Goiânia

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Goiânia
"Cidade mais radioativa do Brasil"
Bandeira de Goiânia.png
Aniversário
Fundação Não disponível
Gentílico goianiense
Lema O viaduto que você vê
Prefeito(a) Iris Stefanelli
Localização
Localização de Goiânia
Estado link={{{3}}} Goiás - Em cima do morro da Capuava
Mesorregião Casas das Duplas Sertanejas Goianas
Microrregião Dependência de Goiânia
Municípios limítrofes Abadia de Goiás, Aragoiânia, Aparecida de Goiânia, Goianápolis, Goianira, Nerópolis, Santo Antônio de Goiás, Senador Canedo e Trindade
Distância até a capital Não disponível
Características geográficas
Área Não disponível
População Não disponível
Idioma Goianês, mineirês e árabeGoianês e mineirês
Densidade hab./km²
Altitude metros
Clima Quente no inverno, frio no verão
Fuso horário UTC
Indicadores
IDH
PIB R$
PIB per capita R$

Cquote1.png Você quis dizer: Terra de Corno Cquote2.png
Google sobre Goiânia
Cquote1.png Você quis dizer: Césio 137 Cquote2.png
Google sobre Goiânia
Cquote1.png Você quis dizer: Roça Grande Cquote2.png
Google sobre Goiânia
Cquote1.png Não tem mar? vamos "pro" Bar Cquote2.png
Goiano Cachaceiro
Cquote1.png Vô asfarrrrrtáaaahhh... Cquote2.png
Prefeito Iris Rezende sobre Goiânia
Cquote1.png Já asfarrrrtei tudo, agora vou construirrr mais 1500 viadutos... Cquote2.png
Prefeito Iris sobre reeleição.
Cquote1.png Isso é a maior e melhor cidade do mundo! Cquote2.png
Goiano
Cquote1.png Te encontro lá no posto de gasolina pra nóis ir pro Vaca Brava tá bão? Cquote2.png
PREYBOYCOWBOY
Cquote1.png Mais de 30000000000000000... Cquote2.png
Goianenses no Texas
Cquote1.png Em Goiânia, só farrrrrta terrrrr praia Cquote2.png
Goianiense esperando os efeitos do aquecimento global
Cquote1.png Nossa!! Estou em Nova York? Cquote2.png
Tocantinense, de passagem por Goiânia
Cquote1.png Aqui nóis tem muinta muié boua Cquote2.png
Nativo tentando "impressioná" sobre a população feminina
Cquote1.png Minima de "Quente Pra Caramba" e Máxima de "Acho Que Vou Derreter" Cquote2.png
Zeca Pagodinho fazendo a previsão do tempo para Goiânia
Cquote1.png ...aí, eu mordi aquela coisa amarela bem no meio. Só me lembro de ter acordado num hospital com a boca toda cheia de curativos. Até hoje não me recuperei totalmente, e tenho dificuldade de falar... Cquote2.png
Ari Toledo sobre o pequi
Cquote1.png Muchas chicas hermosas... hahahahahah Cquote2.png
Cafetão espanhol sobre as suas minas de ouro
Cquote1.png Aqui tem o melhor sistema de transporte público no Brasil! Cquote2.png
Goianiense, tendo um surto megalomaníaco enquanto espera um ônibus durante 50 minutos
Cquote1.png Capitão, a gente não pode ficar treinando não? É que não tem nada pra fazer... Sabe? Cquote2.png
Oficial da Brigada de Operações Especiais do Exército Brasileiro sobre Goiânia

Goiânia é a maior cidade e capital do enorme estado que é Goiás, sendo portanto a maior cidade-satélite do interior de Brasília, como acreditam os candangos bombados. Foi a capital dos Estados Unidos da América desde 858 milhões de anos a.C. até ser substituída por Washington, D.C.

História

Fundação

Cartaz da semana passada anunciando a criação de Goyania

A cidade de Goiânia, seguindo a tendência do início do século XX por cidades planejadas surtadas, foi planejada por um arquiteto psicopata e caipira que morreu de acidente de asa-delta (antes mesmo que existisse a asa-delta). O nome dele era Atílio Corrêa Lima, que copiou as plantas das cidades criadas pelo arquiteto Eliebezer Howard, um inglês com nome de pé-de-toddy, mas que era muito rico e foi estudar na França. Foi esse Howard quem criou as cidades-jardins pelo mundo, como "Washington" - nome de pobre, "Versalles" - nome de carro de pobre, "Marselha" - linguiça de pobre... Todas cidades que como "Goiânia", são consideradas cidades-jardins.

