Grande Île

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Grande Île (ou Grande Ilha para os analfabetos que não entendem língua francesa) é uma ilha localizada na Alemanha França, onde ficava a cidade de Estrasburgo. Como se localiza numa área desconhecida tão misteriosa como os buracos negros presentes no controle do espaço aéreo brasileiro, a qualquer momento Grande Île pode passar para o lado alemão, voltar para o lado francês, mudar de lado, e assim vai.

Por ser uma área onde só tem catedrais velhas e gigantes, nenhum dos dois países queria a ilha, causando uma guerra entre ambos. A Alemanha venceu e obrigou os franceses a ficarem com a ilha. Como quase todo lugar na Europa que tem alguma catedral gigante deve ser considerado um patrimônio mundial pela UNESCO, a Grande Île foi tombada e virou patrimônio. Mesmo assim, nem franceses nem alemães a querem.

História[editar]

Grande Île durante uma enchente.

Grande Île surgiu durante a Idade Antiga, fundada por algumas pessoas das quais ninguém se lembra muito menos quer se lembrar. Por se localizar no meio do campo de batalha entre franceses e alemães, decidiram fundar uma cidade numa ilha, no meio de um rio, achando que assim poderiam se proteger de futuras batalhas. Porém, isso surtiu efeitos contrários. O rio na qual Grande Île fica está na divisa entre os dois países.

Devido a população gay da cidade representar menos da metade dos habitantes, os alemães não consideravam esse território pertencente à França. Então os exércitos das duas nações fizeram batalhas na região para decidir quem ficaria com a ilha. Só que os moradores sofreram com insônia, de tanto ouvir explosões e tiros que não os deixavam dormir. Então, o ministério da saúde, junto com a comunidade habitante da ilha, planejou um plano para acabar com a disputa.

De acordo com o plano, foram construídas milhares de igrejas, catedrais, e outros tipos de trambolhos. Como os dois países (França e Alemanha) estavam com catedrais velhas em excesso, Grande Île se tornaria um lugar desinteressante para as nações combatentes, que parariam o conflito por um lugar inútil. Agora, nenhum dos dois queria a ilha. Então, franceses e alemães jogaram pedra, papel e tesoura para decidir quem não ficaria com Grande Île. A França perdeu (que novidade), e por isso que o local pertence ao país.