De momento é só isso memo, vem aqui dispois pra gente tomar um cafezim! Abraço pro cêis! Cquote2.png
açinado tião galdino
  • Resposta por Priscila Brandão
PriscilaBrandão.jpg Cquote1.png Caro Tião Galdino, primeiramente agradecemos a sua carta. Conversamos com um tradutor de caipirês, que ajudou a nossa equipe a decifrar este código secreto que você nos enviou. Seu boi, que na verdade é um touro, está colocando chifres em suas vacas, por isso ele ficou com os testículos presos no arame farpado. Isso acontece por que ele anda pulando a cerca de suas terras. Para tratá-lo, basta você fazer umas compressas de água quente nos testículos do animal doente. Curando esta doença, seu touro poderá cruzar novamente com as vacas. Mas se seu touro for do tipo Ricardão, o problema com a cerca de arame tende a persistir e nesse caso melhor solução é capar o animal pra engorda e mandar direto para o abate. Obrigado pela carta e pela preferência. Cquote2.png
Globo Rural em resposta para Tião Galdino. Agradecemos sua carta!

Carta de Maria do Socorro

  • Caso da onça faminta
Cquote1.png RWWUuuuhhhaaaAAAAgggrrrr! Cquote2.png
onça
Carta de Maria do Socorro!!!
Cquote1.png Gostaria de da meus parabeins pro grobu rurar pelo maravioso pograma,Uai sô e qui ta aparecendo uma onça braba no meu galinheru e não consigo tanger ele di lá.Ela visita a gente toda semana afim de faze a marmita dela aqui. i o probrema é qui todo mundo fica com medo da onça pega a gente no quintar, ja tentamo mata ela usano preda,tijolo, areia, cimento, ate a ispingarda a gente tento usar.mas ele sempri foge pra dentro do mato na hora do tiro.toda vez que a infiliz aparece acaba comeno um pitim,uma galinha,patim ou ate memo os ovo do meu galinheru.Gostaria de sabe docêis como posso tanger essa onça pra loge da minha roça. Cquote2.png
Asinado donamaria du Perpetu Socorro, dona do galinheru Popai!

Resposta por Nelson Araujo

ImageNE.jpg Cquote1.png Dona Maria, o Globo Rural consultou um biólogo do IBAMA sobre o caso da onça que tem visitado seu galinheiro. Segundo o biólogo, a melhor maneira de expulsar a onça de suas terras é permitir que ela coma o resto de seu galinheiro, quando ele começar a sentir fome ela ira procurar alimento em outras regiões, mas certamente ela irá comer a senhora com o resto de sua família antes de ir embora, depois que a onça perceber que não há mais alimento pela região ela irá buscar outras terras para se alimentar deixando sua roça em paz. Depois é só refazer seu galinheiro do zero e rezar uma missa de sétimo dia para as galinhas e seus entes queridos (se, obviamente, a senhora permanecer viva, é claro). Cquote2.png
O Globo Rural agradece pela carta!

Carta de Manoel das Dores

  • Caso do porco fujão
O porco de seu Maneu das Dores tem mania se lavar no riacho do sitio do vizinho
Carta de Maneu das Dores!
Cquote1.png Bom dia grobo rurá, nóis tem uma grandi adimiração docêis, nois sisti os programa doicês todos dumigos, minha carta é pra pedir ajuda docêis, noís tem uma criação de leitão aqui no quintar de casa, meu porco anda fugindo do chiquero e vai se lava no riacho lá do sitio do vizim, esse meu leitão tem mania de andar limpim, como faço pra evita essas escapadas, pois meu vizim arrumou um pé de guerra com noís, pois meu porco anda chujando a água do ri do meu vizim encrenquero Cquote2.png
Açinado, Seu Maneú das Dores

Resposta por Ivaci Matias

0,9310,428943 3,00.jpg Cquote1.png Olá Seu Manoel das Dores, o Globo Rural visitou a Fazenda Boa Esperança, na esperança de resolver o problema das escapadas de seu porco, e a esperança que a gente tinha de ter uma esperança de resposta até que foi esperançosa. O senhor já ouviu falar em cercado? Basta o senhor compra algumas peças de madeira e pregos para construir um curral e trancar seu vizinho briguento lá dentro. Deixa o porco tomar banho em paz e mande seu vizinho tomar banho na soda cáustica. Cquote2.png
O Globo Rural agradece a cartinha do senhor!

Notícias

Além de tudo, o programa Globo Rural também mostra várias notícias sobre tudo o que acontece no campo.

Agricultor que sofreu acidente e foi parar em outro país

Esta foi uma notícia que o Globo Rural transmitiu no domingo passado, que mostrou o acidente envolvendo o agricultor campineiro Tonho das Couves e o trator Massey Ferguson 680. Como de costume, Tonho colocava o diesel em seu trator e bebia a cachaça. Todos os dias o trator bebia o diesel e o homem bebia a cachaça. Semana passada, na terça-feira, o homem se enganou: deu cachaça para o trator e bebeu o diesel.

Tonho, no momento da explosão, flagrado por um satélite

Após estar desaparecido por 3 dias, Tonho foi encontrado no México através de uma busca da polícia com a ajuda de helicópteros. Felizmente o combustível havia terminado, caso contrário, Tonho teria problemas para atravessar a fronteira do México com os Estados Unidos, podendo ser preso por tentativa de entrada ilegal.

Após este problema, tudo foi resolvido. Tonho voltou para casa de avião, através da ajuda do Globo Rural, sensibilizado pelo caso. Tonho não sofreu maiores danos após a viagem forçada, apenas umas queimações no fiofó por causa da viagem e uma diarreia após acabar o combustível. Já o trator virou alcoólatra. A Globo conseguiu um Green Card para o Tonho, caso ele beba diesel por engano outra vez, mas em quantidades maiores.

Fazenda tibiana é devastada por porings

Criaturinhas tão fofas, tão inocentes... e tão filasdaputa! Comeram tudo em Tibia!