1987, o Acidente do Césio-137. Goiano caga brilhando até no escuro

Em 1987, catadores de lixo estavam fuçando os escombros de um hospital particular que pertencia ao irmão do prefeito, e encontraram um a caixa de chumbo lacrada, com pó azul brilhoso. Mas como eram macacos, conseguiram abrir. Então pensaram: "Sô, isso deve ser maquilagem de gente rica!", e salpicaram o pó pelo corpo, até que ele grudasse. Mal sabiam eles que o "pó azul brilhoso" era Césio 137, usado para exames de prevenção contra o Câncer (20 jun - 21 jul). 7 morreram, uma caralhada ficou contaminada, muito peão de touro fugiu e Goiânia passou a ter a fama de "Cidade radioativa que tem o Shopping Flamboyant, o Clube Jaó, mulher bonita e um zoológico muito melhor que o de Brasília" (sempre!).

Além dessas verdades, também foi criado o primeiro município do mundo "por motivos nucleares", quando decidiram levar toneladas de lixo radioativo para um pequeno pedaço de terra que ficava entre Goiânia e Guapó, agora conhecida como cidade de Abadia de Goiás, onde os efeitos da radiação têm sido estudados pela Comissão Nacional de Cagadas Nucleares, o CNGN, que já concluíram que vai levar mil anos para que toda essa merda pare de influenciar o ponteiro dos contadores geigers que por ventura algum corajoso esteja manejando, parado, medindo a radiação ionizante.

Economia

A economia de Goiânia é baseada na exportação de seus subprodutos industriais: Os cantores sertanejos, las chicas hermosas (que vão "trabalhar" na Europa), o césio-137 (usado para maquiagem de luxo), os chifrudos, e do principal produto da alimentação local: o pequi.

Geografia

Em Goiânia, há tanta área verde feitas pelo Coroné Iris Rezende, mais do que na Terra inteira, superando até Curitiba, Campo Grande e Plano Piloto de Brasília (a única área que pode ser chamada de "verde" no meio daquela horripilaria cinzenta), apesar de na capital de Goiás haver muito mais grileiro do que na capital do Paraná, do Mato Grosso do Sul e na capital da República juntas. Lá em Goiânia tudo "é o mió e maió" do mundo. Goiano é, por natureza, megalomaníaco.

Essas áreas verdes são para turistas e mães de turistas pastar, mas também são locais onde se encontram árvores típicas do que sobrou do cerrado, e um monte de mangueiras que todo prefeito manda erguer para colocar seus cargos em comissão para fazer pelo menos alguma coisa, com o intuito de catar a deliciosa fruta que se parece com um pequi grande, mas não tem espinhos no caroço. Peter Ludwig, sertanista e velejador que, sabe-se lá a razão, era viciado em pequi, foi consultor do governante estadual Pedro Ludovico Teixeira, o mesmo cara que batizou o Palácio do Governo e que, na verdade, deu a ordem de invadir o cerrado e construir uma capital mais decente que a velha, esta última chamada hoje de Goiás Velho ou a Capital dos Bobos, ou ainda Vila de Boa.

Conta a lenda que o parque mais famoso da cidade, o Vaca Brava, tem esse nome em homenagem a mãe do Boi Bandido, conhecida por esse carinhoso nome, e que num dia, durante a época de pequis, a senhora Vaca Brava resolveu ir para o brejo e nunca mais voltou... O brejo foi reformado, e ganhou o nome da ilusre vaquinha.

Goiânia fica num lugar tão-tão distante, onde as pessoas só vão para comprar roupa, ou para morrer, como diz a música muito famosa: "Fizêmo a úrtima viage...foi lá pru sertão de Goiáis..."

População

Os três negões da Praça Cívica, segurando um pênis gigante.

Os goianienses (ou goianinhos) são metidos, folgados e se acham OS gostosos. Gostam mesmo é de tocar sertanejo nos seus carros, achando que fazem algum sucesso. Também são conhecidos por terem pouca paciência com candangos viados, o que é comprovado pelos próprios goianienses quando estes estão de passagem em algum carnaval de Caldas Novas e acabam descendo a porrada em candangos malditos brasilienses play-boys filhos da puta inocentes. Os goianienses que acham que têm atitude gostam de seduzir as mulheres falando coisas do tipo "Aaaooh gostosa!", e quando querem chamar uma mulher pra dançar fala assim (com a mão pegando no braço): "Vamo dançá meu bem?" "Ê trem que pula!", e "Pode vim que eu tô facim!". Sempre com uma latinha de Skol na mão e sem camisa.