Uma fazenda numa vila de Tibia foi misteriosamente atacada por Porings. Isso mesmo... róseos Porings. Não me perguntem o que eles foram fazer saindo de Ragnarok e indo pra esse outro mundo, mas eles foram. Essas criaturas dominaram toda a plantação de alface de um vilarejo de Tibia. Tamanha devastação só ocorreu igual quando o Horácio da Turma da Mônica estava vivo ainda. Devido o fato de os guerreiros da vila serem ainda feitos no Paint, não tiveram forças contra uma ameaça 3D como esses Porings. Cuidado, pois a próxima vítima pode ser você, caro jogador de Tibia!

Gafanhotos que erraram percurso morrem de fome na caatinga

Pelo menos o povo da caatinga conseguiu comer arroz com gafanhoto. Está servido?

Uma nuvem de gafanhotos famintos, que voavam em direção ao Norte brasileiro, rumo às plantações de soja, acabaram errando o percurso e pousaram no Nordeste, bem no sertão, onde os mandacarus dividem a pouca água do local com os xique-xiques. Percebendo o erro, os gafanhotos, cansados por causa da viagem, só tiveram tempo de dizer uma coisa antes de morrer: FUUUUUUUUUUUU!!!!!!!

Esta tragédia animalesca causou a morte de milhões e milhões de gafanhotos. A tragédia ocorreu porque o GPS dos gafanhotos quebrou no meio do caminho, porque no meio do caminho tinha uma pedra e o GPS era de plástico.

Migração de pulgões para Santa Catarina vira tragédia

Após devastarem as plantações de cana-de-açúcar em São Paulo, uma tropa de pulgões partiu em direção a Santa Catarina para aproveitar a colheita de fumo no interior do estado, mas acabaram se dando mal. Após a viagem, os pulgões chegaram ao estado de Santa Catarina na manhã de hoje, mas acabaram encontrando um dia extremamente chuvoso. Resultado disso é que a maioria dos pulgões morreram afogados pois não sabiam nadar. Os que restaram pegaram uma baita gripe do caramba por causa do estranho tempo frio. Alguns morreram posteriormente.

Após a tragédia, os pulgões tentaram se estabeler no estado, mas acabaram tomando outra chuva nas costas. Mais pulgões se afogaram. Aos pulgões que sobreviveram restou apenas juntar os cacos e se mandar do estado. O Globo Repórter acompanhou de perto a fuga dos pulgões do estado de Santa Catarina. O chefe da tropa não quis dar um depoimento. Visivelmente abatido, o chefe chamou a tropa de pulgões que sobreviveram para a partida, rumo ao estado do Mato Grosso.

Cquote1.png Nunca mais esses pulgões voltam pra cá! Cquote2.png
Governador de Santa Catarina sobre migração de pulgões

Depois da gripe suína, gripe do frango e vaca louca, foi a vez dos caprinos sofrerem algo

Vaca louca, grupe do frango, gripe suína... Agora os pesquisadores da UNNNNI descobriram o vírus do bode louco

Cientistas e pesquisadores, cujo tempo disponível era alto, da universidade de Nova Nova Nova Nova Iorque, descobriram algo que poderá se tornar uma verdadeira epidemia mundial ou então algo que poderá ser esquecido em poucos dias. Após as doenças da vaca louca, da gripe do frango e da gripe do porco, chegou a vez dos caprinos ilustrarem uma doença própria.

O enviado especial da Rede Globo, Raul C. Noura, entrevistou o chefe da pesquisa, Bruce P. Pinno, em uma conversa sobre as pesquisas realizadas e sobre a nova doença. Confira um pedaço da matéria com uma tradução simultânea:

Repórter: The book is on the table? (O que você pode nos dizer sobre as pesquisas?)
Cientista: The book is on the table, the book is on the table, the book is on the table, the book is on the table. (As pesquisas foram feitas devido ao nosso interesse em encontrar algo que pudesse fazer nossa equipe ser reconhecida, não apenas pelos nossos atributos ociosos mas também pelo nosso interesse em fazer algo que presta.)
Repórter: The book is on the table? (O que você pode dizer sobre a doença?)
Cientista: The book is on the table. The book is on the table. The book is on the table. (É uma doença que pode ser devastadora, ou não. Ela surgiu através da mutação das células de uma cabra, ou não. Nossa pesquisa pode ser muito útil no futuro, ou não.)

A nova doença, que será chamada de cabra louca, ou bode louco, ainda é um mistério. Não se sabe se a doença será uma febre mundial, será uma doença leve ou será apenas uma marolinha. Os cientistas já estão desenvolvendo uma cura, mesmo não conhecendo ao certo tal doença. Espera-se que a vacina desta doença já esteja nos mercados no ano 2011. Já a doença, espera-se que ela chegue ao mercado no ano 2014, mas até lá a cura já existirá.

Vaca traiu touro campeão com bode e o episódio causou uma grande confusão

Notícia quentinha que o programa exibiu, mostrando o incidente causado por um par de chifres a mais na cabeça de um touro. A vaca Mamisa (Irmã da Mimosa) teve um caso com o bode na madrugada, mas o touro Brutus, casado com a vaca, soube disso através das peruas e galinhas fofoqueiras. Com um par de chifres novo na cabeça, o touro Brutus, grande campeão dos rodeios, fugiu do rancho do Sr. Chico ainda na madrugada, furiosamente irritado, indo direto para o centro da cidade. Não houve sobreviventes.

Metade das pessoas que estavam no local morreu chifrada, a outra metade morreu pisoteada, teve um que morreu de medo antes, não tendo tempo de morrer pisoteado ou chifrado. O touro morreu de tristeza, com o coração partido. O dono do Rancho, sr. Francisco Intestino, 61 anos, lamentou o incidente.

Cquote1.png Eu gostava muito daquele touro, chuif... Cquote2.png
Seu Chico sobre o incidente

Chico Intestino prometeu processar a vaca, por partir o coração do touro premiado, e o bode, por furar o olho do touro, impedindo sua visão.

Reportagens

Além de notícias do que acontece no campo, o Globo Repórter exibe também reportagens, com direito a entrevistas com animais.