Tanto homens quanto mulheres gostam de falar alto, pra todo mundo ouvir. É fácil reconhecer um goiano pela risada alta, pelas besteiras ditas e, no caso das mulheres, pela insuportável voz nasalada. As mulheres estão sempre maquiadas, muito maquiadas, terrivelmente maquiadas. Caso 70% da beleza das mulheres saísse com água, nas goianienses essa taxa seria de 99% (quando não oxigenam o cabelo, o que costuma afetar o cérebro também). Por isso a fama de serem bonitas, mas há crenças que afirmam que uma goiana nunca foi realmente vista, e o que vemos é apenas uma imagem produzida por elas mesmas. Tanto é assim que uma das empresas que mais crescem no estado é a Leinertex, uma fabrica de tinta de baixa qualidade.

A maioria da população de Goiânia é composta por mulheres pseudo-gostosas com QI de Sapo-Boi-Azul e preyboy anabolizado que escuta sertanejo e acha que é bonito.

Transporte

É também a única cidade onde a rodoviária, localizada num shopping, é mais bonita e estruturada que o aeroporto, que tem uma péssima área de alimentação e entretenimento para quando a crise aérea se estabelece no país. Lembre-se: quando o caos aéreo estiver dando sinais, reze para você não estar em Goiânia no momento.

Um dos grandes fenômenos que são estudado em Goiânia é em relação a quantos corpos podem ocupar o mesmo espaço, quando se pega, às 18:00 horas, o ônibus do [[[Eixo Anhanguera]]] e o Cruzeiro-Universitário Via Terminal Izidória, também conhecido pelo terrível nome de 020 (atualmente a linha de ônibus foi expandida até o Terminal Garavelo), sem falar no Garavelo-Centro Eixo T9, mas talvez de todos seja o terrível Aparecida de Goiânia Praça de Bíblia ou "O Terrível 580-I", que mesmo passando a cada quinze minutos durante o horário de pico, e capaz de carregar pessoas dependuradas do lado de fora que as vezes caem do ônibus ou são prensadas pela porta do veículo até se encaixarem em algum lugar la dentro. A situação piora gravemente quando chove, pois parece que a cidade inteira resolve andar de ônibus na chuva.

Trânsito

A palavra "goiano" conforme o dicionário é sinônimo de "motorista ruim", e isso já adianta a qualidade do trânsito goianiense.

"Goianada" em Brasília é um termo semelhante a "cariocada" em São Paulo, "paulistada" no Rio de Janeiro ou "pernambucada" no Ceará, que é dito quando uma pessoa faz besteira no trânsito ou em outra situação na qual deseja-se insultar alguém. Temos também outros exemplos como "errar uma vez é humano, errar duas vezes é baiano, e errar três ou mais vezes é goiano". Isso porque o trânsito de Goiânia é um insulto às regras que deveriam ser claras: lugar de caminhão de peão de boiada é na área rural, e não desfilando pelos boulevares repletos de agroboys, cowboys-viados e agrogirls, no baixo Marista, lugar de onde os padres foram expulsos para ser criada uma zona de pegação formada pelo Piquiras, House Garden e Esquina Jatobá (bares e restaurantes caríssimos, onde só vão as pessoas que precisam voltar antes das 23:00, porque senão perdem o ônibus pra casa).

Nas milhares de autoescolas espalhadas pela cidade ensina-se o peculiar modo de dirigir goianiense. Em Goiânia, as faixas brancas (ou amarelas), pintadas no asfalto, devem ser alinhadas com o centro exato do carro, fazendo com que cada goianiense ocupe duas pistas ao mesmo tempo. Em dias de chuva há ainda a tradição de sair para passear de carro - já que só chove durante seis meses por ano -, o que causa o que eles costumam chamar de "engarrafamento", mas que qualquer paulista chamaria de "trânsito livre".

Interessante é o fato do goiano não se intimidar com placas como "Pare" e "Rotatória a Frente", vindo de qualquer direção, provocando acidentes e constantes "engarrafamentos" de 20 minutos, por causa do porra-louca viado homossexubicha que não consegue olhar antes de entrar.

Outro fato notável é a alta taxa de pilotos de motocicletas de baixa cilindrada que se jogam contra os para-choques dos ônibus e carros (eles pensam que têm sete vidas), promovendo uma espécie de genocídio coletivo cultural, que têm criado uma legião de viúvas novinhas e mais mulheres procurando mulheres na cidade.