Jegues são substituídos por motocicletas

Aqui temos seu Raimundo Nonato levando o jegue de reserva na garupa.
Cquote1.png Vai que a moto fica sem gasolina no caminho. Isso é melhor que pneu step Cquote2.png afirma Raimundo Nonato

Além da falta da marcha ré no animal de condução do pecuarista, outro problema sério diz respeito às quebras constantes na parte mecânica, tanto da carroça quanto do cavalo. Homem e jumento são companheiros mesmo, não apenas durante o trabalho mas também companheiros afetivos em certas regiões do Nordeste. O Globo Rural viajou até o Ceará mostrando a renovação da frota motorizada, mas na hora de dar uma voltinha na cidade, o jegue não tem vez. O homem do campo moderno tem agora outra preferência: a moto.

No sertão do Ceará, um antigo meio de transporte do homem do campo está sendo encostado a cada dia. A moda agora no sertão é ter uma motocicleta zero bala na porta de casa. Hoje em dia todo mundo quer ter uma. Virou sonho de consumo entre os agricultores da zona rural do Ceará, Maranhão, entre outros estados nordestinos. Até nos povoados mais distantes da cidade, a gente encontra uma moto. O jumento pouco serve para o serviço pesado no campo.

Um agricultor tentando lavar a égua o jegue.
Cquote1.png Não posso comprar moto mas de pé não fico, lavou tá novo! Cquote2.png

O animal de estatura baixa não faz corpo mole na hora do serviço. É só pequenininho no tamanho (Em compensação, o tamanho de sua jeba é desproporcional ao seu tamanho), mas é forte, no entanto, o problema surge quando funde o cabeçote, explodindo o pistão de combustão.

Cquote1.png No jeguim ocê pode buta até 120 arroba de carga que ele arrasta para tudo quanto é canto. O probrema é quando o bicho quebra a suspensão e funde o pistão Cquote2.png
Citação do lavrador Raimundo Nonato

O lavrador Raimundo Nonato disse também ao Globo Rural que seu companheiro jegue só servia mesmo durante o trabalho. Mas na hora de dar uma voltinha na cidade, o jegue não serve mais, pois montar nele hoje em dia é sinônimo de pagar muita vexa, não tem vez. Segundo Raimundo, o homem do campo moderno tem agora outra preferência mesmo: a moto.

Globo Rural mostra um jegue com motor fundido.

Até nas casas mais humildes, lá estão elas bem na porta, para todo mundo ver. A bichona motorizada a gasolina, as poderosas, as brilhosas, as lustrosas motocas que viraram símbolo de status social, ao contrário do jegue motorizado movido a capim.

Cquote1.png Ora bichim, aquele que tem uma um motocona em casa, tem mais chance de arranjar muié do que quem não tem. Muié gosta muito de moto, e eu gosto da moto com a muié na garupa da marvada, num é? Cquote2.png
Afirmação de um rapaz da vizinhança ao Globo Rural

Exemplo de modelo de moto campeã em vendas que surgiu para substituir os jegues

No caso do jegue, o homem do campo enfrenta a falta de peças de reposição quando os bichos fundem os motores. Geralmente muitos destes jegues acabam encostados dentro de algum ferro velho sem chances de reparo.

Globo Rural mostrou vários casos de abandono de transportes no Nordeste do Brasil, onde o transporte movido a jegues foi sendo substituído por automotores do tipo motocicletas. Complicado é quando estes novos motociclistas se encontram. Eles, acostumados a andar de jegues, ignoram as leis de trânsito.

Cquote1.png Eu não tenho carteira, nem de jegue nem de moto, nem IPVA desse jegue eu pagava pros homis, agora imagina capaceti... Cquote2.png
Um mototaxi confessando para o Globo Reporter

O Ceará, Maranhão e Piauí, por exemplo, lideram o ranking de substituição de jegues por motocicletas. Isto tudo é decorrente do baixo custo com a baixa do IPI (Idiota que Paga Imposto) que foi reduzido pelo e governo federal no inicio do ano.

É uma cena cada vez mais rara no interior. Sertanejo andando no lombo de um jumento é coisa do passado. O que se vê são animais perambulando nas ruas e rodovias das pequenas cidades.

Já outros ruralistas com pouquíssimas condições financeiras apelaram e optaram pelo conserto do jegue quebrado, onde gambiarras do tipo gatos e suplementos alimentares foram a alternativa mais viável para tentar colocar o jegue de pé na estrada. É a modernidade versus a tradição. A moto movida a gasolina versus o motor do jegue movido a capim e água. As motocas podem até liderar a preferência, que era dos jumentos, mas dificilmente o jumento vai perder a importância que tem no sertão.

Cquote1.png Inté porque, o primeiro meio de transporte a aparecer aqui foi o tar de jumentim. Então, ninguém pode abandonar o bichim. Cquote2.png
Lavrador concluindo nossa reportagem com chave de ouro

Reportagem sobre cães de caça

Um cão caça. Este é o resultado de um cruzamento feito na EMBRAPA de Brasília, onde um cão vira-lata é cruzado com um gavião

Os cães são considerados os melhores amigos da onça do homem, e nesta reportagem exibida pelo Globo Rural o repórter Carlos Augusto mostrou a importância dos cães de caça na vida do homem do campo. Muitos destes animais são responsáveis pela vigia da casa e pela caçada mato adentro, onde esses animais são treinados da maneira mais caipira de ser.

Muitos fazendeiros costumam fazer trocas e cruzamentos entre raças para obterem a melhor linhagem caçadora do momento. São realizados vários cruzamentos entre as mais variadas raças, sendo elas: vira-latas, pastores alemães, pequinês, dobermann, filas, filas brasileiros, fila boia e cães fila da puta.

Muitos fazendeiros costumam fazer trocas e cruzamentos entre raças

Todos são treinados e preparados para caçar suas presas em locais de mata densa e fechada. O treino consiste em deixar o bicho uma semana sem comida. Isto serve para aumentar ansiedade e vontade de caçar dos bichinhos. Chegando o grande dia, basta dar um tiro de espingarda para alto despertando toda cachorrada pra caçada. Este é o sinal para a saída!

Geralmente os cães entram em um estado de delírio e alvoroço acompanhando seus donos que vão logo atrás, montados a cavalos com a espingarda em punho. Os cães sempre encontram com tatus, cotias, veados, ratos do mato, galinhas d'angola, entre outros. Quando o cão captura a presa, o capataz logo enfia a porrada na boca do cachorro, caso contrario o cão irá devorar a caça inteira devido a fome que o assola.