Não raro, se encontram durante a noite em Goiânia vários motoristas que têm saudades do césio 137. Ocorre que os nostálgicos motoristas (geralmente playboys, filhos de puta rica com criador de gado, ou mesmo um filho de um Ricardão qualquer) desligam os faróis dos veículos e ligam a maldita luz azul. Vale lembrar que não se trata do xenon convencional, e sim daquele olho de gato que quase não se enxerga de longe. Somente para relembrar os velhos tempos do césio 137 e provocar acidentes, pois não é possível visualizar aquela desgraça depois das 18h.

Um fato que também coopera com o belo trânsito de Goiânia, é a famosa venda casada, onde o motorista leigo, que além de não conhecer as sinalização existente, também desconhece as leis de trânsito e ao fazer 18 anos corre em uma das diversas concessionárias existentes na região e compra seu veículo, normalmente uma "pick-up" com potência que sua massa cinzenta não é capaz de contar até tal número, e automaticamente com o veículo já vem a PPD, que depois de um ano e diversos "cafés" oferecidos aos ingênuos guardas da moral e dos bons costumes de nosso trânsito (AMT e BPMTran) se transforma em CNH.

Esse fato do motorista leigo não ocorre apenas com os jovens, em sua maioria EMOS, GAYS, AGROGAYS, e um grupo pior ainda, as Agrogirls, mas também com alguns plantadores, criadores e o popular "Jeca", que em sua maioria sai de sua terra em outro buraco mais afastado que Goiânia, e como leigos desconhecedores da sinalização, e por consequências das leis de trânsito, acabam utilizando as duas pistas das ruas em que transitam, mesmo em carros populares, o motorista leigo tem a capacidade de ocupar duas faixas, fato este ultimamente que ocorre até com motoqueiros.

Dois equipamentos considerado equipamentos de uso essencial em outras cidades civilizadas, em Goiânia funciona como acessórios de luxo, é apenas instalado para incrementar o veículo, pois seu uso é totalmente ignorado pelos motoristas leigos, esses dois itens são as SETAS o os RETROVISORES.

Turismo

Goiânia não possui qualquer atrativo turístico, sendo que apenas gente de Brasília ousa visitar a cidade.

Muito candango passa o carnaval em Goiânia, sendo eles os principais responsáveis pela fama de chifrudo dos goianos, que por serem frouxos sempre perdem suas mulheres para os forasteiros. Os brasilienses quando não vão para Caldas Novas pular Micareta eles vão para Goiânia só pra tentar pegar mulher nos shows de música ruim local.

Lembrando que nas baladas ou shows que tem em Goiânia, sempre (SEMPRE) algum goiano malhado vai arrumar uma treta com algum brasiliense marombado também. Como goianos e brasilienses são hostis uns com os outros em baladas (e onde mais eles se encontrem respirando a menos de 300 gazilhões de quilômetros), e pela necessidade de provar a masculinidade e até pelo mal costume que o brasiliense tem de querer cobiçar a mulher do próximo, o resultado é uma perfeita confraternização amigável.

A hospitalidade dos goianienses é muito famosa (Mentira. Na verdade a dos mineiros é mais porque eles estão no Sudeste, e como o sudeste é mais importante, Minas acaba ficando mais famosa). Um dos símbolos da hospitalidade goianiense, além das moças que ficam nas esquinas da Avenida Paranaíba, são rapazes que andam em Blazers pretas, fornecendo informações e transporte gratuito de forma pacífica e educada. Eles fazem parte da ROTAM.

Lazer

Preparação para a Festa Abelvolks

As noites goianas sempre começam e terminam em um posto de gasolina. Antes de qualquer festa na cidade todo mundo vai para o posto (quando não usam a famosa frase: "Não tem mar, vamo pro bar"). Na maioria dos postos, a goianada abre o carro fica ouvindo funk ou sertanojo no último volume. Depois de tomarem algumas vão para inúmeras festas Abelvolks (uma espécie de reunião de seres unicelulares - também conhecidos como Candangos, com carros onde não é possível se colocar mais NADA, por terem caixas de som até no radiador, que tocam pérolas como Tati Quebra-Barraco, MC Créu, e outras "maravilhas" da música local) e Abelbeetle (a mesma coisa, só que com besouros), ou os maravilhosos Cowboy do Asfalto, que tem na cidade. Nas festas de som automotivo (vide exemplos acima), os goianienses metidos, que tem os carros mais entulhados de som, são os reis, que ficam rodeados de Marias-Amassa-Teto, cujo único propósito na vida é ficar pulando em cima do carro, ao som de Piriguete.