Queimadas de Montreal

Cquote1.png Pow, seu moço, eu fudi u braçu todin... Cquote2.png
Jaime Retefilde sobre queimadas em Montreal.

Um caso revoltante pra o Greenpeace, que mandou as imagens pro Globo Rural em 8 de agosto de 1992, foi em Montreal, quando uns fazendeiros queriam fazer a operação "Fade To Black" com uns metais pesados, mas acabaram ferrando tudo, quase morrendo nessa situação. Um dos camponeses, senhor Jaime Retefilde sofreu queimaduras de terceiro grau e um outro, Axel Rosa de Sarom ficou com a garganta ferrada. Um ato que demonstra como o ser humano é cruel e idiota com a natureza.

Fazendas de Black Metallers

Em uma reportagem internacional, o Globo Rural foi a fazendas da Noruega pra conhecer os hábitos de caipiras amantes do Black Metal. Definitivamente, foi uma das experiências mais inacreditáveis da história dos repórteres: conhecer fazendas em que os camponeses, pintados de branco e preto, fizeram questão de matar no dente as ovelhas que criam e ficaram bebendo do sangue delas, depois de terem espalhado esse mesmo sangue nos corpos uns dos outros, pra conseguir trazer boas colheitas todo mês. Obviamente a equipe de reportagem dispensou participar de tal celebração.

Campeonato de briga de galos

Ontem, na histórica cidade de Taubaté, houve uma disputa incrível de boxe internacional briga de galo. Com narração de Galvão Bueno e comentários de Leo Batista, que apostava nessas brigas desde criança, e reportagem de Márcio Canuto, o maior animador de esportes do Brasil, essa modalidade logo entrará nas olimpíadas, ainda que o vencedor ganhe apenas alguns hematomas, uma perna meio quebrada aqui, outra acolá, mas nada demais. Você devia ver o que acontece com o perdedor...

Demônio do Pantanal

Ih, fudeu! Sai daí LOGO!

O Globo Rural foi investigar a susposta história de um tal "demônio do Pantanal", um ser que supostamente vira onça. A equipe de reportagem tentou chegar lá, mas infelizmente acabou sendo retirada a tiros e uma criatura, que me parecia a Cristiane Oliveira, ou não, veio enlouquecida pra cima dos repórteres, arrancando a orelha deles no dente. A equipe, respeitando a decisão da moça, preferiu não voltar lá mais por livre e espontânea pressão vontade.

Cquote1.png Ei, isso não é do outro canal? Cquote2.png
Leitor do artigo sobre demônio do Pantanal.

É verdade! Bem, mas depois que terminar a novela das 9, "A Favorita", mude de canal e assista Pantanal!

O pato pateta

Na fazenda Pôr-do-Sol, em Palmas, Tocantins, lá veio o pato, pata aqui, pata acolá, lá veio o pato para ver o que é que há.

O tal pato pateta pintou o caneco, surrou a galinha e bateu no marreco. Pulou do poleiro no pé do cavalo, levou um coice e criou um galo. Comeu um pedaço de jenipapo, ficou engasgado, com dor no papo, caiu no poço e quebrou a tigela. Tantas fez o moço que foi pra panela. Deu um caldo muito bom, apesar de tudo!

Reportagem do passado

Um dos agricultores dessa era, chamado Shivirinuw Joseh Pintus Regou. Xi, já tinha caipira até na idade da pedra!

Há 1 ano atrás, o Globo Rural conseguiu o que parecia impossível: uma reportagem nos tempos dos Flintstones. Indo até Bedrock, conseguiram mostrar a agricultura em seus primórdios, com arados puxados por estegossauros e fazendas vigiadas por velociraptors. Também criaram vários pastos para os mamutes e braquiossauros, além de pescarias de ictiossauros e amonites, entretanto uma praga de trilobites está ferrando com a pescaria. Com uma enorme produção de trigo e feijão, os australopitecos estão conseguindo ter um superávit inacreditável, batendo os Estados Unidos de Ameríndios. Inclusive, recentemente, conseguiram fazer plantações de uma planta chamada cevada. Com certeza será revolucionária e muito útil esta produção no futuro. Peraí... cevada é usada pra fazer cerveja! Ih, fudeu...

Chegada no Acre

Essa matéria seria a maior de todas da história do programa, iria falar de uma excursão para o Acre, mas misteriosamente toda a equipe e a reportagem foi misteriosamente perdida.

Matérias especiais do Globo Rural

Um cidadão curtindo a Festa do Boi
Festa do Boi

As matérias especiais do Globo Rural, que podem ser apresentadas durante a semana e o gran finale é deixado para o domingo, ou então são apresentadas todos os domingos, durante uma parte do programa.

Festas dos Bois

O Globo Rural cobriu vários eventos pelo Brasil e pelo mundo. Um que ficou marcado na história do programa foi a tradicional festa do corno manso boi bravo, onde o evento teve cobertura exclusiva do Globo Rural. Esta cobertura teve inicio no ano de 1900 e lá vai lapada até 2009.

A festa do Boi Bombado Bumbá, regionalmente conhecido como "festa do boi que vai bumbando na minha bunda", conta com a participação de toda a população rio-grande-nordestinense (você quis dizer: Potiguar?), sem contar a participação de milhares de cornos mansos afim de afogar as suas mágoas com seu companheiros bois.

Local da festa: Parnamirim, Rio Grande do Norte, Brasil. Os preparativos são realizados próximo ao mês de outubro, onde a data de início para festa do boi atrai toda a espécie de chifrudo do Norte e Nordeste presente.

No embalo da sanfona e em ritmo de festa, a comunidade bovina prepara outros eventos juntos a festa do boi: são realizados leilões de porcos bovinos, vacas suínas, galinhas, pintos, pêndulas, bilaus, sem contar a venda de estrume de frango, que é considerado um adubo poderoso para fazer a roça crescer. Esse adubo tem boa fama, pois fortalece a grossura da mandioca e dá sustância pro pepino. Todo evento do boi envolve também o mundo dos agronegócio e shows caipiras da pesada.

Nessa primeira viagem, Nelson Araújo foi vítima de um ataque de muriçocas borrachudas assassinas. O repórter rural ficou com a pele toda encarambolada e engiada devido a uma reação alérgica provocada pelo mosquito. Seu cameraman também foi afetado pela mordida do mosquito onde o mesmo chegou a ficar pelado no meio da estrada coçando o corpo com um caco de telha. Depois de arrancar metade da pele de tanto coçar, os dois ainda sofreram uma forte alergia.

Chegando até a cidade, depois de passar por atoleiros, depois de levar mordida de muriçocas, o Globo Rural foi recepcionado pela população local, onde a equipe do Globo Rural recebeu chapéus de corno para tapar a cabeça, por causa do Sol.

O objetivo da festa do boi consiste em soltar na rua um boi da raça da bem ruim. Os melhores piores bois são aqueles que apresentam um instinto selvagem, demoníaco, perverso, agressivo e nervoso. Esta seleção é rigorosa e é realizada ainda no curral. Antes de tudo, tem o teste de grau da periculosidade do boi. Geralmente os peões colocam um anel de aço nos bagos do boi, que na verdade ainda é um touro. O anel, por sua vez, se fecha em torno de seu diâmetro espremendo os ovos do bicho; isso provoca uma explosão de fúria deixando o boi emputecido, quando o boi não reclama do teste da argola de aço ele imediatamente é identificado como um boi boiola e é desclassificado da seleção. Após isto o touro deixa de ser um touro e passa a viver como um boi.

Após a seleção dos bois, é realizado o transporte em comboios, sendo levados diretamente para cidade, onde serão soltos pelas ruas, para alegria do povo, que gosta de tomar umas chifradas... er... naquele lugar lá... Mas antes da soltura do bicho, os peões corneados controlam o bicho com uma imensa corda presa ao pescoço do bovino.

De besta esses peões não tem nada e ficam a longa distância (quase 100 metros) controlando o bicho com essa imensa corda, tentando segurar o boi caso ele alopre muito com o povo, mas nem sempre os peões seguram fortemente a corda, pois eles sempre acabam afrouxando um pouco da corda pra ver a merda feita acontecer quando o boi fica no ponto de bala.

Para que o evento ganhe alegria, a população faz sua parte lotando as praças, ruas, calçadas com intuito de provocar a ira do boi, que por sua vez fica solto pelas ruas escolhendo sua próxima vítima.

Big Brother Fazenda

Participantes do ultimo Big Brother Brasil

Todos os anos o Globo Rural faz um Big Brother Brasil, sendo que ao contrário do Big Brother comum, ele se une ao programa A Fazenda da Record, mas com a diferença básica de que são os animais que são os astros do "programa", que é editado na revista Globo Rural como uma fotonovela, cheio de lances emocionantes, como esse:

Cavalo: Olá, seu pato retardado! Vou dar um coice em você no paredão!
Pato: Sei... vou fazer uma panelinha com a vaca e com a galinha e vamos indicar você!
Cavalo: Tá certo. Isso se eu não ganhar a prova do líder!
Pato: Duvideodó!

Ou então cenas como essa:

Burro: Galinha, eu te amo... quando isso tudo terminar, vou ficar com você pra sempre!
Galinha: Eu também, meu amor...

Depois de ganhar a competição, a galinha deu pro gavião e o burro fez papel de burro.

Como ser um caipira e ainda parecer sensual

Como todos sabem, Gisele Bündchen, atual modelo famosa, foi uma caipirosca das grandes antes da fama. De uma cidade do interior dos cafundós do Rio Grande do Sul, proveninente de uma família de colonos. E como alguns sabem, a maioria das modelos do mundo são

Mulheres são ótimas caipiras sexy
originárias dos interiores de seus respectivos países e estados, como é o caso da modelo alemã Heidi Klum, filha de um plantador de batatas, e da modelo Eva Herzigová, nascida no interior de um estado bem interiorano de um país que fica no interior da Europa, de uma família de cultivadores de cevada para fabricação de cerveja. Isso tudo é legal, bacana, mas... o que essa porcaria de texto tem a ver com Globo Rural?
Homens nem tanto...

Todos sabem que o Fantástico organiza um trco lá pra encontrar umas modelos pelos quatro cantos do Brasil (Embora o Brasil tenha vários cantos...). E acontece que 10 a cada 10 meninas escolhidas são de cidades que ficam em zonas caipirescas do Brasil. Pois bem, foi pensando nisso que o Globo Rural, em um crossover com o Fantástico, organizou umas espécie de matéria especial sobre moda no campo.

Lóóóóóógico que a matéria foi pro ar em um domingo, bem no horário de manhã, quando estas moças ainda estão dormindo ou estão ajudando seus pais a capinarem no campo. Estas pequenas moças, bonitas e trabalhadoras, com certeza não puderam assistir esta matéria especial. Para estas mocinhas, e para todos os colonos que querem ficar na moda, tudo o que foi apresentado no Globo Rural será mostrado aqui também, em forma de texto.

A analista de moda Paula Tejanu ensinou tudo sobre postura, etiqueta, escolha de roupas, entre outras coisas. Em caso de uso de chapeu de palha, combinar o vestido bordado com sapatos cor de barro. Chinelos Havaianas (as legítimas, todo mundo usa, recuse imitações!) devem ser usadas para combinar com a cor do cabo da enxada. Caso o chinelo seja composto por borracha de cores vivas frias, o ideal é usar um pano na cabeça com flores. Remendos na roupa devem ser costurados da esquerda para a direita. Quando for capinar, deixe seu corpo virado para sua sombra, dobrando seu braço levemente, e curvando seu corpo 31° para frente, em forma de um belo cisne. Outras coisas sobre a moda do campo você encontrará na revista Moda Rural. Esta revista pode ser adquirida através do e-mail tudo[email protected]

O fenômeno das duas vacas

As duas vacas que você tem.