As festas de breganojo são os local onde se reúnem o maior número de parasitas oxigenadas da cidade. Lá também estão os filhos de fazendeiros, todos usando a calça torando o rego. A última moda a chegar em Goiânia é ir pra alguma trance, onde se veem milhares de moleques chupando pirulito com a mãozinha pra cima e fazendo careta. E claro, como é tradição goiana, antes de ir pra qualquer trance, se encontram nos postos de gasolina. Ao final de todas as festas, os goianienses passam mais uma vez no posto pra tomarem a última, e só assim conseguem terminar o caminho de volta pra casa.

Também existem os festivais de rock da Monstro e Fósforo (selos de rock da cidade - bom, pelo menos eles acham que são isso...), geralmente no Martim Cerere, local infestado de morcegos e que era uma caixa d'água antigamente, onde emo NÃO ENTRA! (em algumas épocas durante o ano ocorre uma infestação de caramujos que deixa no lugar uma gosma horrível). São festivais que tocam uma dúzia e meia de bandas, que são uma porcaria; bandas que querem ser iguais a Los Hermanos, Strokes ou Radiohead, mas que se parecem demais com o mestre Chimbinha. O público é dominado por emuxos bizarros do parque Vaca Brava disfarçados (e ai daquele que for descoberto), e rockeiros maníacos-sem-noção-satânicos-das-trevas-made-in-doom-from-hell-sombrios-malignos-do-mal, os mesmo que ficam o dia inteiro em alguma praça bebendo catuaba, ou uma mistura mais estranha, de nome mais estranho ainda,, vestidos com camisetas do The Doors, Legião Urbana, ou qualquer banda escrota de New Metal, e berrando, ou fazendo algum tipo de número de Jackass para se mostrar o animal jumento esperto da turma.

Goianês

Crystal Clear app xmag.pngVer artigo principal: Goianês
Alunos no estudo do Goianês

Para se comunicar é necessário que se tenha um profundo conhecimento da combinação do Goianês arcaico e o ultra modernista. E visto que esse idioma é, de tal forma, complexo demais para mentes destreinadas e despreparadas, foi feito um dicionário exclusivo, com todos os verbetes necessários para se tornar um fluente na língua Goianês, e sair arrasando na cidade.

Outra característica bastante peculiar dos goianos é não utilizar (nem na fala, nem na escrita) o pronome reflexivo "se". "Se foisse a penas ece o pobrema, nóis táva é felis!". Mas agora muitos emos, emos e mais emos estão influenciando nossa língua (daquele jeito bem gay mesmo; com a ultima moda de querer parecer candango, dizem gostar de rap e rock da pesada - Simple Plan, My Chemical Romance, Fresno, etc). Usufruindo também de outras exportações (modalidades, escrotisses) candangas, os goianos jecas tatus estão formando grupinhuxxx de pichadorexxx e drogadinhuxxx, reivindicando serem assim a 51º(ou 51, no jargão goiano) região cachaceira administrativa do DF.

Futebol

Como todo lugar no Brasil, Goiânia também tem seus times de futebol. Mas não são exatamente os times que chamam atenção, e sim as torcidas organizadas, com destaque para a Força Jovem (muito original o nome) do Goiás, e a Esquadrão Vilanovense do Vila Nova.

As torcidas organizadas em Goiânia, assim como no Brasil, são na verdade uma comitiva de Juggernaults, que para não se zoar da cara deles, se reúnem, falam alguns palavrões, ensaiam alguns gritos de guerra e se quebram na porrada. A discussão mais idiota em Goiás é a de qual torcida tem o maior bandeirão. Só tem um detalhe: comparado ao restante do país, as duas bandeiras têm tamanho ridículo. O estádio de Goiânia, O Serra Dourada, é o único do Brasil a estar dentro das normas técnicas da Fifa, e com certeza está fora da Copa de 2014. A torcida do Goiás, os esmeraldinos, só não são os mais irritantes do planeta porque o Curitcha existe, e eles (os curitchiano) não se cansam de comparar o time deles a times de futebol profissional de verdade, como Cruzeiro, São Paulo, Palmeiras e Íbis. O mesmo vale para a torcida do Vila Nova. Mas vale relembrar algo: ´´ão ão ão! quarta divisão!`` (esse grito foi entoado pela torcida do Vila Nova para o FlorminenC, e agora pela torcida do Goiás para o Corinthians). E quase deu certo.