O mais incrível de todos os fenômenos mostrados no Globo Rural é o fabuloso fenômeno das duas vacas. Todo mundo em Vacaria, no Rio Grande do Sul já foi abduzido pelo poder de duas vacas que apareceram lá na região: Mimosa e Pintosa. Só que ambas são vacas de uma teta só, o que é estranho, no mínimo inusitado. Ontem, depois que a reportagem chegou na região, foi conferir o poder dessas vacas. Não sabemos bem o que aconteceu, afinal jogaram os repórteres no hospício depois que eles saíram de lá cantando: "2 vaquinhas foram passear, além das montanhas para brincar, a mamãe gritou 'MUUUUUUUUUUUUUUU', mas as duas vacas voltaram do mesmo jeito de lá" e cantando Stairway to Heaven em bovinês.

A reportagem alerta: VOCÊ TEM DUAS VACAS!

O fenômeno de Cachoeiro

Numa reportagem de 1958, o Globo Rural mostrou um cantor de Cachoeiro de Itapemirim, um tal de Beto Charles, que ganhou esse nome por causa dos filmes de Roliúd que passavam no único cinema da cidade na época. Esse cantor cantava toda manhã, acordando todo mundo das fazendas na região. Quer dizer, tentando fazer isso. Como ele nunca conseguiu fazer isso, ele chegou a uma conclusão: todos estão surdos. Assim, Beto começou a cantar em Vitória, mas na cidade grande ele teve que arranjar um carro. Lá nas pistas, com seu fusca calhambeque, ele sem querer parou na contramão e foi levado pra São Paulo, onde era proibido fumar, dizia o aviso que ele leu. Desesperado, vendo que os homi ia pegar ele, começou a cantar como era grande o amor que ele tinha por eles. Mas como um dos policiais era um amigo dele que ele já havia traído, por amar a namoradinha desse amigo seu, ele se ferrou e foi pra cadeia. Lá, ele começou a fazer uns shows com músicas que ele cantava em seu interiorzinho de Cachoeiro, mas os bandidos do morro que tavam lá queriam a pele dele para tamborim, apavorado, ele conseguiu fugir e desapareceu no mato, ele era o NEGRO GATO!

Cquote1.png Mas que merda! Que história idiota! Cquote2.png
Leitor do artigo sobre a história do Bebeto

Pois é. Mas ele é terrível e é bom parar de desse jeito o provocar, você não sabe de onde ele vem, o que ele é, nem o que ele tem, e ele vai lhe dizer que ele põe mesmo pra derreter!

Fazendas na Lua

Início do projeto de plantação na Lua. Entretanto, isso não passou de maquete de trabalho de colégio.

Recentemente, uma colonização na Lua foi feita, com vários fazendeiros tentando plantar soja lá, pra diminuir o desmatamento aqui na Terra. Vários caras, como o Blairo Maggi, ajudaram a criar essa colônia. Ambientalistas lunares criticam essa medida, porque acham que irá devastar todas as crateras que tem lá. Mas segundo os organizadores dessa empreitada, até 2030 irão começar em Marte e Júpiter.

Alguns críticos entretanto acham que essa notícia é mais mentirosa que as que aparecem na Desnotícias.

A fazenda imaginária dos Sem-Terra

A maior reportagem que ocorreu no Globo Rural, merecendo destaque até em jornais internacionais, como o The New York Times, foi a fantástica fazenda invisível dos sem-terra, em Crato, Ceará. No meio dum calor infernal de quase 57º celsius, mais de oito mil trabalhadores rurais se uniram num multirão enorme e fizeram a fantástica fazenda invisível. Utilizando-se de sementes de uma planta desconhecida, eles começaram a criar seu paraíso que só eles podem ver. Segundo os estudiosos, essa fazenda consegue atender, com satisfação geral, melhor, mas muuuuuuuuito melhor que aquela fazenda do bispo lá da igreja du cão. Essa iniciativa está sendo seguida por muitos sem-terras do país, ajudando a diminuir em 30% o número de invasões de terra. O governo federal promete distribuir mais sementes dessa planta misteriosa até o final do ano pra todos os sem-terras do país.

Receitas

Receitas que aproveitam o que de melhor o campo tem a oferecer. O quadro especial de receitas do Globo Rural é uma delícia e, quando vai ao ar, deixa o pessoal de casa com água na boca.

Receita goiana de linguiça matogrossense de porco mineiro ao estilo gaúcho

Fazendo um linguição à moda matogrossense

Globo Rural apresentou em 2005 uma receita goiana de linguiça matogrossense de porco mineiro ao estilo gaúcho. Na reportagem do quadro de culinária de receita caipira é apresentada uma lista de ingredientes para dona de casa anotar e tentar fazer igual, se conseguir. Este quadro é dedicado a culinária tradicional caipira.

Pra fazer esta delícia, você precisará seguir os seguintes passos:

  1. Mate um porco de naturalidade mineira
  2. Limpe as tripas do bicho com limão matogrossense
  3. Chame um gaúcho pra soprar a boca da tripa formando um grande balão roliço
  4. Agora é só encher a lingüiça e decorá-la com dois ovos de galinha caipira goiana.

Pronto, e só servir a linguiça com chouriço do porco para as visitas, mas não se esqueça de oferecer os ovos para os convidados principalmente se vierem da cidade de Pelotas.

Vaca atoladinha

Veremos aqui três formas de se preparar a receita, a forma carioca, a pantaneira e a nordestina.

Para a carioca você vai precisar:
A famosa vaca atolada carioca
  • 1 vaca;
  • 1 pote pequeno de KY;
  • 1 baile funk;
  • 321 favelados.
  • MP3 da música "Atoladinha".

Inicie o baile funk, as 22:15 da noite. Nem um segundo a menos!!! Após atingir 228º favelados e eles ficarem doidões de erva, despeje a vaca do barraco, para que ela tenha de ir ao baile. Passe levemente o KY em toda a parte genital da vaca, para deslizar. Coloque a vaca no baile. Nesse momento já estará fervendo com o 321º favelado.

Inicie a música "Atoladinha" e deixe tocar. Encoxada à gosto.

A vaca atolada pantaneira tem alguns ingredientes muito típicos da região Norte do Brasil.
Vaca atolada pantaneira

Precisaremos de:

Despeje a vaca no pântano, esperando até dourar. Enquanto isso, deguste a Milla Cristye.

Para uma vaca atolada nordestina, você terá primeiro que ser paulista. Ou de alguma cidade de onde todas as mulheres de lá achem que só tem rico. Ingredientes:

Toque o forró da "Atoladinha" (de novo?), enquanto cava um buraco na areia. Coloque a vaca até a cintura, tentando jogar a pimenta no olho que refresca. Assim que terminar, use a para bater na vaca e deixe secar ao sol. Salgue a gosto.

Baião de quatro

Pra fazer um baião de quatro é muito simples. Você vai precisar de:

  • Uma vaca;
  • Uma sanfona;
  • Um CD do Luiz Gonzaga, o rei do baião. Mas em caso de não possuir, vai um DVD pirata do Domiguinhos mesmo;
  • Um lençol, edredom ou qualquer coisa que te ajude a ficar na posição de cozer;
  • Um bom cozinheiro que entenda de baião de quatro.

Como preparar:

Bem, isso você deve perguntar a alguém que já experimentou fazer isso, porque EU MESMO NÃO!

Receita inglesa de mini-churrasco

O micro-porco pode ser servido com ovos ou vinagrete a molho pardo
Não se esqueça de retirar os espinhos do maldito
O mini-churrasco de gambá, por exemplo, precisa de cuidado especial com a carne. Antes de assar, lave a carne com bastante água sanitária para ver se o mau cheiro vai sumir, ou não!

Os animais pequeninos estão mesmo atraindo a atenção. Há quem pague quase 200 mil reais por um mini micro-porco, por exemplo. Mas outra espécie de tamanho diminuto acabou dando é muito trabalho para boizinho do chifre grande. Nas fazendas da Inglaterra essa moda pegou de vez. Hoje existem fazendas de porquinhos, galinhos, veadinhos, vaquinhas.

A ideia da mini fazenda é aumentar as variedades de carnes para revender como churrasco de gato, um churrasquinho tradicionalmente brasileiro que vem ganhando fama na Europa. O micro-porco pode ser servido com ovos ou vinagrete a molho pardo. Já o churrasquinho pode ser servido da moda tradicional, empalado.

Essa moda vem conquistando o paladar do mundo inteiro, sendo que os produtores ingleses vêm se destacando em primeiro lugar, pois eles copiaram a ideia dos vendedores de churrasco de gato brasileiros.

Leitão à perereca

Receita simples de realizar, basta você pegar um leitão e a perereca (sim, aquela perereca) da mãe dele e tentar cozinhas ele dentro da mesma. Parece um meio escroto, mas já imaginou como é saboroso porco com recheio de porco? Bem, tem o mesmo gosto, é verdade, mas pelo menos é mais carne, muito mais carne e gordura, muita gordurinha além de muito lixo, já que porco só come merda, de preferência a sua própria merda.

Bode empalado

Variação do camarão empalado, o bode empalado é uma receita para festivais caipiras satanistas, no interior de Minas Gerais. Usa-se um espeto de pau e um bode normal.

Para fazer o bode empalado, faça um ritual satânico antes. Pegue o bode, coloque uma estaca nele, coloque no forno. É bem simples, não? Deguste este prato bebendo um bom sangue de cordeiro.

Transgênicos caseiros

Você pode criar ótimos transgênicos caseiros. A receita é simples:

Modo de preparação:

Bote tudo na panela, cozinhe e depois de 30 minutos plante. Se a semente germinar ainda, é porque você acabou de fazer um tremendo transgênico: a planta bêbada e curda, que sobrevive ao fogo e à cana. Não que isso seja alguma coisa...

Perguntas e Respostas

Bom dia Globo Rurar, meu nome é Alfredo Prazeirozo Texugueiro meu Boi está agindo como uma vaca, será que ele virou boiola??
Não, ele puxou o dono Se você tem um boi homossexual, a melhor maneira é tira-lo de contato com os outros bois. Ninguém quer um boiola como companhia de cerca. Deixa o seu boi ficar uma semana isolado com uma vaca. E depois volte a nos comunicar sobre o resultado. Boa sorte!
Bom dia Globo Rurar! Sou eu de novo, Alfredo Prazeirozo Texugueiro. Fiz o que você pediu! Acredita que a vaca e o boi viraram amigas? O boi anda até paquerando os outros bois do campo junto com a vaca, sem contar que a vaca fica produzindo o boi toda noite.
Ih, fudeu. Caro Texugueiro, é a globalização (não a nossa emissora). Hoje em dia não se fazem mais bois como antigamente. Pense no lado bom, já que ele se tornou boiola mesmo, abate logo a bicha e faça um churrasco e mande umas fatias pra gente. Só descarta o rabo do boi, vai saber o que passou por esse rabo, não é?
Boa tarde Globo Rurar, meu nome é Sandyjunior da Silva. Meu marido achou um cogumelo branco com pintinhas vermelhas e quer fazer um chá dele. É aconselhável?
Se o seu marido for o Mario é totalmente aconselhável. É capaz de ele até ficar 2x maior do que já é, caso contrário, se a senhora quiser ganhar uma pensão, pode preparar o chá.
Boa tarde Globo Rural, sou eu de novo, Sandyjunior da Silva, acredita que eu fiz o chá pra eu ganhar pensão, e meu marido tomou e cresceu 2x?
Então ele é o Mario!
Que Mário?
<CENSURADO PELA PRODUTORA DO GLOBO RURAL>
Bom dia equipe do Globo Rural, meu nome é Alambique Cachaça da Boa Ressaca, meus bois não dormem mais, como faço para o boi dormir?
Olá Seu nome bizarro, para fazer o boi dormir é simples: peça para alguém gravar todos os discursos do presidente Lula em um CD, antes das 8 da noite, ponha o discurso do nosso presidente em seu aparelho de som e perceberá que os bois vão cambalear até cair de sono. Esse método também serve caso o senhor tenha insônia, nada melhor do que ouvir conversa pra boi dormir antes de dormir.
Globo rural, eu fiz esse método para meus bois dormirem, mas agora eles não acordam mais. E o pior é que a vaca resolveu ir pro brejo.
Caro Alambique, terá que esperar até às próximas eleições para fazer seus bois acordarem, mas se você fizer os bichinhos ouvirem a propaganda eleitoral, eles não vão acordar mais até os próximos 4 anos. No caso da vaca, bem, infelizmente ela deve ter tido notícias da crise econômica através do discurso do presidente e resolveu ir pro brejo. Nosso conselho é que você ofereça um pedaço de pizza pra ela, mas a gente não vai entrar muito em detalhes, porque o pessoal da Globo pode tirar a gente do ar, sabe como é né?.

Galeria de revistas

Tudo sobre a Mine Vaca®, a mini vaca que é uma mina de ouro. Os inventores da Mine Vaca® estavam em dúvida se o nome da bichinha seria Mini Vaca ou Vaca Mina. Decidiram não escolher nenhum deles.
A Festa do Boi, grande espetáculo da natureza (humana) que ocorre no estado do Rio Grande do Norte e atrai dezenas de turistas por década. Imperdível.
Matéria especial: O cãossarinho. Seu belo canto (que mais parece um uivo) é motivo de orgulho nas Ilhas Canárias.

Galeria de cartazes

Calvalvada penis.jpg FESTA DO CHIFRUDO.jpg Festa do sabugo.jpg

Em que o Globo Rural vai lhe ajudar?

Globo Rural também ensina o pessoal de casa a transformar um bode comum em um bode genial, com a cara do Einstein.
  • Ensina a você a transformar seu cocô em adubo.
  • Ensina você a detectar se o cogumelo que cresce no quintal da sua casa é venenoso. (Se não for, ensina você a fazer um chá dele).
  • Ensina você a tirar os carrapatos do seu cachorro sem sujar as unhas.
  • Ensina você a fazer sexo inseminação artificial na vaca da tua mulher da sua fazenda.
  • Usar cortador de gramas sem cortas as mãos
  • Ensina você a saber se a árvore que você plantou na sua casa está doente (ou se vai se multiplicar até invadir o seu domicilio).
  • Ensina você a diferenciar o sexo dos seus ratos de estimação.
  • Ensina você a ficar rico apenas fazendo merda adubo
  • Como identificar se seu porco está gripado
  • Ensina você a virar um médico especializado em árvores! ‘’(Nossa, que gratificação)’’
  • Ensina a fatiar uma mandioca sem usar as mãos ‘’(uiiiiiiiiiii)’’
  • Ensina a matar pernilongo sem usar as mãos.
  • Ensina a identificar um caipira sem chamá-lo pelo nome (Você quis dizer: ).
  • Ensina a identificar um feijão azedo no prato do infeliz do teu filho.
  • Ensina a levantar às 6 da manhã pra assistir a porra do programa.
  • Ensina a ser psicólogo de seu próprio cavalo.
  • Ensina a fazer que o seu cavalo se torne um astro de Hollywood
  • Ensina a colocar marcha a ré na tua carroça.
  • Ensina a saber que o sabiá sabia suviar.
  • Ensina a pentear o macaco.
  • Muuuuuuuuuuuuu! (Muuuuuuuuuuu).
  • E a mais útil de todas: ensina a assistir Globo Rural até o final. Quer dizer, talvez isso não consiga...

Crossover de Globo Rural com Pesca & Cia

Qual dos dois ganha em chatisse? Que briga!

Depois de anos de disputa entre os dois programas no domingo de manhã pra ver quem é o programa mais inútil, houve uma vez, há muitos anos atrás, uma aparição simultânea dos programas Globo Rural e Pesca & Companhia, um dentro do outro. Esse programa foi deveras interessante, pois fundiu o inútil ao desagradável: ao mesmo tempo que o pescador ficava "Ô... eita peixão!" diante de um tambaqui, os apresentadores do Globo Rural ficavam falando da importância da criação de alevinos e tucunarés. Era visível não a cooperação entre os dois programas, mas a tentativa de sabotar um ao outro (afinal um é da Glóbulo e o outro é da Essebesteira, isso explica tudo). O IBOPE registrou a pior audiência da história dos dois programas, com -7 pontos. É isso mesmo, "-7 pontos", sete pontos negativos!

Tentou-se um crossover entre as duas revistas, mas o projeto foi engavetado comido por piranhas malucas depois de ter sido pisoteado pelos bois do Leôncio.

Curiosidades

  • Carlos Nascimento apresentou esse programa primeiro (pensava que era Cid Moreira, que decepção...), mas ele era esquentado demais e tava queimando toda a plantação de trigo quando ia fazer uma reportagem.
  • Silvia Poppovic apresentou o programa também, mas fazia o estilo "apresentadora de programa da tarde", entrevistando animais os mais diversos sobre problemas como traição, impotência e fazia testes de paternidade e usam o polígrafo pra detectar galos que pulam a cerca o poleiro. Normalmente o que aconteceu com esse repórter é o que acontecia com Silvia.
  • Quando William Bonner apresentou o programa, foi a única fase que o programa passou a noite. É que William não conseguia parar de dizer "boa noite".
  • Fabiana Scaranzi foi a apresentadora mais gostosa desse programa, único motivo em anos para muitos garotos em fase de puberdade assistir o programa (a não ser, claro, quando passavam as famosas dicas de "como iniciar-se sexualmente com uma cabrita").
  • Já ver Michelle Loreto, a moça da previsão do tempo, é um tremendo sinal de tempo ruim... Sai da frente que lá vem dilúvio, catarinenses!
  • O Galo da Madrugada surgiu no Globo Rural, nascendo numa fazenda de Roberto Marinho.
  • Gabriel Garcia Marquez mandou um prêmio pra revista, depois que ela o ensinou a usar cádmio numa matéria sobre reaproveitamento de pilhas.

Ver também

Diamante.gif O Desafio dos Artigos da Desciclopédia Diamante.gif
Edições: 1 - 2 - 3



v d e h
Porcarias impressas pela Editora Globo
Globo logo.gif
ÉpocaÉpoca NegóciosGalileu (antiga Globo Ciência) • Auto EsporteCasa & JardimCrescerCriativaGlobo RuralMarie ClairePequenas Empresas & Grandes NegóciosQuem
Ferramentas pessoais
Ver e modificar namespaces

Variantes
Ações
Navegação
Colaboração
Votações
(F)Utilidades
Novidades
Redes sociais
Correlatos
Ferramentas